1. Spirit Fanfics >
  2. Fora de controle >
  3. Mudança

História Fora de controle - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Mudança



Viu o amanhecer chegar devagar, afinal, nem tinha dormindo.


Passou a madrugada inteira pensando como seria ao chegar em Konoha, como deveria agir? Gritar para todos que Madara estava vivo não era uma boa opção, além de acha-lá louca o mesmo poderia começar uma nova guerra e ter novamente traumas pós-guerra não tava em sua lista de planos.


O melhor era manter silêncio para a proteção de todos e se caso algo acontecer, podia alegar que estava sendo ameaçada o tempo todo.


So que, por incrível que pareça, ela realmente não estava se importando tanto assim com Konoha e sim da maldita proposta que ele deu.


"Tera que me beijar"



A frase sussuvara com força em sua mente, parecia que havia um espírito que a persegui-a apenas para dizer essas benditas palvaras.


Poderia ela novamete amar outro Uchiha? Riu com a possibilidade, afinal o universo conspirava ao seu favor.


Viu o relógio que marcava cinco horas da manhã e seu turmo começava as seis, um fio de ansiedade consumiu o pequeno corpo.


Respirou fundo, se arrumando da melhor maneira possível: dobrando e guardado as roupas femininas que Madara comprou para ela no primeiro dia que esteve aqui e colocou suas roupas quando fugiu, no espelho do guarda roupa, bem em frente a cama, viu seu reflexo abatido por culpa da noite em claro.



O dia seria cheio.


- Vejo que esta bem disposta a ir para sua querida vila, menina. - A voz rouca de quem acabou de acordar tomou conta da cozinha.


A Haruno viu seu inimigo de costa, totalmente relaxando em estar de guarda aberta para ela. Os longos cabelos cobriam quase toda a visão de seu corpo, mas pelos movimentos, estava a cortar algo.


Se sentou no passa prato como da última vez, olhando o homem a frente, agora ao fogo, cozinhar algo que parecia ser o café da manhã.


- Pelo visto, não dormiu essa noite né? Escutei seus passos pelo quarto. O que tanto incomoda? - Olhou para a jovem.


- Ah, nada de mais. Só o fato de esconder quem fodeu com o mundo para minha vila no qual jurei lealdade. - Debochou.


- Se continuar nesse tom, quem vai ser fodida é você, minha cara.


Madara teve a visão completa do rubor que atingiu as maçãs de Sakura, a deixando, ainda mais, exótica e bela.


O Deus da gurra ja tinha visto esse avermelhado na face: durante a guerra, a viu com o pirralho que também possuia seu sangue e o jeito bobo e inocente que ela o olhava.


E ali, ele decidiu que queria aquele rubor apenas para si, nem que para isso, tivesse que esmagar suas esperanças com o mais novo.


E quanto não foi gratificante vê-la da maneira como queria.


Riu interinamente, com a imagem dela vermelha enquanto se afundava em seu corpo, deixando sua marca em sua pele em formas arroxeada de chupões, para todos saberem que ela pertencia alguém.


- E como vai ser o plano? - A voz dela tirou de seus pensamentos. - Como irei voltar até essa casa?


- Que horas sai do trabalho?


- As seis da tarde, por quê?


- Quero que esteja em sua casa ate as sete, irei invocar o Kamui.


- Espera, mas para isso, você não precisa estar la para me levar? - Sakura diz em desespero, Madara jamais deve colocar os pé na vila.


- Não me compare ao Obito menina, esqueceu que sou um Deus? Ninguém conhece os poderes desses olhos melhores que eu, afinal a maioria fui eu o primeiro a fazer. - Diz esbanjando superioridade. - Sete em ponto o portal será invocado. - Chegou bem próximo a ela. - Não me faça ir atrás de você.




                       ◇


                       ◇


                       ◇



E com um passe de mágica, estava em seu quarto.


Rapidamente, tomou um banho e vestiu seu uniforme, ja imagiando a enorme bronca que iria levar de sua sensei.


Ao se arrumar, pegou uma mochila velha que estava debaixo de sua cama e enfiou todas as roupas que podiam nela, sabem que na manhã seguinte, pegaria mais.


Não queria que Madara comprasse roupas para si, mesmo que gostasse das que ele escolheu. Uma ponta de curiosidade passou em mente, como ele sabia seu tamanho?


Sentiu as bochechas esquentarem com a possiblidade dele ter medido enquanto dormia.


Com o comércio abrindo aos poucos, as ruas estavam desertas ainda, dando mais tranquilidade a rosada: não queria explicar para meio mundo o porque de ter sumido por quase quatro dias.


Entrou no hospital, vendo todos a olharam surpresos e alguns ate cochicarem, riu sem humor, óbvio que a notícia de que foi deixada no altar e quem ainda fez o parto da Uzumaki ia percorrer por todas as ruas do lugar.


Viu uma cabeleira loira vindo em sua direção furiosa, os passos firmes faziam barulhos no lugar tão silêncioso. Sentiu o odio emanando do corpo, era nítido a vontade de mata-lá.


- Me acompanhe, senhorita Haruno Sakura. - A voz doce estava acompanhada de deboche e odio. - Vai se explicar muito bem para mim, o Hokage, Tsunade e para o Naruto que enlouqueceu com seu sumiço.


- Gomenasai, Ino-Porca... - Sentiu a voz sair trêmula, queria chorar.


- Olha amiga, eu sei que queria um tempo. - Ino a abraçou. - Mas sumir assim, nos deixou preocupados. Agora vamos, temos que ir a sala do Hogake.



                       ◇


                       ◇


                      ◇



- ... e foi isso que aconteceu.


Nunca, em toda sua vida, mentiu tão descaradamente como agora e pior para pessoas tão importante para si.


- Fico feliz que o casal a ajudou Sakura. - Naruto com seu sorriso inocente a deixou enjoada.


- Tem certeza que quer trabalhar? Pode tirar uns dias para descansar criança. - A ex Hokage, lhe fez carinho em seu cabelo e a Haruno sentiu vontade de chorar.


- Não, onegai... Me deixem trabalhar, é a unica maneira de me distrair. Mas se eu precisar de um tempo, prometo pedir.


A pedido do próprio Hokage, Sakura tirou o dia de folga para se arrumar.


Aproveitou a oportunidade para andar pelas ruas, cumprimentando alguns, vendo o olhar de pena e cochichos de outros, fingiu não ligar, mas no fundo, só ela sabia o quanto machucava.


Passou em uma loja de doces e comprou tudo o que dava, com o dinheiro em sua posse, saindo com enormes caixas de doces e duas de bolo e um gerente feliz com a exuberante quantidade que deixou em sua loja. Basicamente, metade do seu salário.



Entrou em casa com difilculdade, deixando as caixas na mesa, abrindo uma e pegando um bolinho rosado enfiando por completo na boca.


Suspirou ao se lembrar que teria que levar todo aquele armazenal de doces e comidas que tinham em casa para não estragarem. Ja que agora, estava vivendo com o inimgo.


Foi ate um mercado proximo, pegando algumas caixas de papelão para guardar toda a comida que tinha, aproveitando para pegar mais algumas coisas: Livros de medicina para estudar, objetos pessoas de banho, limpou seu guarda roupa.


Mal percebeu que passou a tarde fazendo isso e o teve mine infarto que teve quando um portal de abriu atrás dela.


- Irei tacar algumas coisas. - E jogou todas as coisas pelo portal, pegando se alguma o acertaria, para enfim empilhar as caixas de doces delicadamente em suas mãos para não derrubar. - Konnichiwa Madarinha.


- Menina, você esta sendo mantida em cativeiro, não passando ferias de verão. Que porra é essa? - Madara estava indigando. - Esse cheiro, é doce? Você trouxe dez caixas de doce?



Notas Finais


OLHA EU NOVAMENTE NA MADRUGADA!!

Queria eu ter grana para comprar 10 caixa de doces Kkkkkkkkkkkkkk essa parte da Sakura é muito eu, qualquer coisa que me aborrece eu quero doce.

Nota 1° : Povinho, o hot dessa fic vai demorar um pouco, mesmo Madara sendo linha de frente a Sakura fica muito com o pé atrás pelo fato de ser um fodido inimigo sacou? Diferente da Kakasaku e eles ja se comecem e da Gaarasaku q é outro universo.

Nota 2° : Eu não sei em qual das 3 fic eu postei falendo que queria voltar minha Sasusaku.

Para quem tava aqui antes, minha primeira fic se chamaca "Obsessão Uchiha", afinal eu vejo esse clã com obssesacados pelos que querem e não importa a situação. ISSO É BEM EXPLÍCITO NO ANIME/MANGA.

Outra coisa, como ja disse antes, no anime/manga, eu nn vejo amor entre eles é mais uma síndrome de Estocolmo.

Mas as fanfic são fodas pra karalho.

Mas enfim, voltando ao assunto....

Eu tava escrevendo bonitinho e do nada meu celular deu tela branca e apagou tudo, tudo mesmo e para piorar o app também deu tela azul e pra fuder me deixou, ainda, impossibilidata de comentar, apenas postar e ler.

Mas em uma noite as 2h de ontem, eu tava lindamente comendo melancia e PAH, a fanfic voltou na minha cabecinha e eu vou postar ela de novo, obviamente diferente para quem ja leu, mas a pegada é a mesma.

Vou primeiro terminar uma dessas três para publicar blz??

(Vou postar nisso nas três, para todo mundo ficar bem ciente.)


Amo vcs 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...