1. Spirit Fanfics >
  2. Follow you - Sulay >
  3. Capítulo 10

História Follow you - Sulay - Capítulo 10


Escrita por: e Iminonai_sekai


Notas do Autor


a atualização demorou dessa vez pq fiquei meio doente:((

Capítulo 10 - Capítulo 10


10.

Yixing se sentou na beirada da cama de costas pra mim, em silêncio. Ele ficou encarando a porta do banheiro por uns 10 minutos antes de finalmente resolver falar.

ㅡ O que você está dizendo Junmyeon? Você está completamente bêbado, não está falando coisa com coisa.

ㅡ Para, você sabe que estou falando sério. Você mal consegue olhar pra mim, nem parece aquele que me salvou daqueles caras.

ㅡ E você por acaso sabe quem eu realmente sou? ㅡ Yixing riu.

ㅡ Sei. Você é um mentiroso. ㅡ ele se virou para me olhar ㅡ Nem se decide, quando não está me maltratando com as suas palavras ridículas, está sendo carinhoso.

ㅡ Junmyeon… É complicado.

ㅡ Não, Não é. Você está certo, assim como pediu, eu vou sumir e você vai poder continuar com essa sua vida cheia de mistérios.

ㅡ Posso perguntar uma coisa? ㅡ Ele suspirou.

ㅡ O que você quer saber?

ㅡ Está mesmo apaixonado por mim? ㅡ Um pequeno sorriso estava em seus lábios.

ㅡ Estou.

ㅡ Então você deveria realmente sumir da minha vida, não quero que você seja um obstáculo. ㅡ Ele se levantou e rapidamente saiu do quarto.

ㅡ Como você é idiota Suho! ㅡ lágrimas, agora estavam caindo contra a minha vontade.

Onde eu estava com a cabeça quando pensei por um momento, quando tive uma pontinha de esperança de que ele iria dizer que sentia o mesmo?...

Deitado novamente na cama com os olhos fixos no teto, percebi que era uma casa confortável e consideravelmente grande apenas para uma pessoa. A decoração era sofisticada apesar da casa ser aparentemente simples. Eu odiava admitir, mas Yixing tinha um ótimo gosto para se vestir e decorar a sua casa, porém, ainda me pergunto o que ele está fazendo aqui se pelo que parece, a sua família mora na China. Ele fugiu de casa? Brigou com a família? Mais perguntas que eu nunca vou saber a resposta.

ㅡ Não há nem um porta-retrato sequer aqui. ㅡ Comentei comigo mesmo observando todas as cômodas do quarto.

Porque ele está morando sozinho desde os seus 16 anos?… Acho que desde que o "conheci" no parque que eu me faço várias perguntas a respeito dele. Desde a sua idade até sua verdadeira profissão, e é muito doloroso querer conhecer verdadeiramente alguém que não quer ser conhecido.

ㅡ Porque eu seria um obstáculo na sua vida? Por quê? ㅡ sua voz grossa e bonita ecoava na minha cabeça ㅡ Acho melhor ir dormir.

Depois de desligar o abajur ali presente ao meu lado fechei os olhos. Não demorou muito para “ele” invadir a minha mente através de imagens de quando o vi pela primeira vez no meio da multidão. O seu cabelo ao vento, a mesma jaqueta de sempre que o deixava mais bonito, as covinhas em suas bochechas e o sorriso ainda é algo inesquecível. Eu posso sumir de sua vida para sempre, mas eu nunca vou esquecê-lo, posso até passar por ele na rua e fingir que nada aconteceu, mas não vou conseguir fingir que não o conheço.

No meio da noite acordei novamente com dor de cabeça e a garganta seca, então olhei para a cômoda próxima e em seguida para o copo deixado ali, estava vazio.

Espero que eu não acorde ele.

Me levantei indo em direção a porta do quarto, abri a porta devagar tentando ao máximo não fazer barulho e o corredor escuro e aquele silêncio atormentador só confirmou as minhas suspeitas de que Yixing já estava dormindo.

Chegando na cozinha ㅡ o caminho todo feito na ponta dos pés ㅡ liguei a luz e abri a geladeira.

ㅡ Nossa, quanta coisa. ㅡ sorri sentindo o ar gelado contra o meu rosto ㅡ Junmyeon, você veio beber água e não xeretar a geladeira alheia.

Após encher o copo até a metade, ingeri tudo de uma vez, tinha a sensação de que não tomava água à horas, a garganta estava tão seca que parecia que estava no deserto até alguns minutos atrás.

A cozinha completamente equipada deixava o ambiente mais bonito e elegante, mas o que me chamou a atenção foi um celular jogado em cima da pia, era o meu?

ㅡ Só uma olhadinha não mata. ㅡ Com o celular na mão liguei o mesmo, mas não era meu.

É do Yixing.

Na tela marcava 02h43 da manhã e tinha algumas notificações, uma delas chamou-me a atenção. Era algumas mensagens de texto de um número desconhecido.

Número desconhecido: Não adianta fugir.

Número desconhecido: E se você não está do nosso lado, não estará de lado nenhum.

Número desconhecido: Vamos te encontrar Lay.

"Lay"? Quem é Lay?

Devolvi o celular na bancada ao lado de alguns eletrodomésticos e corri em direção ao quarto, no caminho consegui ver que um quarto no fim do corredor estava com as luzes acessas.

O Yixing está acordado?

Com passos curtos caminhei até o fim do corredor e bati na porta ㅡ Yixing?

Alguns minutos se passaram, e nesse tempo não ouvi nada, então decidi empurrar a porta para ver se tinha alguma viva ali, mas tudo o que encontrei foi apenas um quarto vazio que mais parecia um escritório.

ㅡ Que tanta papelada é essa? ㅡ Olhei em volta.

Na mesa que ficava mais ao fundo tinha alguns papéis espalhados, dentre eles havia uma foto na qual estavam três rapazes, um mais alto que estava na ponta, Yixing estava ao meio e ao lado dele um homem mais velho. No verso da foto tinha algumas letras riscadas, eram ideogramas chineses.

Tentei ler o que estava escrito, mas uma batida forte na porta me interrompeu.

ㅡ O que está fazendo aqui? ㅡ Yixing estava furioso.

ㅡ Eu só... Bem, eu fui beber água... A luz. ㅡ Tentei inutilmente formular alguma frase.

ㅡ Ninguém pode entrar aqui, sai! ㅡ Ele gritou cerrando os punhos ㅡ Sai agora.

ㅡ Me desculp… ㅡ Ele correu até mim e me arrastou até o seu quarto, os meus braços com certeza iriam ficar marcados.

ㅡ Eu não queria ser agressivo com você, juro que não ㅡ Ele abriu a porta ㅡ Mas você não está facilitando.

ㅡ Deixa eu explicar. ㅡ implorei.

ㅡ Não, deita e dorme. ㅡ Ele finalmente me soltou e se afastou ㅡ Você está dando mais trabalho do que imaginei.

Ao ouvir aquilo não disse mais nada, apenas dei as costas agradecendo aos céus pelo corredor estar escuro ㅡ assim ele não iria ver a minha cara chorosa ㅡ e fui direto pra cama. Prometi a mim mesmo que só levantaria de novo no dia seguinte para ir embora.

Os raios de sol no meu rosto pela manhã obrigaram-me a virar o corpo, de costas pra janela, com o intuito de desviar daquela luz incômoda, mas isso não funcionou, com certeza não iria conseguir dormir novamente.

No banheiro respirei fundo, estava me preparando para encarar aquele dia cheio.

Vamos acabar com isso Junmyeon.

Tomei um banho rápido, escovei os dentes e joguei aquela maldita escova que ele me deu no lixo, não quero que ele fique com nada meu. Vesti as minhas roupas que estavam na secadora, aparentemente ele havia as lavados e arrumei a cama exatamente como estava quando cheguei.

Na cozinha, lavei o copo que usei no café e o coloquei junto aos outros.

ㅡ Acho que já posso ir.

De volta à sala, notei que o sofá estava com alguns lençóis em cima, claros vestígios de que Yixing realmente dormiu por ali.

Ignorei aquilo e peguei um post it que estava na mesinha de centro começando a escrever:

"Estou indo embora mais cedo, avise os meus amigos que estou bem e que não precisam se preocupar comigo porque estou voltando pra casa. Obrigado por me ajudar, como retribuição, estou deixando meu número e a promessa de que não serei mais um obstáculo"

Fiz questão de colar o post it na porta, pois assim que meus amigos chegarem ele poderá ver.

Quando já estava de saída vi a jaqueta dele, no cabide.

Parece ter sido feita exatamente pra ele.

Puxei a jaqueta do cabide e a olhei mais detalhadamente ㅡ O que é isso? Como eu nunca tinha visto esse símbolo antes?

Por dentro da jaqueta havia uma pequena rosa-vermelha bordada à mão ㅡ procurei pela etiqueta para ver de qual marca era mas não encontrei nada que pudesse identificar o nome da loja.

ㅡ Vai continuar mexendo nas minhas coisas? ㅡ Yixing perguntou adentrando a sala.

ㅡ O que significa essa rosa? ㅡ Pergunto olhando pra ele.

ㅡ Não é da sua conta. ㅡ Ele respondeu ríspido.

ㅡ Por favor Yixing, me conta sobre você... Eu não sei vou conseguir te esquecer, dói tanto em mim.

ㅡ Junmyeon, minha vida é complicada. ㅡ Yixing tinha uma feição triste ㅡ Minha vida é completamente diferente da sua, eu sou completamente diferente de você.

ㅡ Como assim? Conversa comigo, por favor, eu posso te ajudar, eu posso ficar do seu lado… Eu não vou julgar você.

ㅡ Eu queria poder explicar ㅡ naquele momento ele realmente parecia estar falando a verdade ㅡ Mas eu não posso.

ㅡ Por que não?

ㅡ O que você ainda está fazendo aqui? Vai embora. ㅡ a sua arrogância estava de volta ㅡ Você pensou que eu não iria perceber que você mexeu no meu celular?

ㅡ Sobre hoje de madrugada, eu posso explicar…

Caminhei em sua sua direção vendo-o me encarar.

ㅡ Junmyeon, por favor. ㅡ Ele me olhou nos olhos relaxando levemente a expressão rígida, parecia não conseguir mais sustentar aquela máscara arrogante com tanta facilidade como antes.

Eu sinto que amaria fazer do seu olhar o meu local favorito.

ㅡ Eu juro que eu saí do quarto para beber água e quando estava voltando vi a luz ligada e pensei que estivesse acor... ㅡ Não consegui entender nada do que aconteceu, apenas senti ele me puxar para mais perto si e encostar os seus lábios aos meus.

ㅡ Isso serve para você ficar calado? ㅡ Ele questionou com um leve tom de ironia na voz se afastando um pouco para me olhar novamente.


Notas Finais


oi yixing vemk que eu também quero ser calada

views em lit e em candy, se inscrevam no canal do dae e do chan e se cuidem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...