História Forbidden To Love (Proibido Amar) - Capítulo 9


Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Min Yoongi, Suga, Yoongi
Visualizações 21
Palavras 1.380
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Não vá tão cedo...


Então ele decidiu passar o remédio, todos estávamos alerta pra correr quando ele fosse aplicar e deixa-lo gritando sozinho no refeitório. O único problema que era ele correr atrás da gente depois.

Então Hope passou no algodão e estava prestes a passar no rosto.

- Parem de me olhar assim! - reclamou com um sorriso tímido no rosto, o que fez todo mundo rir

-  Vamos lá, Hoseok, você é homem não é? - zombou Jungkook

Hope devolveu com o dedo do meio e depois ficou tentando passar, mas a cada tentiva ele sempre enrolava.

- Me dá esse troço aí, Jun Hoseok! - pedi impaciente, o mesmo me deu o algodão hesitando, então eu peguei e esfreguei com força nele.

Fui retribuída com um estrondoso grito de "CARALHO, TÁ DOENDO".

As pessoas ao redor olhavam para nós assustadas, Namjoon foi o primeiro a sair correndo, dando a partida para todos nós. Acabei ficando com Suga e Taehyung, não tínhamos ideia de onde iríamos.

- Alí! - Suga apontou para uma loja de... Ah meu Deus.

- Lingeries? - perguntei, mas no fundo segurava a risada. - tarado!

- Não aquela loja, a outra, sua idiota!

Olhei com mais atenção, era uma porta com aquele aviso que tem em todo lugar: "Só permitida a entrada de funcionários".

- Vamos logo antes que ele nos ache - Taehyung foi na frente seguido por mim e Suga. A maior dificuldade foi abrir a porta, mas depois que entramos vi um enorme corredor.

- Abaixa! - sussurrei ao ver Hoseok passando pela porta e assim fizemos.

- É cada coisa que me metem - resmungou Yoongi - se algum dia eu for preso vou fazer questão de mandar vocês!

- Pare de reclamar, você poderá dizer para seus filhos algo como...- Taehyung começou a pensar.

- Que tal "ah, filho, sabia que aos 17 anos eu e outros 8 amigos fomos pra cadeia? Motivos? Você nem acredita, invadimos a  Casa Branca! Olha que legal! " - falei imitando o Suga.

- EU NÃO FALO ASSIM! - disse rindo

- Amei a ideia da Casa Branca, que tal tentarmos qualquer dia desses? - Taehyung questionou, nos fazendo rir outra vez.

[...]

Estávamos voltando para nossas casa, o final de semana havia sido bem divertido, uma pena ter acabado. Aos poucos, os meninos foram se despedindo e ficando cada um em sua casa, mas como sempre, a sorte não me convém, então eu fiquei sozinha com o Suga. Graças a Deus, dessa vez ele estava até que legalzinho.

- Já sabe o que vai fazer quando sair da escola? - perguntei curiosa enquanto atravessavamos a rua.

- Sim, quero entrar em alguma gravadora - falou com um brilho nos olhos.

- Hip-hop e Rap? - perguntei - Ou vocal? Talvez dance? Não sei qual combina com você para falar a verdade...

- Não sou bom em vocal - deu de ombros. - Danço bem mas prefiro guardar esse dom só para mim. Hip Hop e Rap são as melhores alternativas até então. - seu celular começou a tocar - Me dá um minuto?

Assenti, e continuamos o resto do caminho, Suga estava bravo enquanto falava no celular, parecia brigar com alguém. Quando chegamos em sua casa, ele foi entrando e me deixando sozinha na rua, revirei os olhos. Idiota fui eu que achei que ele estava bem. Não suporto essa bipolaridade dele.

Fui para casa, e assim que abri a porta tive uma surpresa, meu pai estava em casa.

- Pai? - perguntei e imediatamente ele parou o café que estava bebendo na altura do pescoço e olhou para mim. - o que o senhor está fazendo aqui? - arqueei uma sobrancelha.

- Sentai aí, - pediu em seu tom normal - temos que conversar...- sua voz estava sem nenhum tipo de ânimo, mas também, não havia porquê.

Larguei a mochila no chão ao lado da porta, atravessei a sala indo até a mesa e me sentei, estava esperando a bomba.

- O que houve?

- Como foi seu fim de semana? - perguntou com a voz trêmula.

- Foi ótimo, me diverti muito, de verdade - falei sorrindo.

- Como estão os meninos? O Tae, Hoseok e JungKook? - voltou a bebericar seu café.

- O Tae e o JungKook bem, mas não posso dizer o mesmo do Hoseok - eu ri e meu pai me olhou confuso - Não é nada demais não, ele se machucou e na hora de passar o remédio eu esfreguei nele, apenas.

- Coitado do garoto, Park Yuha! - eu podia ver um pequeno sorriso no rosto dele, forçado como se quisesse me deixar alegre.

- Pai ...- ele levantou seu olhar para mim -  Você ainda não me disse nada, o que houve?

- Eu...fui demitido - parecia desapontado consigo mesmo.

- Não! Como assim? O senhor é o melhor funcionário daquela empresa! Não devia! Eles não podem lhe demitir assim! e como vamos nos sustentar?

- Presta atenção, Yuha - pediu, mas eu Não dei atenção, continuei falando até ele gritar. - YUHA!

- me...desculpe - pedi e logo em seguida me calando.

- Lá no meu trabalho eles prezam a saúde do funcionário, descobriram que eu tenho uma doença.

Ouch.

Botei as mãos na cabeça, comecei a ficar desesperada, queria falar mil e uma coisas, mas fiquei calada em respeito ao meu pai.

- Leucemia...- sussurrou baixo, mas eu ouvi e muuuuito bem.

- Mas que diabos...- não pude completar.

- olha a boca! - me corrigiu.

- Pai, esse tipo de doença não se descobre assim do nada, tem todo o processo de evolução da doença. - eu sabia muito sobre isso, a avó do Tae morreu de leucemia e ele passou 2 meses falando de leucemia. - Se for para ser assim o senhor tinha que ter essa doença a quantos anos? 7 anos atrás, deve ter havido um erro no diagnóstico.

No fundo eu só queria que ele me dissesse que tudo isso não passava de uma brincadeira, e de muito mal gosto!

- Não, não, Yuha, não foi um erro. Eu só não queria lhe contar  eu tenho leucemia desde o dia que seu irmão foi embora - ao lembrar do Jimin, ele parou de falar, a boca estava trêmula, e os olhos batendo, então desabou em lágrimas.

Fiquei perplexa em saber que ele tinha tal doença e nunca me avisado, olhei para minhas próprias mãos e lá estava o anel no qual eu nunca tirava, comecei a passar meus dedos nele, "Com Amor Jimin" estava escrito, não pude deixar de sorrir.

- Se o senhor morrer antes da hora, como eu vou ficar? Por favor, pai... Eu não posso ficar sem o senhor - corro até ele e o abraço.

- Eu sei ....- ele faz cafuné na minha cabeça, ainda chorava - Yuha olhe pra mim - ele pegou meu rosto com as mãos.

E assim eu fiz.

- Você é uma garota muito forte! Minha doença vai piorar a cada dia,  não sei se viverei para ver você realizar seu sonho ou para rever o Jimin... não importa o que acontecer, vou estar com você, vou apoiar você até os meus  últimos segundos - ele deu um beijo sincero na minha testa.

-Me promete uma coisa? - pedi fazendo o mesmo enxugar as lágrimas.

- Qualquer coisa, filha - sorriu.

Segurei fortemente suas mãos.

- Não vá tão cedo - o mesmo ficou sem reação, então eu levantei, atravessei a sala novamente pegando minha mochila e subi para meu quarto.

Era uma pena tudo isso, logo agora... E eu sei que ele não pode adiar a morte, ela é traiçoeira e só aparece nos piores momentos.

Assim que entrei no quarto, joguei a mochila em qualquer canto e fui para o banheiro, tomei um banho gelado para afastar os maus pensamentos.

Depois, deitei na cama e peguei meu celular.

Mensagem on

Yuha: Tae...

Tae: Brotei qquerida.

Yuha: Preciso da sua ajuda... sério.

Tae: Qualquer coisa para minha querida

Yuha: Sabe aquele seu amigo? O Zico?

Tae: Sim. Óbvio *emoji revirando os olhos*

Pensei em digitar tudo o que estava acontecendo e tudo o que eu queria, mas era melhor não. Era um trabalho muito pesado.

Yuha: Deixe. Outra hora nos falamos, já são 20:00.

Tae: *emoji interrogação* Isso tá muito mal contado, falar com o Zico é o mesmo que situação ruim! Yuha, eu estou preocupado, por favor, amanhã você me explica na escola. Boa noite.

Yuha: Boa noite.

Mensagem off

Pensei em fazer alguma coisa antes de dormir, mas o inevitável sono me fez esquecer. Em menos de dois minutos, apaguei.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...