História Forbidden Love (Norminah) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Dinah Jane Hansen, Normani Hamilton
Tags Camren, Dinah Jane, Fifth Harmony, Normani Kordei, Norminah
Visualizações 69
Palavras 1.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente.
Eu queria pedir mil perdões pela demora para atualizar e queria agradecer a todos que favoritaram e comentaram a estória!!!

Capítulo 7 - Capitulo 6


POV Normani

Ela me beijou.

Meu Deus do céu. Dinah Jane Hansen me BEIJOU.

Eu tinha me assustado muito essa manhã quando me dei conta que eu estava praticamente em cima de seu corpo. Acabei caindo da cama e a loira veio me ajudar. Não sei se foi proporcional ou não, a única coisa que eu sei é que quando me dei conta meus lábios estavam colados aos dela.

Foi uma sensação tão boa. Eu não poderia igualar a nada. Nunca havia sentido nada comparado aquilo. Era como se uma corrente elétrica percorresse todo meu corpo.

E então eu me dei conta.

O que eu estava fazendo? Eu era sua professora. Não poderia simplesmente corresponder a seu beijo. Por mais prazeroso que fosse. Ela continuava sendo minha aluna.

Me separei bruscamente de seu beijo. Eu não sabia muito bem o que falar. Como eu poderia explicar o fato de que eu havia correspondido ao seu beijo? Como eu olharia em seu rosto de novo? Milhares de perguntas rondavam minha mente. Acabei me esquecendo que Dinah me observava esperando uma reação, e só me dei conta de que a mesma havia ido embora quando ouvi o som da porta batendo.

Eu estava tão fudida

Como eu lidaria com tudo isso? Eu não tinha formulado uma resposta para nenhuma das perguntas que não deixavam minha mente.

Resolvi tomar um longo banho para tentar esquecer o ocorrido. Deixei que a água do chuveiro escorresse por meu corpo mas não conseguia tirar a sensação de nosso lábios grudados da minha mente. Eu nunca havia sentido lábios tão macios. Eram como pedaços de algodão.

Sai do banheiro, vesti meu habitual pijama e resolvi dormir um pouco. Eu ainda tinha alguns dias para pensar em como eu resolveria esse problema.

[...]

Acordei com o som insuportável de meu despertador. Hoje, resolvi que faria um tipo de caminhada em um parque próximo a minha casa. Resolvi ligar para minhas irmãs e perguntar se elas queriam me acompanhar. Ashlee e Arielle eram minhas meio-irmãs, elas eram fruto de um romance que meu pai teve logo após o divórcio com minha mãe. Eram alguns anos mais novas que eu e não moravam muito longe da minha casa.

Após a confirmação de ambas, resolvemos nos encontrar no parque. Eu vesti um short jeans deixando minhas pernas amostra, uma blusa azul e fui ao encontro de minhas irmãs.

- MANIIIII - disse Ashlee assim que me viu atravessar a rua para ir ao seu encontro.
- Ash - eu falei empolgada lhe dando um abraço - Ariiii - falei assim que avistei a mais nova rapidamente a envolvendo em meus braços.
- Nossa, faz uma eternidade desde que saímos juntas - Ashlee falou quando começamos a andar
- Verdade. - eu falei concordando - A culpa é minha, ando muito ocupada com uns assuntos da escola.
- A culpa não é só sua - disse Arielle - Nós também andamos ocupadas ultimamente.
- Enfim, não importa de quem é a culpa - disse Ash. Sempre impaciente. - Vamos aproveitar o momento - ela disse puxando eu e Ari pelos pulsos.

Andamos bastante pelo parque, até que Ari avistou uma sorveteria e nos fez parar.
- Ah vamos lá - ela disse - Estou morrendo de calor - ela falou praticamente empurrando e eu Ashlee dentro da sorveteria.
- Eu quero de baunilha - Ash falou assim que sentamos na mesa e eu lhe entreguei o pequeno cardápio que tinha os sabores que a sorveteria fornecia.
- Eu quero de milho - Ari falou fazendo com que eu e Ashlee a olhássemos com uma cara de nojo
- ECA - dissemos em uníssono
- Você é nojenta Arielle Hamilton - eu disse zombando dela
- Ah eu sou a nojenta né? Você que faz xixi na piscina e eu sou a nojenta? - ela disse indignada
- Arielle FOI SÓ UMA VEZ - eu disse falando um pouco mais alto dando um certo ênfase em minhas palavras - E eu tinha 7 anos, já está na hora de esquecer isso.
- Mani, eu engoli aquela água de piscina sabia? Estou traumatizada - ela disse com cara de nojo e eu e Ash apenas rimos.
- Caladas vocês duas. Vamos pedir logo. Agora quem está com calor sou eu - Ash disse. SEMPRE IMPACIENTE.

Eu pedi sorvete de morango, Ash pediu sorvete de baunilha e Ari pediu seu tão amado sorvete de milho. Eu não conseguia entender como uma pessoa poderia gostar de sorvete de milho mas tudo bem. Tudo ia maravilhosamente bem, estávamos nos divertindo. Até que o pequeno sino que era localizado na parte de cima da porta da sorveteria tocou indicando que algum cliente havia entrado. Desviei meu olhar de minhas irmãs que estavam em uma discussão qualquer sobre qual sabor de sorvete era melhor e o direcionei para a porta, e lá estava ela.

Dinah entrou na sorveteria, tão radiante como sempre. Vestia um short jeans, que assim como o meu destacava suas coxas torneadas. Ela estava acompanhada por Camila, Ally e uma menina que eu nunca tinha visto com elas.

Ela não pareceria ter notado minha presença na sorveteria, se sentou em uma mesa na minha frente porém de costas para mim, ao seu lado sentou a menina desconhecida e Ally e Camila se sentaram de frente para mim. Eu me perguntava mentalmente por onde andava a menina de olhos verdes que não largava a sua namorada por nada, mas todos os meus pensamentos foram dispersos assim que vi aquela menina se aproximar do rosto de Dinah e lhe dar um beijo da bochecha, próximo demais da boca, pelos menos para o meu gosto.

Uma sensação estranha percorreu meu corpo. Parecia algum tipo de incômodo. Não que eu sentisse ciúmes de Dinah, eu só não gostava que essa menina a beijasse daquele jeito. Talvez eu não gostasse daquela menina. Tentei me convencer mentalmente de que era esse o sentimento que eu estava sentindo.

Ela pediram seus sorvetes e eu não parava de encarar a loira, ou pelo menos a parte de trás de sua cabeça.

Minhas irmãs já haviam me perguntando diversas vezes o porque de eu não parar de "secar" - termo usado por Arielle - a menina da mesa ao lado. Eu dei uma desculpa qualquer, e disse que não estava olhando especificamente para ela e sim para todas as meninas já que a mesa se encontrava em meu campo de vista.

Minha irmãs não pareciam muito convencidas mas acabaram por aceitar minha desculpa um tanto quanto esparafada.

Eu estava cada vez mais incomodada pelo fato da menina - que eu descobrir se chamar Zendaya graças a Camila que gritou, enquanto ria, o nome da mesma quando ela contou algum tipo de piada não desifravel aos meus ouvidos por conta da distância - não parar de "se jogar" para cima de Dinah. Sempre afagava os cabelos da loira, e encostava sua cadeira cada vez mais perto da polinésia.

Minhas irmãs me pagaram a conta e me chamaram para ir embora. Eu queria poder observar a loira o dia inteiro, mas eu não podia já que eu não tinha nenhuma desculpa plausível para dar à minhas irmãs. Então resolvi ir embora.

Quando levantei, acabei derrubando a cadeira do meu lado ocasionando um certo barulho e fazendo com que a polinésia direcionasse seu olhar para mim.

Nossos olhos seus encontraram e eu juraria que uma corrente elétrica correu por meu corpo já que todos os pelos dos meus braços e pernas se arrepiaram instantaneamente. Dinah fitou meu corpo descaradamente e corou quando viu que eu a observava. Um flash do nosso beijo passou por minha cabeça fazendo com que eu sorrisse involuntariamente. Acho que a mesma pensou que eu havia sorrido para ela pois retribuiu um sorriso lindo. Era o sorriso mais lindo do mundo. Mas eu era um tanto quando suspeita para falar.

Fui cortada do meu transe por uma Ashlee claramente impaciente, o que não era novidade, me chamando para ir embora.
- Já vou Ashlee. Tenha paciência!!! - eu disse ainda olhando para Dinah de relance.
- Vamos logo - dessa vez foi Arielle que se pronunciou também impaciente. Parece que as Hamilton eram conhecidas pela impaciência, não?

Olhei novamente para Dinah que não tinha desviado seu olhar de mim em nenhum segundo, e sussurrei um Tchau. Ela respondeu o sussurro e sorriu para mim.

Sai da sorveteria com minhas irmãs e meu coração batia mais rápido que o normal. Ah, se aquela menina soubesse o efeito que ela tem sobre mim. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...