História Forbidden - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias A Rainha Vermelha, A Seleção, Once Upon a Time
Personagens Albert Spencer (Rei George), Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Elara Merandus, Emma Swan, Evangeline Samos, Gavril Fadaye, Ingrid / Rainha da Neve / Sarah Fisher, Liam Jones, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho)
Tags Ação, Aventura, Captain Swan, Captainswan, Once Upon A Time, Onceuponatime, Ouat, Rainha Vermelha, Romance
Visualizações 34
Palavras 2.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 20 - Vinte


Narrador

 

Assim que Emma e Killian voltaram do lago, Regina deu a eles cinco minutos para se despedirem e foi praticamente arrastando Emma até o quarto, onde ela tomou um longo banho e depois, com a ajuda de suas madrinhas, arrumou as malas para a lua de mel. Ela arrumou vários vestidos, várias blusas e calças, vários sapatos de todos os tipos e várias lingeries de estilos diferentes.

Depois de quase quatro horas de risadas e conversas sobre a primeira vez de cada uma, elas foram dormir.

Na manhã seguinte, Emma começou seu tratamento de beleza. Massagem especial, máscara facial, pepino nos olhos, manicure etc. Suas madrinhas também tiveram tratamentos de beleza e foram paparicadas quase tanto quanto Emma.

Depois, elas tiveram de colocar os vestidos, pois o casamento seria as três da tarde e já eram quase duas. As madrinhas já estavam maquiadas e Emma estava sendo maquiada ainda. O cabelo dela estava sendo arrumado por um especialista de outro reino contratado a pedido de Elaine – que queria que Emma tivesse o que ela não pôde ter por causa de Cora.

Regina já estava usando seu vestido azul escuro com renda preta e, como Emma havia previsto, a barriga dela estava maior e mais marcada. Não era aquela barriga enorme de nove meses, mas já estava maior.

❀ ❀ ❀ 

Passada quase uma hora, todas estavam prontas e a cerimônia teria início. Killian já estava esperando para entrar e atravessar o tapete azul royal até o altar de onde ele veria a mulher de sua vida caminhar até ele em um vestido branco, um buquê, o sorriso maravilhoso dela e seus olhos verdes estonteantes.

- Nervoso? – Liam perguntou.

- Claro que não. Por que eu estaria nervoso? – Killian respondeu tentando – obviamente em vão – esconder o nervosismo.

- Nem imagino.

- Quem eu quero enganar? Eu estou quase tendo um ataque!

- É, irmãozinho, é assim mesmo.

- Se isso é o meu casamento, imagine no dia que meu primeiro filho nascer!

- Pois é, irmão – Liam bateu de leve nas costas do irmão – Acho que quando seu filho for nascer você vai estar tão surtado quanto a própria Emma. Aliás, vocês já conversaram sobre filhos? Quantos filhos querem ter, os nomes que querem dar pra eles e... essas coisas?

- Não, acho que não falamos sobre isso ainda.

- Eu acho que seria bom se falassem. Sabe, já que Elaine e eu não poderemos ter filhos, vocês deveriam. Continuar a linhagem é importante e... Eu quero mimar meus sobrinhos e sobrinhas.

- Não quero que meus filhos cresçam com essa bagagem nas costas. Essas coisas de etiqueta e política e realeza... Eu não quero que eles sofram por causa disso. Quero que eles tenham uma infância feliz, uma infância que eu não tive por ser o bastardo renegado e que você não teve por ser o herdeiro.

- Claro, Killian. Se essa é a sua vontade, faremos do seu jeito.

- Ótimo. Obrigado, Liam.

As portas se abriram.

- Acho que é sua deixa, irmãozinho – Liam colocou a mão no ombro de Killian enquanto os dois olhavam para o salão todo enfeitado cheio de convidados de todos os lugares do mundo.

- Me deseje sorte – Killian disse já caminhando em direção ao tapete azul.

- Boa sorte.

 

Killian

 

Um grupo musical estava tocando uma música e quase ninguém notou que eu estava passando pelo tapete. Os pais de Emma estavam se preparando para entrar e, quando eu me dei conta, eu já estava no altar. Virei-me para encarar a porta que se abriria para dar passagem ao amor da minha vida. Minha Swan.

A música mudou. Era agora um solo de violoncelo. As portas se abriram assim que o piano começou a tocar. Primeiro meu pai entrou; ele atravessou o tapete sorrindo para todos e depois me olhando fixamente como se estivesse orgulhoso de mim. Os pais de Emma foram os próximos; eles estavam radiantes e caminharam com muita graça até seus lugares. Quando o irmão de Emma, Noah, se sentou ao lado de Ava, meu sogro soube que era hora de se levantar para ir buscar Emma. A expectativa estava aumentando. Regina entrou logo depois usando um vestido azul escuro. Ela estava ao lado de Robin e os dois pareciam extremamente felizes e orgulhosos. David entrou com a garota de cabelos curtos e a moça de cabelos castanhos compridos entrou por último jogando flores brancas e vermelhas pelo tapete.

Foi aí que eu a vi... Ela estava ainda mais linda – se é que isso é possível. O piano tocava freneticamente, o violoncelo também, mas isso não era importante. O cabelo dela estava semi-preso e es estava usando um véu rendado e uma tiara de diamantes. O vestido... Ficava perfeito nela. Tudo fica perfeito nela, o vestido não seria diferente. O buquê de rosas brancas e vermelhas com mosquitinhos brancos por todos os lados deixava tudo ainda mais lindo, só que eram os olhos dela, os olhos da minha Emma, que faziam com que tudo se encaixasse direitinho. Ela veio caminhando devagar ao som da música. O pai dela sorria, assim como ela. E aquele sorriso só fez tudo ficar melhor. Ah... bendito seja esse sorriso. Esse sorriso que me motiva a acordar todos os dias, que é a visão do paraíso aos meus olhos, que espanta a tristeza e a escuridão do dia sempre que aparece... O sorriso dela: a mulher que eu amo, minha noiva, minha amante, minha melhor amiga. Como eu amo essa mulher!

Quando o pai dela colocou a mão dela sobre a minha, eu a beijei levemente e ela me agraciou, mostrando-me aquele sorriso que poderia amansar a mais selvagem das bestas.

Meu sogro deu um tapinha em meu ombro e olhou para Emma, depois de volta para mim.

- Cuida da minha filha.

Assenti olhando nos olhos dele e vendo a semelhança de Emma e seu pai. Não é muito grande, ela é mais parecida com a mãe, mas os olhos dela são os do pai com certeza.

Ele foi se sentar ao lado de sua esposa e eu virei junto com Emma para encararmos o padre que estava ali só esperando para realizar a cerimônia.

- Você está deslumbrante, Swan – falei ao ouvido dela.

- Obrigada. Você não está nada mal também, Jones.

Soltei uma risadinha enquanto via o sorriso nos lábios dela se ascender novamente.

- Senhoras e senhores, estamos aqui hoje reunidos para celebrar a união de Emma Swan com nosso príncipe Killian Jones – o velho padre falava com uma falta de entusiasmo tão grande que chegava a dar sono, mas era só eu olhar para o lado que meu sono sumia. Em um desses momentos tediosos em que olhei para o lado imaginando se Swan estaria na mesma situação que eu, peguei-a olhando para mim com aquelas duas esmeraldas brilhantes. Nossos olhos se encontraram e todo o resto desvaneceu por um momento – Podem começar seus votos – o padre disse provavelmente uma das únicas coisas relevantes que existem no ritual do casamento.

Olhei para Emma, pedindo permissão para começar e ela concedeu-me com um sorriso. Segurei sua mão e, olhando para nossas palmas encostadas, comecei:

- Emma... Quando nos conhecemos, eu era um homem que só se importava em beber e ficar fora a noite toda. Mas você apareceu com esses olhos de esmeralda e esse sorriso encantador e... essa sua teimosia que eu amo tanto! – todos os convidados riram – E você fez algo que ninguém antes havia feito. Você virou a minha vida de cabeça pra baixo. Você mudou meus hábitos, meu comportamento e a minha forma de ver o mundo e as pessoas que vivem nele e que fazem parte da minha vida. Você me mostrou que um coração cheio de amor é o tesouro mais precioso de todos e... um que eu não pretendo perder nunca. Então eu estou aqui hoje diante de todas essas pessoas para dizer o quanto eu te amo e o quão importante você é pra mim. Dizem por aí que o dia do casamento de um homem é também a data da sua morte – de novo todos riram –, mas pra mim hoje é o dia em que eu venho à vida, porque eu não sabia o que é viver antes de te conhecer. Swan, você é o amor da minha vida, a pessoa mais importante do mundo pra mim e eu não quero nunca, nunca perder você.

Vê-la chorar nunca me deixa feliz, mas dessa vez as lágrimas não eram de tristeza (eu espero que não), mas sim de alegria.

Ela olhou nos meus olhos com o verde ainda mais intenso e brilhante por causa das lágrimas.

- Killian... Eu passei grande parte da minha vida criticando tudo e todos ao meu redor sem nunca valorizar as pequenas coisas, mas aí... algumas circunstâncias me trouxeram até aqui e... no dia em que eu te conheci, eu pensei que você fosse só um idiota que estava vagando por aí sem nada pra fazer. E você era mesmo. – todos riram novamente – Mas então nós... fomos nos conhecendo um pouco melhor e... fomos construindo juntos algumas coisas e passamos por tantas coisas estranhas que ninguém aqui acreditaria se contássemos. Mas teve uma vez... Uma vez dentre outras que eu pensei que eu fosse te perder. E o mero pensamento de viver em um mundo sem você me deixou terrivelmente assustada. Eu não suportaria viver sem você, porque eu já amava você. E eu amo você! Eu te amei ontem, te amo hoje e te amarei amanhã e até o fim dos tempos. – ela respirou bem fundo antes de continuar – Durante a infância e a adolescência, eu vi meus pais e como eles são felizes e perfeitos um para o outro e... eu, por um tempo, vivi a ilusão de um dia me casar com o meu amor verdadeiro. Só que eu aprendi mais tarde que só porque você vem de um amor verdadeiro, não significa que você encontrará o seu. Mas, graças a você, eu encontrei. E eu estou aqui diante dos meus pais, irmãos e irmãs e pessoas que fazem parte das nossas vidas pra te dizer o quanto eu te amo e o quão importante você é pra mim. Você é meu melhor amigo, meu refúgio na tempestade, é o amor da minha vida e com quem eu quero passar o resto dela.

O grupo musical começou a tocar uma música muito conhecida e os irmãos mais novos de Emma entraram carregando as alianças em uma almofadinha vermelha e dourada que tiveram que entregar para Liam, que iria ficar ao lado do padre e dizer a última parte do ritual.

- Você, Killian Jones, aceita essa mulher como sua esposa para amá-la, respeitá-la e ser-lhe fiel na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença até que a morte os separe? – Liam olhava para mim como se dissesse “se não aceitar eu mando cortarem sua cabeça”.

- Aceito.

- Ótimo – ele deixou escapar, fazendo todos rirem mais uma vez – E você, Emma Swan, aceita esse homem como seu marido para amá-lo, respeitá-lo e ser-lhe fiel na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença até que a morte os separe?

- Aceito – Emma respondeu sem tirar os olhos de mim.

- Tem certeza? – Liam perguntou baixinho, fazendo ela rir.

- Tenho – ela respondeu no mesmo tom.

- Então, pelo poder concedido a mim como Rei de Seaphire, eu vos declaro marido e mulher. Pode beijar a noiva.

Puxei Emma pela cintura e uni nossos lábios, matando a vontade que estava me corroendo desde ontem à noite.

Todos começaram a aplaudir, mas foi como se nós estivéssemos sozinhos naquele momento especial. Nossos olhos não se desviavam e nossas mãos permaneceram unidas. Marido e mulher. Finalmente.

- Eu te amo, esposa – sussurrei.

- Também te amo, marido.

Nos beijamos mais uma vez e, a cada vez que nossos lábios se tocavam, eu tinha mais certeza de que fiz a escolha certa.


Notas Finais


Então povo... chegamos ao fim da nossa fanfic. Eu poderia fazer um epílogo narrando oq aconteceu depois e talvez eu até vá, mas eu n dou certeza. Por enquanto é isso mesmo.
Meu mais sincero obrigada a todos vocês por lerem a fanfic.
Um beijo e um queijo para todos. Tchauu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...