História Forbidden Love - Kim Namjoon (HIATUS) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Aluna, Bangtan Boys (BTS), Forbidden, Kim Namjoon, Professor, Teacher
Visualizações 30
Palavras 1.340
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sem palavras, hoje...

Capítulo 5 - Chapter Five


Fanfic / Fanfiction Forbidden Love - Kim Namjoon (HIATUS) - Capítulo 5 - Chapter Five

— Mas ele disse que não gostou?  

— Hoseok, ele disse que não importa a vagina e que sempre vai gozar — disse-lhe novamente pela milésima vez.

— Mas ele disse que não gostou?! — Yoongi repetiu a pergunta de seu namorado.

Me virei irritada para ele e joguei a almofada no mais velho, que estava sentado em minha cadeira que ficava presa ao teto e suspensa no ar e não conseguiu desviar.

— Qual o seu problema? Virou gravador do seu namorado ou vocês são surdos?

— Garota, eu vou te jogar dessa janela se você não me respeitar.

Quase me escondi atrás do Jung ao ver o olhar de Yoongi. Eu não duvidava nada de que ele poderia levantar dali e sair me arrastando pelos cabelos sobre o chão do quarto e me jogar da janela. Eu morreria antes mesmo de ser tocada por ele.

— Yoongi, baixa essa bola de Oppa vai — o Jung lhe disse em tom cansado. Eles andaram brigando?

— Vocês...

— Yerin — Yoongi disse em tom de aviso e eu me calei.

Levantei da cama e fui até minha mesinha de estudos, pegando meu celular em seguida. Havia algumas mensagens de Taehyung, meu outro primo, e eu fiquei até que surpresa. Fazia alguns meses que não nós falávamos pelo fato de que ele me acusou de estar transando com o seu pai.

Sério, eu tive que rir quando ele disse aquilo e depois o mandei tomar no cu. Não era só porque o casamento dos pais dele estava indo para o ralo que eu era amante do pai. Era bom saber que eu tinha uma linda reputação entre minha família.

— Vou precisar sair, casal.

— E o seu pai vai deixar? — Hoseok me questionou.

Desde o dia do tapa e do Namjoon, eu fui proibida de sair de casa pelo motivo de ter me recusado a sair com Donghyun. Ele é um dos herdeiros das maiores empresas da Coréia e nosso namoro beneficiava muito nossas famílias. Devo dizer que meu pai ficou muito decepcionado quando lhe disse que havíamos terminado.

Nem mesmo ir ao colégio eu estava sendo permitida. Jungkook já me mandou várias mensagens preocupado e eu soube que meu pai havia dito para o diretor que eu estava doente.

— Eu posso aderir a ideia do Yoongi e pular a janela.

— Te garanto que não vai funcionar, gata — Yoongi mandou-me um beijo no ar.

Dei risada e terminei de me trocar, guardando meu celular no bolso. Arrumei meu cabelo e suspirei vendo meu reflexo no espelho. O machucado já havia sumido, mas havia deixado uma pequena cicatriz que poderia ser percebida se olhasse com atenção.

— Mas o que você vai fazer mesmo? — Hoseok me indagou novamente. Ele havia se esparramado por minha cama e agora mexia em meus livros novos que estava sobre a mesma.

— Eu já fui liberada, né? Não daria uma de espiã russa e fugiria, apesar da ideia ser muito tentadora.

Me despedi do casal e sai do quarto, deixando a casa logo em seguida. Eu peguei um táxi em uma avenida perto da mansão e lhe disse para levar-me até o shopping. No cominho, eu pensei em diversas formas de matar Taehyung quando o visse.

Somos próximos desde a infância, diferente de Yoongi e Hoseok que só me aproximei mais depois que Jimin foi para o exército, mas a raiva que nutri dele depois do que me acusou ainda está aqui. Talvez uns bons tapas nele quando o ver apaguem minha raiva.

— Pela sua cara, está pensando em formas de me matar.

— Impressão sua, amado — disse-lhe sorrindo cínica.

Ele riu e entrelaçou meu braço ao seu, antes de começar a me puxar pelo shopping. Ele me contava o que havia acontecido na sua vida durante esses meses e eu assentia, totalmente desinteressada, até que ele falou algo que me fez olha-lo surpresa.

— Espera... Você saiu de casa?!

— Sim, eu entendi o que acontecia de verdade lá — deu de ombros. — Aliás, me desculpa pelo o que disse. Eu estava com raiva e acabei descontando em você.

Dei de ombros.

— Tudo bem, Oppa — disse sorrindo. — Eu esqueci por hora a vont...

Minhas palavras sumiram da minha boca ao ver a cena que rolava a alguns metros de nós. Namjoon andava de braço entrelaçado com uma garota que me era vagamente familiar.... Diana Carpentier!

— Oh, Diana — Taehyung disse ao olhar na mesma direção. — Ela não é a filha de um dos sócios franceses do seu pai?

— Sim, exatamente. Mas o que ela faz aqui?

— Eu a vi no aniversário do seu pai — ele deu de ombros. — Aliás, ela estava com aquele mesmo homem.

A garota do exorcista teria inveja da virada na cabeça que dei ao ouvir Taehyung pronunciar aquelas palavras.

— Tem certeza de que é o mesmo homem?

— Sim, eu os vi saindo juntos um tempo depois do seu show.

Tentei não demonstrar que fiquei afetada por suas palavras, mas acho que minha careta me denunciou. Taehyung me virou para ele e colocou a mão no meu rosto, fazendo um pequeno carinho.

— Tem algo para me contar, não?

— Você não faz ideia de quanta coisa aconteceu, Taehyung.

Lhe puxei para um café que havia no shopping e fizemos nossos pedidos antes de eu começar a lhe contar tudo o que havia acontecido comigo. Foi entre as mordidas de um croissant e outro que Taehyung começou suas perguntas sobre Namjoon.

— Mas ele disse que não gostou?

— Por que é que todo mundo me pergunta isso? — perguntei alto, já irritada, chamando a atenção para nós. Respirei fundo e massageei minhas têmporas. — Não, ele não disse.

— Exatamente, Yerin — Taehyung tomou seu chá. — Ele apenas clamufou o fato de ter gostado em algo que sabia que lhe deixaria com raiva. Vocês ainda tem muito caminho pela frente.

Lembrei-me do que havia visto mais cedo no shopping e suspirei.

— Eu não tenho tanta certeza assim... — Sussurrei para mim mesma.

No final da tarde, Taehyung me deixou em casa com seu audi r8 prateado e logo seguiu para seu apartamento em Gangnam. Equilibrei as sacolas de compras em meus braços e adentrei a mansão, subindo as escadas lentamente.

— Yerin.

Parei no meio da escada ao ouvir a voz de meu pai pronunciar meu nome de seu escritório. Suspirei e voltei a descer as escadas, deixando as bolsas no sofá de couro. Caminhei calmamente até o escritório e adentrei o mesmo, surpreendendo-me ao ver minha mãe e Namjoon ali.

— Ok, eu fiz algo de errado que não fiquei sabendo?

— Não, querida — minha mãe disse e eu quase lhe perguntei se estava bem. — Sente-se.

Eu me sentei em uma das cadeiras que haviam em frente a mesa do meu pai e senti minha mão tremer levemente. Coloquei uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha e sorri fraco.

— Olha, se isso é pelo fato de eu ter saído com o Taehyung, vocês já tinham me liberado para sair...

— Não é isso, Yerin — meu pai me interrompeu. — É sobre sua educação.

Nesse momento, eu olhei para Namjoon. Será que eles haviam ficado sabendo sobre o ocorrido? Não era possível... Ou era?

— O que há sobre minha educação? — tentei não demonstrar meu nervosismo.

— Bom, eu e seu pai conversamos — disse minha mãe. — E tomamos uma decisão sobre seus estudos.

— Que seria...?

Ergui a sombrancelha e fiquei a espera de uma resposta. Aliás, o que Namjoon tem haver com tudo isso?

— Você irá terminar seus estudos no exterior — meu pai disse, me surpreendendo. — Daqui a três meses, você estará embarcando para o Estados Unidos e estudará em um importante colégio de elite.

— Como...?

— Namjoon será seu professor particular de inglês e lhe preparará para a vida na América.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...