História Forbidden Love (Imagine Jackson) - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Black Pink, Got7, HyunA
Personagens BamBam, HyunA, Jackson, JB, Jennie, Jinyoung, Jisoo, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags Blackpink, Got7, Hentai, Imagine Jackson, Imagine Jackson Wang, Incesto, Jackson Wang, Romance, Terminadas
Visualizações 94
Palavras 3.008
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Espero que estejam ansiosos pra esse capítulo!
Muito obrigado aos 5.500 leitores, vocês são incríveis!
Boa leitura, espero que gostem!

Capítulo 21 - Minha vida havia virado um completo inferno


Fanfic / Fanfiction Forbidden Love (Imagine Jackson) - Capítulo 21 - Minha vida havia virado um completo inferno

Então era realmente o que eu já imaginava, eles haviam transado mesmo sendo irmãos.

- Ela está bêbada, não sabe o que fala. - Jackson pega o braço da menina. - Vá tomar um banho.

- Olha aqui! - ela outra vez tenta apontar seu dedo para Jackson mas aponta para o nada. - Pera cade você? - ela o procurava.

- Vá agora para seu banheiro, eu estou mandando.

- Como você teve coragem de tocar na sua própria irmã?! - eu estava desnorteado.

- Não se meta nisso, apenas vai embora! - ele me lança um olhar desafiador.

Eu não iria começar uma briga, não agora.

- Ha! Parabéns, vocês se merecem! - viro de costas indo até a janela.

- Markinho não vai embora. - ouço S/n mas apenas a ignoro.

- Vai se divertir com seu irmão, sua vagabunda. - digo e saio de seu quarto, abalado.

Pv’s Jackson On

Mark sai pela janela furioso e quando olho para S/n, lágrimas escorriam por suas bochechas.

- S/n... - boto minha mão em seu rosto mas ela desvia.

- Sai Jackson! - ela anda em direção ao banheiro mas bate na porta. - Vai embora! - ela procura pela maçaneta.

- Eu não vou embora S/n. - vou até sua direção.

- Por que você tinha que ser logo meu irmão? Por que?! - ela entra em seu banheiro com os olhos cheios de lágrimas. - Já mandei você sair.

Ela deixa sua porta entreaberta e eu ouvia o barulho de cada peça de sua roupa ser retirada.

Eu entro em seu banheiro e a menina rapidamente se enrola na toalha.

- O que está fazendo aqui?!

- Eu vou te dar um banho. - digo e ela faz uma cara de assustada. - Sem más intenções, eu juro, é só um banho.

- Sai Jackson. - meu nome saia embolado de sua boca.

- Eu já te vi pelada S/n, eu só quero te dar um banho.

- Eu... - ela diz e suspira.

Ela retira sua toalha com vergonha e vejo suas bochechas corarem.

Seu corpo entra devagar na banheira, ela abraça seus joelhos e eu pego o sabonete. Arregaço minhas mangas e começo a ensaboar suas costas.

Ela apoia seu queixo em seus joelhos enquanto eu passava a mão por suas costas, e quando ela percebe que eu havia acabado, ela encosta na banheira me dando visão da frente.

Eu me controlo, pois havia prometido que não faria nada com ela.

Passo o sabonete pela região de sua barriga e quando chego perto de seus seios, seu corpo todo estremece e ela abraça seus joelhos novamente.

- Já está bom...E-eu continuo daqui. - ela abaixa sua cabeça. - Vá pra seu quarto, por favor. - um soluço sai de sua boca.

- Está bem... - suspiro e saio do cômodo.

Fecho a porta do banheiro deixando ela sozinha e vou para meu quarto.

(...)

Pv’s S/n On

Havia sido definitivamente o pior final de semana da minha vida. Mark ignorava todas as minhas ligações e mensagens, enquanto eu, tentava evitar Jackson de todos os jeitos.

Minhas provas estavam chegando então eu fiquei sábado e domingo trancada em meu quarto, estudando, comendo sorvete, vendo séries e ouvindo músicas tristes. E sinceramente, isso me acalmou um pouco.

Era segunda de manhã, minha cara estava acabada e o tempo havia esfriado.

Passo uma maquiagem em meu rosto para tentar esconder minhas olheiras e boto uma calça moletom, a blusa da escola e um casaco.

Saio de meu quarto e percebo que a porta do quarto de Jackson ainda estava fechada.

Eu realmente não queria vê-lo, mas ele não podia chegar atrasado mais uma vez.

- Jackson! - entro direto em seu quarto e o encontro dormindo em sua cama.

Ele estava apenas de cueca e seu corpo estava totalmente descoberto.

Vou em sua direção e balanço seu corpo.

Seus lindos e rasgadinhos olhos se abrem e vão de encontro aos meus.

- Oi, bom dia. - ele sorri para mim.

- Oi. - viro meu rosto, séria. - Eu vou indo para a universidade, vou pegar seu skate emprestado. - digo e vou andando até a porta.

- S/n. - ele me chama. - Está tudo bem? - ele levanta da cama.

- Sim. - viro meu rosto e saio de seu quarto.

Desço as escadas com minha mochila pesada em minhas costas e dou de cara com um café da manhã delicioso em minha frente.

Haviam panquecas na mesa e o cheiro empesteava a cozinha.

Com certeza não havia sido Jackson quem fez aquela comida. Aquele garoto não sabia fazer nem um mísero ovo. 

Logo vem em minha mente que poderia ter sido meu pai. Mas se ele esperava que as coisas fossem se acertar por causa da merda de uma panqueca, ele estava muito errado.

Suspiro e passo direto pela cozinha, pego o skate de Jackson e sigo meu caminho.

Meu corpo se arrepia todo ao lembrar que teria que encarar Yugyeom e Mark.

Meu coração começa a bater rapidamente e uma dor vem em meu peito, eu estava nervosa. Pelo menos tinham Jennie e Jisoo para me apoiarem, sabia que se precisasse do um ombro para chorar, elas estariam lá por mim.

Entro na universidade e freio meu skate, boto em meu braço e quando olho para o lado, percebo alguns olhares sobre mim e alguns cochichos.

Mas o que está acontecendo?

Ando um pouco desconfortável e logo acho os meninos, todos estavam juntos, menos Yugyeom.

Meu olhar encontra o de Mark e ele sai andando e se mistura no meio da multidão. Minhas pernas congelam, sem que eu possa fazer nada, meu corpo apenas fica imóvel.

Chego nos meninos, tentando melhorar minha cada para que não percebessem.

- Oi. - forço um sorriso e todos se viram para mim.

- Oi meu amor! - Jennie me dá um abraço acompanhado do de Jisoo.

- Oi! - os meninos dizem e eu recebo um abraço de cada um deles.

- Jackson não vem? - JB pergunta.

- Ah. - olho para ele. - Ele está chegando. Yugyeom veio hoje? Eu... é preciso falar com ele.

- Sim, ele veio. - diz Bambam.

- Vocês sabem aonde ele está? - digo e sinto algumas pessoas olharem para mim. - É impressão minha ou muitas pessoas estão me olhando. - digo.

- Parece que sim. - Jinyoung olha em volta. - Mas por quê?

- Não sei. - digo e logo meu corpo eu jogado bruscamente contra JB que me segura. - Mas que merda. - me viro dando de cara com Kai. 

Kai era um estudante que havia sido transferido dos Estados Unidos há pouco tempo, tinha um corpo escultural e sua dança encantava a qualquer um, pena que sua personalidade não era tudo isso. Todas as meninas babavam por ele, mas eu, eu não o achava nada interessante e sim um completo babaca.

- Me desculpe docinho. - ele passa a mão por meu cabelo mas JB a tira de lá, fazendo uma cara feia para o menino. - Cuidado com esses meninos, aposto que Yugyeom não foi o único a te estuprar não? Também, ninguém mandou você ter esse corpo tão delicioso, até eu estupraria você se tivesse a oportunidade. - ele passa sua mão em meu queixo mas ela é retirada de lá quando seu corpo é atingido por um soco no lado de seu rosto, mais especificamente em sua orelha.

Eu não tive nenhuma reação, meu corpo apenas congelou, e senti a raiva subir minha cabeça.

- JB! - grito o nome de quem havia acertado Kai, mas JB apenas me ignora.

Kai lança um olhar de morte para JB e o mesmo parte para cima dele.

As pessoas rapidamente se espantam, umas começam a gritar e outras apenas ficam com medo da agressividade dos dois, e eu apenas me desespero.

- PARA JB! - eu gritava alto tentando fazer com que eles me ouvissem.

Vejo alguns meninos rindo pegarem seus celulares e começarem a filmar, isso não iria acabar bem.

- APRENDA A TRATAR UMA MULHER! - JB gritava ao bater no menino.

Meu peito doí ao ver Kai acertar um soco em cheio em JB e logo em seguida dar um chute na boca de seu estômago, fazendo-o cair de joelhos no chão.

- FAÇAM ALGO! - grito para os meninos e eles rapidamente vão em direção de JB.

Eu corro junto deles em direção a JB. Yugyeom  e Youngjae seguram os braços do menino atlético enquanto Bambam e Jinyoung vão ajudar JB a levantar.

Kai se debatia mas os meninos faziam força para segura-lo.

As pessoas em volta olhavam para nós, umas gritavam desaforos que eu apenas ignorava e outras filmavam aquele completo desastre.

- Você é um babaca! - grito com toda raiva que havia em mim.

Eu não deixaria ninguém me tratar daquele jeito, muito menos um garoto. Minha mão se levanta instintivamente e acerta, com toda minha força, um soco vem no meio do rosto do menino, fazendo-o desabar bruscamente para trás.

Os meninos o soltam e o corpo de Kai espatifa no chão fazendo um alto barulho. Os amigos de Kai correm em sua direção para ajudá-lo.

A roda se abre e logo todos começam a circular do local, então percebo que o diretor estava vindo em nossa direção, 100% putasso.

Meus dedos doíam, mas não eram comparada a dor que eu sentia dentro de mim. Eu havia sido completamente humilhada, agora todos estavam sabendo o que havia acontecido, iriam me julgar, me xingar. Senti como se minha vida estivesse acabada.

- S/n! - Jennie corre em minha direção e me abraça.

- O que foi... ISSO? - Jisoo estava espantada.

- S/n... - sinto uma mão em meu ombro. - Está tudo bem? - Youngjae pergunta.

- Ah sim, claro! Não está vendo que eu estou super feliz?! - eu mal consigo terminar a frase e minha voz falha e as lágrimas que eu estava segurando começam a descer. - Eu vou no banheiro. - Abaixo minha cabeça e viro as costas para eles.

- Aonde pensa que está indo?! - um voz grita e eu logo percebo que foi Eui Sung, o diretor da universidade.

Eui Sung era um homem de uma certa idade, seus cabelos brancos eram aparentes em sua cabeça e sua expressão era sempre mal humorada. 

Ele não perdoaria a merda que havíamos feito.

- Eu preciso ir ao banheiro. - enxugo algumas de minhas lágrimas ainda de cabeça baixa.

- Você não vai a lugar nenhum! Que merda é essa?! Onde vocês pensam que estão?! - ele gritava com todos nós, ou melhor, gritava diretamente na minha cara.

- Se ele soubesse como tratar uma mulher nada disso teria acontecido! - JB grita apontando para o menino que tentava se levantar do chão.

- Eu não quero saber! Eu posso expulsar vocês por isso! Quero vocês três em minha sala agora! - ele diz.

- Vocês três quem? - pergunto.

- Você senhorita. - ele olha na minha cara. - E esses dois aleijados! - ele grita e começa a andar fazendo com que o sigamos.

- S/n... - uma mão é posta sobre meu ombro e vejo que era JB.

Seu rosto estava todo machucado e sua mão esquerda estava em sua barriga, no lugar onde havia levado um chute.

- JB... - abraço sua cintura e afundo minha cabeça em seu peito. - Obrigada...

(...)

Estávamos na sala de Seojoon, eu passava um lenço úmido que havia arrumado na secretaria, no rosto de JB. Enquanto Kai nos mandava um olhar mortal do outro lado da sala.

O nariz de Kai sangrava provavelmente pelo soco que eu havia dado no meio de seu rosto, que foi merecido aliás.

Com toda essa confusão eu não havia percebido que os ossos de meu punho estavam machucados e doíam demais.

Eu ignorava essa dor e continuava passando o suave lenço pelo rosto de Jaebum, com minhas mãos trêmulas.

- S/n. - ele para minha mão que estava tremendo. - Deixa que eu continuo daqui. - ele falava baixo.

Logo a porta atrás de nós bate e percebemos que Sung havia entrado na sala.

O velho batia seus pés fortemente na sala, ele passa por nós com um olhar de desaprovação e senta em sua cadeira.

- Alguém pode explicar que merda foi aquela? - ele bate em sua mesa e nós ficamos em completo silêncio.

- O Kai...

- SILÊNCIO! - JB tenta dizer algo mas é interrompido pelo mais velho. - Eu quero que ela explique. - ele aponta para mim. - Hein, me diga, o que fez você dar aquele soco no rosto dele? 

- Eu... - suspiro deixando meus braços cairem em meus joelhos. - Se o Kai não tivesse falado algo muito inconveniente pra mim nada disso teria acontecido!

- E que coisa inconveniente teria sido essa? - ele entrelaça suas mãos.

- E-eu... prefiro não falar. - olho para o chão com vergonha.

Essa era a melhor coisa a se fazer, se eu dissesse o que Kai havia me contado, ele iria descobrir sobre Yugyeom e meu pai logo descobriria também.

- Já que ninguém vai me contar o que realmente aconteceu, não posso fazer nada por vocês. - ele pega uns papéis em sua gaveta. - Vocês tem sorte de ser a primeira vez em minha sala esse ano, por isso não vou expulsar-los. - ele começa a escrever nos papéis muito rápido. - Vocês estão suspensos amanhã depois das aulas, a suspensão começa as duas horas EM PONTO, vocês serão liberados as seis. - ele nos entrega os papéis.

- Isso é tudo culpa sua seu babaca. - Kai diz ao passar por nós para pegar seu papel.

- Disse algo Kai? - Sung pergunta.

- Não senhor. - ele sorri falsamente.

- Saiam agora daqui. - ele diz.

Agarro no braço de JB ao sair da sala e damos de cara com os meninos.

Jackson e Yugyeom estavam lá também, os dois me olhavam e eu tentava ignorar seus olhares.

A porta atrás de mim se fecha e Kai sai sem olhar para eles, mas seu corpo é imprensado na parede, fazendo-o levar um susto.

Jackson estava raivoso, suas mãos estavam no pescoço do mais alto e seus dentes serrados.

- Se você chegar perto dela novamente eu juro que mato você. - ele aperta suas mãos no pescoço do menino.

- Jackson pare! - puxo sua camisa. - Nós acabamos de sair da lada de Sung, não quero voltar para lá.

Jennie bota suas mãos em meus ombros e os meninos apenas observavam Jackson, sem impedi-lo.

As mãos de Jackson saem bruscamente do pescoço de Kai que procurava por ar no espaço pequeno.

- Vá se foder! - ele manda o dedo do meio para Jackson e sai andando.

- Deixa pra lá Jackson! - Jinyoung segura a camisa do mais velho. - Esqueça isso, escute a S/n pelo menos uma vez.

Ele se vira para mim e puxa meu braço bruscamente, me envolvendo em um abraço.

- Nós vamos resolver essa situação. - ele diz baixo em meu ouvido.

Ele beija o topo de minha cabeça e separa nosso abraço.

Meu olhar encontra o de Yugyeom.

- S/n... - Yugyeom diz.

- Agora não é o melhor momento para isso. - digo.

- Então gente, porque não vamos no banheiro e deixamos a S/n e o Yugyeom aqui? - Jennie diz puxando Jisoo.

- Eu não quero ir no banheiro com você! - bambam diz fazendo uma cara de nojo. - Eu sou viado cara.

- Vem logo porra. - Youngjae puxa a camisa de Bambam.

Jackson beija minha cabeça antes de sair e os meninos me deixam ali.

- Mas é serio nós vamos no banheiro juntos? - Bambam diz e Jackson dá um tapa em sua cabeça.

Me viro para Yugyeom quando vejo que os meninos estavam longe de nós.

- S/n me desculpe... - ele abaixa sua cabeça. -  Eu acho que já deve saber que eu não estava no meu estado normal e...

- Por que estava se drogando? - o interrompo. - E por que fazer aquilo logo quando estávamos na SUA CASA?! - elevo meu tom de voz . - Qual o seu problema?!

- Eu sei que o que eu fiz foi errado mas... Mas aquele não era eu S/n, eu preciso que você acredito em mim.

- Yugyeom... - respiro fundo. - Eu acredito em você e fico mais aliviada em saber que aquele não era você, eu não queria ter que acabar nossa amizade, é só que... - uma lágrima escorre de meu olho. - Lembrar disso é doloroso. - um soluço sai de minha boca. - E agora toda a escola sabe o que houve. E eu nem sei como eles sabem! - digo e Yugyeom me envolve em um abraço quente.

- Me desculpa, isso é tudo culpa minha. - Sua voz parecia sincera. - Me desculpa. - ele passava sua mão por minha cabeça me fazendo carinho.

- Está tudo bem. - digo limpando minhas lágrimas.

- Nós vamos resolver isso. - ele bota suas mãos em meus ombros e olha em meus olhos.

- Eu não tenho certeza disso. - tiro suas mãos de meus ombros e saio andando.

- S/n. - ele segura meu braço.

- Não Yugyeom! - me exalto sem perceber. - Eu só quero... - respiro fundo. - Ficar sozinha. - solto meu braço do dele e ando pelo corredor vazio em direção ao banheiro.

Eu andava rapidamente com a cabeça baixa, minha maquiagem devia estar toda borrada em meu rosto por conta de minhas lágrimas e eu não sabia como minha vida poderia ficar pior.

A escola inteira estava sabendo o que houve, Mark não falava mais comigo, eu provavelmente teria problemas em casa com meu pai, e Jackson... era o Jackson.

Minha vida havia se tornado um completo inferno.

 

 

 

 


Notas Finais


Bom, espero que tenham gostado! Beijinhos e bom final de semana!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...