1. Spirit Fanfics >
  2. Forbidden Fruit >
  3. XVIII - Disputa de Verdades

História Forbidden Fruit - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Olá caros leitores, trago novidades de FF, preparados?

Então, hoje segue o desfecho em que Jiyeon vai receber a visita do assistente social e de quebra, interações com JK e seus amigos da banda.

Espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 19 - XVIII - Disputa de Verdades


Fanfic / Fanfiction Forbidden Fruit - Capítulo 19 - XVIII - Disputa de Verdades

Jewel seguiu a noite, com uma refeição de boas-vindas no apartamento ao lado de Hoseok, Jimin, Taehyung e Jungkook. Eles eram afetuosos, mas a tensão perdurava entre ela e o moreno de olhos grandes. 

Já o bebê Song, provavelmente foi o mais animado da noite, visto que ser paparicado por três homens tatuados, era no mínimo cômico e... fofo. Porém a diversão acabou enfim.

- Se precisarem de qualquer coisa, chamem. - advertiu Jung, com ar de preocupação. Ele era de fato, muito amável.

- Obrigada. - agradeceu a loira em reverência e despedindo-se de todos, inclusive de Jeon, suspirou pensativa.

Sua realidade parecia tão absurdamente insana à aquele ponto, que nada lhe surpreendia. Estava à flor da pele sob todos os aspectos e pensar que mesmo em harmonia com os rapazes, sua mente jamais se desligava de Hyunjae ou da partilha de guarda por Jaeho.

E este processo estaria prestes à ter início, dado que no dia seguinte, o tal assistente social viria e com isso, a ansiedade se manteria latente na estrangeira ali deitada, com um pequeno já adormecido e ressonando sereno, tão diferente de si, felizmente.

Teria de se organizar com o básico de sobrevivência numa residência, para a dita visitação do profissional de justiça e claro, os meninos já haviam pensado em tudo e a mobília, alguns utensílios e televisão estavam dispostos temporariamente. Jewel precisava agradecer à aqueles quatro com toda a sua sinceridade, pois realmente não sabia o que seria de si, sem eles.

[...]

A segunda tão temida havia chegado, em uma manhã resplandescente de sol e calor, além de todo o alvoroço da Hannes em preparar-se fisica e psicologicamente, para o encontro.

E com isso, uma insônia já era prevista, apenas evidenciando sua aflição para todos que fitassem seu rosto cansado. Mas de fato, não era mais importante que ter Jaeho, este no berço com a chupeta e o olhar curioso na nova residência improvisada.

Andando de um lado à outro da pequena sala, Jewel mal engoliu o café matinal e apenas aguardou com paciência até que o interfone enfim soasse, anunciando o visitante à subir, após ser permitido.

E por mais que mil coisas passassem na cabeça da jovem feito um filme, assim mesmo, trêmula e temerosa, abriu a entrada quando a campainha tocou, se deparando com um homem pálido de estatura mediana e olhos pequenos.

Ele segurava consigo uma prancheta, tinha madeixas escuras que contrastavam em perfeição com a pele clara, além de roupas sociais bem ajustadas e um ar muito sério, apesar da aparência jovial.

- Bom dia. Senhora Hannes? - certificou-se solícito.

- B-bom dia. Sim, sou eu. - afirmou tentando transmitir a calma que não tinha e falhando num gaguejo atropelado. 

- Muito prazer, sou o assistente social da jurisdição governamental da Coréia do Sul e venho para lhe fazer uma entrevista social. Posso entrar? - perguntou educado com sua voz grave e levemente enrouquecida.

- Claro. - permitiu a loira, mordendo os lábios com certo nervosismo e assim que o homem entrou, pôs-se à estudar todo o local, afinal... era isso que ele faria: estudar de forma invasiva e detalhada, se Jewel teria condições de criar o pequeno menino.

Mesmo que em suma, o apartamento não tivesse tanta área ou conteúdo para ser olhado, ele manteve-se entretido nas paredes, nas janelas, corredor e cozinha, para então voltar-se à mais nova com semblante intacto.

- Me chamo Min Yoongi, à propósito. - cumprimentou sucinto.

- Jewel Hannes. - devolveu em reverência polida.

- Então, você é americana? - começou interrogativo.

- Sim. - assentiu em concordância.

- Fala o idioma fluente? - emendou afiado.

- Sim. - novamente afirmou.

- Ótimo. Onde se encontra seu filho, Song Jaeho? - interrogou atento. O pequeno tinha sim o sobrenome Song, mas apenas por consideração, já que o dito pai não o registrou e isso seria outra das coisas que Jewel faria questão de anular da vida de seu indefeso filho: ele seria apenas Hannes se tudo corresse bem.

- Aqui. - elucidou rumando ao corredor, onde adentraram o quarto e havia o berço, logo ao lado da cama principal. E nisso, Yoongi avaliou-o com olhos astuciosos o serzinho frágil. Talvez averiguando as condições do próprio.

- Ele é uma graça. - comentou num sorriso gengival. Por incrível que pudesse parecer, ele se mostrava adorável, apesar de não ser e logo... - Se importa de responder algumas perguntas, senhora Hannes? Será breve. Apenas alguns dados pessoais seus e dele, seu trabalho, família, personalidade e convívio com o pequeno. Além claro, do seu relacionamento com o senhor Song, que foi quem solicitou o processo. - verbalizou por fim.

- É claro, eu estou à seu dispor. - a loira concordou em aceno.

- Perfeito. - ditou o homem, saindo do cômodo.

E breve, até foi. Porém toda aquela série de perguntas desagradáveis de responder se tornavam demorosas. Começando por muitos dados, alguns ainda não registrados, ele perguntou de tudo, absolutamente. 

Não poupou detalhes, parecia entrépido e ávido por respostas e reações, além de ser observador, encarando-a como se buscasse a alma e se persistisse muito, talvez conseguiria.

E como se não fosse o suficiente aquela invasão de toda sorte de questões, depois também pediu para avaliar a casa, perguntando o que a mais jovem tanto temia responder, sem tremer ou se sentir péssima, no ponto crucial de possível baixa de "pontos" contra Hyunjae.

- Casa alugada ou própria, senhora Hannes? - indagou firme.

- A-alugada, por amigos. - refutou baixo.

- Amigos, ok. Eles possuem algum vínculo com Jaeho? - inquiriu em seguida e tudo estagnou na mente da jovem.

- C-como? - repetiu incerta.

Hein? Que história era aquela de vínculo? Aquilo era relevante ao caso? Impossível que fosse, nunca ouviu falar de tal coisa.

- Quero dizer se eles tem relação estreita com você e seu filho, já que... são amigos. - retratou segurando a caneta nos dedos finos, à espera.

- Não, quer dizer... eles me ajudam, mas nada. - retrucou confusa. Céus, aquilo era constrangedor e desastroso.

- Algum deles foi seu amante na relação extraconjugal que teve? - soltou sério, nada sutil.

E se antes, aquilo parecia infernal. Agora... chegava à ser ridículo.

- Desculpe, mas isso... - tentou questionar, mas...

- Entendo que não queira responder, mas estou cumprindo meu trabalho, senhora. Seu ex marido notificou-nos de que você se relacionou com outra pessoa e esta teve influência direta na relação dele consigo e com a criança, sendo assim... - ergueu os ombros, como se explicasse tudo com o gesto.

Hyunjae havia mentido, era tão óbvio. Inventou uma sequência de acusações absurdas, para que Jewel fosse encurralada neles pelos fatos reais e assim, com seu nome e riqueza, tivesse sucesso. 

Era previsível seu jogo perverso, tendo em vista que esse tipo de coisa, se provado, realmente tiraria uma tutela materna, contudo a ex esposa estava decidida à não deixar isso ocorrer e conquanto...

- Não foi nada disso. Eu tive sim um envolvimento amoroso fora do matrimônio, mas ele não interferiu em nada na criação do Jaeho e muito menos no relacionamento pai-filho, já que Hyunjae sequer quis ver nossa criança. - Jewel disparou determinada. Se era "guerra", usaria suas "armas".

- Muito bem. - o mais velho anotou as informações de forma precisa e logo ergueu a fronte num respirar fundo, totalmente rígido. - E você faz uso de bebidas alcoólicas ou drogas ilícitas? - inquiriu em seguida.

- N-não. - negou ligeiramente indignada, mas preferindo crer que era apenas uma pergunta como as outras e de suma importância, é claro.

- Isso é tudo por hoje. Voltarei na próxima semana, passar bem. - o moreno ergueu-se de súbito, numa despedida estranha e logo saiu, para o alívio completo de Hannes.

Aquilo foi tão categórico e ruim. Se as coisas seguissem naquele rumo, iria perder o filho? Hyunjae havia contado coisas horríveis à seu respeito, precisava portanto, provar o contrário.

[...]

Mais tarde

Os meninos haviam saído bem cedo para um ensaio com sua gravadora e chegaram em meados da noite no dormitório da mais nova, trazendo consigo quatro pizzas e muita animação, tudo que Jewel precisava mesmo.

- Ele disse tudo isso? - Hoseok bradou irritado com o relato dado pela jovem, sobre Yoongi e as perguntas.

- Sim. - afirmou num suspiro.

- Céus, que cara azedo! - Jimin logo comentou numa careta.

- Pasmem, ele era tão pálido quanto um cristal de açúcar. - brincou a loira e todos riram, mas Jeon pareceu recluso como usual, se limitando em comer silencioso.

- As aparências enganam afinal. Mas não se incomode, Jewel. Ele está fazendo seu trabalho e como seu ex não ajuda nas mentiras deslavadas, enfim. Mas mudando de assunto... Sohye disse que virá te ver na folga dela, viu?! Prepare os ouvidos, ela vai reclamar muito de Jimin pra você. - Jung zombou sob os protestos do mencionado e o clima pareceu ficar divertido por certo tempo, entretanto...

- Falamos com o advogado e ele virá falar com você na próxima semana. - a voz mais que séria de Jungkook ressoou, fazendo todos cessarem as risadas.

- Que? - Jewel se levantou atônita.

- Por sorte, ele abriu exceção à você. Será que ele está apaixonado? - ironizou Taehyung causando uma nova onda de risos com Jung e Park, mas pela segunda vez, Jeon fechou a cara, soturno.

- B-bobagem, ele deve ser realmente uma boa pessoa e... qual o nome dele? - Jewel tentou contornar a situação, sentindo-se levemente assustada pelas feições frias de Jungkook, porém...

- Veja que coincidência. Song Hyunbin. - comunicou Hoseok simplista.

Não, não poderia ser a mesma pessoa. Era impossível, certo? O nome era comum, não poderia ser justamente... o irmão de Hyunjae.


Notas Finais


E aí, gostaram? Se sim, comentem. Quero saber o que se passa nessas mentes :)

Bom povo, o próximo teremos mais detalhes de toda essa treta aí com o irmão do Hyunjae ser o advogado. Ah, e claro, mais Yoongi, porque sim.

É isso, beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...