História Forbidden. - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber, Lucas Till
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Arthur Gosse, Beliebers, January Jones, Justin Bieber, Lucas Till, Michael Madsen
Visualizações 97
Palavras 1.380
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - O Peso da Culpa



CAPITULO NOVE 


Ethan POV


Sam e eu havíamos combinado de nos encontrar em um bar qualquer. Precisávamos colocar alguns assuntos e estratégias em dia, como sempre fazíamos em nosso tempo livre. É praticamente uma regra, se queríamos conquistar nossos objetivos, precisávamos de planejamentos.


E, depois de quase meia hora esperando, ele finalmente resolve adentrar as portas do barzinho, com seu patético agasalho do Batman. 


— Até que enfim, eu não aguentava mais ter que usar as redes sociais como alternativa pra passar o tempo. —  eu disse aliviado. Esperar por pessoas nunca foi meu forte. 
—  Por que? —  Sam perguntou e logo tomou seu lugar.
—  Aquela garota que eu te falei, a Emily, ela não para de me mandar mensagens. — digo revirando os olhos. 
—  É o preço que você paga por fazer as garotas de idiotas. 
—  Qual é Sam, você nunca se importou... — eu disse em meio a risos egocêntricos.
—  Você sabe da sua irmã? Estou mandando mensagens no celular dela desde ontem, mas ela não me responde. — ele disse enquanto checava algo no celular, provavelmente se havia respostas.
— Como assim? — o indaguei franzindo o cenho. — Por que quer saber dela? — acrescentei descontente com o comentário de Sam. 
—  Se você não sabe, eu e sua irmã somos amigos agora. E eu me preocupo com ela, ao contrário de você. — ele retrucou. 
E então, eu cai na gargalhada quando percebi a suposta queda de Sam para com Elizabeth.
—  Isso é sério? — eu digo ainda rindo muito. —  Você está interessado nela? 
— Não Ethan, somos apenas amigos. — ele responde impaciente.
— Não cara, eu sei quando um homem está interessado numa mulher. Eu sou homem Sam, esqueceu? 
— Isso não importa agora Ethan. Eu apenas quero saber se está tudo bem com a Liz. — seu aspecto havia mudado. Sam parecia realmente muito preocupado.
—  Liz? Agora você a chama assim, com toda essa intimidade? 
—  Você não muda mesmo não é? Até num momento como esse você não deixa o seu egoísmo de lado. — Sam perde a linha e revoltado levanta-se para ir embora. 
—  Aonde você vai? — eu o questionei.
—  Até a sua casa. Talvez seus pais sejam pessoas altruístas. — ele refutou e saiu as pressas do local. 
— Faça o que quiser! — gritei. — Eu vou ficar por aqui. 


Elizabeth POV


Depois da visita inédita de uma mediadora imprudente como Elena Parker era, ou pelo menos ao meu ver, eu me tranquei no meu supositório quarto e passei grande parte do  tempo lá, entre os lençóis e com os olhos fixados no teto. 
— Quanto tempo pretendem me deixar presa aqui?  — perguntei a um dos homens que estava parado rente a porta.
—  Tempo o suficiente para as coisas voltarem a seu devido lugar. — respondeu rapidamente.
—  O que, exatamente? — eu perguntei curiosa. O teto mofado já não tinha mais minha atenção, agora ela estava integralmente centrada no homem a minha frente. 
—  Me desculpe, mas Justin não nos permite dar este tipo de resposta, senhorita. 
—  Que ótimo. — suspirei inconformada. — Será que você poderia pelo menos me trazer água? 
—  Claro. — o guarda assentiu e saiu.
Foi o momento exato para saber mais sobre o garoto Justin Bieber. Eu soube que seu escritório ficava de frente para meu quarto; o que descobri através de um dos homens da soldadesca. Aparentemente não ficava trancado e era o único cômodo sem câmeras instaladas. 
— Respira fundo Elizabeth. — ciciei para mim mesma antes de adentrar o compartimento.
O local parecia um pouco abandonado, devido a quantidade de poeira que encontrei sobre os móveis. A cortina baixa impedia que a luz entrasse pelas janelas gigantescas de vidro e madeira. E a quantidade absurda de livros e papeis espalhados por todo o espaço, deram-me uma única certeza, não seria fácil.
Decidi começar por todas as gavetas, incluindo aquela mais empoeirada com vestígios de teia de aranha por toda parte. Justin era um grande colecionador de lixos; guardava muitos documentos antigos e coisas do tipo, sem valor algum. 
Foi quando uma caixa velha em cima de uma mesa de canto, me chamou a atenção. Ela parecia não ter sido aberta muitas vezes, pois estava muito empoeirada. Dirigi-me até ela e soprei para remover o pó que estava sobre esta. Dentro da caixa, haviam várias pastas separadas por ordem alfabética e muitas delas aparentavam estar ali há anos. 
— Ele é realmente muito estranho. — falei baixo enquanto encarava aquela fila de pastas agrupadas. 
— Acho que não tenha nada que seja do seu interesse, ai, nessa caixa. — uma voz muito familiar soou por detrás de mim. Tive dificuldade para virar e o encarar, seus olhos faiscavam e seu aspecto sério e braços cruzados me causavam um certo receio. — Vá em frente, se acha que eu estou errado. — ele advertiu dando de ombros. Justin Bieber estava parado a minha frente esperando uma iniciativa minha, negativa ou positiva, eu teria de me manifestar. E eu decidi acabar de vez, com todos os segredos. 
— Me fala tudo. — falei confiante.
Ele me lançou um olhar malicioso e se aproximou. 
— O que quer saber exatamente? — indagou-me com as mãos no bolso. 
— Tudo. — respondi de bate-pronto. — Sobre você e Ethan, meus pais, essa ideia maluca de me manter presa aqui. — disparei e quase tropecei em minhas próprias palavras. Eu suspirava fundo enquanto Justin me olhava indiferente. 
— Elizabeth, minha linda. — num gesto cuidadoso, ele coloca uma mecha de cabelo atras de minha orelha. — Não sou eu quem te deve essas respostas. — contestou Justin. 
— Pelo menos o porquê de eu estar presa aqui, você me deve. — refutei irritada. 
— É justo. — ele suspirou abnegado. — Fazemos assim, você toma um banho, come algo e vai para cama dormir. Amanhã falamos nisso. Irei te levar para um passeio, vamos precisar de tempo e paciência para esclarecer tudo. — Bieber me olha, decidido. 
— Se eu não tenho outra opção. — dei de ombros. 
— Sabe que não. — ele reforçou. 
— Ótimo. — pronunciei antes de o deixar a sós, após abandonar o escritório. 
Após aquela conversa, eu fiz exatamente como combinado. Tomei um banho quente, comi algo e fui para a cama, onde adormeci.


Ethan POV
— Onde estava? — papai me pegou de surpresa assim que pisei o pé em casa. 
— Calma. — levantei os braços como redenção no mesmo tempo em que gargalhava muito.
— Está bêbado? — indignada, mamãe indagou.
— É, ele está. — Sam, que estava ao seu lado, manifestou-se. 
— Por que você ainda está aqui? — eu o indaguei.
— Sua irmã desapareceu, Ethan. — papai respondeu por intermédio dele. 
— O que? Como assim? — eu adentrei o local e bati a porta logo atrás de mim, um pouco espantando com o que eu tinha acabado de ouvir. — A Liz desapareceu? — eu perguntei ainda não acreditando no que acontecera. 
Todos eles, incluindo Sam assentiram com a cabeça. 
Eu corri para os quartos e procurei Liz por toda parte, desesperado, eu sentia como se tudo aquilo estivesse acontecendo por minha culpa.  — Ethan. — mamãe veio para me acalmar.
— É tudo minha culpa. — eu pude finalmente parar de correr de um lado para o outro e me estirar sobre a cama. 
— Não é culpa sua. — papai, que também estava parado na porta, aproximou-se e sentou ao meu lado. 
— Nós vamos encontrá-la. — Sam acrescentou da porta. — Vocês são os melhores agentes e policiais que eu já conheci. Isso não é um problema para os Stonebern. — ele disse e meus pais concordaram. 
— Não podemos deixar que aquele desgraçado faça o que bem entender com nossa família. — eu vi papai ranger os dentes. 
— Você vai encontrar a nossa Liz. — mamãe disse e se aproximou. Sua mão estava sobre meu ombro, ela me passava calma e confiança.
— Você só precisa descansar um pouco. — Sam protestou. — Até porque está meio embriagado.
Meus pais riram. 
— Eu concordo plenamente. Melhor ir descansar um pouco, amanhã resolveremos isso. — disse meu pai. 
— Eu vou fazer isso. — eu disse e me levantei. Sam me abraçou de lado e fomos todos para fora do quarto. 
— Que família perfeita. Devo dizer, quase perfeita, pois falta um membro. 
— Elena, o que faz aqui? — papai questionou surpreso. — Como conseguiu entrar? 
— Virgínia e eu sempre fomos boas amigas, não é? — Elena a encara de canto com um sorriso forjado no rosto. 
— O que você quer? — eu pergunto já impaciente com seu showzinho. 
— Era a pergunta que eu estava esperando. — ela disse e sorriu perversa. 
Nós entreolhamo-nos e assustados, permanecemos quietos e aflitos enquanto Elena ainda sorria como um vilão malvado. 


O que ela queria dessa vez?


Notas Finais


Expressem suas opiniões através de comentários e seu amor ao favoritar a Fic.
Confiram o trailer: https://www.youtube.com/watch?v=YFKTPxkb2JM&t=18s
Beijos de luz ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...