1. Spirit Fanfics >
  2. Forever and Ever >
  3. Capitulo 4

História Forever and Ever - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


BROTEI!
Em pleno auge do corona, aulas canceladas e eu escrevendo fanfic? Sim
Boa leitura!

Capítulo 4 - Capitulo 4


Oliver estava sentado na cama de hospital ao lado de Laurel, acariciando o rosto avermelhado dela. A loira dormia profundamente, enrolada em um cobertor branco e segurando a mão do marido como se fosse uma âncora de salvação.

Mais cedo naquele dia, os resultados dos exames tinham ficado prontos. E infelizmente, Laurel tinha o que Oliver mais temia: câncer no estômago, estágio dois.

Calmamente, ele tinha se ajoelhado ao lado da cama e explicado tudo para Laurel, que ficou alguns minutos o encarando com seus grandes olhos verdes, sem querer acreditar no que estava acontecendo. E depois que parte do choque passou, ela desatou a chorar nos braços de Oliver, que a segurou com ternura e acariciou seus cabelos, até que ela adormecesse.

A única coisa que aliviava um pouco a preocupação de Oliver era saber que John Diggle - popularmente conhecido como Dig - estava o ajudando em tudo que se relacionava a doença de Laurel, dando a ele mais tempo para ficar ao lado da esposa e, dependendo do que precisasse ser feito, não ser ele a lhe infligir tanta dor.

O que ele mais temia naquele momento era não poder salvá-la. Oliver simplesmente não conseguia imaginar um mundo sem Laurel Lance. Ela era tudo para ele, era a casa dele.

Eles se conheceram no ensino médio. Ele não passava de um playboy irritante e ela era apenas uma menina bonita focada nos estudos e silenciosa. Até que um dia, ele roubou o livro que ela estava lendo -A Culpa é das Estrelas, de John Green - e escondido dentro de seu armário no vestiário masculino. Laurel ficou tão irritada que literalmente invadiu o lugar e colocou Oliver contra a parede, o forçando a devolver o livro. Depois daquele dia, ele começou a perturbá-la, até perceber que estava apaixonado por ela…

-Você está chorando - uma voz fraquinha o tirou de seus pensamentos, o obrigando a enxugar as lágrimas.

-Não tô não - Oliver garantiu, acariciando a mão da esposa com o polegar.

-Ollie, por favor, não chore por mim - Laurel pediu, o encarando com seus grandes olhos verdes - eu vou ficar bem.

-É que eu não gosto de te ver com dor - ele admitiu, levanto uma mão até o rosto dela e acariciando sua bochecha com o polegar.

-Ei, estou nas mãos dos melhores médicos do mundo - ela ofereceu a ele um sorriso, que ele percebeu ser forçado - vou ficar boa logo.

-Lindo pássaro, você sabe que se sentir medo pode me falar - ele garantiu.

Laurel não teve tempo de responder, pois naquele minuto, a porta se abriu, revelando Dig e uma enfermeira. Nas mãos da enfermeira, estava uma bandeja que continha uma sonda e os materiais necessários para colocá-la.

-Oi Laurel - Dig tocou o joelho dela e em seguida apertou o ombro de Oliver - você explicou a ela?

-Nós vamos inserir uma sonda - Oliver explicou - para coletar material do seu estômago para uma análise. Sim, eu expliquei.

Dig encarou Oliver por alguns segundos, sem saber o que responder para o amigo. Então, simplesmente esticou a mão e lhe deu um tapa na nuca, fazendo Laurel rir e a enfermeira os observar como se fossem totalmente loucos.

-Agora vamos a conversa séria - Dig abriu a sonda, enquanto Oliver ajudava Laurel a ficar numa posição um pouco mais sentada.

-Pode ser um pouco ruim - Oliver explicou, colocando o cabelo dela atrás da orelha e beijando sua bochecha - mas é só no começo - Dig entregou para Oliver uma gaze com soro, que ele pressionou em volta do nariz da esposa - sabe como funciona?

-Um pouco - Laurel admitiu com voz baixa.

-Você só vai precisar engolir conforme formos colocando - a enfermeira explicou, medindo o comprimento da sonda no rosto de Laurel e fazendo algumas marcações.

-Tô aqui - Oliver se ajoelhou ao lado da cama e suas mãos cobriram a mão de Laurel - pode apertar minha mão se doer, não vou sair do seu lado.

-Está pronta? - Dig perguntou, com um tom de voz calmo.

Laurel assentiu com a cabeça e fechou os olhos, enquanto a enfermeira colocou as mãos em sua nuca e inclinou sua cabeça um pouco para frente, quando Dig introduzia a sonda nasogástrica.

Oliver olhava a cena com dor no coração, enquanto segurava a mão da esposa e às vezes depositava um beijo nas costas da mão dela, tentando transmitir algum conforto.

Não foi surpresa para ele quando as lágrimas brotaram nos olhos dela e ela começou a tossir. Oliver sabia que era totalmente normal, mas mesmo assim não pode deixar de ficar assustado.

-Você precisa engolir - Dig pediu, num tom de voz angustiado, parando por um momento de empurrar a sonda.

-Não - Laurel pediu, com a voz fraca e as lágrimas escorrendo.

-Minha linda por favor - Oliver nem mesmo se deu conta que estava chorando, pois sabia que aquela vez seria a primeira de muitas que ela teria que enfrentar.

Ao ouvir a voz do marido e ver o rosto dele molhado por lágrimas, Laurel fez o que estavam mandando, tento um ataque de tosse assim que Dig terminou de empurrar a sonda e fez os testes.

-Pronto - Oliver a abraçou - passou.

****

Belle estava literalmente deitada no chão do quarto, encarando o teto. Já tinha passado da hora que tia Laurel geralmente vinha visitá-la, a menina tinha começado a ficar preocupada.

Ela tinha ficado sabendo através de tia Lauren que Laurel estava doente, mas não sabia o que era. Será que ela tinha morrido? Não, não! Belle não iria conseguir suportar isso.

Levantou do chão, colocou sua touca de peixe e saiu do quarto, determinada a encontrar tio Oliver.

Caminhou o mais silenciosamente o possível pelos corredores e conseguiu chegar ao escritório dele - não era difícil achar, era só procurar a porta onde tinha uma coroa escrito Oliver e por cima uma touca de bobo da corte pendurada por tia Laurel, onde também estava escrito “Oliver” - mas para sua decepção, não tinha ninguém lá.

-O que está fazendo aqui, pequenina? - a doutora Eliza se ajoelhou ao lado de Belle.

-Estou procurando o titio Oliver - Belle respondeu.

-Por que? Você está se sentindo mau? - Eliza tocou a testa da menina em busca de febre, mas não encontrou nada.

-Não! Mas eu tô muito preocupada com a tia Laurel!

Eliza pensou por um momento se deveria ou não contar a verdade para Belle, mas acabou por decidir que a verdade era a melhor opção.

-Pequenina - Eliza pegou Belle no colo - a tia Laurel está com um câncer no estômago.

-O que? - os olhos azuis da menina se encheram de lágrimas - Ela vai morrer?

-O tio Oliver, o tio Dig e a tia Eliza vão fazer de tudo para salvar ela, eu te prometo - Eliza sussurrou, enxugando as lágrimas da criança.

-Posso ver ela?

-Claro - Eliza se levantou, ainda carregando Belle, e a levou até o quarto em que Laurel estava.

Entraram sem bater e se depararam com uma cena de cortar o coração: Laurel estava acordada, os olhos cheios de olheiras, uma mão segurando a de Oliver e a outra pressionando o estômago.

-Titia - Belle pulou do colo de Eliza e correu sentar na cama ao lado de Laurel - você tá bem?

-Agora que eu te vi tô melhor - Laurel garantiu, colocando a mão no rosto da menina.

-Eu sei que você tá doente igual eu. Mas fica calma, o tio Oliver é o melhor médico do mundo! E ele vai te curar!

Ao ouvir isso, os olhos de Oliver se encheram de lágrimas e ele se afastou para um canto, para que ninguém o visse chorar. 

-Tia Laurel? - Belle a chamou, fazendo uma carinha de pensativa.

-Fala, minha princesinha - Laurel murmurou.

-Posso te dar um beijo mágico? - Belle perguntou com uma carinha inocente - Assim você melhora mais rápido.

-É claro que você pode - Laurel respondeu, sentindo os próprios olhos ficarem cheios de lágrimas.

Belle se inclinou para frente e depositou um beijo carinhoso na testa de Laurel, o que arrancou lágrimas da própria Eliza, que raramente chorava.

-Prontinho, titia - declarou a menina - agora você vai melhorar rapidinho! 

 


Notas Finais


E então? Ataque de fofura? Aham
Ah, postei uma fanfic nova chamada "Home". Ela é uum crossover de Arrow com a série Glitch. Estou apaixonada pela Elishia e pelo William, então dem uma lida lá se possível! Tem Lauricity, Dinahsiren e mais casais lá!
Comenteeeeeeeeem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...