História Forbidden Love (Imagine Jackson) - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Black Pink, Got7, Miss A
Personagens BamBam, HyunA, Jackson, JB, Jennie, Jia, Jinyoung, Jisoo, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags Blackpink, Got7, Hentai, Imagine Jackson, Imagine Jackson Wang, Incesto, Jackson Wang, Romance, Terminadas
Visualizações 274
Palavras 2.047
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal! Espero que gostem desse capítulo cheio de tensão!
Boa leitura!

Capítulo 17 - Você é tão doce minha pequena


Fanfic / Fanfiction Forbidden Love (Imagine Jackson) - Capítulo 17 - Você é tão doce minha pequena

Encaixo meu rosto em sua intimidade e abocanho-a fazendo S/n soltar um gemido e rapidamente botar as mãos em sua boca.

- Jackson... - ela gemia. - Nosso pai... AWN - ela deixa escapar um gemido de sua boca.

- S/n... - sugo seu clitóris com força arrancando um gemido dela. - Você é tão doce.

Eu adentrava minha língua em sua entrada e sugava seu clitóris repetidas vezes arrancando gemidos dela, que seriam facilmente ouvidos por nosso pai no outro cômodo, se ela não estivesse cobrindo sua boca o máximo que podia com suas mãos.

Minhas mãos deslizam por sua barriga, agarrando sua cintura, puxo-a fazendo minha língua quente ter um contato mais intenso com sua intimidade.

Pv’s S/n On

Aquele momento maravilhoso, o encontro de sua língua em minha intimidade estava simplesmente delicioso.

Meu corpo inteiro se contraia por conta das múltiplas sensações que estava sentindo naquele momento.

Eu sento na cama fazendo Jackson me olhar e minhas mãos vão de encontro a sua camisa, arrancando-a. Eu arremesso o pano branco no chão do quarto e passo minhas mãos por seu abdômen. Levo minhas mãos até seus braços definidos subindo vagarosamente até chegar em seu rosto, ele deposita um beijo apaixonante em meus lábios e puxa meus cabelos.

- Hoje eu comando você. - ele morde o lóbulo de minha orelha.

- S-im Daddy... - sussurro essas palavras e Jack me empurra, me fazendo deitar novamente na cama.

Meus dedos vão de encontro aos seus fios de cabelo, agarrando-os.

Eu empurrava sua cabeça enquanto ele chupava minha intimidade ferozmente, e logo sinto contato das pontas de seus dedos em minha intimidade.

- Meus dedos já estavam começando a sentir saudades de toca-lá. - essas palavras saem de sua boca e 3 dedos são penetrados em minha intimidade.

Eu mordo meu lábio inferior com força, segurando meu gemido. Se esse gemido tivesse escapado, meu pai com certeza teria ouvido.

- Ja-jackson... caralho.. - eu não pude terminar minha frase pois Jackson havia adentrado mais fundo seus dedos em mim.

Eu arqueio minhas costas em resposta à seu ato pedindo mais, Jackson então começa os movimentos em minha intimidade com seus dedos. Ele saía e entrava em mim lentamente sem tirar os olhos de lá, observando cada centímetro de minha intimidade.

- Foda meus dedos pequena... - ele aumenta a velocidade de seus dedos dentro de mim, arrancando um gemido alto.

Merda!

Eu pego meu travesseiro eu boto em meu rosto, tentando diminuir a altura de meu gemidos.

- Me f-foda Jackson. - eu implorava. - Eu não consigo mais esperar. - tentava falar em meio aos meus gemidos.

- Ainda não. - ele diz e volta a abocanhar minha intimidade com sua boca.

- S/n! - ouço batidas na porta.

- Ja-jackson. - gemia baixo. - Pare! - digo e ele me obedece encarando meu rosto.

- É Kiwon. - ele diz e meu rosto fica branco.

- Se esconda agora! Em baixo da cama! - empurro ele e levanto da cama correndo.

- S/N! - as batidas ficavam mais fortes.

- Só um momento! Eu estou no banheiro! - gritava de volta.

Entro no banheiro rapidamente e pego uma toalha, enrolo meu corpo nu e saio do banheiro.

Meu coração batia velozmente em meu peito, estava desesperada, mas não podia demostrar isso na frente de meu pai, se não ele saberia que alguma coisa estava errada.

Eu inspiro tentando me acalmar.

- S/n! Eu não tenho a noite toda! - ele bate mais uma vez na porta e eu abro dando de cara com meu appa.

Seus olhos percorrem meu corpo quando me encontra apenas de toalha, eu tento ignorar e cruzo meus braços em meu peito.

- Onde Jackson está? E por quê está assim? - ele enfia a cabeça em meu quarto procurando por Jackson.

- Eu não sei, eu estava indo tomar banho - minto.

- Ata. - ele olhava em todos os cantos de meu quarto.

- Você não vai encontrar nada. - digo, mas meu coração estava acelerado com medo dele encontrar Jackson.

Eu olho para o canto do quarto e vejo a blusa de Jackson jogada no chão.

Puta Merda!

Meu pai entra no banheiro e eu proveito para correr e pegar a blusa.

- Ele não está aqui! Sai do meu quarto! - ele sai do banheiro e eu escondo a blusa rapidamente atrás de mim. 

- Por quê está aumentando o tom comigo? A lição que eu te ensinei mais cedo não significou nada para você?!

- M-me desculpa papai. - faço reverência.

A ultima coisa que estava querendo agora é uma outra briga, então decidi dar uma de filha inocente e fraca para que ele pudesse deixar para lá.

- Você vai jantar? - seu tom frio arrepiava meu corpo.

- Não, eu vou ficar estudando a noite inteira. - minto novamente. - Tenho uma prova segunda. - engulo seco. - Se encontrar com Jackson peça para ele não me incomodar por favor, vou ficar a noite estudando e não quero ninguém me incomodando. - mando uma indireta para meu pai.

- Está bem, não vamos te incomodar. - ele diz dá uma última olhada em meu quarto e vai dormir.

Eu boto minha orelha na porta esperando ouvir seus passos para longe da porta, e quando ouço eu tranco a porta.

- Pode sair. - falo baixo e Jackson faz o que eu havia mandado.

- Que merda foi essa? O que ele fez S/n? - Jackson saia do buraco apertado da cama.

- Não foi nada. - passo minhas mãos por meus pescoços e acabo entregando o jogo.

- O que houve aí? - ele caminhava em minha direção.

- Não foi nada.

- S/n o que ele fez com você?! - ele puxa meu braço fazendo algumas marcas que ainda estavam em meu pescoço ficarem visíveis.

- Como eu não vi isso mais cedo! Merda! - ele ia socar minha parede mas ele se segura.

- Se você fizer algum barulho, nosso pai vai descobrir. - solto a toalha de meu corpo jogando-a na cama.

- S/n... - ele pega meu rosto em sua mãos. - Se ele fizer algo assim de novo, não hesite em me contar, ok? Eu estou falando serio. 

- Sim... 

- Vamos continuar aonde paramos. - suas mãos deslizam até o meio de minhas pernas.

- Jackson temos que tomar mais cuidado. - ele beijava meu pescoço. - Sai Jackson. - o empurro.

- O que foi?

- Nós quase fomos pegos, não vou mais fazer isso! Chega! - começo a andar pelo quarto. - Volte para seu quarto, tenho que me arrumar.

- Arrumar para que? - ele pergunta.

- Eu vou sair.

- Para onde? - ele pergunta.

- Para o festival de música e vou com Mark, então deixe-me arrumar.

- Ah mas você não vai mesmo! - ele parecia convencido disso.

- O que?! Você não manda em mim! - me irrito.

- E você pretende sair escondido? Escondido do nosso pai! E se ele descobrir? - ele parecia parecia um pai dando sermão em sua filha.

- Ele não vai! E a vida é minha e o problema é meu! - o enxoto para fora do quarto.

- Então eu vou junto!

- Não! Você não vai Jackson! Agora Tchau! Volte para seu quarto! - abro a porta o mandando ir embora.

- Isso é o que iremos ver. - ele diz e eu bato a porta em sua cara.

- Mas que inferno! - bagunço meus cabelos.

Vou para meu banheiro, esquento a água da banheira e deito na mesma, relaxando.

Encosto minha cabeça na banheira e fecho meus olhos.

Jackson Wang o que você fez comigo?

(...)

Estava quase pronta, Mark havia mandando uma mensagem para mim avisando que estaria chegando. Meu pai provavelmente estava dormindo, pois teria uma reunião importante da empresa amanhã cedo.

Eu vestia meu vestido vermelho, com um vasto decote em meus seios. Ele era colado em meu corpo, o qual realçava o volume de minha bunda.

Eu me olho uma última vez no espelho e passo meu batom vermelho em minhas bocas carnudas, dando meu toque final.

Eu sorrio ao me olhar no espelho, pois estava feliz com o resultado, boto meu vans preto e deixo meus saltos separados no canto do quarto. Eu iria calça-los no carro, pois não iria conseguir descer pela janela de salto.

Eu com certeza acabaria me quebrando ou quebrando meu lindo salto, o que para mim, era pior.

Deito em minha cama e mando uma mensagem a Mark que logo é respondida.

            “Mensagem de Markinho”

Mark: Estou aqui pequena.

Já está pronta?

Eu: Sim, estou descendo, não saia dai.

Mark: Ok, estou esperando.

Boto meu celular em minha bolsa prateada, dou uma ultima olhada no espelho ajeitando meu vestido.

Desforro minha cama, boto alguns travesseiros e os cubro com o cobertor.

Estratégia típica, mas o que custa tentar. Meu pai quase nunca entrava em meu quarto a noite, se entrasse poderia pensar que eu estava dormindo e ir embora.

Passo meu perfume mais cheiroso e pego meus saltos indo em direção a janela.

Arrasto o quadrado branco vagarosamente, para que não fizesse barulho algum, sento com cuidado na janela e boto minhas pernas para fora, uma de cada vez.

Viro de costas, piso no telhado de baixo e vou para a ponta, onde havia uma pilastra fina, uso-a de apoio e desliso por ela.

Sinto meu vestido ser levantado com a medida que descia por aquela pilastra. Percebo um vento incomum em minha bunda e quando percebo, o vestido havia levantado completamente.

Meus pés vão de encontro ao chão e eu ajeito meu vestido esperando que ninguém tivesse visto aquela cena, mas para minha sorte a rua estava vazia.

Vejo o carro de Mark mais a frente de minha casa e corro até ele.

Pv’s Mark On 

Estava esperando S/n em meu carro, tocava Baby Don’t Cry no rádio, a música alta do rádio soava por meus ouvidos enquanto eu balançava minha cabeça no ritmo da música.

Olho para os lados procurando por S/n e ficando atento a rua, pois a mesma estava vazia e a essa hora poderia ser perigoso.

Olho pelo retrovisor do carro e vejo S/n em cima do telhado de sua casa.

- Mas o que...? - abaixo o vidro do carro e olho para trás vendo S/n deslizar pela pilastra. - Essa menina é doida.

Observava ela descendo quando rapidamente seu vestido sobe me dando total visão de sua bunda. A menina usava uma linda calcinha de renda, que por sinal era mundo fina, e estava adentrada em sua bunda.

Eu arregalo meus olhos tendo essa linda visão, aproveitando o máximo.

- Caralho... - aquilo realmente havia acontecido.

Vejo ela olhar em minha direção e vir correndo até mim. Ela estava extremamente sexy, vestindo um lindo vestido vermelho forte, a mesma cor de seu batom.

Ela bate na porta e eu a destravo, deixando ela entrar e se sentar ao meu lado.

- Oi! - S/n me abraça e deposita um beijo em meu rosto.

- Você é maluca. - eu ria. - O que foi aquilo?

- Você não viu nada. - ela aponta seu dedo para mim com um olhar ameaçador. - Eu me ralei naquela merda. - ela passa suas mãos no meio de suas pernas.

- Calcinha vermelha. - digo e ela bate em meu braço.

- Cala a boca e dirige. - ela empurra meu rosto virando-o para frente. - Se não eu te mato. 

Rio fazendo ela lançar um olhar de morte para mim.

- Já estou dirigindo. - paro de rir e dou a partida no carro.

                          Pv’s Jackson On

Era por volta de 23:30, terminei de arrumar minha camisa em meu corpo, passei meu perfume e sai de meu quarto.

Fui para o quarto de S/n, abri as portas e a mesma parecia estar deitada.

Ela não ia sair?

Chego perto de sua cama e vejo que eram apenas alguns travesseiros.

Então ela já saiu.

Saio de seu quarto e o tranco, guardando a chave em meu bolso. 

Nem pra trancar o quarto ela serve.

Reviro meus olhos e desço as escadas.

- Para onde está indo?


Notas Finais


Espero que tenham gostado e desculpem qualquer erro! Até a próxima! Beijinhos😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...