História Forever destined - Capítulo 57


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts
Visualizações 23
Palavras 1.857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 57 - " Vem dormir comigo?"


Fanfic / Fanfiction Forever destined - Capítulo 57 - " Vem dormir comigo?"

Ak- esqueça.

Me ajeitei novamente no sofá, e o olhei.

Ak- está com fome? pois eu estou faminta.

Nós fomos até a cozinha, ainda um pouco ofegantes, e agitados, olhamos para kwan e Sook, que estavam conversando, tranquilamente, até nos ver.

Sk- meu Deus, o que aconteceu com vcs? Eu não  senti esse terremoto que teve na sala.

Kwan apenas sorriu,  e continuou a comer dá  torta como se nada estivesse acontecendo.

Eu a encarei pensando no quanto ela pode ser inconveniente, quando ela está com vontade.

Um silêncio pairou no local, sendo quebrado por um ser mais perdido que cego em tiroteio.

Hn- oi gente... Então o que eu perdi? Por que vcs tão com essas caras?

Sk- nada  ha-neul, quer um pedaço de torta?

Hn- quero sim, parece está uma delícia.

Sook colocou pra ela, pra mim, e pro kookie, que ficou meio desconfortável com a situação, mas logo Ele superou.

Enquanto comíamos a torta, que eu fiz, ele não parava de me provocar com seu olhar mais que perturbador, me deixando desconfortável.

Hn- nossa amiga, que torta deliciosa, vc vai ter que me ensinar a receita depois.

Eu sorri.

Ak- Okay, é só me lembrar.

Sk- realmente minha maninha tem talento de sobra, na culinária.

Kw- isso é verdade, desde que ela se mudou pra cá, a Sook e a ha-neul, não param de comer, e sempre que eu venho aqui é ela que prepara as refeições, e é tudo delicioso.

Eu fiquei sem graça com tantos elogios.

Ak-obrigado gente.

Jk- essa é a primeira vez que eu como algo que ela preparou, e ouvindo tudo isso posso ver que sempre irá me surpreender, em todas as áreas da sua vida, vc é como uma caixinha de surpresas, princesa.

Ele falou bem perto do meu ouvido pra que só eu ouvisse.

Jk- estou louco pra descobrir seus outros talentos.

Eu engoli em seco.

Sk- realmente Jungkook ela é uma mulher cheia de surpresas, uma mulher que tem o poder de encantar a todos ao seu redor, vc não tem ideia dá sorte que tem em tê-la como noiva, se eu fosse vc, nunca deixaria ela escapar.

Ele sorriu.

Jk- vc não precisa dizer isso Sook, eu sei muito bem o tesouro que eu tenho ao meu lado, e eu nunca vou abrir mão de tê-la, nem permitir que alguém a tire de mim, ela é só min....

Ak- tá bem! Chega vcs dois! Ou eu vou morrer de vergonha, sim eu sei que vcs me amam, que eu sou maravilhosa e tals, mas não precisam ficar expondo Isso, guarde só pra vcs.

Todos riam menos eu, que estou feito um pimentão, de tanta vergonha.

Kw- vcs dois são ótimos, desejo toda a felicidade pro casal, e espero ser convidado pro casamento, okay?

Ak- pode ter certeza de que vai ser um convidado vip.

Kw- acho bom mesmo, agora eu tenho que ir mas vejo vcs em breve, cuide bem dela em Jungkook, e foi um prazer te conhecer cara.

Jk- também foi um prazer te conhecer, e pode deixa que eu vou cuidar dessa pimentinha.

Os dois sorriram.

Sk- então tá, tchau pra vcs, eu vou acompanhar esse ser até a praça, daqui a pouco eu volto, vê se vcs não derrubam a casa enquanto isso.

Hn- não se preocupe, Eu cuido de tudo.

Sk- certo estou contando com vc.

Sook e kwan se foram, de mãos dadas e muito felizes e ha-neul, ficou nós encarando feito uma criança curiosa.

Ak- ha-neul.

Hn-sim.

Ak- vc não tem o que fazer não ? Tipo lavar uns pratos, ir dormi, talvez ? Qualquer coisa que não seja ficar nos vigiando.

Ela finalmente se ligou, no que era óbvio.

Hn- Ahh, realmente..... Acho melhor eu ir lavar os pratos.

Ak- também acho.

Hn- tchau Jungkook.

Ele sorriu, pra ela como se ela fosse uma criança que levou uma bronca.

Jk-tchau.

Ela foi lavar os pratos, e eu comecei a me dirigir até à sala, com minhas muletas parceiras.

Ak- vem comigo.

Ele me segui até lá.

Chegando lá eu me virei pra ele.

E ele imediatamente soltou o comentário.

Jk- nossa vc é tão mal.

Ak- como assim ?

Jk- sua irmã te elogia, vc corta ela, eu te faço uma declaração de amor, vc fica nervosa, sua amiga fica super feliz e animada com seu relacionamento, e vc a espanta.

Ak- a culpa é sua, estou morrendo por dentro dês de muito tempo atrás, com suas provocações, e vc sabe que eu sou tímida, e minha irmã também sabe e mesmo assim vcs fizeram isso e a ha-neul, às vezes precisa de um choque de realidade, pra perceber as coisa, mais ainda sim confesso que deveria ter sido mais doce com ela, ela não merecia.

Jk- e eu mereci?

Ak- sim mereceu! Pois de inocente vc não tem nada.

Jk- Que maldade, me julgando assim sem provas.

Eu ignorei a hipocrisia dele, e suspirei.

Ak- agora tudo o que eu quero é sossego.

Jk- então que tal se a gente fosse dar um pequeno passeio lá fora.

Eu o olhei ainda meio irritada, mas disposta a me acerta com esse ser sem limites.

Ak- Eu topo... espera ai.

Fui até meu quarto, me sentei na cadeira de rodas, e me dirigi até a sala novamente.

Jk- Que noiva mais esperta que eu tenho.

Eu sorri.

Ak- vamos.

Jk- claro.

Ele pegou no apoio e empurrou a cadeira, sem esforço.

Nós saímos de casa, e fomos andando nas ruas tranquilas, e vazias, observando o vapor de nossas respirações, fomos conversando sobre nossas infâncias, e pude perceber que tanto eu quando ele temos uma grande lacuna de paternidade em nossas vidas, o que fez,  eu me sentir  ainda mais próxima dele.

E enquanto íamos conversando meu frio ia aumentando, mas eu não quero voltar, é tão bom estar só com ele, sem ninguém pra interferir, nós nos damos tão bem, em tão pouco tempo, sempre temos sobre o que falar, ou o que fazer, o que acaba fazendo esse sentimento de destino, se tornar cada vez mais presente.

Jk- princesa vc está bem?

Eu o olhei um pouco confusa e então eu notei que já fazia tempo que eu não falava nada, e que estou toda encolhida de frio.

Ak- sim estou.

Ele tirou o palito, e me fez vesti-lo, e eu me senti renovada, é como se ele mesmo estivesse me abraçando.

Jk- porque não disse que estava com frio princesa? Vc me assustou.

Ak- desculpe, mas é que, é tão bom ficar com vc, apenas com vc, que, eu queria que esse momento durasse mais um pouco.

Ele sorriu, parecendo relaxar um pouco sua tensão, ao me ver congelando.( detalhe o kook, está agachado em frente a ela, segurando em ambos os lados da cadeira)

Jk- Eu te entendo, eu também amo ficar assim com vc, tanto que eu me perdi em nossa conversa e não notei que vc estava nesse estado, desculpe.

Ele abaixou a cabeça, desviando seu olhar do meu, e eu vendo isso, senti meu coração se partir em mil pedaços.

Ver essa expressão, no rosto do homem que eu amo, é realmente doloroso.

Eu toquei seu rosto, fazendo o mesmo voltar a me encarar, sentindo sua pele quente, em contato com a minha mão fria.

Ak- me desculpe.

Jk- pelo que?

Ak- por eu estar te tocando com mãos tão frias.

Ele sorriu.

Jk- não importa o quanto suas mãos estejam frias, seus toques sempre me aquecem.

Eu sorri, sentido o mesmo tipo de calor que ele se refere.

Então ele cobriu minha mão e fechou os olhos sorrindo.

Meus olhos marejando, ao perceber o quanto esse homem me ama, e o quanto eu quero retribuir esse amor, sendo a esposa que ele merece.

Ele abriu os olhos ainda sorrindo.

E acaricio de leve meu rosto.

Jk- vc não sabe o quanto está pálida por conta do frio, e o quanto seus lábios estão ressecados.

Ak- vc não sabe como acabou com esse momento, com poucas palavras.

Eu tirei minha mão do rosto dele, esfreguei minha mão nos meus lábios.

Jk- ainda estão ressecados.

Disse rindo do meu desespero.

Ak- cala a boca.

Eu tentei úmedecer meus lábios com a língua.

O que fez ele mudar de expressão.

Ele ficou de pé, e se inclinou segurando em ambos os apoios da cadeira, de forma que nossas bocas ficaram quase coladas e meu coração acelerado.

Jk- aposto que agora vc deve estar se sentindo bem quente.

Ak-...

Ele tocou os meu lábios com uma mão, se inclinando ainda mais.

E finalmente selou nossos lábios, iniciando um beijo lento e provocante, acariciando meus lábio com sua língua.

Depois de um tempo, Ele parou e eu fiquei perdida o encarando, pois sempre que ele me beija é assim, eu me perco por completo.

Jk- agora sim princesa, estão novinhos em folha, vermelhos e inchados do jeito que eu gosto.

Eu mordi o lábio inferior, e disse.

Ak- o seus também, vermelhos e inchados.... deliciosos.

Ele sorriu cheio de malícia.

E eu retribui.

Jk- Que tal vc retribuir o favor.

Ak- como assim ?

Jk- Eu te emprestei o meu palitó, porque vc está com frio, agora vc me empresta sua cadeira pois eu não aguento mais ficar em pé.

Ak- atá que bonito, e eu com a perna quebrada vou sentar a onde ?

Ele sorriu de forma maléfica.

Jk- no meu colo.

Eu estava pronta pra dar uns tapas nele, mas seria muita hipocrisia da minha parte fazer isso, após tudo que já vivemos, isso seria o de menos.

Ak- Eu espero que eu não me arrependa de aceitar isso.

Jk- acredite vc não vai.

Eu respirei fundo, e me apoiei no ombro dele pra me levantar e ele segurou minha cintura, pra me ajudar.

Eu me levantei e ele se sentou, e ficou me olhando, esperando por mim.

Eu engoli em seco e me sentei.

Logo senti os braços dele me envolverem pela cintura, seu queixo repousar em meu ombro, e seu abdômen e peitoral encostados nas minhas costas, sem contar o fator principal, nossas intimidades estarem tão próximas, tenho que admitir que essa posição, e uma das minhas preferidas.

Jk- relaxa princesa.

Ele disse me arrepiando, por sua boca estar tão próxima ao meu pescoço.

Eu respirei fundo.

Ak- tá bem.

Eu fui relaxando aos poucos, deitando sobre o corpo forte e musculoso, que me recebeu calorosamente, abraçando mais ainda minha cintura.

Jk- por mim a gente ficava assim até amanhã.

Eu ri.

Ak- ata, e todo mundo passando pela gente, o frio, e o desconforto.

Jk-é verdade, séria complicado, mas nada nos impede de ir lá pro apartamento.

Ak- Jungkook....

Jk- só escuta, eu não estou me referindo a sexo, estou me referindo a querer estar perto de vc, vc não faz ideia do quanto eu me senti feliz em dormir ao seu lado, em acordar e ver seu rostinho, seu sorriso, eu não quero dormir sozinho de novo, após sentir tamanha felicidade.

Ak- kookie....

Jk- diz que sim.

Ele disse sussurrando, e beijando meu pescoço.

Jk- vem e dormi comigo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...