1. Spirit Fanfics >
  2. Fora de Órbita :: nomin >
  3. """bêbado"""

História Fora de Órbita :: nomin - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - """bêbado"""


Estado de negação, quem nunca?

June nunca rira de coisas tão bobas antes, mas que ditas do jeito certo se tornavam muito engraçadas. YukHei era muito divertido, e ela também já tinha bebido um pouco do líquido no copo do mais velho para completar a cota de coragem.

— Você é muito divertido... – ela deu início, ainda tímida.

— Não, não sou não... Você que é muito simpática e bonita mesmo, e... Nossa, como eu nunca havia te reparado antes? – por um momento ele a observa, tentando achar traços familiares, mas nada, ele simplesmente não sabia de sua existência.

Ela o percebe mais sóbrio agora, quer dizer, ele não está sóbrio completamente, é impossível, mas bem mais consciente, se pode dizer.

O silêncio pairou entre os dois na varanda do quarto trancado de YukHei e por um momento eles podiam escutar apenas a música alta tocando no andar de baixo. Foi nesse um segundo de distração o momento perfeito para o chinês deixar a bebida de lado e usar uma de suas mãos livres para ajeitar a mecha do cabelo escuro da garota. Bastou olhá-lo para este se aproximar de súbito e beijá-la, e nunca antes um beijo havia sido tão bom.

YukHei segurou sua cintura com a mão grande e controlou para não usar força demais no aperto. A garota parecia frágil demais e sua única intenção era protegê-la em seus braços. June era tímida e ele havia percebido, então, apesar de alterado, não foi com muita sede ao pote. Ele foi calmo ao pressionar os lábios contra os da garota e paciente para esperar o momento certo para deslizar sua língua para dentro da boca alheia, iniciando um beijo de verdade. Sentia o fraco aperto dos dedos dela em seus braços, e ele confessa que adorou esse nervosismo.

Entre o beijo ele ri e sorri, bobo pela delicadeza da morena. — June, você é tão linda... – galanteador, ele elogia. Seus beijos descem um pouco mais e June tem que puxar os fios morenos dele para conter os ânimos. Jamais imaginaria que essa oportunidade surgiria assim, em menos de vinte minutos de conversa.

Nunca antes havia sido beijada no pescoço e quando ele lhe ofereceu uma sensação gostosa no lugar, com direito a uma marquinha singela como recordação da primeira vez maravilhosa, ela sentiu o seu corpo esquentar. Seus suspiros eram tão baixos, mas suficientemente audíveis para única pessoa que deveria escutá-los.

Então ele subiu mais um pouco com sua respiração quente e afobada, mordendo sem muita força sua orelha com piercings.

— Porra, fica comigo essa noite, vai. Eu tô louco por você.

Não, não, não, não! Ela não pode de jeito nenhum!

Nervosa, ela rapidamente toma distância do mais velho e isso o deixa confuso e preocupado.

— Você não quer?

— D-desculpa... E-eu não... Eu não posso, me desculpa, eu- – ela tentava dizer, tão nervosa e triste. YukHei podia jurar que havia visto uma lágrima escorrer pelo canto de seu olho. Ela estava com medo?

— Não, June. Me desculpa, eu não percebi que você não tava gostando-

— Não, não é isso.

Poxa. Ela ficou tão envergonhada e mais ainda com o olhar do rapaz em sim.

— Então o que é?

— É que...

Eu não sou como você pensa. Ela tem coragem de dizer apenas no pensamento.

— Me desculpa, de verdade, mas eu não posso, me desculpa.

Ela se desaproxima tão nervosa que acaba se enrolando na direção, mas consegue pegar a bolsa jogada na cama e então gira a tranca da porta, saindo dali o mais rápido possível.

YukHei não entende.

Em sua mente recapitula alguns segundos antes, mas não consegue encontrar nada que possa ter assustado tanto a garota. Quer dizer, a única coisa, talvez, seria...

Será que ela é virgem? Ou pior, será que alguém já a tocou antes da forma como eu o fiz? Fui muito bruto com ela?

Ele pensa e pensa e o frustra saber que pode ter tornado a primeira experiência da garota algo ruim. Mal sabe a resposta para suas próprias perguntas, mas já se condena instantaneamente apenas com a possibilidade.

— Eu tenho que me desculpar.

Sentado na cama ele bebe mais um pouco e passa a mão por entre os fios escuros, frustrado. O rapaz inclina-se um pouco para trás e é quando usa a mão para apoiar-se que percebe um celular ali, mas não é o seu.

E só pode ser de June.

° ° °

Jaemin não se dá conta de que é a terceira vez que volta na mesa para buscar uma bebida. Da segunda vez ele apenas buscou um copo, pois sabe que precisa ficar consciente. Normalmente é June quem cuida dele e de Hwa Noona porque sempre é a mais sóbria entre eles, mas o loiro não tem certeza do estado de sua amiga agora.

Ele olha entre as garrafas à procura de sua favorita e quando a encontra, uma mão também a segura rapidamente. Quem a tem em mãos é um rapaz muito bonito de fios negros e ele a solta quando se dá conta da situação.

— Perdão. Não te percebi.

Gentil, ele apenas dá meia volta e se distancia. Poxa, Jaemin também não havia o percebido rondar a garrafa.

Pensativo ele reveza seu olhar entre a garrafa na mão e o rapaz, e talvez fosse estranho mesmo, então vai atrás dele. É fácil alcançá-lo.

— Quer dividir? – ele oferece a garrafa ao estranho, e ele é tão bonito. Mas caramba! Por que Jaemin está reparando nisso?

— Quero, mas só porque é minha preferida. – ele diz, e Jaemin não poderia estar mais surpreso.

— Sério? Também é a minha.

Se sentiria mal se tivesse levado a garrafa embora, afinal o outro a escolhera especialmente por um motivo. O outro sorrira para ele e, nossa, seu sorriso é perfeito. O Na fica curioso sobre quem ele é.

Enquanto puxa dois copos ele se dá a ousadia de perguntar, chegando mais perto:

— Qual seu nome?

— Jeno - ele precisa dizer próximo a orelha do loiro, por causa da música. — E o seu?

— Jaemin. - também se aproxima, e Jeno é muito cheiroso.

Ele é quem abre a garrafa e enche os copos, que de tão grandes quase a esvaziam por completo.

— Tá sozinho? - a pergunta vem de repente.

— É... Mais ou menos... E você?

— Acho que posso dizer que sim. Meus amigos disseram que tavam cansados, então já devem ter ido.

— A festa nem começou direito.

— ...Fracos. - comentou em meio a um gole de sua bebida. — O Hae saiu com uma garota, então... Sei lá, acho que ele só foi curtir mesmo.

— Deve ter ido sim. - o Na riu, entendendo bem o que é "curtir" na linguagem de festeiros.

Jeno também ria e, aff, Jaemin se sentia estranhamente atraído pelo desconhecido. Como?, se perguntava, mas desconfiou assim que viu o moreno se aproximar novamente.

— Você tem namorado? - Jeno não se afastou depois de perguntar, ao contrário, Jaemin poderia até afirmar que está sentindo a mão dele em sua cintura ao mesmo tempo em que sua respiração quente próximo à sua orelha, o causando arrepios.

Porra, Jaemin balançou completamente.

O loiro juntou coragem para erguer o olhar e fixá-lo no moreno em sua frente. Ele está dando em cima de mim. Jeno é incrivelmente bonito e Jaemin se sente tão atraído, esse sentimento é novidade porque, na real, ele só sentia-se assim perto de meninas e isso aconteceu uma única vez, por uma única garota.

Jaemin levanta a mão, mostrando que não há nenhuma aliança em seu dedo.

Céus!, ele está flertando de volta!

Hwa noona e June nunca tiveram problemas em incentivá-lo com seus contatinhos, e inclusive o apoiam totalmente caso ele queira se relacionar com outro garoto. Certamente se suas amigas estivessem perto ele teria ficado envergonhado e dispensaria o moreno, mas agora a curiosidade o pega e ele quer saber até onde esse cortejo pode chegar.

— Você quer conversar melhor em outro lugar?

Ele assente. Na Jaemin apenas assente e o segue entre as outras pessoas.

Assim, não vai acontecer nada demais, não é? Possivelmente uns beijos, mas ele não vai me forçar a nada, certo? Quer dizer, Jeno não parece uma pessoa ruim e eu estou realmente atraído, então por que não?

É passando por um corredor que eles observam a roda de amigos rindo. Dois deles batem as mãos entre si muito animados e ele ainda não consegue desvendar o que houve.

— Jaemin!

Hwa está ali no meio e ela o chama.

A mais velha já não está tão sóbria assim, mas não reclama porque também não tem muita noção das coisas agora. Não faz ideia de quanto tempo sumiu para surgir esse efeito nos dois, mas percebeu a troca de música acontecendo inúmeras vezes.

— Você perdeu o eu nunca. Agora estamos jogando verdade ou desafio. Venha jogar, Jae! Chame o seu amigo também!

Jaemin olha para seu parceiro e ele assente, mostrando que tudo bem mudar a rota. Os dois novos integrantes da roda buscam um lugar para se sentar e observam ansiosos com os desafios e confissões. Há apenas conhecidos ali.

JiSung é o próximo a pegar o celular e ele pensa muito antes de deslizar o dedo para o lado na opção verdade.

— Já enviou nude? Não minta! - ele lê em voz alta a pergunta do aplicativo.

— Uuuuuuuuuh!!

A pergunta não é de impressionar ninguém, mas a resposta certamente seria, afinal Park JiSung é muito reservado e apenas os íntimos sabem de sua vida privada.

O loiro pensa muito antes de responder e precisa virar um copo para tomar coragem e dizer logo:

— Sim.

E logo todos estão comentando.

 Logo ele.

Os quietos são os piores.

Queria que fosse pra mim!

— Próximo! - ele passa o celular, cansado dos comentários.

Agora é a vez de Ten. E ele escolhe desafio.

— Traia seu parceiro. - ele lê.

Todos sabem que Ten e TaeYong tem uma espécie de relacionamento - os jovens ali chamam de "rolo" - o qual o mais velho ali é extremamente possessivo.

O descendente de tailandeses encara o namorado e este ri com deboche, como se a resposta já não fosse óbvia.

— Não vai fazer.

— Aaaaaaaaaa!

Eles reclamam.

— Para de ser cuzão, Taeyong!

— VÁ SE FODER, JAEHYUN!

— Tá, já chega! Eu não vou fazer e acabou!

Ele clica na opção "arregou" e sua punição é tomar dois shots. Ten odeia shots, isso foi, de fato, torturante.

— Próximo.

O celular está nas mãos de Hwa noona e ela sorri travessa ao olhar para seu amigo Jaemin, e ele a teme.

— "Desafio: Escolha duas pessoas da roda para se beijarem quente, mas sem haver mãos bobas, caso ao contrário sofrerá uma consequência! Boa sorte. Aperte "arregou" para saber a consequência."

A mente maldosa e alcoolizada não precisa de muito tempo para pensar na primeira pessoa de sua lista.

— Jaemin! - ela escolhe. — Hm... E...

O quê?! Mas mal cheguei!

— Droga... - o Na resmunga. E é nesse momento que o moreno se manifesta.

— ...Não quero que fique com outra pessoa. - ele confessa bem próximo, e Jaemin fica tão vermelho que se torna fácil para Hwa escolher.

— Jaemin e seu novo amigo!

Jeno é o primeiro a aceitar, tão interessado. Amém que pararam para ver os desafios!

Jaemin, você não é uma garota que vai sair para um encontro pela primeira vez! Não se comporte como uma! Ele lembra, impedindo seu nervosismo.

O moreno o encara tão fixamente, assim como o resto ali, mas Jaemin não foca neles e sim em Jeno.

Lembra: beijar um garoto é como beijar uma garota. Não há segredo.

Queria poder ter mais tempo para se acostumar com a ideia, mas rapidamente o outro se aproximou dele. — Eu posso? - ele pergunta, e Jaemin confirma que pode. Lhe basta essa permissão para que em milésimos de segundos ele já esteja trazendo a mão para sua nuca e assim também se aproximando. Não há segredo, como havia pensado antes. É um beijo comum, como o de uma garota. Jeno comanda toda a situação desde dar início à deslizar a língua para dentro da boca de Jaemin, aprofundando do jeito mais gostoso que ele poderia esperar, e porra, a mão do moreno desce tão rapidamente para sua cintura e a aperta tão bem que o loiro cogita a ideia de não parar por nada.

Os gritos dos outros jovens, excitados pelo momento, apenas os incentivam mais e mais.

Jaemin acaba puxando os fios de cabelo de Jeno diversas vezes e não se arrepende em nenhum momento de fazê-lo. Caramba, ele sabe como é ter o cabelo puxado e é tão bom que não mede esforços nisso, agora entende o porque garotas já fizeram isso com ele, talvez nervoso ou apenas expressão de total satisfação. Sabe que com a mão do outro apalpando sua bunda sem muita intensidade, eles já serão punidos pelo jogo, mas só o impede assim que terminam o beijo, distanciando com vergonha por ter feito isso na frente de tantas pessoas. Mas ele quer tanto fazer de novo em um lugar reservado!

Paira uma tensão sexual enorme.

Com uma passada de mão, Jeno ajeita os fios como se nada tivesse acontecido, sorrindo confortável. Enquanto Jaemin é a mais pura definição de bagunça.

— Perderam! - ela ri, e então lê: — Estão expulsos do jogo. Fiquem o resto da noite sem jogar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...