História Forever. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Jaemin, Jisung
Visualizações 110
Palavras 1.046
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


hoje vamos de chanbaek hehehe

Capítulo 1 - .one shot


  Estava deitado - lê-se cochilando - em sua belíssima cama quando ouviu um estrondo ao lado. Ainda sonolento, tentou assimilar o som a algo, lembrando de que seu celular estava no modo de vibração em cima do criado mudo.

Com o celular em mãos, abriu o aplicativo de mensagens e viu que estava ferrado. Haviam 6 ligações perdidas do namorado. Tinha se esquecido do encontro que teriam há 2 horas atrás.

Chanyeol se desesperou. Sabia que Baekhyun se chateava muito facilmente e dificilmente o perdoaria por ter esquecido esse encontro dos dois, já que seria para comemorar a promoção do menor em seu trabalho.

Saiu às pressas, tropeçando em tudo o que via pela frente. Entrou no carro e saiu rumo a casa do namorado.

Assim que chegou em frente a casa, desligou o automóvel, apoiou a cabeça no volante e respirou fundo. Sabia que iria ouvir um monte.

Desceu do carro e se dirigiu até o portão, onde havia o botão da campainha e o apertou. Em poucos minutos Baekhyun havia aparecido. O maior já estava preparado para ouvir os gritos do baixinho, porém o que aconteceu o pegou de surpresa: Baekhyun correu para seus braços. O abraçou como se necessitasse disso para viver. E realmente necessitava.

O maior retribuiu o abraço e ouviu soluços baixinhos vindo do pequeno em seus braços.

— Vem! Vamos para dentro. – Chanyeol o puxou para entrarem.

Assim que entraram pela porta da sala, Baekhyun se jogou no sofá, chamando o maior com o dedo indicador para que se sentasse ao seu lado. Quando Chanyeol se sentou, o menor apoiou sua cabeça em seu ombro e começou a chorar desesperadamente. O maior nada falou, apenas o abraçou e deixou que desabafasse. Perguntar o que tinha acontecido só o deixaria pior. Deixaria que o contasse naturalmente.

— Você sabe o quanto eu te amo, não sabe? – Baekhyun começou, com a voz trêmula.

— Sei sim, meu amor. Te amo com a mesma intensidade.

— Desculpa por não ter ido ao nosso encontro. – Por um momento, Chanyeol quis rir, mas vendo o estado do menor, apenas o abraçou.

— Está tudo bem, meu anjo.

— Tem uma coisa que eu preciso te contar. – Chanyeol inclinou a cabeça, incentivando o menor a continuar. – Eu vou para Nova York. Meu pai descobriu nosso namoro. Ele não quer que eu fique nem mais um dia aqui.

— O que? – Os olhos de Chanyeol já estavam marejados. – Isso não pode ser verdade. Como ele ousa te tirar de mim?

— Por favor, promete que vai me esperar? Promete que nunca vai me esquecer? Promete que eu sempre serei o amor da sua vida? – Baekhyun disse, voltando a chorar.

— Eu prometo, meu amor. – Chanyeol estava aos prantos também. – Para sempre.



                      .



Baekhyun já estava há 3 anos em Nova York e Chanyeol já estava quase morrendo de saudade. Todos os dias se lembrava dos beijos que trocavam, do carinho que recebia em seus cabelos, do sexo maravilhoso que faziam. Tudo isso fazia o pobre coração do Chanyeol se quebrar em pedacinhos. Tanto que ele se revirava na cama e não conseguia dormir. Virava de um lado e nada. Virava do outro e nada. Deitava de bruços e nada. Já havia desistido de dormir e começou a jogar qualquer coisa no celular. Até que ouviu batidas em seu portão.

Nas pontas dos pés e com um caderno (acreditava que podia usar como arma, já que foi a única coisa que viu no momento) em mãos, se encaminhou até o portão. Pronto para dar uma cadernada em quem fosse que estivesse ali àquela hora, abriu lentamente o portão.

Quando finalmente viu quem estava ali, sua boca se abriu em surpresa e o caderno foi parar no chão. Byun Baekhyun em carne e osso bem ali, em sua frente.

— Não vai nem me dar um abraço? Que tipo de namorado você é? – Baekhyun se divertia vendo a cara de bobo do namorado.

— Meu Deus!

— O próprio!

— Eu te amo tanto! – Chanyeol disse - lê-se gritou - puxando o menor e o abraçando (apertando). – Por que não avisou que viria?

— Estragaria a surpresa e eu não veria essa sua cara de bocó.

— Ei! – Fingiu estar ofendido. – Vem, vamos para dentro, neném.

— Amor. – Baekhyun chamou, já dentro da casa.

— Hm?

— Você deixaria eu morar aqui? – Perguntou meio sem jeito.

— Você ainda pergunta? Por mim, você já estaria morando aqui há muito tempo. Aliás… – Falou e saiu do cômodo, deixando um Baekhyun confuso. Retornou com uma das mãos fechada. Quando abriu, revelou duas alianças douradas. – Comprei para quando você voltasse, olha só que coincidência. – Ajoelhou-se. – Byun Baekhyun, quer se casar comigo? Depois de tudo o que a gente passou, depois de todos esses anos separados, quer passar o resto de nossas vidas comigo?

— Claro, meu amor. Eu te amo muito. – Baekhyun falou, os olhos marejados cheios de amor e surpresa.



                      .



— Ei, Jaemin, não pode mexer aí! Jisung, desce já daí! – Baekhyun repreendia os filhos. – Esses meninos ainda me matam um dia.

Baekhyun e Chanyeol já estavam casados há 2 anos e meio e haviam adotado Jaemin e Jisung, já que o sonho de Baekhyun era ser pai.

— Não exagera, vida. Eles são uns anjinhos.

— Anjinhos?? Você diz isso porque trabalha o dia inteiro e não vê as coisas "abençoadas" que esses "anjinhos" fazem. – fez aspas com os dedos.

Rindo, Chanyeol apenas se levantou da mesa onde tomava café da manhã, deixou um leve selar na testa do esposo, se despediu de seus filhos e foi trabalhar.

Quando voltou para casa, encontrou a cena mais linda que seus olhos já capturaram: Baekhyun dormindo no sofá com seus filhos. Seus olhos marejaram e rapidamente pegou o celular do bolso e registrou esse momento. Não queria esquecer essa imagem nunca.

Baekhyun despertou de seu cochilo e encontrou o par de olhos do seu marido em cima de si. Pegou Jisung no colo, enquanto Chanyeol pegava Jaemin para colocá-los em seus quartos.

Assim que saíram dos quartos das crianças, os dois foram para seu quarto. Deitaram juntinhos e apreciaram a companhia um do outro.

— Valeu a pena esperar. Olha a família linda que formamos. Estou orgulhoso de nós.

— Te esperar foi dolorido. Sentia sua falta todos os dias. Mas a minha recompensa foi a melhor que eu poderia receber. Obrigada por me fazer o homem, marido e pai mais feliz do mundo. Eu te amo.

— Viva nós!

— Viva nós!


Notas Finais


bem soft mesmo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...