História Foi no Caminho do Pré - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~jiminhouse

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, V
Tags Fluffy, Jihope, Jimin, Jiminhouse, Jmh, Romance, Yaoi
Visualizações 216
Palavras 4.033
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 5 - Foi no caminho do pré.


Entre confuso, cansado, constrangido ou com torcicolo, Jimin descartou todas as anteriores, menos o torciloco pois não conseguiu, para se sentir abobado ao acordar sentindo a mão de Hoseok em suas costas e o braço do mesmo sobre si, observando o tecido da camisa preta que o mais velho trajava ao abrir os olhos.

Não lembrava em que momento dormiu, mas gostou da forma que acordou e, sim, Hoseok roncava, mas não era algo que fosse muito incomodo.


— Tem areia no meu cabelo. —Hoseok disse abaixando a cabeça e sacudindo os fios vermelhos, ainda sustentando o sorriso abobado de quando Jimin o acordou por acidente ao tentar abraçá-lo de volta.

— Eu 'tô todo amarrotado. —Jimin resmungou passando as mãos pelo rosto, ainda sentindo-se um pouco cansado, suspirando ao passar as mãos pelos cabelos ressecados e bagunçados, devia estar deplorável, então queria apenas voltar para casa.— Foi divertido... Acho que vou indo, até m-

— Vamos. —Disse puxando o loiro, trazendo-o para seu lado ao notar que o mesmo pretendia voltar para casa, provavelmente iria chamá-lo para sair de tarde, mas por qual motivo esperar até a tarde se podiam passar a manhã juntos também?— Você faltou hoje, mas não escapou da aula. —Diz segurando a mão de Jimin e puxando o mesmo junto consigo, não dando muito opção de Jimin negar, não que Jimin fosse fazê-lo.


Jimin sentia-se como uma criança na casa de estranhos, mesmo que já tivesse estado na casa do ruivo na madrugada, estava com medo de quebrar algo ou parecer mal-educado, ficando num silêncio que chegava a preocupar Hoseok, enquanto que o mais velho apenas se importava de deixar o loiro à vontade.

Afinal, queria que Jimin gostasse de estar consigo o tanto que gostava de estar com o mais novo... Mesmo ainda estando constrangido de Jimin não o ter ouvido quando reuniu coragem para dizer isso diretamente.


Hoseok falou sério, Jimin não estava livre da aula, Hoseok gostava de se divertir com o loiro, mas faltava apenas um mês e alguns dias para a prova que Jimin faria e não queria que o loiro trocasse a matéria por si, mesmo que o ruivo quisesse toda sua atenção.


Jimin simplesmente arqueou as sobrancelhas ao ver Hoseok trazer a lousa de seu quarto para a cozinha, onde achou melhor que ficassem para que o Jung fizesse algo para comerem enquanto Jimin adiantava o que sabia fazer sozinho. Jimin apenas se lembrou de Taehyung quando apalpou a camisa e sentiu o apanhador de sonhos abaixo da mesma.


Taehyung provavelmente já está em seu trabalho nesse momento, deixou uma frigideira queimada com o que um dia pretendeu ser uma panqueca e decidiu tomar café no serviço, já que seu chefe não se importaria se ele tomasse uma caneca de café e comesse algum pedaço de bolo do dia anterior.


Jungkook aguardou um pouco até concluir que talvez Jimin estivesse fazendo coisa mais interessante que almoçar consigo, levantando e deixando o local, apenas comia ali por ser o restaurante que Jimin frequentava em dias de aula. Sequer gostava da comida do local, gostava apenas de passar um tempo com Jimin, mesmo que fossem somente os quarenta minutos do intervalo.

Jungkook não estava com apetite e não teria o que fazer no consultório durante o horário de almoço, decidiu andar um pouco para fazer tempo e entortou levemente a boca ao ver uma cafeteria onde antes era um bar que frequentava na época da faculdade.

Queria apenas algo para molhar o paladar num leve amargor, um café também serviria. Mas a atenção de Jungkook prendeu-se levemente no rapaz que limpava o balcão no momento em que entrou.

Não apenas por ser bonito, mas por parecer chateado, o senso de proteção e preocupação com qualquer ser vivo de Jungkook falava antes de seu sentido de "cachorrão".


— Por que está chateado? —Perguntou sentado num dos bancos próximos do balcão, mesmo que preferisse uma das mesas livres próximas de alguma janela, Taehyung demorou um pouco para entender que o homem falava consigo.

— Desculpa, o que disse? —Indagou pousando o pedido de Jungkook à frente do mesmo, se abaixando para pegar no balcão o pedaço de torta que o mesmo havia pedido.

— Você parece chateado. —Comentou dando um sorriso mínimo, não deveria parecer intrometido, mesmo que estivesse sendo.

— Ah... Não é nada... —Disse ficando um pouco melhor de alguém ter notado e perguntado, mesmo que fosse apenas um cliente da cafeteria.

— Eu sou um estranho, não é como se eu fosse te julgar e fosse fazer diferença. —Diz fazendo Taehyung olhá-lo um pouco pensativo, o rapaz viu que seus colegas estavam dando conta de atender as mesas e decidiu tirar um tempinho ao menos para uma conversa curta.

— Acho que não sou uma pessoa muito interessante, nunca sou marcante na vida de ninguém, que diferença faz você me ouvir? —Retrucou fazendo o sorriso de Jungkook crescer um pouco.

— Todos tem algo de interessante, basta achar um interessado. —Diz olhando o brinco de madeira que Taehyung usava em uma das orelhas.

— Garanto que sou a exceção da regra. —Disse empurrando levemente o prato com a fatia de torta para Jungkook.— É mais gostosa quando ainda está gelada. —Diz ajeitando o avental ao ver o gerente checando o movimento da cafeteria.

— Vai fazer algo depois do trabalho? —Perguntou fazendo a atenção do Kim de voltar para si.— Tenho certeza de que tem algo de interessante, ainda mais pois estou interessado. —Diz afundando o garfo no mousse macio da torta.


Pois é, eu disse que o senso de proteção falava antes e não que falava mais alto.


Hoseok estava um pouco preocupado de que Jimin não gostasse de culinária vegana, apesar de Hoseok conseguir ingerir alguns peixes e poder comer alguns derivados animais, como derivados do leite, preferiu optar pela cozinha vegana, era saudável, interessante e agradava seu paladar.

Mas Jimin sempre pedia algo com carne quando podia, então talvez o assado de vegetais que Hoseok estava preparando não parecesse muito apetitoso, mesmo que Jimin estivesse curioso para saber o que era apenas pelo cheiro bom que vinha do fogão.


— Deve dar 'pra resolver por Torriceli. —Hoseok disse apontando a questão que Jimin lia pela quinta ou sexta vez sem sequer ponderar marcar uma alternativa ainda, sem nem ler, apenas queria quebrar o silêncio.

— Mas é biologia. —Disse rindo confuso em relação ao homem que cortava uma parte de abóbora em fatias, devia ter achado que era física pela figura.


Jimin nunca havia comido vegetais que não fossem fritos ou acompanhados de alguma carne ou molho gorduroso, era estranho comer algo tão... Saudável? Não era uma culinária que enchia os olhos de Jimin, mas ficou curioso de como Hoseok conseguia fazer esses alimentos "sem graça" parecem tão gostosos, além de que realmente estavam.


Mas a feição abobada do loiro veio ao poder ajudar Hoseok a fazer a sobremesa, era uma espécie de adaptação vegana das tortinhas de limão, Hoseok tinha a despensa cheia de coisas que Jimin nunca havia ouvido falar, temperos de todos os tipos e na geladeira vegetais estranhos que Jimin não estava acostumado a encontrar nos mercados normais.

Como um tal de "Gengibre"... Okay, não é exótico, mas Jimin não conhecia, era aquele tipo de pessoa que se guiava para o setor de congelados assim que adentrava o mercado e achava que vegetais se resumiam a ramificações de batata e cenoura, além de frutas.


— Acho que podemos adiantar esse capítulo também. —Disse folheando a apostila do curso, era do ano em que havia estudado lá, mas o conteúdo deveria ser quase o mesmo.— Em quais você sente mais dificuldade? —Perguntou sentando-se mais próximo de Jimin.

— Elétrica e... Álgebra... —Disse olhando os rabiscos de Hoseok pelas páginas, eram formas geométrica, espirais e algumas bolhas desenhadas suavemente.

— Eu não desenho tão bem quanto você. —Diz rindo ao notar que Jimin observava as coisas que desenhava aleatoriamente para ajudar na memorização, Hoseok ainda lembrava de termodinâmica quando via bolhas de sabão.— Os seus esboços pareciam até uma história... —Comentou lembrando-se pouco do que viu na apostila de Jimin, o loiro desenhava um homem fazendo coisas diversas, fumando, se espreguiçando, lendo ou tomando café, parecia algo como dia a dia.

— Era só para tirar o tédio. —Disse levemente constrangido, alguns dos esboços eram sobre a vida fictícia que criara para Hoseok, aquela que foi destruída após Jimin conhecê-lo realmente e sinceramente, ele era alguém melhor que Jimin poderia imaginar ou criar, foi uma das raras vezes em que a realidade venceu a ficção para Jimin.


Hoseok era alguém raro.


Hoseok queria insistir que Jimin dormisse em sua casa, já que o dia seguinte seria sábado, mas não quis parecer ter segundas intenções, além de que o loiro deveria querer descansar e isso era melhor onde podia se sentir mais à vontade, Jimin apesar de já estar mais solto com Hoseok, ainda era alguém tímido e não colocaria seu conforto acima do que Hoseok pensaria de si.


Taehyung não comentou nada ao ver Jimin adentrar o apartamento trajando uma roupa que não era sua, com os cabelos bagunçados e com a alegria quase reluzente no rosto. Aqueles eram sinais de que a noite havia sido boa e, de fato, havia sido espetacular, mas não pelos motivos que Taehyung imaginou.

O Kim ponderou dizer que havia topado com Jungkook na cafeteria, nunca havia visto uma foto de Jungkook, mas teve certeza que era o mesmo ao Jeon citar Jimin na conversa quando começaram a falar de relacionamentos passados, ficando surpreso quando Taehyung perguntou se era o mesmo Park Jimin, um rapaz meio baixo e loiro, com quem dividia um apartamento, não sabia dizer se era uma coincidência agradável, porém achou curiosa.

Mas talvez falar sobre seu ex tê-lo chamado para sair, fosse tirar o sorriso de Jimin de seu rosto, não sabia se Jimin havia superado totalmente ou se ficaria ressentido por Taehyung ter aceito tomar um café com o mesmo após o serviço, mesmo que o Kim tivesse a mente aberta a novas oportunidades, não tinha lá grande interesse em homens.

Taehyung queria Jimin bem, então nada comentou sobre isso ainda.


— Dessa vez sentou nele de propósito? —Perguntou rindo ao receber um tapa de Jimin, mais fraco dessa vez, o loiro estava de bom humor.

— Fizemos nada disso. —Resmungou constrangido, Taehyung gostava se insinuar que Jimin era passivo apesar de não ter lá muita certeza disso, também nunca tentou tirar a prova.

— Ele é hétero? —Perguntou observando Jimin ajeitar alguns dos doces que estava fazendo numa pequena vasilha.

— Não... Já conversamos sobre isso, ele até disse que estava interessado em mim. —Disse sorrindo animado, sentia que dessa vez estava tendo uma chance com alguém que realmente não jogaria sua confiança fora.

— Então é sério? —Taehyung indagou pegando outro bombom de morango, Hoseok havia dito que gostava de morangos, então Jimin levaria alguns doces para si e chocolate era algo garantido que não atrapalharia a dieta vegana de Hoseok ao ver do loiro, era sem lactose, então devia servir.

— Acho que sim... Eu gosto dele, nos conhecemos faz um tempo legal... Ele é legal também. —Diz sustentando o sorriso doce nos lábios carnudos e rosados, Taehyung não pensou muito.

— Jimin. —Chamou segurando o queixo do loiro ao o mesmo se voltar para si, erguendo seu rosto e encaixando seus lábios ao do menor, sugando de leve o lábio inferior de Jimin enquanto deslizava a língua pelo mesmo.— Nah... Somos apenas amigos mesmo. —Disse se afastando após separar sua boca da de Jimin, pegando alguns bombons antes de seguir para o quarto, deixando Jimin confuso, com o coração num ritmo preocupante e sem reação na cozinha.

— Taehyung... O que foi isso? —Perguntou indo até o quarto alguns segundos depois, onde Taehyung já estava deitado novamente na cama do loiro e comendo os bombons enquanto mexia no celular.

— Eu apenas precisava ter certeza, sabe? —Comentou enfiando outro doce na boca.— De que eu não estava sentindo algo por você. —Diz olhando a tela do aparelho, fitando Jimin por um segundo e notando o mesmo virar o rosto, fazendo Taehyung sorrir com a vergonha do mesmo.

— Então... Está tudo bem? —Perguntou levemente constrangido, Taehyung não invadia muito o espaço de Jimin por saber o quanto o loiro era tímido e reservado, então aquilo era um tanto quanto... Inesperado de se ocorrer.

— Está tudo ótimo. —Disse voltando sua atenção para o celular.— Sua boca é tão macia... —Comentou naturalmente, de forma distraída, Jimin retornou para a cozinha sem entender ainda bem como devia reagir a aquilo.


Taehyung não sabia se havia feito algo de errado, se Jimin estava bravo ou chateado consigo, talvez houvesse sido algo muito repentino para o loiro e por isso o mesmo não reagiu, mas também não retribuiu, então Taehyung apenas decidiu deixar algum possível interesse de lado, mesmo que o próprio não tivesse certeza se havia algum interesse de fato.

Jimin decidiu ignorar o ocorrido ao menos por aquele momento, sentindo-se um pouco estranho ao ainda reviver a sensação na boca de Taehyung lhe sugando o lábio inferior de forma tão suave e carinhosa. O loiro não entendeu o que Taehyung quis dizer com aquilo de ter certeza sobre sentir algo por si, mas não queria deixar as coisas entre si e o moreno esquisitas, então tentou agir com naturalidade, e Taehyung por sua vez também agiu normalmente.


Coisas pequenas chateavam Taehyung às vezes e isso era um exagero do moreno, mas agora de fato houve motivo para que o rapaz se decepcionasse de fato com Jimin, que saiu pela manhã novamente, deixando apenas um bilhete ao lado do café da manhã na bancada da cozinha.

Eles iriam sair juntos esse sábado, mas Jimin se esqueceu totalmente.


Taehyung havia planejado ir ao cinema com o loiro, assistir a estreia da adaptação em filme de um dos livros que possuía em comum como favorito com o mesmo. Os ingressos já estavam comprados e o moreno simplesmente deixou as panquecas sobre a bancada, pegando uma jaqueta qualquer e passando as mãos pelos cabelos bagunçados, iria tomar café onde trabalhava, mesmo que não tivesse de trabalhar sábado.


Jungkook achou um pouco estranho Taehyung mudar de ideia sobre saírem juntos, já que o mais novo havia dito que já tinha um compromisso importante esse sábado, mas não pensou muito sobre isso ao chegar no café e encontrar o rapaz que parecia ter levantado da cama e simplesmente saído, o que de fato fez, mas que estava lindo de qualquer forma, falando de forma mansa no tom grave e cansado do estresse que deixava transparecer apenas quando não conseguia disfarçar.

Talvez Jungkook fosse um sádico sedento de primeiros momentos, gostava da melancolia presente na voz rouca de Taehyung, gostava de saber que poderia fazê-lo se sentir melhor, essa emoção de que era suficiente para os outros, Jungkook buscava isso sempre, gostava de ser o que as pessoas precisavam.


— Do nada? —Perguntou ainda mastigando o doce que Jimin havia trazido para si, Hoseok ficou abobado ao ver os pequenos bombons na vasilha, Jimin era uma graça.

— Sim... —Sussurrou procurando o capítulo em que estava com dificuldade para que Hoseok o ajudasse.

— Ele não era hétero? —Indagou sentando-se ao lado de Jimin, o loiro parecia ainda confuso sobre Taehyung sentir algo por si ou não, estava com medo de perder a amizade do moreno por não ter conversado com o mesmo antes de sair e...— O que houve? —Perguntou surpreso ao Jimin dar um praticamente um tapa no próprio rosto ao dirigir rapidamente a mão à testa.

— Eu prometi que iria sair com ele hoje. —Resmungou frustrado, havia praticamente rejeitado o amigo na noite anterior, evitou falar com o mesmo pela manhã e ainda vacilou com sua promessa, sentia-se um péssimo amigo.

— Com o seu amigo hétero? —Brincou tentando fazer a feição do loiro melhorar, sentindo-se um pouco mal ao ver Jimin encostar devagar a testa na mesa.— Não precisa ficar assim, ele não deve ligar. —Disse passando a mão pelas costas do mais novo.

— Ele deve achar que eu não ligo. —Diz curvando levemente os ombros, sentindo o carinho do ruivo.

— Me conta exatamente o que aconteceu, ele te chamou para conversar quando chegou em casa ontem? —Perguntou afagando os cabelos de Jimin enquanto o loiro endireitava sua postura.

— Eu estava arrumando os bombons na vasilha para trazer hoje e... Taehyung me bei-

— Ele te beijou? —Hoseok perguntou arqueando levemente as sobrancelhas.

— Sim... Mas foi rápido demais, eu nem tive tempo de raciocinar. —Disse observando o ruivo voltar-se se corpo para si.

— E como foi? —Perguntou fazendo Jimin se desconcertar por um momento, sem entender o motivo por qual Hoseok queria detalhes.

— Como assim? —Perguntou voltando o olhar para o livro na mesa, traçando com a unha curta do indicador a diagonal da figura de um cubo na página.

— Como ele roubou um beijo seu? —Hoseok perguntou contendo o sorriso que queria deixar escapar, a timidez e o nervosismo de Jimin faziam-no extremamente fofo em momentos como esse.

— Ah... Ele me chamou e segurou meu queixo... —Sussurrou vendo a marquinha deixada por sua unha no papel.

— Jimin. —Chamou atraindo a atenção do mesmo, que não conseguiu conter o sorriso ao entender as pretensões do ruivo.— Foi assim? —Perguntou segurando delicadamente o queixo de Jimin, juntando seus lábios ao do loiro devagar, sentindo a maciez e o calor da boca carnuda, úmida e rosada do mais novo, sentindo-se sujo de maneira ótima ao imaginar o que aqueles lábios não fariam consigo.


Porém Hoseok não se afastou ao descolar seus lábios dos de Jimin, apenas tomou fôlego para que o próximo beijo durasse o máximo possível, para que pudesse sentir sua língua de deleitar na de Jimin com gosto e a vontade que estava carregando já cedo se tornasse apenas o desejo de bem mais que apenas a mordida leve que Jimin deu em seu lábios inferior.


Não sobrou muita coisa na mesa após Hoseok deitar Jimin sobre a mesma, trocando os lábios do loiro apenas pela pele alva e quente de seu pescoço enquanto suas mãos tateavam a cintura alheia apenas esperando o momento de começar a arrancar as roupas que o atrapalhavam absurdamente agora.

Ouvindo a respiração arrastada, quente e manhosa de Jimin em seu ouvido enquanto arrastava seu membro coberto pelo jeans contra a intimidade do mais novo que apertava seu quadril com as coxas grossas, deixando escapar alguns gemidos arrastados e baixos.

Mas Hoseok logo o faria gemer entrecortado pela respiração sôfrega e bem alto.


Talvez Hoseok agradecesse a Taehyung mais tarde pela dica indiretamente dada.


Foi um pouco estranho quando Hoseok entrou no apartamento de Jimin pela primeira vez, sendo apresentado a Taehyung, que para a surpresa de Hoseok, foi muito amigável consigo. Esperava que o moreno tivesse algum ciúme guardado, mas não aparentou... Taehyung disfarça muito bem suas emoções, sequer reagiu ao ver os chupões no pescoço de Jimin.


Jimin desculpou-se com Taehyung por ter esquecido do que prometeu, mas Taehyung explicou que não havia problema, que não havia jogado as entradas do cinema fora.

Jimin saiu levemente do ar ao ouvir que Taehyung havia saído com Jungkook e que pelo visto haviam se divertido, gerando dois questionamentos, "Taehyung é bissexual realmente?" e "Jungkook perdeu o juízo?".

Não por estar saindo com seu amigo e colega de apartamento, mas por estar achando que Jimin aceitaria que ele estava saindo com seu colega de quarto e amigo. Não queria que Taehyung caísse nas mesma palavras doces e preocupação carinhosa que Jungkook apresentava acompanhada do mesmo sorriso belo com qual jurava ter olhos apenas para si enquanto dormia com outro.


Mas Taehyung não ligava com quem Jungkook dormisse ou já dormiu, o passado é feito para ficar em si, não é? Via Jungkook até então como mais um bom amigo que fez ao acaso, o homem era maduro e inteligente, possuía bom papo e demonstrava interesse não apenas em si, além de possuir uma beleza indiscutível, entendendo como alguém feito ele se aproximou tão rápido de alguém tão fechado quanto Jimin em pouco tempo de conversa. Jungkook era, de um ângulo superficial, um homem perfeito.


Faltando pouco mais de um mês para a prova, Jimin estudava no curso até a tarde e seguia para a casa de Hoseok, fazer dentre algumas outras coisas, continuar estudando.

Jimin sempre parecia absurdamente calmo em situações como essas, mesmo que estivesse com medo de novamente não conseguir uma boa bolsa, a feição de Jimin indicava total indiferença.


Hoseok ficou as longas seis horas ao lado de fora da instituição em que Jimin havia ido fazer a avaliação, rindo fraco ao ver o rapaz sair exausto pelas portas do local, mas parecendo confiante de que dessa vez havia ido bem na prova. Checando o gabarito não oficial, Jimin ficou satisfeito com o que pontuou a princípio.


Mas a mesma questão que o rondava ainda não possuía resposta, o que Jimin gostaria de cursar? Dentre, filosofia, letras, pedagogia, ciências sociais, relações internacionais e outros cursos com quais Jimin poderia de identificar, o fascínio pela história foi maior.

Sempre foi a matéria que mais prendeu seu interesse, parecia algo vago, mas Jimin realmente se interessava pelo passado que trouxe o presente da sociedade e das nações, além de que Hoseok apoiou Jimin em sua decisão, apesar de ter medo de que Jimin se mostrasse um amante do nazismo ou algo do tipo.

Mal sabendo que Jimin já planejava seu doutorado sobre como o nazismo poderia ter feito da Alemanha uma nação maior caso seu regente não tivesse sérios problemas psiquiátricos, além da ainda existência do neonazismo na sociedade atual.


— Agora... Professor ou historiador? —Perguntou jogando-se na cama, vendo Hoseok sentar-se na beirada da mesma, Jimin sentia-se cansado de uma maneira revigorante.

— Eu pretendo prestar prova para poder dar aula quando tiver a carga horário necessária... —Hoseok comentou deslizando a mão pelas costas de Jimin, ponto a mão para dentro de sua camisa, acariciando sua pele.

— Você é bom em ensinar... Mas eu não sei sirvo para isso, acho melhor historiador. —Diz deitando o rosto na cama, fitando o ruivo que deitou-se ao seu lado.

— Já pensou eu poder trabalhar na mesma instituição que meu namorado? —Perguntou fazendo Jimin dar um sorriso largo.

— Namorado? —Perguntou erguendo levemente uma sobrancelha, observando Hoseok debruçar-se sobre si devagar, fazendo-o virar de barriga para cima.

— Eu me adiantei um pouco. —Disse depositando um selar breve nos lábios do loiro que enlaçou seu pescoço.— Aceita namorar comigo? —Perguntou colando suas testa à de Jimin, considerando o loiro retomar seu lábios de forma afoita, um "— Sim".


Hoseok não era geólogo, não possuía uma namorada sem face, não era amante de café, não fumava, sua casa não era desorganizada e não morava num apartamento estilo clássico.

Hoseok era estudante de engenharia química, namorava Jimin, preferia chá, era alérgico a cigarro, possuía toc com arrumação e morava numa casa na região litorânea.


Jimin gostava da história política e social, mas gostava também de sua história, melhor, da história que estava construindo com Hoseok, já que se fôssemos focar em suas experiências de vida, a história seria algum tipo de comédia sádica e ácida sobre os fracassos, traumas e decepções que Jimin acumulou ao longo de curtos dezenove anos.

Era um pouco curioso traçar sua trajetória até ali na memória, enquanto acariciava os cabelos coloridos do ruivo que dormia serenamente em seu peito, ainda ficava abobado de ver o quanto sua vida mudou simplesmente por ter conhecido alguém, mesmo que Hoseok fosse um alguém incrível e definitivamente sem igual.


Algumas coisas levam à outras, mas Jimin não esperava que tantas coisas ruins o levariam a algo tão bom.


Jimin talvez nunca tivesse decidido se mudar de casa caso sua família não o odiasse. Nunca dividiria um apartamento com o louco que jamais o abandonaria e se tornaria seu melhor amigo, Kim Taehyung.

Que se não tivesse tido uma vida tão difícil, nunca conheceria um psicólogo viciado em relacionamentos curtos que o faria rever algumas coisas com outros olhos, mesmo guardando certa mágoa em relação a Jungkook, Jimin o agradecia muito por tudo em que o ajudou... Mesmo que fosse um compulsivo sexual.

E se tivesse passado no vestibular antes daquele ano, nunca cairia no colo de um estranho dentro do ônibus enquanto voltava para casa do curso preparatório.

É engraçado de se pensar que Jimin tornou-se feliz por um acontecimento tão constrangedor, não é todo mundo que conhece o amor de sua via sentando... Nossa, isso pegou péssimo, mas se perguntassem para o loiro, como ele e Hoseok se conheceram, diria apenas:

— Foi no caminho do pré.



Notas Finais


A mão do Lemon chega a surtar.
Ah, que pena que acabou, estava amando ficar por aqui kk

Fique por dentro do projeto @Jiminhouse para mais histórias de shipps cheirosos com o nosso querido Jimin.

Obrigada mais uma vez @Locksterr pela ideia e @Zanak pela capa maravilhosa.
Obrigada por ler até aqui e por seu apoio.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...