1. Spirit Fanfics >
  2. Fora de Órbita :: nomin >
  3. Ele é bom demais em gatilhos

História Fora de Órbita :: nomin - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Ele é bom demais em gatilhos



"Quem é ele? Como isso aconteceu? Quantos anos ele tem? Onde ele mora? Quem são seus pais? Vocês dois estão namorando? É por isso que você não me apresentou nenhuma namorada? É por isso que parece tão difícil? Aha! É por isso que anda com a June!"

Esse último... O quê?

— Nada a ver. Eu ando com a June desde antes da transição, muito antes dela pensar em usar saltos!

— Então responda as outras perguntas!

— Não sei, não sei e não sei.

— Mas como?

— Mãe, a gente mal se conhece, tá legal?

— Então por que veio na garupa dele? Por que estava o beijando?

— Mãe, os jovens são assim! Nos arriscamos por besteiras!

— Se não o conhece bem, não pode namorá-lo!

O quê? O que é que ela diz?

— Então não vê problema?

— Filho... Depois que a June passou por esse processo de... Como se diz isso sem soar grosseiro? Como as pessoas dizem mesmo? – a mulher se perde nas palavras. — Você sabe! Quando ele mudou... Quando ele se tornou ela, eu pensei sobre isso e conversei com o seu pai.

— Então tudo bem?

— Mas afinal, o que é isso entre vocês?

— Hum, eu não sei. Só estamos saindo.

— Então você tem que tomar cuidado já que não o conhece bem. – ela inicia preocupada. — Não falo só de histórico, também me refiro a relações com ele. Pode ser muito mais prejudicial, caso não se cuidem.

— Mãe, agora não.

— Nana...

O loiro volta para o balcão enquanto arruma o avental. Organiza aqui e ali, mas não consegue fugir ao que a mulher o persegue. A mão acaricia suas costas e o aperta por trás.

— Você tem alguém! Eu não pareço feliz com isso?

— Não é isso... só... não se empolgue. Eu não gosto de cara nenhum, nem sei o porque continuo vendo ele.

— Você tem tempo de sobra pra pensar sobre isso! Eu não vou negar você, menos ainda seu pai.

— Acha mesmo?

— Não, mas seu pai não é louco. Afinal, você deveria chamá-lo para jantar quando se sentir mais à vontade.

Será? Jaemin ainda tem muito o que pensar sobre ele e Jeno.

Não pensa em investir tudo de si nisso que estão tendo, mas também não acha que apenas metade será suficiente. Por que parece tão complicado?

Imerso em pensamentos, ele dissipa sua atenção do assunto assim que o celular no bolso dispara em vibrações inesperadas. O quê? Basta uma olhada na barra de notificações e seu coração dispara assim como seus olhos quase saltam do rosto.


  [ • • • ]

(CUTE) JUNE-AH

Amanhã, depois do meu

teste de inglês

Combinamos assim?



Os demais se entreolharam após o sexto suspiro de Yukhei. Deveriam estar preocupados?

— Você não deveria se envolver tanto. – Yuta quem avisa distraído. — Pessoas de festas são complicadas.

— Isso é verdade. – Haechan é o primeiro a concordar. — Olha o exemplo dos meus amigos.

— Ela é... Ai...

— Acho o rosto dessa garota muito marcado. Me lembra um rosto masculino.

— Tae, amor!

— Desculpa, Ten. É o que eu acho.

— Ele é bi, – Yang interrompeu — então deve ser como a loteria pra ele, dois em um. Não é, Lu?

— Vai pro inferno!

Todos se assustaram quando Yukhei levantou irritado e empurrou o amigo contra a parede.

— Yukhei! – Mark tentou ajudar.

— A minha vontade agora é de enfiar um pau nessa sua boca pra ver se para de falar tanta besteira. – disse ele, num ar mortal e incomodado. Seus olhos assustavam — Eu vou te avisar só uma vez.

— Foi mal, cara, por causa do Hendery, eu achei–

— Esquece a porra do Hendery.

— Para com isso, Lu. – Ten veio atrás puxando-o pela camiseta, mas sem muito sucesso. — Lu! Por favor, para! Vai machucar ele.

Enquanto o tailandês implora chorando, os dois continuam se encarando.

Taeyong auxilia para que não haja uma confusão maior e se aproxima para caso aconteça, afinal Ten está ali no meio.

— E ele pode me machucar? – agora, no entanto, ele não é mais rude e sim triste quando fala. Seus olhos até lacrimejam um pouco — Eu tô sentindo falta daquele idiota, ou vocês acham que não dói em mim até agora?

Ele o solta.

Ten é quem o puxa para um abraço.

— Bebê, calma. Você sabe que pode resolver essa situação com ele quando quiser, basta se importar e ir atrás dele.

— Amor, não o chame de bebê. – Tae parecia bastante ciumento.

— Eu não consigo, Ten, não consigo olhar pra ele depois de tudo que aconteceu.

— Você não deveria ser tão injusto assim – Johnny quem interrompeu desta vez — Taeyong e Ten são um casal. Yuta e Win são um casal. Doyoung é meu namorado. Então por que não age da forma correta, como é com a gente?

— Que se dane! Eu não vou falar disso com vocês!

Yukhei sai do abraço muito bruscamente. Ele pega a chave da própria moto e vai embora sem nem mesmo um adeus.

Idiotas.

— Eles realmente ficaram, então?

Ten, que mordia as unhas ali, moveu a cabeça para os dois lados, indicando que não para Yang. Por um deslize o amigo quase foi morto. Realmente não deveria ter tocado no assunto.






CONTINUA... 🔥



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...