História For three weeks, For you - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Tomorrow X Together (TXT)
Personagens Personagens Originais, Soobin, Yeonjun
Tags Soobin, Txt, Yeonbin, Yeonjun
Visualizações 34
Palavras 1.463
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Chance, coincidence, destiny.


Fanfic / Fanfiction For three weeks, For you - Capítulo 14 - Chance, coincidence, destiny.


Soobin




Ridícula. Ridícula a forma como fiz algo tão bonito ir por água abaixo, obviamente ainda havia esperança em mim, que jurei que não iria embora enquanto não chegasse domingo da última semana que eu tinha, por mais que o mais velho tivesse dito que meu tempo havia acabado eu sentia que não, e também o sentimento de ter errado não iria passar enquanto eu não soubesse nada a respeito de meu Hyung. Minha mãe havia me deixado de castigo. Por ter chegado bêbado em casa? Não, ela disse que estava demorando para aquilo acontecer e que já havia se preparado de qualquer maneira, o castigo fora por conta da merda que havia feito, e talvez por causa da grande raiva que estava em si ela simplesmente soltou que uma vez já havia visto meu ec namorado com outro, isso no começo, mas resolvera ignorar pois sabia que eu o amava muito. Vai entender? Porém ao perguntar para o mesmo, por raiva de mim -não sei o porquê, ele era o mais errado- este respondeu que não havia sido apenas uma vez. Conclusão, aquilo me deixou pior ainda, não pelo fato das galhas na cabeça e sim por ter sido mil vezes mais fútil a briga que eu havia tido com Yeonjun. Fui totalmente patético.

Já fazia dois dias que estava faltando a Faculdade, não tinha cabeça para aprender algo ou pelo menos prestar atenção em qualquer coisa que fosse, mas infelizmente não podia ficar faltando para sempre se quisesse passar, e apenas por esse motivo estava indo naquela quarta feira. Minha cara devia estar a pior possível, já que somando as três noites passadas havia dormido por míseras sete horas, ou nem isso, comer então? Só o que minha mãe me obrigava, se não.

Pouco antes de entrar dentro da sala minha pressão havia baixado por conta da fraqueza e dos lances de escadas que havia subido, o que me fez ficar escorado a parede esperando que aquele mal estar passasse rápido. Somente ao sentir uma mão no meu ombro que abri os olhos meio assustado.

- Você não me parece nada bem Soobin, o que está acontecendo? Não responde nossas mensagens desde Domingo a tarde, faltou todos esses dias sem dar uma satisfação - minha amiga dizia preocupada enquanto tirava uns fios de cabelo do meu rosto - Seus olhos estão fundos...

- Quer uma água cara? - apenas assenti - Estou indo lá buscar, cuida dele aí.

- Quer me dizer o que está acontecendo? Nunca havia te visto desse jeito, seu astral é tão alegre Soo, está visivelmente doente.

- Posso contar para vocês depois? - Perguntei assim que vi o professor entrar na sala, recebi um manear positivo e então ela me ajudou a ir pra o meu lugar discretamente para que o professor não percebesse que eu estava passando mal.



(...)




- E bem vindos a minha derrota catastrófica - disse baixo olhando em volta.

Há mais ou menos meia hora Soobin e seus amigos estavam sentados na Praça a frente da Faculdade enquanto o mais alto dos três contava o porquê de estar visívelmente abatido, chegara até a chorar por ter relembrado tão detalhadamente o acontecido.

- Olha, nunca pensei que um dia na sua vida você pudesse ser assim, um idiota de marca maior. Bem feito esses chifres que tu veio ganhando - bateu em sua cabeça como forma de repreensão - bem que aquele fulaninho era meio suspeito.

- Que babaca Soobin, um completo babaca, estou com vergonha estár perto de você.

- Gente, sei que o que fiz foi uma grande merda, já me lembro disso a cada minuto, vocês não estão ajudando.

- Você já tentou ligar pra ele? Mandar mensagem, ir lá mais vezes...

- Obviamente já, mas nada, só caixa postal e não tive coragem de ir lá de novo, mas é provável que ele não esteja. Não vou me perdoar nunca se o pior tiver acontecido ou acontecer. Isso mostraria que sou só um moleque inconsequente, sem noção do que está fazendo. Mas ainda penso que seria desistência deixar alguém acabar com a própria vida sem se dar mais algumas chances, porém estraguei isso da pior forma possível. Devia ter pedido ajuda pra algum especialista? Claro que devia, mas acima de tudo se entrei nessa por conta própria devia ter me controlado não importasse o que tinha acontecido de verdade. Nunca mais vou fazer isso não importa o que.

- Entendo que deve estar confuso e se  culpando pra caramba, contudo ainda concordo com o que já havia nos dito antes, meu bom, você foi curiar algo que tinha caído de algum lugar, em uma rua que entrou por causa dos escrotos daqui e do nada alguém caí em cima de você. Era para Yeonjun ter se machucado feio e talvez ter a vida mais infeliz ainda do que já tinha, com esse acaso, coincidência, destino, em fim. Você conseguiu proporcionar muitas coisas boas pra ele, e pra si próprio também, sempre te vi feliz, mas você estava radiante todos os dias cara. Só te digo uma coisa, não desista, vai atrás, vai lá todos os dias, se quiser nós vamos com você, procurar ele também, é uma boa, sei lá. Só não desista do que você construiu junto com ele.

- Mas e minha mãe? Estou de castigo estão se esquecendo disso? E por lembrar e melhor eu ir pra casa antes que ela chegue e não veja eu lá, se isso acontecer ela vai prolongar meu castigo pra um ano. De casa pra Faculdade, da Faculdade pra casa.

- Ai Soobin, larga de ser lesado, obviamente sua mãe vai te liberar pra isso, aliás é o mínimo que você pode fazer por Yeonjun agora, correr atrás dele como nunca.

- Ta inspirado hoje hein? Normalmente você só fala merda e eu sou a cabeça desse trio, pois eu sou a feminilidade daqui, parabéns.

- Se manca garota, meus dotes só uso nas horas certas, sair gastando vocabulário pra que?

- Gente! Ei, parem vamos lá pra casa, para mim conversar com a minha mãe, de qualquer maneira é melhor ela pensar que tivéssemos essa conversa lá em casa

- Pela primeira vez foi babaca com alguém, ficou bêbado, e agora vai mentir pra mãe. Você está me surpreendendo Soobin.

- Que se foda.

Os amigos se entreolharam espantados, é Soobin estava pela primeira vez com seus hormônios a flor da pele.




Quando finalmente estava tudo certo para irem no apartamento de Yeonjun, assim que Soobin pegou na maçaneta da porta começou a chover. O tempo desde domingo estava daquele jeito, chovia sempre inesperadamente, lembrou de uns dias passados em que propôs tocar uma música que seu Hyung ouvia baixo na varanda, antes de Soobin o atrapalhar, aquela música parecia significar muito para si de alguma forma, sabia que ela tinha algo relacionado com a chuva, tirou a mão do trinco da porta e foi para seu quarto se trancando lá sem prestar atenção em seus amigos e sua mãe o gritando. Pegou o seu Notebook indo procurar a tradução daquela música. Ao chegar no último verso sentiu uma pequena lágrima solitária escorrer por seu rosto até cair em algum lugar, seu Hyung tinha muito dentro de si, sabia disso, mas era tão surreal. Refletiu por um bom tempo sobre aquela simples música, então chegou a cogitar algo, será que o amor havia caído no ódio por sua culpa? Implorava para que não. Achou as notas da música em algum site e pegou o seu violão ao lado se ajeitando na cama começando a tentar tocar a mesma. Não sairia daquele quarto enquanto não a aprendesse inteira.

A noite caiu, se sentia exausto, mas parcialmente completo, havia aprendido a bendita da música, não sabia ao certo o porquê de ter tido tanta persistência por hora, mas tinha certeza que iria usar aquilo para algo ou até mesmo para simplesmente fazer o que havia prometido ao seu Hyung.

Nem colocou seu pé para fora do quarto e sua mãe o agarrou olhando-o preocupada, mas ao constatar que Soobin estava bem suspirou aliviada, em silêncio mesmo pegou na mão de seu filho e o guioi para cozinha, seu garoto tinha que comer algo, nem que fosse contra sua própria vontade, mesmo que Soobin não aparentace relutância sabia que o mesmo não estava afim de comer. Mas isso só acabaria mais com seu filhote.

Para Soobin era cortante ver sua mãe preocupada consigo e ao mesmo tempo com pena, queria poder passar um semblante bom e um humor melhor ainda para a mais velha ficar em paz, mas era difícil em meio a situação em que estava suspirou se sentando a mesa. Queria que aquilo acabasse bem, e queria que fosse rápido.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...