História Fora do Castelo - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


"Porque os deuses dos pagãos, sejam quais forem, não passam de ídolos. Mas foi o Senhor quem criou os céus." (Salmos 95,5)

Em outras traduções:

"Todos os deuses dos pagãos são demônios" (Salmos 95,5)

Capítulo 6 - Os deuses Antigos


Fanfic / Fanfiction Fora do Castelo - Capítulo 6 - Os deuses Antigos

Relatório da polícia de Tóquio: 19 de Março de 2017; agentes Genya Arikado e Touta Matsuda

 

Uma denúncia anônima vinda de um armazém das regiões periféricas da cidade [endereço omitido] chegou a polícia municipal de Tóquio às 21:37 da noite de 18 de Março de 2017. Segundo a denúncia havia um local de cativeiro forçado no endereço citado. Foram enviados dois policiais para averiguar o local, [nomes omitidos], segundo o relato dos mesmos o edifício era abandonado, eles arrombaram a porta e se depararam com criminosos armados que abriram fogo contra um dos policiais, que foi atingido no ombro. Os policiais abriram fogo contra os criminosos em resposta e solicitaram reforços.

 

Quando os reforços chegaram ambos os policiais haviam sido gravemente feridos e os criminosos haviam fugido. Em uma busca mais aprofundada no edifício foram encontradas cerca de 80 pessoas. 40 crianças entre 10 e 14 anos, sendo 20 meninos e 20 meninas, também tendo 40 jovens adultos entre 19 e 28 anos, também possuindo 20 mulheres e 20 homens, todos os reféns adultos foram encontrados nus em um ambiente úmido e mal iluminado.

 

Os reféns adultos foram devidamente assistidos e encaminhados para prestar os  depoimentos a delegacia local. Os reféns menores de idade foram encontrados em estado de choque, foi feito um trabalho de identificação das famílias, os que tiveram as famílias identificadas foram encaminhados a elas, os demais foram postos sob a assistência social.

 

Segundo os depoimentos dos reféns adultos nenhum deles têm memórias imediatas antes do sequestro, não há correlação entre os eventos dos quais se lembram mais recentes. Todos os reféns adultos estão absolutamente saudáveis, todos se encontram em uma faixa aceitável de IMC, porte físico exemplar e ausência de falhas estéticas, averiguado em exame de corpo de delito.

 

Todos os reféns adultos afirmaram ver uma criatura humanóide com escamas em um ambiente úmido e mal iluminado, com a diferença que os reféns homens disseram ter visto uma figura feminina enquanto as reféns mulheres viram uma figura masculina. Também disseram que assim que puderam ouvir os tiros as criaturas fugiram. A hipótese da alucinação coletiva induzida por meio químico foi descartada uma vez que segundo o exame toxicológico o balanço das substâncias no corpo dos reféns é absolutamente normal.

 

Nós, agentes Genya Arikado e Touta Matsuda, da inteligência japonesa fomos direcionados para este caso devido ao possível interesse de um outro caso onde investigamos uma rede de pedofilia e prostituição ilegal. Permaneceremos no comando deste caso até segunda ordem.

 

Relatório da polícia de Tóquio: 23 de Abril de 2017; agentes Genya Arikado e Touta Matsuda

 

Após os eventos ocorridos em 18 de Março de 2017 foi encerrado o caso citado no fim do relatório anterior, os culpados pela rede conhecida como DJINN NEGAI (ジン願い) foram presos, alguns foram julgados, outros aguardam julgamento. O que cortaria nossa ligação com esse caso, entretanto novas informações reveladas urgem por nossa presença.

 

No dia 26 de Março de Abril de 2017 a senhora [nome omitido], mãe de uma das reféns de 10 anos, [nome omitido] informou que sua filha está disposta a prestar depoimento sobre o sequestro que sofreu.

 

Transcrição direta do depoimento da garota, segundo áudio gravado e disponível em arquivo privado da polícia (alguns erros de linguagem foram omitidos):

 

Um dia eu, minha mãe, meu pai e meus dois irmãos gêmeos estávamos andando no Parque Yoyogi. Decidimos que seria uma boa ideia tomar um sorvete, fomos até uma lanchonete e eu reclamei para minha mãe que tinha vontade de fazer xixi. Fomos eu e ela no banheiro. Depois disso eu apenas lembro de estar em uma sala com muitos brinquedos e várias outras crianças, todas meninas, algumas mais velhas, outras que pareciam ter a minha idade. Nenhuma sabia como nós chegamos ali, uma garota começou a chorar e as mais velhas tentaram acalmar ela. Elas pediram para a gente brincar e relaxar, que tudo ia dar certo. Passou algum tempo e uma parede se abriu na nossa frente, de dentro dela saiu um monte de mulheres, já mais velhas, as da frente eram mais bonitas e mais jovens, uma delas inclusive parecia com a minha mãe, mas tinham umas mais atrás que eram muito velhas, com muitas rugas! E no meio delas tinham um cara, todos elas e ele estavam encapuzados, ele com um capuz azul com um símbolo estranho, elas com um capuz vermelho escuro. Elas nos levaram para um quarto com paredes brancas e mandaram a gente dormir, ele disse que as esposas de Dagon devem descansar bem, trancaram algumas de nós lá e levaram outras. Demorou um pouco mas a polícia nos resgatou.

 

Depois de colher esse depoimento tentamos contatar as demais crianças para determinar se estavam em condições de prestarem depoimento. Conseguimos contatar todas as 40 crianças, entretanto apenas os responsáveis por 14 delas, sendo 12 meninas e 2 meninos, incluindo a criança já citada deram permissão para que prestassem depoimento. Os depoimentos não serão expostos em sua totalidade neste relatório, uma vez que todos os depoimentos colhidos foram gravados e transcritos, atualmente se encontrando em poder da polícia de Tóquio, entretanto alguns fragmentos serão evocados nesta declaração:

 

“Eles mandaram a gente tomar banho e disse que a gente devia se acostumar com a água, e disseram que o próximo banho seria de água salgada!” — [nome omitido], 13 anos.

 

“Disseram que nós estávamos sendo preparados para ser os esposos e esposas de Dagon!” — [nome omitido], 14 anos.

 

“Ele era um cara barbudo, meio gordo, ele disse que provavelmente eu seria a preferida de Dagon!” — [nome omitido], 14 anos.

 

Esse último depoimento e sua relatora nos ajudou a identificar um indivíduo que estaria participando dos sequestros: Mineto Shiraishi. Foi expedido um mandado de prisão contra o senhor Shiraishi, que foi detido no seu escritório. Ele não respondeu nada até contar com presença do seu advogado, mas uma vez que se encontrou com ele logo confessou o crime, na presença dos agentes Genya Arikado, Touta Matsuda, [nome omitido], de seu advogado, o senhor [nome omitido] e a psiquiatra [nome omitido]. Foi imediatamente preso e levado para a prisão de FuChu.

 

Posteriormente, no dia 13 de Abril de 2017 nós, os agentes Genya Arikado e Touta Matsuda fomos a FuChu interrogar Mineto Shiraishi. Segundo os agentes penitenciários o comportamento dele foi exemplar dentre os prisioneiros, entretanto ele se mostrou arredio a ser interrogado pelo agente Arikado, afirmando nestes termos: “Você tem que resolver suas questões com seu pai e com seu Deus antes de querer confrontar um servo de Dagon!”. Ele concordou em ser interrogado pelo agente Matsuda. O depoimento de Mineto Shiraishi está completo gravado e transcrito em poder da polícia de Tóquio, mas parte do mesmo será exposta abaixo abaixo:

 

Vocês não sabem com o que estão lidando! C'thulhu aguardava morto em seu trono até sair daqui por culpa do homem de sombras e seu exército de adões! E o maldito Adão! Mas Adão agora é nosso homem, não mais homem, mas filho do Um em Todos e uma sombra de homem! E você agente Matsuda vai descobrir que nenhuma arma de destruição em massa pode destruí-los, pois eles vem de além das estrelas! E você não vai saber os nomes! O filho de C’thulhu triunfará! Ave Invictus Dagon! [gargalhada frenética e balbuciando coisas sem sentido]”

 

Mineto Shiraishi confessou também que existe toda uma organização trabalhando a favor dele, mas não delatou nenhum cúmplice.

 

Mineto Shiraishi atualmente se encontra preso em FuChu. Nós, agentes Genya Arikado e Touta Matsuda continuaremos no caso e investigaremos essa organização com o intuito de impedir novos crimes, ainda mais crimes de natureza nefasta como a violência sexual.

 

Relatório da polícia de Tóquio: 12 de Junho de 2017; agentes Genya Arikado e Touta Matsuda

 

Após o interrogatório a Mineto Shiraishi ocorrido em 13 de Abril de 2017 foram realizadas múltiplas investigações coercitivas nas propriedades do criminoso para encontrar provas de seus comparsas no ato clandestino que ficou conhecido como “colheita de Dagon”, abreviado como “A colheita”. Em sua residência e no escritório da empresa do qual é sócio (深釣り, Fuka Tsuri) foram encontrados fragmentos complementares de uma lista que tem por título “Membros do Culto”, contendo cerca de 169 nomes. Todos os nomes da lista foram alvos de investigação policial e submetidos a interrogatório.

 

Todos os “membros do culto” reconheceram todos os 168 nomes escritos na lista os descrevendo como “legítimos seguidores de Dagon”, entretanto todos eles se descreveram como “não sendo legítimos seguidores de Dagon”, todos também identificaram o senhor Shiraishi como sendo seu líder. Todos foram presos em diversas penitenciárias ao redor do país e foram processados por formação de quadrilha, pedofilia, tentativa de estupro e sequestro químico.

 

No dia 21 de Maio de 2017 Mineto Shiraishi foi encontrado morto no banheiro da penitenciária, tendo como causa da morte suicídio a morte por um ferimento abdominal no qual foi usado uma faca antiga feita de pedra, a perícia formulou a hipótese de que a faca tenha origem suméria, há desenhos hieroglíficos que não puderam ser reconhecidos pelos peritos.

 

Nós, agentes Genya Arikado e Touta Matsuda fomos incubidos de avisar a sua irmã e seu cunhado, seus sócios, Yumika Hirakawa e Hidetoshi Hirakawa. Nos dirigimos a residência do casal, que vive sem filhos e comunicamos aos dois. A reação da senhora Hirakawa foi particularmente emocionada.

 

O caso foi oficialmente encerrado em 28 de Maio de 2017.

 

Em 6 de Junho de de 2017 todos os presos por este caso se suicidaram, todos usaram facas, algumas eram estranhamente similares a faca utilizada pelo senhor Shiraishi, outras eram facas comuns.

 

No mesmo dia uma chamada anônima foi feita a polícia, segundo essa ligação algo muito horrível deveria acontecer na casa Hirakawa neste dia. Os policiais se dirigiram até a casa e escutaram gritos vindos de dentro dela, arrombaram a fechadura e procuraram pela origem dos gritos e a localizaram na suíte do piso superior. Hidetoshi Hirakawa foi encontrado despido e gritando coisas sem sentido alternadas com a frase “Sou todo Dagon”. Havia um sinal de perfuração no braço esquerdo do senhor Hirakawa, não havia sinais de luta e a casa estava trancada por fora. Sua esposa se encontrava no exterior, em uma cidade chamada Gravity Falls, localizada no estado do Oregon, nos Estados Unidos. Ela foi informada e autorizou a autópsia. Foram encontrados altos níveis de serotonina no corpo de Hidetoshi Hirakawa. No dia 7 de Junho de 2017 nós, agentes Touta Matsuda e Genya Arikado fomos avisados do ocorrido e o caso foi reaberto.

 

No dia 10 de Junho de 2017 o agente Genya Arikado recebeu uma chamada em seu celular pessoal do doutor em teologia Iruma Higashi, ele dizia ser a fonte da denúncia anônima do dia 18 de Março de 2017 e do telefonema do dia 6 de Junho de 2017. Ele solicitou um encontro pessoal com o agente Arikado, o que foi realizado. A seguinte transcrição é considerada a única informação relevante apresentada por ele:

 

Dagon na cultura filistéia antiga era considerado um deus da fertilidade e das águas, como muitos dos deuses cananeus ele foi considerado um demônio pela teologia escolástica, um demônio ligado principalmente a avareza e a luxúria.”

 

Devido ao estado da cena do crime da casa Hirakawa concluímos que Yumika Hirakawa é uma suspeita no caso e nós, agentes Genya Arikado e Touta Matsuda solicitamos ao Departamento de Relações Exteriores da Inteligência Japonesa que nos conceda a faculdade de investigar Yumika Hirakawa no exterior.

 

Relatório da polícia de Tóquio: 19 de Junho de 2017; agentes Genya Arikado e Touta Matsuda

 

O Departamento de Relações Exteriores da Inteligência Japonesa concedeu a nós, junto ao Departamento de Assuntos Especiais do FBI, agentes Genya Arikado e Touta Matsuda a faculdade de investigar Yumika Hirakawa no exterior, em constante colaboração e troca de informações com a polícia local, com algumas restrições:

 

-Não deveremos sair do estado do Oregon, em hipótese alguma;

 

-Todas as noites, às 22:00 deveremos nos apresentar a um oficial da Interpol no hotel que ficaremos hospedados;

 

-Não temos permissão de usar força letal, seremos responsabilizados criminalmente por qualquer morte causada;

 

-A senhora Hirakawa foi avisada da nossa presença e do motivo dela.

 

Amanhã nós partimos para Gravity Falls, Oregon.
 

Fragmento recuperado do diário de Adrian Fahrenheit Tepes

 

20 de Junho de 2017 — Eu simplesmente não acredito nisso, meu parceiro além de tudo baba!

 

Eu estou sentado do lado do agente Matsuda, a caminho da até recentemente pacata cidade de Gravity Falls. Me sinto mal-acompanhado, mas podia ser pior, o Matsuda podia ser um bruxo…

 

FInalmente tenho um tempo para organizar tudo que o Dr. Higashi falou, ele parecia ser um cara interessado em ajudar, mas eu não tenho interesse de envolver a Igreja Católica Apostólica Romana nisso, eles já me atrapalharam muito desde 1999, principalmente com as falsas esperanças dadas pelo Sr D.

 

Faz sentido que o culto de Dagon seja um culto demoníaco, afinal de contas pessoas que tem pensamentos macabros não chegam simplesmente a dedução que sequestrar crianças, adolescentes e “reprodutores perfeitos” é uma coisa comum de se fazer, também não poderia ser um feitiço. Algo tão complicado assim simplesmente não seria viável para um feiticeiro com altas posições na sociedade.

 

Eu ainda me pergunto qual a função de tudo isso, o que diabos essa mulher pretende ainda? Será que ela já enlouqueceu completamente, ou Dagon ainda tem algum plano maquiavélico vindo de uma mente demoníaca?

 

A verdade é que não posso expor o Matsuda a isso, ele não é um idiota completo, aliás não é nem um idiota, é até um sujeito bastante inteligente para a idade dele, mas é completamente sem noção. Somos parceiros, mas não temos intimidade, aí do nada o cara liga e pergunta: “Como que eu rejeito a promotora que tá dando em cima de mim sem ser grosso?”. Ele não conhece o simples “não tô interessado”? Cedo ou tarde eu vou ter que me livrar dele se eu quiser realmente impedir essa mulher de fazer o que quer que seja que ela pretende. Talvez ela acabe com o Matsuda no processo… Não deve ser difícil enganar ele para conseguir investigar os melindres desse caso sozinho. Eu espero que não seja.


Notas Finais


Qualquer erro de português avisem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...