História Fool's Gold - Capítulo 22


Escrita por: ~ e ~JuneRaioDeSol

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Harry Styles, Hslmveira, June Campbell, Katherine Mcnamara, Zayn Malik
Visualizações 164
Palavras 2.480
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Só vou dizer uma coisa: Se preparem.

Capítulo 22 - Capítulo vinte e dois


Fanfic / Fanfiction Fool's Gold - Capítulo 22 - Capítulo vinte e dois

Meu dia não começou muito bem, ao contrário do que eu imaginei. Para começar o meu despertador havia resolvido que não tocaria me fazendo chegar uma aula atrasada na faculdade. Eu estava de mau humor, cansada e com sono, sem contar que estava com uma sensação desconfortável dentro de mim, eu não sabia o que era ou o porquê disso, apenas sabia que não era nada bom.

Além disso, os professores resolveram que que naquele dia todos estariam com o mesmo humor que eu, ou seja, péssimo, o que tornava as aulas ainda mais cansativas e difíceis de aturar. Dava para ver que cada aluno da minha sala preferia sentir dor física do que aguentar os educadores jogando seu estresse em nós. A essa altura, todos estavam desgastados com a quantidade de coisas que tínhamos que fazer, era claro pela aparência cansada de cada um.

E para ajudar ainda mais com tudo e finalizar, quando o intervalo chegou e eu caminhava pela lanchonete do campus para comprar algo para comer e beber, Allison, a fã número um de Harry, passou por mim me trombando, e qualquer percebia que a atitude havia sido propositalmente. Péssimo dia para trombar comigo, mas reuni todo meu autocontrole e fingi que não havia percebido, fiquei até um pouco orgulhosa de mim mesma.

-Você está bem? – Harry perguntou sentado ao meu lado, com seu braço abraçando os meus ombros. Eu havia acabado de chegar até onde ele, Els e Liam estavam – parece cansada.

-Eu estou, e um pouco irritada por causa do sono – expliquei e ele assentiu me dando um beijo na bochecha. Liam e Els estavam alheios a nós, conversando entre os dois apenas. Noite passada quando eu havia ido ao apartamento de Harry conversar, o objetivo era voltarmos para a amizade preta e branca, mas não resistimos e caímos na cama, depois não conseguimos mais tocar no assunto, nem ontem e nem hoje, permanecemos agindo da mesma forma e apesar de eu saber que isso não daria certo, eu não queria mais tocar no assunto e continuar assim – pensei que você não tinha vindo, não vi seu carro estacionado no lugar costumeiro.

-Não vim com o meu carro. Um amigo pediu emprestado e eu vim com a moto dele.

-Não sabia que você tinha habilitação – respondi dando em seguida um gole no meu suco de morango.

-Eu fiz junto com a do carro – explicou e eu assenti.

-Adivinhem quem conseguiu uma vaga no time de futebol da universidade para o torneio? – Louis chegou, Zayn e Niall ao seu encalce.

-Você? – Liam perguntou e Tommo assentiu sentando ao lado de Els, ele estava todo animado.

-Eu e Malik – contou e Eleanor o beijou dando parabéns, ele sorriu largamente para a namorada.

-Nialler não conseguiu? – Perguntei e o irlandês negou com a cabeça. Durante o mês que se passou, o treinador do time, que eu havia descoberto a existência a pouco tempo, fez um teste e Tomlinson, Horan e Malik tentaram entrar, para poder competir pela faculdade no torneio que iria acontecer.

-Por sorte Louis e eu conseguimos os dois últimos lugares. Ele de atacante e eu artilheiro. Niall ficou de reserva – contou Zayn.

-Por sorte nada, eu passei porque sou bom – Louis retrucou orgulhoso.

-Se você fosse tão bom teria sido um dos primeiros a ser escolhido – rebateu Niall, arrancando risos da gente e um revirar de olhos de Louis.

-Quando vai começar a competição? – Harry perguntou, brincando com as pontas dos meus cabelos ruivos que necessitavam urgentemente de um corte.

-Mês que vem, vamos ter um tempo para treinar um pouco.

-Eu nem acredito que já estamos no fim do ano, passou tão rápido – concordei com Eleanor. Já estávamos em outubro, não demoraria muito para o natal chegar e em seguida um novo ano.

-Vocês vão viajar nas festividades do fim do ano? – Liam perguntou e eu fui a primeira a negar com a cabeça.

-Eu raramente viajo, duvido que esse ano seja diferente.

-Eu também acho que não vou, minha mãe quer ir para Holmes Chapel como todos os anos, mas eu acho que vou ficar por Londres mesmo – apesar de Harry, sua mãe e irmã terem se mudado para Londres juntos, eles não moravam juntos.

-Nós poderíamos passar esse ano juntos, acho que nunca fizemos isso – Niall sugeriu.

-Não mesmo, seria legal.

-Já prevejo eu e você tendo que tomar conta de Louis e Eleanor bêbados – cochichei para Harry, lembrando da última vez que saímos juntos e eu tive que dar uma de babá para o casal. Styles riu baixinho.

Num piscar de olhos, nosso sagrado tempo para ficar sem fazer nada havia acabado e cada um seguiu em direção aos seus respectivos prédios sem muita animação, e diferente do intervalo, as últimas aulas passaram se arrastando, lentamente, quase dolorosamente. Eu quase não acreditei quando o último professor nos liberou mais cedo, dez minutos mais cedo para ser mais especifica. Juntei todas as minhas coisas e caminhei calmamente em direção do estacionamento, observando tudo em minha volta para ver se assim eu conseguisse ficar melhor, eu estava apreensiva, provavelmente por toda pressão da faculdade.

Parei no meio do caminho e fucei dentro da minha bolsa procurando algo conhecido, porém esquecido por mim. Tirei o cigarro de dentro da carteira de Black e acendi, dando uma longa tragada. Uma vez Harry havia me dito que isso não tirava o estresse, que era apenas algo psicológico, mas no momento eu queria esse caminho mais rápido.

-Ju – parei de caminhar e me virei em direção que me chamavam. Zayn vinha até eu caminhando rápido, soltei a fumaça lentamente.

-Olá – o cumprimentei quando chegou até mim.

-Velhos hábitos nunca mudam, não é, de menor? – Falou divertido apontando para o cigarro e eu revirei os olhos pelo apelido antigo.

-Quer um? – Negou.

-Não, na verdade – coçou a nuca – queria saber se você vai fazer alguma coisa hoje – franzi a testa dando mais uma tragada no cigarro praticamente inteiro.

-Pretendia repor o sono que perdi durante a noite – assentiu – por que?

-Queria falar com você, mas você precisa descansar, é visível – falou e percebi que não havia maldade em suas palavras, então me permiti rir fraco balançando a cabeça, lembrando que ele era o segundo hoje a falar da minha aparência cansada.

-Tenho alguns minutos agora, pode ser? – Sugeri. Fazia tempo que Zayn estava me cercando, mas eu meio que fugia porque sinceramente não podia imaginar o que ele ainda tinha para falar comigo. A dor que senti por tudo que ele tinha feito, havia ido embora, mas ainda restava magoa e a raiva. Eu sabia que tinha que trabalhar nisso, mas eu não era uma pessoa que conseguia esquecer rápido.

-Claro – assentiu e apontou para um banco que tinha logo ali perto, caminhamos até ele e nos sentamos.

-E então? – O incentivei a continuar, mas ele permaneceu calado por mais alguns instantes, talvez pensando em como começar a conversa.

-Você já conseguiu me perdoar? – Falou de repente e eu suspirei profundamente. O cigarro ainda queimando a sua ponta entre meus dedos, mas no momento eu não estava interessada nele. Voltei meu olhar para Zayn que me observava atentamente.

-Eu não vou mentir para você, Zayn, eu ainda sinto raiva. Raiva da situação que passei, raiva de mim e principalmente raiva de você. Se eu sinto isso, acho que não perdoei de verdade – ele assentiu fracamente, desviando o olhar mas voltou para mim assim que continuei a falar – mas eu estou trabalhando nisso, e posso afirmar que estou bem melhor desde que tudo aconteceu.

-E sobre o que você sentia por mim? Ainda tem algo aí?

-Você quer saber se eu ainda estou apaixonada por você? – Assentiu – não, e para falar a verdade eu fico bem aliviada por isso – falei com sinceridade.

-É, e até seguiu em frente – riu fracamente, mas não tinha nada de humor.

-Do que você está falando?

-Styles – balancei a cabeça suspirando. Novamente esse assunto.

-Harry e eu nos damos muito bem, ele me faz bem, mas não estamos namorando – expliquei novamente.

-Vocês ficam juntos o tempo todo agora – apontou.

-Gostamos da companhia um do outro – simplifiquei a situação toda.

-Eu não gosto disso, me incomoda – revelou e eu franzi as sobrancelhas para ele, dando de novo atenção ao cigarro.

-E por que você acha que isso te incomoda?

-Porque eu gosto de você – falou e eu fui obrigada a rir.

-Zayn, você não gosta de mim, pelo menos não desse jeito – garanti.

-E o que te faz ter tanta certeza?

-Desde que nos conhecemos flertamos um com o outro, tivemos um lance complicado e eu acabei me apaixonando, mas você não. Você vinha atrás de mim apenas quando achava conveniente e eu deixava isso acontecer porque era boba. Ficamos assim por um bom tempo e você não desenvolveu nenhum sentimento mais forte por mim. Você acha que sente algo agora porque eu não estou mais interessada como antes, você sempre gostou de atenção e como eu não te dou mais isso, você corre atrás.

-Se fosse assim, você não acha que eu estaria correndo atrás de Ana também?

-Não acho, porque na verdade você nunca quis nada com Ana. Nós dois podíamos ter um relacionamento, se é que eu posso chamar assim, totalmente errado, porém havia um interesse. Você apenas gostava do conforto de saber que eu era estupidamente louca por você e que caía na sua facilmente.

-Eu gostava de você – afirmou, mas agora no passado.

-Podia gostar, gostava da minha amizade e do que eu oferecia a você, mas não gostava de mim como eu de você. Se fosse assim, não teria pedido para namorar comigo apenas por pressão, como eu fiquei sabendo que você fez, e não teria me traído na primeira oportunidade, sem se preocupar se eu estava vendo ou não - ficou em silencio por um tempo.

-Me dá mais uma oportunidade – pediu se aproximando, sua mão querendo pousar em minha cintura, mas eu fui rápida em me afastar.

-Não – disse com convicção – eu já dei a você todas as chances possíveis e você não aproveitou. Você não quer realmente isso, logo vai perceber – dei uma última tragada no cigarro e o joguei. Lambi meus lábios sentindo o sabor doce e olhei para Zayn que mantia seus olhos fixos em minha boca. Me levantei e me preparei para avisa-lo que eu deveria ir, mas antes que eu pudesse fazer algo, praguejou baixo, levantou também e num gesto rápido me beijou.

Tentei resistir, mas ele era preciso no que fazia, me segurava fortemente e insistia no beijo. Eu estava relutante, com as mãos espalmadas em seu peito tentando o afastar, mas ele era mais forte que eu.

-Fico feliz em ver que vocês se acertaram – ouvi a voz rouca soar com uma pitada de sarcasmo e eu me senti entrando em desespero. Zayn me largou e então pude ver os olhos fixos de Harry em nós, e eu não sabia se estava perturbada demais, mas jurei ter visto magoa na íris esmeralda.

-Droga. Harry, não é... não é isso que você está pensando – me embolei com as palavras tentando me explicar. Ele e eu não tínhamos um compromisso um com o outro, mas eu sentia a necessidade de que ele soubesse o que realmente aconteceu ali. Eu sei que se a situação fosse outra e eu visse ele beijando outra garota, não ia gostar nada.

-Nunca é, não é mesmo? – Riu irônico.

-É sério, a gente não se acertou, droga. Zayn explica para ele.

-Não, June, eu não preciso de explicação. Nós dois passamos o último mês afirmando que não temos nada um com o outro, você pode fazer o que bem intender – falou e sorriu fraco e eu sabia que era forçado – você sempre vai ter algo inacabável com Zayn, todos sabemos isso.

-Não, isso não é...

-Já disse que não preciso de explicação, aliás, nem quero – me interrompeu – e de qualquer forma, nós dois já havíamos conversado e decidido que o que estava acontecendo, não deveria prosseguir. Tivemos a despedida e agora acabou – falou e então deu as costas saindo dali.

-Harry – chamei e tentei ir atrás dele, mas Zayn não deixou.

-Ju, relaxa, depois você fala com ele, agora não vai adiantar nada – respirei fundo.

-Por que você não falou nada? Aliás, porque você me beijou, seu idiota? – Ralhei.

-Não falei nada porque ele não iria querer ouvir, depois a gente resolve isso com calma- falou eu sabia que tinha razão - e me desculpe pelo beijo, mas eu realmente não resisti.

-Tudo bem, espero que isso não volte a acontecer – eu estava cansada demais para discutir – tchau Zayn – tudo que eu queria no momento era chegar em casa e dormir. Se tivesse sorte, quando acordasse, tudo estaria um pouco melhor.

(...)

-Eu realmente queria falar com você, Harry. Você disse que não queria explicação, mas eu quero dar ela a você. Por favor, me ligue de volta – deixei a milésima mensagem na sua caixa postal e respirei fundo.

Já era fim de tarde e eu não havia tido paz durante todo o dia. A apreensão que eu senti mais cedo, havia se intensificado. Eu queria falar com Harry, sabia que o veria amanhã, mas eu estava me sentindo mal por ele pensar algo que não havia realmente acontecido. Harry, além de tudo, era um grande amigo para mim e eu não queria que ele ficasse chateado comigo, e eu sabia que ele estava assim.

Eu havia negado para eu mesma, negava porque tinha medo, mas eu sabia, desde algum tempo, que meu sentimento por Harry era algo além da amizade. Eu queria ficar ao lado dele sempre que possível, amava quando ele me abraçava e quando me beijava, eu me sentia confortável, desejada e estranhamente me sentia no lugar certo.

Balancei a cabeça tentando esquecer um pouco disso, não adiantaria em nada ficar pensando nisso e me sentindo incomodada. Eu teria que esperar que ele me ligasse ou que chegasse o dia de amanhã para conversarmos, seria a única opção.

Ouvi o meu celular tocar e corri até onde ele estava, mas fiz uma careta quando vi que não era Harry me ligando, mas sim Louis.

-Oi Louis – atendi desanimada, não que eu não quisesse conversar com Tommo, mas não esperava uma ligação dele. Esperei que ele começasse a reclamar pela minha falta de animação para atende-lo, mas isso não aconteceu.

-Ju? – Comecei estranhando por sua voz não estar animada como sempre – onde você está?

-Em casa, por que?

-Você precisa vir para o hospital – sua voz soou fraca e tremula fazendo o meu coração disparar na hora.

-O que aconteceu, Louis? – perguntei já desesperada, indo atrás das chaves do meu carro.

-É o Harry, Ju – Louis chorou e se fosse possível, eu fiquei ainda mais nervosa.

-Droga, Louis, o que aconteceu com Harry? – Senti minha voz tremer.

-Ele... Ju, o Harry sofreu um acidente.


Notas Finais


Eu avisei.
Não me matem.
Mereço comentarios?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...