1. Spirit Fanfics >
  2. Foi pela paz (NaruHina) >
  3. Capitulo 9 - Parte 2

História Foi pela paz (NaruHina) - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii, aqui está a parte dois, espero que gostem! Se eu tivesse colocado tudo junto daria umas 5.000 palavras por isso dividi, espero que gostem.

Capítulo 11 - Capitulo 9 - Parte 2


Fanfic / Fanfiction Foi pela paz (NaruHina) - Capítulo 11 - Capitulo 9 - Parte 2

CAPitulo 9 Parte 2

Na parte centro-oeste da alcatéia estava Sakura e Sasuke. Nessa parte era onde ficava a casa de Tsunade e o mesmo lugar onde Naruto levou Hinata quando a salvou.

— Aqui é a parte menos vinda da alcatéia, a floresta e tals. — Sakura fala entediada.

— Vejo que está muito interessada em me explicar onde fica os lugares. — Debocha Sasuke.

— É tem razão, eu super animada. — Ela dá um sorriso falso. — Você já conhece todo esse lugar não é?

— Sim, nessa meia hora que saímos daquele lugar chato, eu dei uma voltinha e já sei tudo de cor, Dea Mea. — Diz Sasuke.

— Certo então não mais fingir estar mostrando os lugares. — Diz Sakura e senta no chão.

— Por que sentou ai? — Sasuke pergunta Sasuke.

— Tenho que enrolar e fingi que te mostrei as coisas, acha mesmo que vou ficar em pé? — Ela diz sarcástica.

— Se é assim. — Ele se senta do lado dela. — Vou fazer o mesmo Dea Mea.

— Por que me chama assim? — Pergunta Sakura se referindo ao Dea Mea.

— Como exatamente? O Dea Mea? — Ele questiona.

— Sim, o quê isso significa? — Ela pergunta.

— Bom isso não é dá sua conta. — Sasuke fala rude.

— O cu que não é da minha conta, você me chama assim! — Exclama Sakura.

— já disse, isso não te interessa Dea Mea. — Sasuke diz e vira para encara-la. Os olhos negros pareciam penetrar as alma dela, o jeito serio e sexy que ele estava a encarando, trazia sensações estranhas a ela, mesmo com o cheiro de vampiro que ela odiava, até que conseguia ficar perto dele ao ponto de entrelaçar o olhar dele. Mas ela corta todo aquele suposto olhar e se levanta.

— Quer saber, que se foda você, vou pra casa, não vou ficar nessa floresta com você! — Ela diz e se vira de costas.

— Você fala como se não estivesse gostando da minha ilustre companhia. — Sasuke diz e quando ela percebe el já esta do seu lado.

— Bom, acho que você não percebeu, mas a sua companhia não é a que eu mais gosto. — Ela diz sarcástica .

— Todas acham a minha companhia a melhor. — Sasuke Diz se gabando.

— Não sei se você percebeu Uchiha Sasuke, mas eu não sou todas. — Sakura diz.

— Tem razão. — Ele para de andar e de repende puxa a Sakura pela cintura, colando a barriga dele na dela e a encarando. — Você é muito mais interessante. — Ele diz e começa a observar cada canto do rosto dela.

A atitude repentina e sem lógica do moreno não agradou nada a Sakura, nenhum homem havia pegado ela daquele jeito, além de que ele mal a conhecia, nem intimidade tinha, como ele ousava fazer aquilo. Com raiva ela empurrou Sasuke com muita força, isso mesmo não fazendo nem cócegas nele fez o mesmo cair no chão.

— Nossa Dea Mea, não sabia que tinha tanta atitude. — Ele diz malicioso e Sakura mostra o dedo do meio pra ele.

— O vampirinho se fizer isso de novo arranco suas bolas, se insinuar isso de novo você vai levar muitos e lindo socos. — Sakura diz irritada. — Como você consegue ser tão irritante e convencido?

— É um dom. — Sasuke se levanta rapidamente e Sakura começa a andar. — Bom Dea Mea, onde vamos?

— "vamos" não existe, eu vou pra casa e você vai sei lá aonde. — Diz Sakura.

— Dea Mea, esqueceu que depois do nosso lindo tour você tinha qu ir lá com o alfinha, e também esqueceu vamos morar juntos. — Sakura para de andar ao lembrar aqueles pequenos e irritantes detalhes, ela pega sua mão e bate na testa numa forma de dizer estou fudida.

— Que saco! Olha Uchiha poderiamos ter um convivência boa não acha? Vamos morar juntos por não sei quanto tempo, então espero que não decida me irritar. — Diz Sakura.

— Dea Mea, Dea Mea, a única coisa interessante desse lugar vai ser te atazanar, então nem ache que não irei fazer isso. — Diz Sasuke.

— Aé? Quer jogar assim Uchiha? Então tá, posso ser pior que você meu querido, muito pior. — Diz Sakura o encarando.

— Sonha Dea Mea! — Ele diz também a encarando.

De repente, um grande redemoinho começa a se formar, Sakura sábia muito bem de quem era aquilo.

— Merda, o quê a Temari está fazendo? Tenho que ir lá agora. — Ela diz e começa a correr até onde vem o redemoinho e Sasuke curioso vai atrás dela.

⟦…⟧

No lado sul da alcatéia estava Ino e Sai. Aquele não era um lugar interessante, só tinha um mercado e uma loja de conveniência.

— Essa é parte da alcatéia dos mercados. Não temos muitas lojas aqui. — Diz Ino ao Sai.

— Eu não ligo. — Diz Sai curto e grosso. — Não ver esse alcatéia de novo. — Ele para de andar e cruza os braços.

— E acha que eu quero perder meu tempo de vida mostrando ela a você? — Diz Ino. — Não tenho escolha, então colabore. — A fala dela não faz nenhum efeito a Sai. Ele desligou a muito tempo, fazendo com que não sinta nada.

— Eu já disse que não vou. Isso é um saco, eu só uma coisa. — Rapido ele coloca a Ino contra um poste. — E é seu sangue bonequinha. — As pressas dele é mostrada. Ino fica nervosa, não sabia o que fazer. E se ele a matasse naquele momento, era muito receio e medo ao mesmo tempo. — Não vou matar você se é isso que está pensado, quando você pedir para eu parar, sou obrigado a fazer.

Sai morde o pescoço de Ino. No instante da mordida começa a arder. O veneno do vampiro vai infiltrando em suas veias, começa a tudo o seu corpo arder. Sua respiração ficava mais ofegante, ela não conseguia mais dar sangue, aquilo ea horrível demais.

— Para! — Ela dizia ofegante. — Isso doi demais. — Sai então para. Tira as pressas do pescoço da loira e a encara. Seu rosto perto da boca estava sujo de sangue.

— Seu sangue é pior sangue que já tomei. — Ele diz. — Tem sorte, nunca vou perder o controle com você. — Ele sai de perto dela e fica de costas.

— Sempre vai doer desse jeito. — Fala Ino que coloca a mão no pescoço.

— Não. — Ele se vira para encara-la. — A primeira vez é quando o veneno do vampiro é aplicado, por isso doi, as outras eu decido o que te causará. — Sai novamente vai até Ino, e tira com delicadeza a mão que estava no pescoço dela. — Vejo que se cura rápido. Melhor lavar isso, acho que não querer que os outros te vejam com todo esse sangue. — Ele novamente sai da frente dela.

Indo até uma torneira que sempre tinha logo atrás do mercado, ela a abre, pega a água e lava o pescoço. Depois se levanta e volta para o mesmo lugar de antes, onde pode ver Sai encostado na frente do mercado com os braços cruzados a esperando.

— Uma pergunta. — Ele diz. — Por que tem um redemoinho gigante se formando? — Ele diz e ino encara aquilo.

— Puta merda. — Ela dá duas cafungadas e sente o cheiro familiar. — Que merda, ele sabia muito bem que não podia vir aqui! — Ino começa a correr para o lugar do redemoinho.

⟦…⟧

E no centro da alcatéia estava Naruto e Hinata. Ali era o lugar onde ficava a quadra, o Bunest e o Binest.

— Aqui é o lugar que fica a quadra para os treinamentos, o Bunest e o Binest. — Diz a perolada.

— Eu sei disso. — Diz Naruto. — Já vim aqui hoje, e semana passada, quando você deu a louca. — Ele a provoca.

— Não é minha culpa que eu tenho uma loba louca! — Hinata o rebate.

— Afiadinha você. — Ele diz sarcástico e para de andar para encara-la. — Pare de andar, eu já conheço todo esse lugar, esqueceu que já invadi aqui. — A perolada para de andar e o encara.

— Então Uzumaki, o que quer fazer? Tenho que pelo menos levar vinte minutos mostrando a alcatéia para você. — Diz Hinata.

— Uzumaki? — Ele diz se referindo ao jeito que ela o chamou, ele achou aquilo muito interessante e sexy.

— Não é seu sobrenome? — Ela o pergunta.

— Sim é. — Ele diz. — Mas não me chame assim, me chame pelo meu nome.

— Está bem, Naruto, vou sim mostrar a alcatéia para você, tenho que levar no mínimo vinte minutos. — Diz Hinata e Naruto se aproxima dela.

— Sei coisas bem mais interessantes para fazer em vinte minutos. — Hinata não tinha entendido a referência, mas ao ver o sorriso malicioso que o loiro ficou logo sacou e se afastou dele.

— Seu tarado! — Ela diz.

— Ainda não mostrei meu lado tarado não, mas se você quiser posso mostrar. — Diz o loiro.

— Pare com isso! — Hinata ordena e olha para ele. — Não gosto desse tipo de brincadeira. — Já de primeira, ele repara em algo que antes nunca havia reparado, o jeito que ela o olhava, de um jeito diferente de qualquer outra pessoa, de um jeito calmo e sem medo, ou de uma forma que o repúdio.

— Por que não tem medo de mim? — Ele pergunta para ela, olhando profundamente nos olhos perolados. — Você sabe o que eu sou, não sabe?

— É um vampiro abusado, eu sei. — Hinata diz e faz o loiro rir. — E também sei que você é parte demônio. Mas deveria te olhar com medo? Você salvou minha vida então. Falando nisso por que fez isso?

— Eu poderia dizer que tava afim. — Ele começa a andar e Hinata vai para trás. — Mas não foi só por isso que te salvei. — Ela encosta no poste que naquela rua. — Foi porquê. — Ele vai bem perto do ouvido dela. — Quero saber o motivo de você me deixar intrigado. — Ele se afasta um pouco, somente para poder encarar os lindos olhos perolados. Ele sente o que fazia nela, como a deixava, de certa forma a deixava calma, antes suas mãos estavam tremendo, mas a aproximação deles fizeram aquilo parar. — Sabe o que me intriga mais em você? É o jeito que eu te deixo em você não chega a ser excitação ms também não é medo , o quê eu te intrigo mais?

— O seu cheiro. — Ela diz. Hinata estava envergonhada pela proximidade, mas não era algo ruim. Sentir o cheiro cítrico e quente dele, fez ela se acalmar.

— Que tipo de cheiro? — O loiro fala curioso, e se aproxima um pouco mais do rosto dela.

— É um cheiro cítrico e quente. — Ela diz a ele. Os olhares estavam encontrados, cada um observando o rosto do outro, aquilo era como se fosse um imã. O loiro então se aproxima do percoço dela e dá duas cafungadas.

— Seu cheiro também é interessante. — Ele diz suave em seu ouvido. — É doce. — Aquela aproximação, ele ter a cheirado, o cheiro dele tão forte em suas narinas, tudo aquilo fez ela sentir uma sensação que a muito tempo não tinha sentido.

— Nossa…— Ele volta a encara-la. —….Está começando a ficar excitada é? — Aquilo que ele falou fez Hinata perceber que estava muito perto dele, e que se continuasse naquela situação eles iam acabar transando ali mesmo. Então ela o empurrou.

— Nunca mais faça isso! — Ela disse irritada.

— Você fala como se estivesse gostando. — Ele diz. — Não pediu pra eu sair.

— Ta ta, chega disso, vamos logo terminar de mostrar isso…. — Hinata para de falar quando vê um redemoinho gigante se formando, e o cheiro que ela tanto odiava no ar. — O que Kiba está fazendo aqui? — Suas mãos começam a tremer de novo e ela começa a correr até o redemoinho. Junto dela, calmamente vai Naruto.







Notas Finais


Bom o quê acharam? Me falem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...