História Forbidden Love - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Justin Bieber, Ryan Butler
Tags Amor Proibido, Justin Bieber, Padrasto, Romance
Visualizações 4.128
Palavras 2.837
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiiiii! Não me matem! Eu expliquei o pq fique sem postar né? Então, minha internet voltou a alguns minutos, e estou aqui escondido, pois minha mãe não quer mais qe eu entre aqui ou no twitter, tradução, ela quer acabar com a minha vida ¬¬' Mas enfim, esse capitulo ficou MUITO hot... Eu sei qe vcs gostam suas safadinhas! haha' Espero que vcs curtam, e se rolar bastante comentário, como no capitulo anterior (eu quase morri com aquele nº de comentários) eu juro postar bem rapidinho... Já até tenho o próximo capitulo meio pronto... Depende de vcs! Obrigada suas divas, e mergulhem nesse capitulo impróprio! hehe'

Capítulo 19 - Party!


Fanfic / Fanfiction Forbidden Love - Capítulo 19 - Party!

- Bora se arrumar Anne. Hoje você e o Justin vão trepar muito. - falou e eu arregalei os olhos.

  - Como Jullie Stanford?

  - Você acha que eu não saquei o clima, e não vi o selinho. Sem contar a musica bafo que você fez pro gato né amiga! - ela disse me fazendo rir. As vezes ela age como uma bicha louca!

  - Isso não muda o fato de que não vai acontecer nada entre a gente. Eu já tenho namorado.

  - Que não esta aqui no momento. - falou. - Quem não da assistência abre concorrência.

  - Nossa, tenho dó do Chaz. - falei revirando os olhos e seguindo pro banheiro para tomar um banho.

 

E que essa noite seja especial...

...

  Terminamos de nos arrumar por volta das 22h00min, e ficamos esperando os meninos. Eles eram pior que a gente para se arrumar. Ao que tudo indica Ryan não irá, por causa da Jennie, claro, e eu acho que os meninos devem estar tentando convencer ele. Minha mãe me ligou e disse que passaria a noite fora, e que era para eu tomar conta de Justin. Da para acreditar? E isso foi o suficiente para Jullie começar com as piadinhas de que eu realmente vou cuidar do Justin e tudo mais. Se depender de mim, eu não vou ficar com ele. Chega de coisa errada. Eu estou com o Joe, e é com ele que eu pretendo ficar, é tão difícil de compreender? Acho que não. Sem contar que trair minha mãe, a pessoa mais importante do mundo para mim, é errado... Muito errado!

  - Chegamos! - Justin gritou adentrando a casa.

  - Nossa, que demora. - reclamei.

  - Anne, querida, se você não sabe nossos apartamentos ficam do outro lado da cidade, sem contar que estávamos tentando convencer Ryan a vir. - Chris informou e eu sorri falsa.

  - E pelo que eu vi nem isso conseguiram né? - Jullie perguntou, ao perceber que Ryan não estava junto a eles.

  - Ele realmente gosta da Jennie. - Justin falou.

  - Isso é ótimo. - falei. - E Bieber, minha mãe quer que você se comporte e seja um bom garoto nessa balada. - falei debochada e todos riram da cara dele.

  - Nossa, que fofa você. - ele disse sarcástico.

  - Sei que sou. - mandei um beijo no ar para ele, que revirou os olhos.

  - Vamos? - Jullie perguntou e todos assentiram.

Íamos em carros separados, pois não caberia todo mundo no mesmo. Eu fui com Jullie e Chaz em um, e Justin e Chris em outro. Assim que chegamos à balada fomos direto para o bar. Pelo menos eu a Jullie, e o Justin, porque os outros foram atrás de mulher. Pedi uma vodca, assim como Jullie, já Justin pediu uma dose de Uísque, se não me engano.

  - Vamos dançar? - Jullie gritou em meu ouvido.

  - To cansada. - falei e ela revirou os olhos.

  - Aff, sua velha! - xingou, seguindo para a pista de dança e me deixando no bar sozinha, com Justin.

  - Cansada do que Anne? - ele perguntou virando outro copo.

  - Cansada ué! Hoje foi um dia exaustivo. - Falei séria.

Pedi outro copo da bebida e o virei. Eu já estava acostumada com a ardência, então nem me incomoda mais.

  - Muito nova para beber Winks. - ele disse divertido.

  - Idade é apenas um número. - dei de ombros.

  - Ok. - disse rindo.

Fiquei ali no bar bebendo e conversando com ele durante um bom tempo. Acho que vocês já sabem que eu sou fraca pra beber né? Então, eu já estava quase caindo, apenas com alguns copos de vodca e algumas doses de uísque, e Justin nem parecia que tinha bebido ainda. Eu odeio isso. Já estava sem controle de mim.

  - Bieber, vamos dançar. - falei o puxando pela mão e seguindo para a pista de dança.

Ele colocou suas mãos em minha cintura e eu comecei a rebolar junto a musica animada que tocava. Desci até o chão e subi empinando a bunda, colada ao seu corpo. Eu não estava nem ai, iria o provocar. O porquê eu não sei, apenas sei que o quero, e vou provoca-lo até não aguentar mais. Fiquei de costas para ele e deixei nossos corpos bem colados, ele segurava minha cintura, e às vezes passava as mãos pelo meu corpo descaradamente, pus minhas mãos em seu pescoço e comecei a dançar sensualmente. Ele começou a beijar meu pescoço e dar alguns chupões pelo mesmo, suas mãos foram até meus seios e os apertaram de leve, me fazendo arfar. É assim? Ótimo!

Passei minha bunda por seu membro, que já estava animado e ele arfou em meu ouvido.

  - Anne, para de provocar. - sussurrou mordendo minha orelha de leve.

Virei-me de frente para ele e sorri.

  - Eu? Provocando? Claro que não. - falei esbarrando nossos lábios.

  - Que tal irmos para um lugar mais vazio. - Ele disse com os olhos fechados, enquanto eu beijava seu pescoço.

  - Acho melhor não. - falei próximo ao seu ouvido, o fazendo se arrepiar.

Afastei-me um pouco e ri fraco da cara de frustração que ele estava. Comecei a dançar no meio daquele povo todo. Dançava loucamente, como se o mundo fosse acabar. Acho que beber é algo perigoso para mim.

Juntei-me a umas meninas, que nunca vi na vida, elas pareciam putas, mas sinceramente? Eu não estava nem ai, apenas queria dançar. Senti mãos agarrarem minha cintura e sorri safada, pelo cheiro daquele perfume inesquecível, só pode ser ele. Rebolei intensamente, colada ao corpo de Justin, e senti sua ereção. Ual, só com algumas coisinhas ele já fica assim? Bom saber! Virei-me para ele e ele sorriu me fitando.

  - Anne. - murmurou totalmente perdido.

  - Vamos para casa. - Beijei seu pescoço e arranhei seu abdômen de leve.

  - Vai demorar muito. - ele sorriu malicioso, acho que eu entendi o que ele quis dizer... - Vem. - ele pegou minha cintura e saiu me puxando até o lado de fora da boate. 

O segui rindo, feito idiota. Realmente a bebida subiu rápida a minha cabeça. Enquanto caminhávamos pelo estacionamento eu ia beijando seu pescoço e o provocando. Ele abriu a porta de trás do carro e eu entrei. Não sabia como agir, nunca transei em um carro, ou qualquer lugar diferente, mas acho que Justin sabia bem como agir. Ele entrou no mesmo e fechou a porta, e veio para cima de mim, beijando meu pescoço e dando chupadas. Um calor insuportável me tomava e eu necessitava dele urgentemente. Tirei sua jaqueta de couro caramelo, e logo em seguida sua camiseta, deixando seu abdômen definido à mostra. Sorri de canto. Ele tirou minha jaqueta e minha blusa e sorriu observando meus seios, cobertos pelo sutiã roxo.

  - Minha cor favorita. - falou.

Seus olhos transbordavam desejo e malícia, tinham um brilho diferente. Em segundos meu sutiã voou, e foi parar no banco da frente. Uma de suas mãos foi até meu seio esquerdo, enquanto seus lábios começaram a brincar como direito. Oh Meu Deus!  Que sensação dos deuses. Mordi o lábio comprimindo um gemido e me contorci um pouco. Justin sabia muito bem o que fazia ali. Deixei-o saciar-se ali.

  - Justin, preciso de você. - falei rouca.

Eu já me encontrava sem calça, apenas de calcinha. Já estava cansada de preliminares, necessitava dele dentro de mim. Em um movimento rápido, porem cuidadoso, para não cairmos do banco, subi em cima dele, e com um pouco de dificuldade tirei sua calça, o deixando apenas com uma Box preta. O volume em sua cueca era notável e me deixou mais molhada ainda. Abaixei a mesma e tirei minha calcinha, nos deixando totalmente nus. Seu membro se encontrava ereto e completamente duro. Levantei um pouco os quadris e sorri para ele, que observava cada movimento meu atentamente, e sentei em seu pau de uma vez, o fazendo tocar meu fundo. Gememos alto. Lentamente sai e sentei de novo. Comecei com movimentos lentos e provocantes, o vendo fechar os olhos e murmurar palavras sujas.

  - Anne, vamos fazer direito. - ele disse num fio de voz e segurou forte em minha cintura, a dor me excitou mais.

Começamos com movimentos rápidos e profundos, me fazendo ir ao céu.

  - Ohh Justin! Isso, mais rápido. - gemi.

Estava parecendo uma cadela no cio, mas não me importava, apenas queria ser dele, e o ter durante aquela noite. Conforme meus movimentos meus seios balançavam, e eu percebia Justin os olhar com cobiça. Peguei uma de suas mãos e a levei até os mesmo, e ele os apertou forte, me fazendo gritar de prazer. Enquanto uma de suas mãos segurava forte minha cintura, a outra brincava com meus seios. Eu já estava no meu máximo, apenas deixei as sensações me tomarem, e gozei. Eu podia perceber que ele tentava se segurar ao máximo para não chegar ao seu clímax.

  - Anne, não consigo mais... - gemeu e eu senti seu líquido me preencher.

Cai sobre seu peito, exausta. A única coisa que se escutava no carro era nossas respirações, pesadas e descompensadas. Por incrível que pareça, eu ainda queria mais, porem, não no carro. Levantei minha cabeça e o observei de olhos fechados, sorrindo. Sorri também e beijei seu pescoço. Levantei-me e fiquei sentada sobre ele, rebolando de leve. Nossos corpos ainda se encontravam conectados.

  - Ainda tem pique Anne? - ele abriu um dos olhos e levantou um pouco a cabeça.

  - Você não Bieber? - perguntei, pondo um dedo na boca, de maneira sexy, deixando meus cabelos cair para um dos lados, tampando parte do meu rosto, e com uma voz sexy.

  - Sempre tenho. - sorriu e mexeu o quadril.

  - Mas aqui não Justin. - Falei manhosa e ele riu fraco.

  - Provoca e sai fora?

  - Não quero mais transar no carro. - eu parecia uma criança.

  - Vamos para a sua casa. - ele disse se levantando, mas eu neguei.

E se minha mãe estiver lá?

  - Tracy. - falei baixo e ele entortou a boca, me fazendo rir fraco.

  - Já sei! - falou e sorriu para mim. - Já sei para onde vamos shawty. - piscou.

Levantei 'desconectando' nossos corpos, arrancando gemidos baixos de ambos, e peguei minha calcinha, que estava no chão do carro.

  - Onde esta meu sutiã? - pensei alto.

  - Prefiro você sem. - Justin disse mordendo os lábios, me fazendo corar e ele rir.

  - Idiota. - ri fraco.

Vestimos-nos e eu passei para o banco da frente. Logo estávamos a caminho da onde Justin me levaria.

  - Bieber, aonde vamos?

  - Já iremos chegar. - deu de ombros.

  - Justin, eu estou ficando excitada, e preciso transar. - falei um pouco embolado.

Acho que cada vez eu fico mais bêbada, e nem bebi tanto.

  - Anne, você falando assim não me ajuda. - ele riu fraco.

  - Vai logo Bieber! - falei irritada.

  - Que isso Winks. Tudo isso é vontade de que eu te coma de novo?

  - Sim Bieber. Tudo isso é vontade de que você me coma bem gostoso, que nem você faz. - falei lentamente e sorri maliciosa.

  - Porra Anne! - gritou rindo.

Ele pisou fundo no acelerador e eu sorri, relaxando no banco.

Em poucos minutos estávamos entrando em um condomínio luxuoso. Ele acenou para o porteiro e nós adentramos a primeira rua, com casas enormes e luxuosas.

  - Você mora aqui? - perguntei pondo a cabeça para fora. - Cada casa dessas dá três da minha.

  - É dos meus pais. Eu comprei para eles, mas uso de vez em quando. - deu de ombros, virando em outra rua.

Logo paramos em frente a uma mansão enorme, e totalmente perfeita. Ele desceu do carro, e finalmente eu me toquei e desci também. Parei ao seu lado e ele me olhou.

  - Vamos? - perguntou.

  - Já era para estarmos lá dentro, sem nada. - sussurrei e ele riu me pegando no colo.

Entrelacei minhas pernas ao redor de sua cintura e ele apertou minha bunda. Escutei o barulho do molho de chaves e senti uma de suas mãos sair de minha bunda e ele tentou abrir a porta. Acho que estava difícil, pois demorou até obter sucesso. Adentramos a casa, e eu nem tive tempo de olhar para nada, ele fechou a porta com o pé e jogou a chave no chão, seus lábios atacaram os meus em um beijo quente e fervoroso. Senti minhas costas baterem em uma das paredes, e logo em seguida ele rodopiou comigo, batendo em outra, e assim foi até chegarmos a algo fofo e gostoso. Cochão não era só se tivesse quarto no andar de baixo, pois eu não acho que subimos escadas, devia ser algum sofá. Subi em cima dele e tirei sua camisa, acho que ele nem havia posto a jaqueta, assim como eu. Tomei seus lábios, e invadi sua boca com a minha língua. Nossos beijos conseguiam ficar cada vez melhor, senhor! As mãos dele alisaram minha barriga e costas, erguendo de leve minha blusa. Desci meus beijos por sua mandíbula, clavícula, peitoral, abdômen, até chegar à barra da sua calça, olhei para cima e ele sorriu. Aquele sorriso perfeito. Abaixei seu zíper e desci sua calça, junto à cueca. Dessa vez farei tudo... Completo! Segurei seu membro pela 'base' e comecei com movimentos de vai e vem lento. Justin fechou os olhos. Apertei um pouquinho e sorri com o gemido alto que escapou pelos lábios dele. Passei a língua pela cabecinha, vermelha, e ele jogou a cabeça para trás, abocanhei o mesmo e o chupei. Devo dizer que eu não curto muito fazer isso, mas gosto do efeito causado nele.

  - Ahhh! Isso Anne! - ele gemeu, levando a mão ao meu cabelo, e a emaranhando ali, ajudando nos movimentos. - Eu... - antes de ele terminar diminui os movimentos e parei completamente.

Ele trocou de posição, ficando por cima.

  - Vou te levar ao céu. - sussurrou e começou a beijar meu ventre.

Eu não tinha me dado conta, mas já estava sem calça, apenas de lingerie. Ele passou uma das mãos por minha calcinha, completamente úmida, e sorriu.

  - Do jeito que eu gosto.

Afastou a mesma me penetrou com dois dedos de uma vez, me fazendo dar um impulso para a trás. Aos poucos relaxei e comecei a rebolar em seu dedo.

  - Awwn! - gemi e fechei os olhos. - Meu Deus! Justin. - gemi alto.

  - Vai Anne, geme pra mim, geme. - ele mandou e eu obedeci. - Isso delícia. - apertou um de meus seios.

Meus gemidos estavam incontroláveis. Justin, às vezes, me beijava, para tentar contê-los, e até me dava uns tapas fortes e ardidos, o que me deixava mais excitada. Senti todo o meu corpo se arrepiar, e uma corrente elétrica passar por ele, contorci meu ventre e derreti nos dedos de Justin.

  - Lambi. - mandou autoritário, estendendo seus dedos para mim.

De maneira sexy fiz o que ele mandou, e lambi os lábios.

  - Safada! - falou, dando um tapa em minha bunda, e eu gargalhei.

  - Awwn! - gemi ao sentir seu pênis me preencher, sem aviso algum e forte. - Isso! Awwn Justin.

  - Caralho! - gritou, dando um tapa forte em minha coxa, e a apertando.

Nossos gemidos tomaram conta da casa, e acho que até os vizinhos podiam escutar. Hoje estávamos selvagens, diferente da outra vez. Arranhei suas costas e enfiei minha cabeça na curvatura do seu pescoço, gemendo alto, sentindo outro orgasmo me atingir. Justin entocou mais algumas vezes, forte, e logo chegou ao seu ápice.

  - Ual! Foi... Incrível. - falei ofegante.

  - Realmente. - ele disse caindo no chão, causando um estrondo alto.

  - Justin! - gritei e ele riu.

  - Gosto do chão. - deu de ombros. - Que tal mais uma rodada?

  - Ta louco? Nossa, que ninfomaníaco! - gritei rindo. - O que eu preciso agora é dormir.

Joguei-me de qualquer jeito no sofá. Ele me puxou pelo braço me fazendo cair sobre seu peito. Não protestei apenas me aconcheguei melhor sobre ele e fechei os olhos, me entregando ao sono.

 

Justin POV.

 

Acordei sentindo um peso sobre mim, e sorri lembrando-se da noite passada. Sexo selvagem! Ual! Isso é incrível. Já tinha feito sexo com todo tipo de mulher, em todo tipo de lugar, mas ontem foi surreal. Abri os olhos e a sala ainda estava escura. Não devia ter amanhecido ainda. Coloquei-a deitada ao meu lado e levantei. Olhei no relógio digital, 05h55min. Olhei para Anne, ela dormia serenamente com os cabelos jogados na cara e o corpo seminu. Sorri. Com cuidado a peguei e subi até o andar de cima, levando-a até meu quarto. Deitei-a na cama, e deitei ao seu lado. A puxei pela cintura e encostei minha cabeça na curvatura de seu pescoço. Adormecendo logo em seguida. 


Notas Finais


Então suas safadinhas?? Gostaram? Eu não tenho mt expêriencia com capítulos hots, acho qe perceberam, mas espero qe vcs tenham curtido... Por favor leitoras fantasmas, comentem meus amores! Sei qe a fic pode não estar mt boa, mas comentários me deixa mt feliz :D E leitoras qe comentam OBRIGADA SUAS LINDAS! Beijos, e me sigam no twitter: http://www.twitter.com/BieberSwag_FC_ e http://www.twitter.com/LoversOfJusten Sigo tds de volta! bjs bjs!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...