História Força da Natureza - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Lílian Evans, Lucius Malfoy, Minerva Mcgonagall, Narcissa Black Malfoy, Remo Lupin, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter
Tags Aventura, Harry, Harry Potter, Lilían Evans, Magia, Potter, Romance, Severo, Severo Snape, Snape
Visualizações 44
Palavras 2.355
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oooi, sei que demorei ma sé que fiquei sem note, ai só agora consegui postar, obrigado pelos favoritos e pelos comentários, fico tão feliz em saber a opinião de vocês, a história vai decorrer até o final da segunda guerra bruxa então tem MUITA coisa para acontecer, espero que gostem do cap.

Capítulo 16 - Patrono


Fanfic / Fanfiction Força da Natureza - Capítulo 16 - Patrono

Quando Dumbledore liberou a entrada da escada ele não imaginava que quem fosse subi-la era Severo, o garoto estava a mais de dois dias passando a noite na enfermaria enquanto Gaia ainda permanecia dormindo por sua força mágica estar absurdamente baixa.

"Não esperava você." - Disse Dumbledore o observando e apontando para a cadeira em frente a sua mesa. - "Jujubas?" - Questionou ao garoto que negou e quando Dumbledore não falou mais nada ele sentiu que poderia começar.

"Estou com uma dúvida sobre o meu patrono." - Falou direto e Dumbledore franziu as sobrancelhas enquanto o garoto retirava a varinha do bolso se concentrando em uma memória feliz. - "Expectro Patronum." - Conjurou e o patrono sai novamente sem forma, apenas fechos de luz.

"Oh." - Disse Dumbledore colocando uma jujuba na boca e fazendo uma cara desgostosa enquanto a mastigava, franziu as sobrancelhas e se aproximou um pouco mais do garoto. - "Está sem forma, achei que seria a pequena Lily para sempre." - Disse em direção ao garoto que afirmou e abaixou a cabeça, falar sobre seu patrono significava falar sobre seus sentimentos e isso era algo que deixava Severo completamente desconfortável.

"Ele ficará assim até quando?" - Questionou enquanto guardava de volta a varinha em suas vestes.

"Imagino que você não ame mais a srt. Evans, então acredito que ele está assim porque você não aceitou os novos sentimentos que vêm aflorando em você." - Afirmou Dumbledore observando profundamente os olhos negros. - "Então, isso na verdade depende de você." - Completou por fim fazendo o garoto afirmar, ele já sabia que essa seria a resposta mas ter a confirmação tornava tudo mais claro.

"Mas... Irá ficar como o dela?" - Exitou em questionar mas ele precisa fazer essa pergunta pois ela rondava sua cabeça a dias e Dumbledore era o bruxo mais poderoso que ele conhecia, o bruxo que teria e resposta para seus questionamentos internos. 

"Acredito que agora os seus sentimentos sejam livres." - Explicou Dumbledore. - "Antes, era o único amor que você conhecia então você reproduziu, e agora, é livre, pois você conhece outras formas de amor para não se agarrar fervorosamente ao primeiro." - Continuou Dumbledore didaticamente tentando parecer menos afetado por toda essa conversa do que realmente estava. - "Então acredito que a forma será a do que seu patrono realmente deveria ter sido." - Explicou por fim e Severo afirmou, o garoto possuía intensas manchas roxas abaixo dos olhos pelos dias em guarda sem dormir na ala hospitalar.

"Certo." - Concordou. - "Obrigada, diretor." - Disse por fim e Dumbledore sorriu para ele e se ergueu para acompanhá-lo até a porta.

"Você deveria dormir um pouco, ela estará segura lá." - Disse para o garoto que pensou por um segundo considerando e negou saindo da sala do diretor que permaneceu sorrindo a porta, quando ele voltou a ala hospitalar Madame Pomfrey que examinava Gaia e despejava poções em sua boca o olhou irritada.

"Acho que o mandei tomar banho e dormir sr. Snape." - Falou o fazendo soltar uma risada de canto levemente cansada. 

"E eu tomei banho, apenas não dormi." - Respondeu se aproximando observando a garota adormecida. - "Então pense que eu apenas obedeci pela metade em vez de desobedecer." - Completou e Madame Pomfrey virou o rosto para observa-lo enquanto negava com a cabeça.

"Você não pode ficar apenas indo para as aulas, tomando banho e passando o resto do tempo aqui, isso pode prejudica-lo." - Falou para o garoto. - "Ela irá ficar bem, eu tenho certeza disso." - Falou e o garoto afirmou abaixando a cabeça, ele já estava cansado de ouvir coisas como o que Madame Promfrey havia acabado de dizer, ele sabia que ela ficaria bem essa não era a questão mas sim quando ela ficaria bem. 

"Eu só preciso ficar." - Falou e Madame Pomfrey desistiu de tentar enquanto suspirava pegando os fracos vazios de poções e os carregou com ela para dentro.

Severo permaneceu lá até adormecer na cadeira que depois do primeiro dia ele havia transfigurado em uma poltrona confortável, mas não muito tempo depois ele acordou em um sobressalto com barulhos de passos rápidos se aproximando e quando seus olhos se acostumaram ele pode observar Bellatrix com a varinha apontada para Gaia, pronta para amaldiçoa-la. 

"Que covarde de sua parte Bella, matar alguém que está indefeso porque sabe que se estiver acordado você não pode com ela." - Provocou, a voz ainda rouca do sono enquanto ele retirava a varinha das vestes e se erguia. 

"Ela precisa morrer, ela quase matou nosso mestre." - Falou olhando para o garoto e se aproximou dele deixando seus rostos praticamente colados. - "Você pode ficar comigo Severo, eu largo Rodolfo, o Lorde das Trevas com certeza aprovaria." - Falou, a falta de razão transparecendo em sua voz e Severo bufou em um misto de risada erguendo as sobrancelhas.

"Por que eu iria querer ficar com você?" - Questionou o óbvio de volta deixando a garota claramente irritada e então sem respondê-lo Bellatrix se voltou para a maca onde travou ao ver que a garota havia acordado, Severo soltou um suspiro de alívio forçando seus olhos a piscarem para ele ter certeza que era real o que via e se aproximou dela a abraçando com força contida para não machuca-la.

"Você acordou." - Ressaltou mais para si do que para os que estavam ao redor, o som dos saltos de Bellatrix se afastando foram ouvidos, ela  fugia com medo do que poderia acontecer caso fosse pega. 

"Quanto tempo eu dormi?" - Questionou para o garoto a voz fraca enquanto ele despejava a água da jarra em um copo para dar a ela no momento em que Madame Pomfrey entrou na enfermaria.

"Mais de dois dias." - Respondeu entregando o copo de água a ela que inclinou a cabeça e bebeu todo o conteúdo voltando a se deitar. 

"Vejo que está bem querida." - Afirmou Madame Pomfrey se aproximando mais com a varinha para poder fazer os exames, enquanto Bellatrix voltava ao dormitório da Sonserina furiosa batendo os pés ao chão. 

Quando chegou ao salão comunal encontrou Lucius a aguardando ansiosamente, o plano havia sido realizado por ela, evidentemente ele sabia que agir naquele momento, dentro de Hogwarts com Severo de guarda não traria sucesso. 

"Eu não consegui, Severo parece um cão de guarda." - Afirmou em um tom mais alto do que deveria e o garoto loiro segurou seu braço com força a puxando para mais perto.

"Fale baixo." - Repreendeu enquanto a garota ofegava assustada pela aproximação. - "Eu tenho um plano." - Disse apenas e a soltou fazendo com que ela desse alguns passos para trás buscando equilíbrio enquanto o garoto se virava de costas para ela.

"Que plano?" - Questionou e ele olhou ao redor mas apenas negou, os cabelos loiros brilhando enquanto ele balançava a cabeça. 

"Você não precisa saber, mas ele definitivamente trará Severo para o nosso lado, assim como o Lorde das Trevas fervorosamente quer." - Afirmou e a fez rir em escárnio enquanto se aproximava mais dele.

"E existe algo melhor que mata-la?" - Questionou Bellatrix e ele afirmou.

"Sim, podemos usar o cérebro." - Falou rude voltando a olhar para a garota. - "Ou acha que tentar matar ela dentro de Hogwarts ainda é a melhor opção?" - Ressaltou o óbvio e Bellatrix negou se aproximando do cunhado.

"Precisamos trazer Severo para o lado certo." - Afirmou Bellatrix e Lucius bufou revirando os olhos.

"Sim, iremos." - Afirmou e se virou para sair arrumando o paletó e indo em direção ao dormitório.

Andrômeda encostou na parede se esforçando para não ser vista pelo cunhado, ela havia ouvido tudo e não sabia o que realmente fazer com aquela informação, queria se manter o mais longe de Lucius e de sua irmã pois sabia o quanto ela era perigosa.

Bellatrix sempre fora assim, a sua alma sempre puxava para o lado negro, mesmo que alguns acreditassem que não existissem pessoas boas nem más apenas ações, grande parte de Hogwarts discordava e Bellatrix com certeza tendia para o lado ruim, mas da visão de sua família isso era ótimo, ela era ovacionada e agradada enquanto na verdade Sírius era a uva pobre da árvore dos Black, por sua tendência a bondade, mesmo que seus atos não fossem tão bons ele estava do lado que todos julgavam ser correto e por hora deveria bastar.

Alguns dias depois quando Gaia estava sentada debaixo de uma árvore no jardim próximo a estufa lendo o livro Frente ao Irreconhecível de defesa contra as artes das trevas sentiu os passos de Severo na grama enquanto ele se aproximava e sentava em sua frente retirando o livro de sua mão e o fechando.

"Sim?" - Ela questionou erguendo as sobrancelhas ruivas enquanto escondia o sorriso que queria transparecer pelos seus lábios.

"Quero conversar com você." - Disse ele se aproximando um pouco mais e Gaia permaneceu quieta para que ele continuasse, ele colocou o livro ao lado na grama e suspirou tomando as mãos dela nas suas as segurando fortemente. - "Quando achei que havia morrido, ou que ficaria dormindo para sempre, a única coisa que me arrependi foi de não ter sido corajoso o suficiente para lhe dizer o que sinto." - Parou para respirar e Gaia não fez menção de falar tentando o deixar confortável mas ele continuou antes que ela conseguisse pronunciar qualquer palavra. - "Eu não poderia me perdoar se você tivesse ido embora me deixando todo seu amor sem eu entregar-lhe o meu de volta." - Dessa vez ela chegou a abrir a boca para falar mas ele negou com a cabeça a calando, os olhos verdes cintilando focados nos negros olhos ansiosos de Severo. - "Eu sei que você acredita que eu esteja lhe falando isso porque passamos por aquela situação, mas não acredite nisso, pois é mentira, eu sinto o que sinto por você a muito tempo antes daquilo, eu só gostaria de ter sido mais corajoso para lhe falar antes, mas agora eu estou seguro e roubei um pouco da sua coragem Grifinória e quero falar." - A essa altura os olhos da garota eram mais claros por causa das lágrimas presas neles, Severo sorriu e aprofundou o olhar alcançando a alma de Gaia e ela a dele. - "Eu amo você." - Disse finalmente sentindo seu peito expandir com felicidade o banhando e o sorriso da garota sendo a melhor coisa que ele já havia visto em sua vida. - "E eu quero que as pessoas saibam, eu quero que estejamos juntos oficialmente." - Começou nervoso desviando levemente o olhar enquanto as sobrancelhas da garota se erguiam. - "Você gostaria disso?" - Questionou e Gaia sorriu levando as mãos para o rosto do garoto.

"Esta me questionando se quero namorar com você?" - Perguntou e Severo sorriu afirmando.

"Bem, no mundo bruxo não existe o termo namorar, seria cortejar e pedi-la em casamento, mas sim, estou." - Falou por fim ansioso pela resposta da garota.

"É claro que eu aceito, Severo." - Falou sorrindo puxando o rosto do garoto para mais perto e depositando um beijo leve em seus lábios, então Severo se afastou decidido a mostrar algo a ela e se ergueu focando neste momento que acabará de ser tão feliz.

"Espectro Patronum." - Ele conjurou e os fechos de luz deixaram sua varinha e estavam se juntando em alguma forma, Gaia franziu as sobrancelhas mas sorriu de boca aberta quando viu o dragão muito similar ao dragão olho-de-opala se formar a sua frente e ir até ela buscando por contato, então ainda sorrindo ela esticou a mão e tocou a face do dragão que aceitou seu contato e se desfez em seguida.

"Um dragão, e a corsa?" - Questionou ela, Severo ainda estava maravilhado por seu patrono ser um dragão, se perguntando se existia alguma outra pessoa que pudesse conter um patrono tão imponente e raro quanto o dele.

"Ela se foi." - Afirmou ele e Gaia entendeu por fim, Lílian havia ido de seu coração, o carinho permanecia e ele sempre lembraria da garota com afeto mas seu amor era para Gaia agora.

"Um dragão, combina com você." - Disse ela sorrindo e se ergueu se encostando na árvore. - "Ele representa transformação, mas ele era muito familiar com um olho-de-opala que é um dragão completamente mal compreendido." - Afirma ela enquanto ele se aproxima ouvindo ela falar. - "É perfeito para você." - Diz por fim sorrindo e ele dá de ombros um pouco desconfortável com a afirmação.

Severo fixa seus olhos nos dá garota, seu amor lhe deu tanto poder que seu patrono havia se tornado um dragão, ela havia libertado em todos os sentidos, ele jamais poderia demonstrar tamanho sentimento que habitava seu peito quando tomou os lábios dela e a prensou com mais força na árvore enquanto pedia passagem para sua língua que ela concedeu levando suas mãos a nuca do garoto e o beijando de volta.

"Hagrid adoraria saber isso." - Disse ela por fim quando eles se separaram e Severo riu.

"Sim, de fato, ele adoraria, mas vamos manter em segredo." - Falou deslizando a costa de uma das mãos pelo rosto dela. - "E o seu patrono, o que é?" - Questionou e ela sorriu.

"Um cavalo." - Respondeu feliz, ela adorava o patrono que possuía e seu significado.

"Um espírito livre que representa força, não poderia combinar mais." - Falou ele rindo.

"Talvez sim, talvez não." - Brincou segurando na gravata verde floresta e prata da Sonserina o puxando para perto.

Severo agora estava mais aliviado, essa parte de suas vidas havia sido definida, havia muitas coisas para enfrentar posteriormente, mas essa finalmente havia sido solucionada, aberto sobre seus sentimentos como nunca conseguiu fazê-lo era um passo gigantesco. 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...