1. Spirit Fanfics >
  2. Forever 'adaptação' Ruggarol >
  3. Capítulo 22

História Forever 'adaptação' Ruggarol - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Oiê! 💞

Capítulo 23 - Capítulo 22


RUGGERO PASQUARELLI

Depois de pegar a garrafa de Motrin do armário de banheiro, eu entrei na sala e fui direto para o bar. Sacudindo duas pílulas na minha mão, eu pus na minha boca engolindo-as com um copo de uísque. 

"Você não acha que é um pouco cedo para começar a beber?” Gastón disse quando ele entrou na sala e sentou-se na cadeira de couro. 

"Nunca é cedo demais para começar a beber. Quer um?” Perguntei quando eu segurei o meu vidro. 

Com um aceno de sua mão, ele recusou educadamente.

 "Você e Karol estão bem?” 

"Mais ou menos. " Eu suspirei.

"Eu disse que ela estava indo pra descobrir que você sabia que Candelária estava fora da cadeia. Será que ela descobriu como você a seguiu?” 

"Sim", eu disse quando me sentei no sofá.

"Eu avisei, Ruggero. Eu lhe disse que não era uma boa ideia manter segredos dela.” 

"Como se eu tivesse escolha. Olha o que ela fez.”

"Exatamente! Ela teria feito isso de qualquer maneira. Então, não teria sido melhor dizer a ela desde o início? Porque se você me perguntar, a dor que ela está sentindo agora é muito pior.” 

"Sim, bem, o que dizer de mim e como eu estou me sentindo, Gastón? Ela mentiu pra mim. Ela mentiu sobre o que ela estava fazendo e para onde estava indo hoje.” 

"Você mentiu, ela mentiu. Vocês dois são perfeitos um para o outro. Ouça, Ruggero, eu sei por que você fez, e o que fez, e eu sei porque Karol fez o que fez. A verdade da questão é que, ao final do dia, independentemente de todas as besteiras que passou anteriormente, você dois se amam. Eu vou te dizer algo, porém, que você foi um bastardo de coração frio com ela na limusine e, no hospital.” Levantei-me do sofá, caminhei até o bar e servi outro uísque. 

"Não comece com isso, Gastón. " Eu suspirei. 

"Eu vou dizer sim. Sua esposa, a mãe de seu bebê, está lá em cima com pontos na cabeça por causa dessa menina psicopata, e em vez de pedir desculpas a ela e consolá-la, você está aqui, jogando-se no uísque.”

"E falando com você, gostaria de acrescentar:" Eu disse com irritação. "Você conhece Karol, e você sabe como ela pode ser. Ela está chateada, e ela disse-me para deixar o quarto, porque ela precisava de espaço.” 

Gastón levantou-se da cadeira e começou a andar em direção ao elevador. Ele parou, virou-se, e me lançou um olhar. 

"Você vai se sentir como um burro em breve. " Ele sorriu. 

"Que diabos isso quer dizer?” Eu gritei quando as portas do elevador se fecharam. 

Quando eu suspirei e caminhei até o bar para estabelecer o meu copo, eu ouvi a porta do elevador abrir. No início, eu pensei que era Gastón, mas fiquei agradavelmente surpreendido quando eu olhei e vi Agus e Cristal. 

"Não é a minha menina. " Sorri quando a peguei dos braços de Agus.

"Você se divertiu no parque?”

"Nós tivemos um tempo fabuloso. Ela fez os amigos mais incríveis e todos a amam.” 

Eu olhei para Agus em confusão. 

"O quê?”

"Uma vez por semana, eu me encontro com outras babás com seus bebês no parque. Você não iria acreditar nas histórias que me contam sobre as famílias que trabalham, e eu apenas sento lá e me gabo de você e Karol. Falando da Diva Girl, onde ela está?” 

"Ela teve um pequeno acidente, e ela está lá em cima deitada.”

"O quê?” Agus exclamou. "O que aconteceu?”

"Ela caiu e bateu com a cabeça e precisava de alguns pontos. Ela está bem.”

Agus colocou a mão sobre sua boca. 

"Será que ela caiu aqui?”

"Não. É uma longa história. Ela vai te contar tudo sobre isso amanhã. Ela precisa descansar.” 

"Você precisa de mim para cuidar da princesa por mais algum tempo?”, perguntou ele. 

"Não. Considere-se livre durante todo o dia. Vá para casa e relaxe. " Eu sorri.

"Se precisar de mim, é só chamar.”

"Obrigado, Agustín. Eu vou,”eu disse enquanto a porta do elevador fechava.

Olhei para Cristal e beijei a ponta de seu nariz. 

"Eu amo você, menina.”

Tomei Cristal no andar de cima, mudei a fralda, e, em seguida, caminhei até o meu quarto. Karol ainda estava dormindo sobre a cama. O curativo na testa começou a trazer de volta as lembranças de quando eu quase perdi ela. Mas também me fez lembrar de quão perto nós ficamos durante esse tempo. 

Eu sorri enquanto eu olhava pra ela e depois para Cristal, que também estava olhando pra ela. Minhas emoções estavam correndo em profundidade com os acontecimentos do dia. Eu ainda estava tão zangado com ela por ter mentido para mim e ido ver Candelária. 

Cristal começou a balbuciar, e Karol abriu os olhos. Quando ela olhou para Cristal, ela estendeu a mão. Fui até a cama e sentei, assim Karol podia tocá-la. 

"Oi, menina", disse ela enquanto ela segurava a mão de Cristal.

"Como está sua cabeça?” Eu perguntei a ela.

"Dói", ela disse enquanto olhava para baixo. "Eu ainda estou muito brava com você.” 

"E eu ainda estou com raiva de você.”

Karol sentou-se e estendeu os braços. Entreguei Cristal até ela e ela a levou e a abraçou com força. Então Karol começou a chorar. 

Quebrou meu coração vê-la sentada ali, segurando Cristal e chorando.

"Baby, não", eu sussurrei.

"Você não estava lá. Você não ouviu quando essa cadela ameaçou a nossa filha.”

Suspirei quando meu telefone tocou. Puxei-o do bolso e vi que era Lou chamando. 

"Olá, Lou", eu respondi quando me levantei da cama. "Sim, esta noite vai ficar bem, vejo você, então.” 

"O que foi?” Perguntou Karol.

"Lou está vindo hoje à noite para discutir os acontecimentos de hoje.”

Karol não disse nada. Ela colocou Cristal na cama e se levantou e caminhou até o banheiro. Depois de alguns momentos, eu fui para ver como ela estava. Ela estava em pé na frente da pia, olhando-se no espelho. 

"Eu não tenho arrependimentos pelo que fiz hoje", disse ela.

"Eu não quero discutir mais nada agora", eu disse enquanto eu estava na porta.

"Isso é bom. Eu apenas queria que você soubesse que, como você, eu não vou deixar ninguém te machucar ou destruir a minha família,” disse ela enquanto me empurrava para fora do caminho e saia do banheiro. 

Ela pegou Cristal da cama e levou-a lá em baixo. Enquanto eu estava ali, contemplando o que fazer em seguida, uma mensagem de texto veio através de Valentina. 

"Estúdio de Karol está terminado, se você quiser vir dar uma olhada.”

"Obrigado, Valentina, vou descer", eu respondi.

Karol estava na cozinha, aquecendo uma mamadeira para Julia quando desci.

"Valentina me mandou uma mensagem que o seu estúdio de arte está pronto. Eu disse a ela que estaria certo indo lá.”

"Tudo bem", ela disse enquanto segurava Cristal e agarrava sua mamadeira.

Entramos no elevador e seguimos até o décimo andar. À medida que saímos, Valentina estava parada com a porta aberta. Ela deu uma olhada para a cabeça de Karol e imediatamente ficou preocupada. 

"Karol, o que aconteceu?” ela perguntou com simpatia quando Karol entregou Cristal pra ela. 

"Eu caí e bati com a cabeça. Eu estou bem.”

Entramos dentro do apartamento, que foi finalizado com perfeição. Quando

Karol sorriu, eu poderia dizer que ela estava satisfeita com tudo que foi feito.

"Obrigado, Valentina. Eu te amo!,” ela exclamou. "Eu não posso esperar para começar a pintar.” 

Fui até Valentina e lhe dei um beijo na bochecha. 

"Obrigado, irmã. É lindo. Você realmente se superou.” 

"Você é bem-vindo. Agora, eu tenho que ir. Mike e eu estamos levando Luck para jantar.” 

"Divirta-se. " Karol sorriu quando ela lhe deu um abraço.

Tomei Cristal dela e continuei a alimentá-la quando Valentina deixou o apartamento. Karol ficou na frente do cavalete que tinha uma grande tela em branco sobre ela. 

"Vou começar esta pintura amanhã", disse ela.

"Você está feliz?”

Ela olhou para mim com um olhar irritado e saiu do apartamento sem dizer uma palavra.

Olhei para Cristal e suspirei.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...