1. Spirit Fanfics >
  2. Fora de Órbita :: nomin >
  3. Atraído

História Fora de Órbita :: nomin - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Fora de Órbita é uma história focada na diferença e empatia. Aproveitem ela, fiz com muito carinho sz.

¡Avisos!

♂♂ - Homossexualidade e transsexualidade (+16)

⚠ - Violência física e verbal.

🚫 - Sexo, álcool e outras drogas (sendo estas não-citadas ilícitas)

🔇 - linguagem forte.

🔎 - Caso não compreenda, pesquise! Procure se informar e, lembre-se, não julgue apenas por ser diferente.

Boa leitura, nctzens ‼ (♥)

Capítulo 1 - Atraído


Fanfic / Fanfiction Fora de Órbita :: nomin - Capítulo 1 - Atraído


  Se não fosse pela June, talvez eu nunca tivesse o conhecido... Porra, June, valeu.




Era a quinta vez que June voltava do closet, tão bem vestida quanto das outras em que saiu dali de dentro. A garota bonita deu uma volta no espelho grande que completava a parede e por um momento não se expressou em relação ao que vestia, mas o vestido escuro e a jaqueta jeans azul clara na cintura caiam tão bem em seu corpo e ainda combinavam com seu óculos escuro na cabeça e o famoso coque frouxo.

Receosa, ela se virou para Jaemin.

— E então...?

Um suspiro ficou preso em sua garganta enquanto via o amigo deixar de lado o celular e olhá-la, e o nervoso a consumiu por inteiro ao percebê-lo demorando em sua análise, tão nervosa.

— Porra, June... – o loiro suspirou, a assustando imediatamente, e então se levantou do pequeno banco confortável. Para seu susto, Jaemin a fez virar novamente e agora a garota olhava seu reflexo mais uma vez, acompanhada pelo reflexo do amigo. — Pela quinta vez... Você tá linda. Na verdade... Você é linda.

Agora ela podia sorrir, tão boba com o elogio. Jaemin é sempre tão simpático.

Olhando o reflexo se sente mais confiante desta vez, apesar de todas as suas paranoias e frustrações. Quer dizer, seu corpo a preocupa tanto. Queria que fosse bonito como o das outras meninas, em si não há nenhuma curva e isso a deprime tanto.

— Tem certeza, nana? Não tá marcando nada?

Ela desliza as mãos gentilmente pelas laterais do corpo, tão tensa como qualquer adolescente indo para uma festa. Ele repara bem, e não há nada para marcar.

— Não. Relaxa.

Ótimo. June agradece tanto por ter um amigo como Jaemin. Ele sempre a apoia e compreende seus problemas e crises, também tem conselhos incríveis. Ainda não supera que um dia se preparou para perder tudo isso.

O loiro vai se sentar e aproveita para pegar os sapatos da garota ao lado do banco, balançando-os no ar como um sinal para June. Ela se dá conta e vai se sentar ao lado do Na para calçar o par de tênis branco que o amigo escolheu, sempre um ótimo gosto. Mas, caramba, por que tão nervosa? Ela percebe isso ao que mal consegue amarrar os cadarços por causa das mãos trêmulas.

Mas o que...? Jaemin se preocupa e deixa o celular de lado mais uma vez. A menina se assusta vendo o amigo repentinamente de joelhos em sua frente, mas entende assim que o vê fazendo uma série de movimentos até que haja um laço perfeito e logo vai surgindo seu gêmeo.

— Obrigado.

— É por causa do Lucas, não é?

Bingo. Ele nunca havia a visto mais vermelha e isso o alegrou.

— Haha! Eu sabia!

— Ele é muito bonito... E é a primeira festa dele que eu vou! – ela não podia conter sua empolgação. O estrangeiro a chamou a atenção desde o primeiro dia em que o viu e acidentalmente seus olhares se cruzaram – não que ela também não fosse, de alguma forma, estrangeira, pois havia nascido na China e morado a vida inteira na Coreia com os pais. — Imagine se ele ficar com outras garotas na minha frente... Não vou suportar.

A garota tem a expressão mais chateada enquanto apoia o queixo na mão. Caso isso aconteça, ter se arrumado não adiantará de nada.

— Depois de te ver, se ele quiser alguma garota que não seja você, ele vai ser um completo cego. – dócil demais, ele tenta a animar.

Ela sorri agora e Jaemin a retribui, mas é por pouquíssimo tempo, porque com o celular do Na tocando ele tem que distribuir a atenção.

Noona?

— Vocês estão prontos? Diga que a June não teve um surto de novo, por favor.

Naaah, ela tá bem.

Os dois levantam dali e assim que a adolescente pega sua bolsa, eles vão fechando porta por porta e apagando luz por luz até que já estejam atravessando o jardim. Qualquer um que vê-se os amigos chutaria haver um possível relacionamento entre os dois, algo impossível. June, apesar de linda, não faz seu gênero.

— OLHA SE NÃO SÃO OS MAIS BONITOS DE SEOUL!!! – a terceira membra daquele trio sai aos pulos do carro, por um momento deixando os dois sem graça.

— Senhorita Choi, por favor, se contenha. – diz o motorista olhando de relance o relógio de pulso, afinal certamente os vizinhos do condomínio não gostariam do barulho.

— Aish, Johnny!

— Olha a boca, menina mal-criada!

Ele a repreende por ser mais velho e não terem intimidade para esse tipo de vocabulário e claro que a garota mimada fica emburrada, até cruza os braços!

Esses dois tem que parar de ser cão e gato, passa na mente do Na.

— Johnny Hyung. – Jaemin se curva ao chegar perto e então abraça a amiga. — Hwa.

— Hwa!!! – June é mais escandalosa e as duas se abraçam com sorrisos e saudade.

— Aaaaaa estão tão lindos! Meus amigos são muito bonitos!

— Nah, você que é, Hwa unnie. – a jovem diz envergonhada. Jamais irá se acostumar com todo o mimo que recebe da amiga.

June acha Hwa tão perfeita com os seus cabelos recentemente tingidos de loiro, longos e sua franja bonita, o rosto marcado na medida certa, a beleza de uma boneca de porcelana. O corpo, apesar de magro, cheio de curvas e aaaah, como June as queria.

— Não, você que é e... OH MEU DEUS! Você está de vestido! Não tinha reparado! É tão colado, ficou lindo em você, June! ...Isso me lembra que comprei um vestido lindo pensando em você, mas fiquei com tanto receio de te dar, achei que não usaria! Tem que ir buscá-lo logo!

— Farei isso logo.

— Meus orgulhos. Vamos, vamos! A festa na começou! O Jungwoo me disse que está fervendo!

Há dois anos atrás nenhum deles jamais imaginaria que estariam juntos agora, foi uma amizade realmente aleatória, mas agora o trio não se desgruda mais e a química é insana. Eles sentem que se completam, de alguma forma, e é cantando músicas do Jay Park no banco de trás que se pode ter certeza absoluta.

° ° °

   Hwa passa na frente enquanto Jaemin e June vão atrás ouvindo a música alta e sentindo o odor de fumaça ali na sala, um cheiro agradável, apesar. Por um momento os dois quase se perdem no meio das pessoas e o loiro tem que segurar na mão da morena para não perdê-la de vista, e é assim que eles ficam até pararem atrás da mais velha na roda de amigos igualmente mais velhos – que por sinal são os causadores de fumaça.

— HWA!!

— JUNGWOO!!

Enquanto eles se abraçam, a roda continua compartilhando o narguile ali no meio da sala e a tatuagem no pescoço de Jaehyun nunca esteve mais sexy com o detalhe de sua veia saltada. Por um milésimo de segundo Hwa achou ter sentido arrependimento por ter terminado com o canalha, mas não, talvez tenha sido coisa de sua cabeça.

June reparou que Lucas não estava ali no meio de Jaehyun e Jungwoo, por um momento quase confundiu TaeYong por estar de costas.

— Não vai cumprimentar? – o ex cutucou, já não tão sóbrio assim.

Jaemin não gosta que Hwa fique tão próxima de Jaehyun.

— Não mexe. – Mark quem pediu. Ele conversava com alguém por aplicativo, mas ainda se mantinha atento.

Hwa não queria papo com ele. A vida a ensinou que Jaehyun não era boa companhia. Ele a magoou imensamente e da pior forma. Se lembra perfeitamente bem da marca roxa que ficara em seu pulso e espera que o outro se lembre da ordem de prisão caso encoste nela novamente.

Pelo menos pôde conhecer Jungwoo e isso já lhe é um prêmio imensurável. O maior mantém o braço por cima de seu ombro e cumprimenta Jaemin e June, muito educado.

— Podem dar uma volta, se quiserem. Prometo ficar de olho nela e protegê-la de todos os males.

O Hyung é o mais sóbrio da roda e claramente tem seu voto de confiança com os dois. Jungwoo, apesar dos amigos, tem bom coração e gosta verdadeiramente da garota.

Hwa sempre foi de sumir nos rolês, então Jaemin e June não se importam de deixá-la com Jungwoo, pois em algum momento eles vão sumir também. Nada os impede de sair dali, a não ser...

— VOLTEI! E trouxe a essência!

É YukHei quem chega na roda, e os olhos de June não poderiam brilhar mais.

— Caralho, tô louco pra fumar um! – ele comenta mais agitado do que deveria estar.

— Se controla, tem damas aqui. – é Yuta quem diz, irônico.

Jaemin o fuzila enquanto YukHei apenas olha ao redor e repara em Hwa e June ali entre eles e, porra, como nunca havia reparado na amiga da ex de seu amigo? Talvez, com a bebida vibrando em seu sangue, ele esteja a vendo de uma forma que nunca tenha reparado.

Abusado, ele joga seu braço pelos ombros da garota e a repara de cima à baixo. — Solteira?

O seu coração sai pela boca em menos de um segundo. 1) Ele a reparou. 2) Ele flertou!!!

— Aiiiiisssh.... Eu tô um pouco bêbado, me perdoa. – ele continua e a cada palavra é um nó a mais na garganta da estrangeira porque, PORRA, O BRAÇO DELE ESTÁ NO OMBRO DELA! — Mas é que você é muito gata e eu... Porra, desculpa, eu tô muito bêbado e você é muito bonita...

— Cara, você tá bem? – Ten olha o amigo de longe e ele parece viajado.

— Se eu tiver o telefone dessa garota, vou ficar ainda melhor. Inclusive, qual é o seu nome?

— Renjun. – Yuta fala rindo já meio louco pela bebida.

— O quê? – o chinês não escuta, por causa da música alta.

Hwa o empurra com uma cara emburrada. Deixe de ser besta!

— É June... Ela é tímida, YukHei Oppa.

— Naaah, Hwa! Não precisa disso, linda. – seus olhos fixam nos da garota. — O YukHei gosta de ser íntimo de um bela garota. Huh? Vamos pegar uma bebida pra você e aproveitar para nos conhecermos melhor, vem.

Ele já ia a puxar dali, mas Jaemin teve receio e segurou o pulso da garota, a mantendo ali. YukHei não parece bem e ele não quer que aconteça o mesmo que com sua amiga Hwa na última festa em que saira com Jaehyun assim nesse estado. Ele quase havia a forçado a fazer o que não queria em plenas três semanas de namoro.

— Calma, eu não vou matar ela, a gente só vai... Depende, a gente pode fazer o que ela quiser, não é, princesa? – descarado, totalmente descarado.

— YukHei. – Hwa chama como lembrete, e o homem citado parece recordar do mesmo que Jaemin há alguns segundos atrás. — Não exagere.

— Relaxa, aiiisssh... Prometo!!

Sua mão desce para a cintura da garota e ele a guia para longe dali. Jaemin observa de longe, receoso apesar de ser uma enorme vontade da estrangeira.

— Vá pegar uma bebida pra relaxar, Jaemin. – sua amiga aconselha.

É, ele concorda. Precisa mesmo.

Também não quer ficar perto dos amigos de Hwa porque eles são muito errados. Começam com uma bebida e um cigarro e então já estão trancafiados em um quarto fumando maconha outras coisas que ele nem imagina saber o nome de tão alucinógeno.

Quer dizer, Jaemin também fuma de vez em quando, então não vê problema na amiga, mas ele fuma apenas um cigarro comum e por causa do estresse, e ele quase nunca está estressado.

Sabe que Hwa tem uma tatuagem na lateral da costela, igual todos eles tem tatuagens em algum lugar do corpo, como um ritual para participar do grupo. Foi totalmente influência de Jaehyun e ele insistiu tanto para ver a sós com ela depois, só que não havia acontecido nada demais, então tudo bem, mas depois... Jaehyun foi tão imbecil. Jaemin ainda se pergunta se ela continua fumando junto à eles quando ninguém está olhando. Hwa jurou que não, mas antes ela também jurava e mesmo assim Jaemin a pegou no pulo.

Merda. Ele só quer esquecer os problemas dos outros um pouco.

Não se preocupa em encher um copo. Ele puxa sua garrafa preferida e sai dali bebendo sem receio no gargalo. Jaemin anda pela festa escutando a batida animada, mas nem queria estar ali, foi apenas por causa da insônia e insistência de June para ajudá-la com a roupa.

June... Jaemin gosta tanto dela que se YukHei fazê-la chorar, ele promete que irá deitá-lo na porrada. Por que minhas amigas tinham que gostar de imbecis? Quer dizer– Eu sei que não gosto de ninguém nunca, mas espero que não seja uma menina idiota e errada.

E tomara que não pague com a língua.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...