História Foi graças à fama que te conheci - Capítulo 60


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Jorge Blanco, Jortini, Leonetta, Martina Stoessel, Sebastian Yatra
Visualizações 17
Palavras 1.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem, deixem nos comentários o que acharam🙏🏻❤️
Boa leitura😊❤️

Capítulo 60 - Capitulo 60


México 

Pov’s Cecilia

 

Eram 10h30 e estava tomando o café da manhã com a Luna no restaurante do hotel, quando chega o meu filho correndo, com o rosto molhado, percebi logo que esteve chorando, o mesmo me viu e veio em direção da mesa onde eu estava.

 

Cecilia: O que aconteceu- perguntei preocupada

Jorge: Ontem discuti com a Tini, disse coisas que não devia, e insinuei coisas que não sabia e a mesma saiu do quarto chorando e tremendo e por minha culpa foi para no hospital.- ele disse desesperado

Cecília: Jorge se acalma- disse para ele- Senta e me conta tudo- disse e o mesmo se sentou na minha frente- Toma café, porque eu sei que você não tomou e não quero que passe mal!- disse e o mesmo obedeceu e começou a comer, parti uma maçã para a Luna para ela comer enquanto converso com o seu irmão- Agora me conta.

 

Ele me contou tudo, e eu o acalmava, ele se sentia culpado por tudo, apesar de ser meu filho admito que ele agiu errado, apenas eu sei o que a Tini fez por todos, apesar dos Ensaios, dos Shows, ainda organizou o funeral e vendo a casa, apesar de cansada nos ajudou muito. Eram 11h e o Jorge já se encontrava mais calmo e começamos a ouvir gritos de fãs, olhamos pelas grandes portas e paredes de vidro que tem no restaurante dando visão para a recepção e vimos a Tini entrando com a Sofia e seguranças, o Jorge se despediu correndo e logo foi em direção á recepção. A Luna que estava ao meu lado quando viu a Tini, começou a dizer que queria ir para o colo dela, que queria estar com ela e eu lhe disse que ela estava doente, mas quando ela estivesse melhor eu a levaria até ela e a mesma assentiu e continuou a comer.

 

Pov’s Jorge

 

Quando a vi entrando na recepção acompanhada pela Sofia e pelos seguranças, me despedi correndo da minha mãe é da minha irmã e fui em direção da recepção. Passei pelas portas de vidro do restaurante e o meu olhar e o dela se encontraram de novo, parei  de andar e aquilo foi como se o tempo parasse, ela logo desviou o olhar e disse alguma coisa á Sofia que a olhou preocupada, as duas foram em direção ao elevador correndo, a Sofia segurando a Tini, fui em direção ao elevador mas a Sofia me fez sinal para não ir e esperar, assenti e me fui sentar em uns sofás que tinha na recepção e esperei por ela.

 

Pov’s Tini

 

Quando sai do hospital às 10h, fui com a Sofia ma casa dela, pois a mesma foi apenas avisar a mãe que eu estou bem e que me vai levar para o hotel. Cheguei no hotel eram 11h, quando sai do carro, vários fãs começaram a gritar e como sempre os fotógrafos e repórteres estavam presentes, os seguranças vieram me ajudar e entrei no hotel correndo. Quando entrei pela porta, andei um pouco e logo o meu olhar se cruzou com um par de esmeraldas verdes, o tempo junto com os nossos olhares parou até eu sentir uma tontura e desviar o meu olhar para a Sofia.

 

Tini: Vamos subir, está me dando tonturas- disse para a mesma que me olhou preocupada e me ajudou a ir até ao elevador, entramos e quando as portas se fecharam, me permiti lagar o braço da Sofia e me segurar na lateral de ferro que tinha embaixo do espelho.

 

Sofia: Tini você está bem?- perguntou passando a mão pelas minhas costas?

Tini: Apenas me preciso de deitar- disse

 

Ela assentiu e logo a porta do elevador se abriu, me apoiei na Sofia e fomos até á porta do meu quarto com o Jorge, peguei no cartão do quarto que estava na minha bolsa e a Sofia abriu a porta, entramos e logo avistei pedaços de vidro no chão ao lado da parede da varanda, suspirei e percebi que ele tinha descontado a sua raiva no vaso que antes tinha em cima da mesa e que agora não se encontrava lá, pedi para a Sofia me ajudar a sentar na cama, me sentei e a mesma tirou os meus saltos, preciso de um banho para tirar essa maquilhagem e colocar um pijama, mas não tenho forças para isso.

 

Sofia: Você está bem?- perguntou se sentando ao meu lado

Tini: Sim, o médico avisou que é normal sentir tonturas- disse forçando um sorriso

Sofia: Eu vou lá na recepção pedir um chá com algumas bolachas para você- ela disse sorrindo e se levantando

Tini: Porque precisava ir na recepção?- disse levantando uma sobrancelha- Podemos ligar pelo telefone aqui do quarto- disse para a mesma

Sofia: Eu vou lá na recepção, assim deixo você um pouco sozinha, eu sei que você precisa de pensar em tudo- ela diz forçando um sorriso e saindo do quarto.

 

Ela tem razão preciso pensar em tudo o que vai acontecer daqui para a frente, me encostei na cabeceira da cama e me pus pensando olhando para a parede branca do quarto.

 

Pov’s Sofia 

 

Sai do quarto, e fui correndo na direção do elevador, apertei no botão da recepção, quando as portas do elevador se abriram, sai e logo o Jorge me viu e se levantou, antes de ir falar com ele, fui na recepção.

 

Sofia: Oi- disse sorrindo simpática- Quero um chã e algumas bolachas integrais para o quarto ***.

Recepcionista: Daqui a pouco já vão lá levar- ela disse sorrindo e pegando no telefone para fazer o meu pedido.

 

Virei o meu corpo para ir na direção dos sofás onde o Jorge se encontrava, mas tive uma surpresa ele estava na minha frente ouvindo a conversa.

 

Jorge: Como ela está?- perguntou preocupado

Sofia: Calma vamos sentar e conversar- disse forçando um sorriso para ele.

 

Fomos em direção dos sofás e conversamos sobre a relação deles e sobre como ela estava.

 

Pov’s Tini

 

Já faz algum tempo que a Sofia saiu, o serviço de quarto já me tinha trazido o chá e algumas bolachas, comi tudo e fiquei apenas com algum chá, eles levaram o carrinho, como já me sentia um pouco melhor, me levantei lentamente e fui até á mala pegar em um pijama, fui para o banheiro tomei banho e me voltei a deitar na cama, pouco tempo depois adormeci

 

Pov’s Jorge 

 

Conversei com a Sofia quase 1 hora, ela voltou para casa e eu fui em direção ao meu quarto, entrei sem fazer barulho, pois a Sofia me disse que ela estava se sentindo mal, o que é natural pelo o que o médico disse, fui em direção á cama e a mesma dormia, toda encolhida, me sentei ao seu lado na cama, e acariciei as suas costas, já que a mesma estava de costas para mim, acariciei e dei um beijo no seu rosto.

 

Jorge: Me perdoa por ser tão burro, e não perceber que era você que estava fazendo tudo- disse deixando cair algumas lágrimas enquanto continuava a acariciar o seu rosto- Me perdoa por ser a razão de você passar mal e estar assim nesse momento- disse.

 

A mesma se mexeu, se virou para mim e me abraçou continuando a dormir, sorri, me deitei ao seu lado com cuidado e adormeci.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro🙏🏻❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...