1. Spirit Fanfics >
  2. Forgetfulness flower - Lumity >
  3. Capítulo onze

História Forgetfulness flower - Lumity - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Eu só queria dizer que a Skara é tudo pra mim.

Espero que gostem

Com flores, Atlas

Capítulo 12 - Capítulo onze


Pov Amity Blight




- Tudo bem, então estamos de acordo? - Gus disse enquanto olha para nós duas concordando e para Boscha na tela do computador, onde estávamos em chamada de vídeo.


- Vocês conseguem, caras - Ela disse com aquele sorriso familiar. Foi tão estranho não ter ela por perto, e saber que eu poderia me deixava levemente triste por não aproveitar enquanto ela estava aqui fisicamente.


- Obrigada pelo apoio, estrela - Willow disse timidamente, e eu quase suspirei ao ouvir o antigo apelido de casal que elas tinham. 


Olhei para o Gus e ele pareceu entender automaticamente o que eu estava pensando, porque concordou. O próximo passo era juntar essas teimosas de novo.


- Então, tenho que ir agora. Aula de natação - Ela disse depois de longos minutos olhando carinhosamente para a Willow, então olhou pra mim com aquele olhar brincalhão - Te ligo depois, capitã?


Boscha me chama assim desde sempre, quer dizer, na outra realidade. E é tão bom ter ela me chamando assim de novo.


- Sim, cara. Temos muito o que conversar - Eu respondi com um sorriso.


Nos despedimos dela e começamos os preparativos para o plano para tentar de alguma forma resgatar as memórias perdidas da Luz.


O plano basicamente é uma noite do pijama onde vamos reviver momentos que vivemos na outra realidade. A melhor parte desse plano é poder mostrar pra Willow as coisas que costumávamos fazer. Ela tá super animada com isso.



- Quantos minutos? - Gus perguntou enquanto ajudava Willow a levar dois colchões grandes para a sala.


Os pais dela estavam viajando e disseram que podíamos fazer a noite do pijama. As únicas regras eram: sem festas, não abram portas para estranhos, não deixem estranhos entrarem, sem álcool.


Mas eles riram enquanto diziam isso, então acho que não acreditam que a gente pode fazer algo assim.


E eles estão absolutamente certos. Por que dar festas se podemos ver filmes com os amigos? Por favor, né.


- Tá na hora - Eu respondi enquanto me jogava de costas no colchão - Você abre pra ela.


Gus se jogou do meu lado e olhou seriamente pra Willow concordando.


- Vocês são ridículos - Ela disse rindo, mas mesmo assim foi abrir a porta quando a campainha tocou.


Assim que Luz entrou na casa eu soube. Seu perfume era o mesmo desde que ela tinha 14 anos, e eu simplesmente amava isso porque era tão... ela.


Ela estava com um pijama fofo de lontra e uma touca protegendo o cabelo bagunçado, e caramba, ela nunca esteve mais linda.


- Ei, caras - Ela disse parecendo extremamente animada - Prontos pra Como treinar seu dragão?


Ela deu pulinhos depois que terminou de falar, o que nos fez rir e concordar enquanto íamos preparar os lanches juntos.


A trilogia de como treinar seu dragão é simplesmente a favorita dela. Ela ama de todo o coração, e era um alívio que ela ainda amasse os filmes, com ou sem as memórias de antes.


- Eu queria tanto um banguela - Gus disse enquanto olhava fixamente a cena do Soluço e o dragão voando juntos - Além de todo o lance do vôo ele parece ser um amigo tão bom.


- Cara, sim - Eu concordei animadamente. Sim, também era meu filme favorito - Eu queria muito tocar nos dentinhos dele.


- Você perderia a mão - Willow disse com o cenho franzido.


- E valeria totalmente a pena - Eu retruquei extremamente séria, o que fez todos rirem.


Quando virei para olhar a garota de olhos castanhos, porque sempre foi a minha coisa favorita ver o brilho nos olhos dela assistindo esse filme, me assustei ao notar que ela já estava me olhando.


Eu sustentei o olhar intenso dela por alguns segundos, mas não aguentei por muito tempo e suspirei e voltei a ver o filme.


Droga, essa garota ainda vai acabar comigo.




***




- E eu acho que é óbvio que eu ganharia - Luz disse enquanto levantava do colchão com um travesseiro na mão.


- E eu acho que você tá errada - Gus disse seriamente, levantando com um travesseiro também.


Eu olhei para a Willow e nós duas concordamos e pegamos um travesseiro também.


Gus e Luz estavam discutindo há pelo menos meia hora sobre quem ganharia uma corrida de dragões. E eu sabia exatamente o que acontecia quando eles discutiam, Willow parecia entender também.


Então, quando Gus atacou Luz com um travesseiro não foi uma surpresa pra nenhuma de nós duas.


- Guerra de travesseiros! - Willow gritou enquanto acertava um travesseiro em Gus rindo.


Sem pensar muito eu me joguei pro lado pra me proteger de um travesseiro e ataquei os dois ao mesmo tempo, recebendo em troca várias batidas no rosto.


- Corre! - Eu disse pra Luz enquanto ela olhava com olhos arregalados para os nossos amigos que tinham todos os travesseiros com eles.


- Abortar missão! - Ela gritou em resposta enquanto corria junto comigo envolta do sofá.


Não é preciso dizer que assim que corremos perto do colchão eles pularam na gente com os travesseiros e ganharam a batalha.


- Vocês podem ter vencido a batalha - Luz disse com a voz cansada e um dedo levantado - Mas nós vamos ganhar a guerra.


Alguém deveria dizer pra ela que essa ameaça não tem nenhum poder quando você diz ela debaixo de dez travesseiros.


- A próxima é nossa - Eu disse e levantei o punho pra ela bater.


- Com certeza, Blight - Ela disse sorrindo e bateu os nossos punhos.


E ela ainda era a garota sem memórias antigas nossas, mas se eu ainda tenho o direito a dias como esse não importa realmente.


Ela lembrando ou não ainda é a minha Luz. Então tudo bem.




***




A primeira coisa que eu percebi quando começamos a fazer a massa do biscoito foi que Gus é péssimo com medidas.


- Gus, menos fermento - Eu disse enquanto ele concordava com os olhos arregalados.


A segunda coisa que eu percebi foi que deixar a Luz encarregada com a cobertura também foi uma péssima ideia.


- Se você lamber essa colher tá expulsa da cozinha - Willow disse severamente enquanto levantava o dedo na direção dela, fazendo Luz levantar a mão em rendição e baixar a colher.


A cozinha ficou uma bagunça depois que terminamos, mas os biscoitos ficaram incríveis, então tudo certo.


- Vamos arrumar enquanto esperamos esfriar pra comer? - Gus disse enquanto juntava um pouco de farinha na mesa pra jogar no lixo.


Concordamos e começamos a arrumar, e em algum momento no meio da arrumação Gus ficou sério.


- Eu sinto falta do Matt - Ele disse de repente, nos fazendo parar o que estávamos fazendo. 


Matt era uma antiga paixão dele na outra vida, mas as coisas não deram certo aqui porque ele era um teste, mas decidiu por algum motivo apagar as memórias.


- Mas o que mais me frustra é não saber porquê ele apagou - Ele continua dizendo enquanto limpa o fogão - Tipo, foi algo de errado que eu fiz ou não teve nada a ver comigo e sim foi outra coisa na vida dele? Eu só queria entender.


- Sabe, cara - Luz começou a dizer enquanto se aproximava dele - Como sou a única pessoa aqui que já apagou eu sinto que devo dizer algo.


- Você não precisa - Ele disse baixinho, mas até eu senti que ela precisava.


- Pelo que vocês dizem eu esqueci porque achava que a Amity tinha esquecido, e nessa outra realidade eu era apaixonada por ela e doía ela não saber disso aqui, certo? - Ela continuou, e nós concordamos - Mas eu não sabia de algo muito mais importante que ela lembrar ou não. Eu não sabia que ela tava aqui há dois anos.


Luz terminou de enxugar a louça e puxou uma cadeira para sentar.


- Eu voltei mais recentemente, você voltou há seis meses, ela voltou há dois anos - Ela disse e parecia mais séria agora - Nós podemos ouvir tudo que ela tem pra dizer sobre como esses anos foram, mas nunca vamos entender completamente a angústia. Então, eu entendo ela por querer recomeçar. Eu acho que seu cara também queria isso. Não sei há quanto tempo ele acordou aqui ou o que ele perdeu, mas talvez ele precisasse desse recomeço.


- Isso faz sentido - Gus concordou enquanto olhava para as próprias mãos - E ele merece esse recomeço. 


- Eu acho que todos merecemos - Luz disse, dessa vez tão seriamente que eu entendi o que ela queria dizer. Não era só sobre o Gus e o Matt, era sobre nós duas.


Willow e Gus pareciam concordar com a minha linha de raciocínio porque me olharam de lado assim que ela falou.


E embora doesse, eu concordava com ela. Talvez a gente realmente precisasse de um recomeço.




***




Assim que Luz foi embora Willow me olhou seriamente, aquele olhar que eu conhecia tão bem, o olhar de quem ia dar um discurso.


- Ela tem razão, sabe. Vocês realmente precisavam desse recomeço - Ela diz enquanto senta no sofá e me olha.


- Acha que devo desistir dela então? Continuar só amigas? - Pergunto enquanto olho para o teto.


- Não - Ela diz firmemente - A Luz disse que se um dia ela se apaixonasse por você de novo era pra entregar pra ela umas cartas que ela deixou.


- Ela deixou cartas pra ela mesma? Caso ela apagasse? Por que? - Perguntei tão rapidamente que achei que ela não fosse entender.


- Ela disse que sabia que ia se apaixonar em você. Que achava que ela tava destinada a se apaixonar por você em qualquer realidade, com ou sem memórias - Gus disse suavemente - Prometemos que daríamos as cartas quando soubessemos que ela tá apaixonada.


- Então? - Perguntei curiosa.


- Então esse é o próximo passo, Amity - Willow disse parecendo animada - Você precisa fazer ela se apaixonar por você.


Parecia fácil só falando, mas eu conseguiria fazer ela se apaixonar por mim de novo?


- E a Skara? - Gus perguntou de repente, me assustando - Vai terminar com ela?


- Eu a amo - Eu digo seriamente e eles me olham com curiosidade - Mas não sou apaixonada por ela, eu nunca vou conseguir ser apaixonada por alguém que não a Luz.


Levanto e respiro fundo, porque dói tanto saber que vou machucar a pessoa que mais me salvou nesses anos aqui.


- Então marquei numa lanchonete com ela hoje. Eu vou terminar - Finalizei e eles me olharam tristes.


- Vai dar tudo certo - Willow disse carinhosamente - E nós não sabemos o que tem nas cartas dela, mas você pode saber o que tem em outras cartas que ela deixou.


Então, o Gus abriu a mochila e pegou três envelopes de dentro, me entregando.


- Ela deixou essas cartas pra você caso você lembrasse - Ele disse sério - Boa sorte, Amity.


Olhei para os pacotes na minha mão e então para os meus amigos, então respirei fundo e sorri.


- Vai dar tudo certo - Eu disse com um sorriso animado.


E então, me surpreendendo, os dois me abraçaram, e de alguma forma eu senti pequenas partes dentro de mim se juntando de novo.




***



Skara estava sentada em uma mesa quando entrei na lanchonete, e eu precisei de muita coragem pra ir até ela.


- Preciso conversar com você sobre algo - Eu disse nervosa enquanto sentava do lado dela na mesa. Eu não queria sentar na frente dela e enfrentar seus olhos azuis acinzentados.


De repente eu senti o toque leve dos dedos dela nos meus. Seu toque era gentil, carinhoso e principalmente calmante.


- Você vai terminar comigo - Ela afirmou, e eu pude sentir o toque firme dos dedos dela nos meus, como se para enfatizar - E tá tudo bem.


Finalmente me virei na direção dela e ela estava sorrindo daquele jeitinho familiar, o sorriso que me salvou tantas vezes nessa bagunça que se tornou a minha vida.


- Eu amo você - Eu sussurrei, e era verdade. Eu a amo.


- Mas você não está apaixonada por mim - Ela afirmou novamente, me fazendo concordar com a cabeça, e eu estava pronta pra dizer algo, mas ela continuou - E antes que você diga que o problema não sou eu, eu sei, eu realmente sei. Você é apaixonada pela Luz, sempre foi e sempre será. Eu sempre soube disso, mas eu queria cuidar de você e te amar até ela estar pronta, e depois da conversa que tivemos eu sei que ela tá. Então vai ser feliz, Amity Blight.


- Você incrível, Skara Smith - Eu afirmei enquanto a olhava com carinho - Sabe disso, não sabe?


- É, eu sei - Ela disse com aquele sorriso bobo.


- Você vai ser feliz também? - Eu perguntei com cuidado.


- Claro que eu vou. Eu tenho a melhor amiga do mundo - Ela diz enquanto pisca na minha direção, mas depois ficou séria - Eu vou ser feliz. Acho que eu tenho uma Luz por aí, eu só preciso encontrar.


- Você vai - Eu disse com um sorriso enquanto apertava a mão dela - Você merece o mundo, Skara. 


- E você merece aquele sol brilhante que parece brilhar mais ainda quando tá do seu lado - Ela disse, se referindo à Luz - Então, vai atrás dela. Eu sei que você sempre quis.


E ela tinha razão, eu sempre quis, mas nunca tive coragem. Mesmo antes dessa realidade quem teve a coragem foi a Luz, ela me mostrou os sentimentos dela, eu apenas escondi com medo. Se não fosse ela e aquele sorriso gentil nós nunca teríamos nos beijado. Então agora é a minha vez de correr e tentar. É a minha vez de ser corajosa.


- Seja corajosa, Amity Blight - Skara disse enquanto se levantava da cadeira pra me dar um leve beijo na testa - Eu vou estar te assistindo.


Ela apertou minha mão uma última vez antes de sair, e eu só conseguia pensar que se Skara Smith foi corajosa o suficiente para me amar sabendo que eu não corresponderia, eu podia ser corajosa para amar a Luz sem saber se vou ser correspondida.


Então, espere, Luz Noceda. Você vai se apaixonar por mim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...