História Forgive - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Ashura Ootsutsuki, Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Chouji Akimichi, Danzou Shimura, Deidara, , Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hashirama Senju, Hidan, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Hiruzen Sarutobi, Indra Otsutsuki, Ino Yamanaka, Inojin Yamanaka, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Kagami Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Konan, Konohamaru, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Mitsuki, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Personagens Originais, Rin Nohara, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikamaru Nara, Shinki, Shisui Uchiha, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Tobirama Senju, Tsunade Senju, Yahiko
Tags Itaizu, Minakushi, Naruhina, Nejiten, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 147
Palavras 3.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 5 - Four


Fanfic / Fanfiction Forgive - Capítulo 5 - Four

- Eu não entendo o motivo de estarem aqui e não na vila natal de vocês - a Uchiha comentou enquanto andava pela vila ao lado da mulher de cabelos arroxeados.

- Não nos importamos com Amegakure, aquele lugar remete todas as coisas ruins que fizemos, viver lá seria viver em lamento, em arrependimento e creio que não é pra isso que nós três estamos aqui.

- Mas por que Konohagakure?

- Como eu disse não nos importamos com a nossa antiga vila, mas nos importamos com aqueles que criamos laços por lá. Nagato quis vir para perto de nosso mestre Jiraiya, ele acredita ter pendências para acertar com ele.

- De fato tem, o Hokage tem muitos motivos para guardar rancor de Nagato, a começar pela morte dele.

- Sim, por isso Yahiko e eu estamos aqui, pra auxiliar na busca de perdão dele e toda esta baboseira - resmungou.

- Não é baboseira Konan. Você sabe que pra reencarnamos é necessário - disse num suspiro.

- É claro que sei Izumi, mas por que estou aqui? Só há algo que deixei de fazer em vida. Eu fracassei ao matar Tobi, mas isto não pode ser resolvido no céu oras, se ele vier para cá ele já vai estar morto - irritada fez a garota ao seu lado rir.

Izumi e Konan estavam voltando de um almoço juntas como faziam todos os dias. As duas haviam se conhecido a pouco tempo, de início tinham se estranhado, o temperamento parecido, a personalidade forte de ambas, tudo dificultou para que elas fossem o que hoje são, boas amigas. Ainda era piada na vila o dia que passaram a se gostar, não por algo que fizeram, e sim por algo que tiveram que interferir, uma disputa estúpida de 'quem bebe mais saquê' entre Shisui e Yahiko. Os dois que tinham simpatizado de cara um com outro, afinal eram carismáticos e simpáticos ao extremo, resolveram num momento de monotonia disputarem e isto resultou em ambos caídos no bar, dizendo coisas sem nexo e trocando as pernas ao andar. As garotas que foram chamadas por shinobis que passavam por ali, não viram outra alternativa se não juntas levar um de cada vez para casa, afinal kunoichis fortes ou não, ninguém daria conta de sozinho carrega-los no estado que estavam. Isto rendeu boas risadas, e uma amizade e companheirismo surgiu, deixando pra trás qualquer diferença inicial que havia entre as garotas.

- Talvez não seja você que deixou algo por fazer, mas alguém próximo, e este algo a envolva - a Uchiha disse sugestiva.

- E quem você acha que possa ter algo pendente comigo?

- Hm, talvez ele - apontou para o homem de cabelos alaranjados que corria em direção a elas acenando o braço com fervor, o sorriso enorme nos lábios.

- Izumi será que eu posso roubar a Konan um pouco? - perguntou quando já estava próximo o suficiente das duas.

- Claro, ela é toda sua, eu tenho que ir até o escritório do Hokage mesmo, mais uma missão provavelmente - rolou os olhos antes de beijar a bochecha dos amigos e seguir caminho entre as pessoas que andavam pelas vielas.

- Oi - ele corou, sorrindo sem mostrar os dentes.

- O que foi, hein? O que você tem a dizer que tinha que expulsar a Izumi?

- Eu não expulsei ela.

- Aconteceu algo com o Nagato? - se preocupou.

- Ah não.

- Você tem certeza? Ele está bem?

- Mas é óbvio que está, por que esta preocupação toda? - resmungou enciumado.

- Então o que é? - mudou de assunto.

- Eu queria, saber, se hm... bem... - coçou a nuca.

- Fala logo, caramba.

- Euqueriasabersevocêquercomerumasobremesacomigo - disse rápido e embolado.

- Nani? - perguntou confusa.

- Sobremesa - Yahiko disse com as bochechas coradas.

- Oh sim, eu gosto, mas o que há nelas?

- Eu queria saber se...

- Se? - Konan disse impaciente.

- Quem sabe, se você não estiver muito ocupada...

- Eu não estou ocupada.

- Caramba, por que é tão difícil chamar uma garota pra sair? - murmurou fazendo a menina a sua frente corar.

- Sair? - ela questionou.

- Você ouviu? - arregalou os olhos.

- Hai.

- Olha, não é isso que você está pensando, é só uma sobremesa, eu estava sozinho em casa e pensei: puxa, eu poderia chamar a Konan pra comer algo doce comigo, ela já deve ter almoçado mas eu estou com fome ainda. Mas você não é tão gulosa quanto eu e-

- Tudo bem, eu aceito.

- E não deve querer comer algo a mais e... Nani? Aceita? - observou a arroxeada que já caminhava a sua frente, esta que o olhou sobre os ombros.

- Você não vem?

(...)

- Dois dorayakis por favor - Yahiko pediu sorrindo para a atendente da tenda.

- Dorayaki*? - Konan puxou um pouco a camisa dele o fazendo a olhar.

- Ainda é seu favorito né? Se quiser escolher outra coisa... é que você sempre me disse que adorava isso.

- Não, está tudo bem, eu só não imaginava que você se lembrasse - ela disse corada.

- Claro que lembro, lembro que seu chá favorito é de erva doce, sua cor favorita é verde, você adora onigiris* que você só chorou duas vezes na vida, quando seus pais morreram e quando o chibi morreu...

- Foram três - murmurou impressionada.

- Três? Ah sim, claro, você deve ter chorado depois que eu morri.

- Na realidade, foi exatamente no dia que você...

- Oh - exclamou entendendo.

Konan havia chorado mais do que todas as outras vezes quando viu Yahiko morrer.

- Senhor, aqui está - a atendente voltou com os pratos de doce.

- Ah sim, claro - distraído enfiou as mãos nos bolsos a procura de seu dinheiro.

- Deixa que eu pago.

- Não mesmo, não se deve deixar as mulheres pagarem nada num encontro - disse dando algumas moedas na mão da atendente e pegando os pratos.

- Encontro? - perguntou encabulando o alaranjado.

- Onde você quer sentar? - rapidamente mudou de assunto.

- Tanto faz - deu de ombros.

Sentaram-se então próximo as janelas do estabelecimento. Um silêncio constrangedor se instalou, a garota comia o doce olhando para qualquer coisa que não fosse o garoto a sua frente que não tinha olhos para nada que não fosse ela. Em algum momento tomou coragem e retribuiu o olhar, Yahiko abriu um enorme sorriso e o coração de Konan bateu em descompasso.

- Deveria comer - ela sinalizou o prato da companhia com a cabeça, as bochechas coradas.

- Outra hora, pois nada poderia ser tão doce do que estar com você aqui agora - ele murmurou se lembrando das cantadas que ensaiou juntamente a Nagato antes de chamar a mulher para passear.

- Ah... é muito gentil - ela soltou uma risada sem graça.

- Yoshi! - o alaranjado comemorou.

- Nani? - Konan assustou-se.

- Droga, comemorei alto demais - murmurou fazendo a garota rir.

- Você é incrível, Yahiko - em meio a gargalhada proferiu.

- Sou? - perguntou confuso, coçando o cabelo.

- Hai - secou algumas lágrimas que inundaram seus olhos.

- Ah, mas é claro que sou. Sou mesmo - se gabou recebendo um tapa no ombro.

- Baka!

(...)

Sentados num banco, observavam as cerejeiras floridas do parque. Konan sorria contida, não conseguia não estar feliz depois de comer seu doce favorito, ainda mais tendo comido dois quando Yahiko confessou que ele não suportava Dorayaki, que só pediu isto para agrada-la.

"Ele ia comer algo que não gostava por mim" era o pensamento da mulher.

Não era novidade para si os sentimentos que sempre teve pelo fundador da verdadeira Akatsuki, mesmo que sempre tenha se preocupado com o Uzumaki também, a preocupação pelo alaranjado ultrapassava os sentimentos fraternais que ela queria ter, muito por querer focar no objetivo da organização benfeitora que tinha com seus amigos. Arrependimento, era o fardo que começou a carregar desde que Hanzo a capturou como refém, e condenou o líder da Akatsuki a morte. Ela queria ter dito que ele era amado.

Já Yahiko, não pestanejou na hora de entregar sua vida para poupar a da arroxeada. Sempre teve esse senso de super herói, de protetor, fez o sacrifício sem pensar duas vezes. Afinal, era ele ou ela ali, bom era o que pensava, desde que chegara no céu, mesmo que fosse um pensamento egoísta, agradecia por Nagato ter usado o seu poder, os dois tinham ficado bem no fim. Ele sempre os observando, o peito doendo ao testemunhar as atrocidades cometidas, a organização que ele mesmo nomeou se tornando criminosa, e até mesmo o seu corpo e de demais pessoas sendo usado para dar vida a um vilão, Pain. Ele não conseguiu odia-los, recebeu o amigo de braços abertos quando o viu arrependido, e juntos deram colo para amiga que desolada praguejou por não ter conseguido matar aquele que os manipulou por tanto tempo.

De toda forma, tudo isto era irrelevante quando os sentimentos ainda permaneciam os mesmos. As batidas do coração em descompasso, a boca seca, as pernas sem força, as mãos tremulas, sorrisos. Ambos apaixonados.

- Lembra como nos conhecemos? - ele perguntou se aproximando mais dela no banco.

- Sim, nossos pais eram bons amigos, hun? Aquele almoço foi um fiasco, sua mãe cozinhava bem mal - resmungou.

- É, mas fico triste em lembrar que a última coisa que fiz antes da guerra levar meus pais de mim foi reclamar do arroz da kaa-san.

- É... obrigada por ter me escondido junto a você no armário - suspirou.

- Eu teria colocado todos ali se coubessem.

- Foi terrível sair de lá e ver ambos os quatro sem vida, meus pais e os seus...

- Eu que o diga, você chorou tanto que encharcou a minha blusa.

- Mas eu me desculpei.

- Eu te devolvi o seu pedido de desculpas e você nunca mais tirou ele do cabelo - resmungou apontando a flor de origami, fazendo a mulher corar.

- Queria ter achado eles por aqui.

- É, eu também, mas parece que eles já resolveram suas pendências e partiram - a garota concordou com a cabeça.

- Foram tempos difíceis, demos sorte de ter achado o Nagato, ou ele teria morrido de fome, já viajávamos juntos a um tempo e sabíamos nos virar, mas ele...

- Demos ainda mais sorte de sermos achados pelo Jiraiya-sensei, éramos crianças, não tínhamos chance em uma guerra - disse sério.

- É, e olhe como o agradecemos depois - culpou-se mais uma vez.

- Olhe, já foi. Eram garotos órfãos, a dor, o trauma, tudo contribuiu para vocês serem usados. O importante foi terem se arrependido e bom, eu tenho muito orgulho de você ter batalhado com aquele Tobi, quando eu fui ver tudo pela torre eu pensei: minha nossa que mulher, que kunoichi a Konan-hime é, olhe este jutsu-

- Konan-hime? - questionou risonha fazendo o homem se calar e corar.

- Ah é só um apelido.

- Eu não sou uma princesa.

- Pra mim você é.

Então o silêncio se fez novamente presente entre eles, mas desta vez os olhos se mantiveram presos um no outro. A mão do garoto alcançou a bochecha corada de Konan, esta que se aconchegou no carinho que ele começou a fazer ali.

- Tem algo que eu sempre quis te dizer - ela murmurou manhosa.

- Eu também - ele aproximou o rosto, roçando os narizes.

- Ah, diz você primeiro então.

- Não, diz você.

- Você...

- Konan, eu gosto d-

- Ah cruzes, separa isto, pensei que conseguiria espionar até o final mas foi demais pra mim - uma mão se enfiou entre eles, que se separaram assustados.

- Seria como ver meus irmãos se beijando - Nagato resmungou enojado ao lado de Deidara que ria.

- Kami-sama pareciam um casal de romance, que nojo.

- Igual você e Sasori? - Yahiko disse emburrado.

- Ei, não me meta nisso - o Akasuna que se mantinha observando resmungou.

(...)

Izumi andava pela vila cantarolando, contente por ver que pelo menos uma de suas amigas podia se resolver amorosamente. Torcia para que também, Rin tivesse a oportunidade de estar com Obito, o homem que a amiga muito pouco falava, mas as vezes a pegava chorando por ele, quem sabe ele teria seguido a vida com outra moça? Torcia para que não fosse algo assim o motivo das lágrimas.

A Uchiha pouco ou nada sabia do mundo físico, nunca havia ido até a torre, para evitar saber de Itachi e por ser poupada pelos amigos ficava até mesmo sem saber que havia uma guerra acontecendo na sua vila natal, causada pelo próprio amor de Nohara.

Adentrou o prédio indo em direção ao escritório do Hokage, aonde alguns ninjas da Ambu informaram que Sandaime estaria a sua espera. Apressada esbarrou em alguém a virar o corredor que dava a porta que procurava. Fechou os olhos esperando a queda que teria, se praguejando por ser tão desajeitada mas diferente do chão sentiu foram braços fortes enlaçando sua cintura a impedindo de cair.

- Opa - ouviu a voz masculina em seu ouvido e se arrepiou abrindo as esferas castanhas que eram suas íris.

Seus olhos encontraram com os gentis de Itachi, que ainda a segurava. Este abriu um sorriso tímido quando a colocou erguida em pé, a soltando. Meio desacreditada ela observou ele se aproximar da mulher ruiva que ainda estava caída no chão sentada, arregalou os olhos quando viu que ela tinha derrubado Mito Uzumaki no chão.

- Oh meu deus, Nidaime estava distraída não a vi - pediu desesperada, enquanto o Uchiha estendeu a mão para ruiva.

- Tudo bem, querida - pegou a mão de Itachi.

- Gomenasai - murmurou constrangida enquanto ela se levantava com o auxílio do Uchiha.

- Ok, querida. Você é realmente um bom garoto, Itachi-kun. Arigato - agradeceu afagando a cabeça do garoto.

"Itachi-kun?" Izumi se questionou inflando as bochechas, enciumada.

- Não poderia deixar a senhora caída. Você se machucou? Tudo bem?

"A mim ele não pergunta se estou bem" resmungou em pensamento.

- Sem esse senhora, querido. Tenho que ir agora Itachi-kun, Izumi olhe por onde anda, ok? - disse acenando enquanto os deixava para trás.

- Nani? - murmurou indignada.

- Você continua bem desastrada - o Uchiha comentou fazendo a garota o olhar. O coração disparando ao ver que ambos estavam sozinhos no corredor.

- Isto não é da sua conta, Itachi-kun - proferiu o sufixo com deboche, fazendo ele arquear as sombrancelhas.

- Falando assim parece até que está com ciúmes - confusão nítida em sua voz.

- O que você faz aqui? - mudou rapidamente de assunto.

- Uma reunião e você?

- Ela também está aqui para isto - Shisui chegou agarrando ambos os dois pelos ombros.

- Mas que susto, kuso - gritou a garota.

- Ei mas que boca suja é esta senhorita? - brincou.

- Ninguém mandou me assustar - conteu-se.

- O Itachi não se assustou, você que é muito exagerada - retrucou.

- Você nunca assustou ele, não é novidade.

- Ele que parece ter olhos nas costas.

- São reflexos ninjas, seu baka. E você que é péssimo em camuflar seu chakra e não fazer barulho.

- Ah é, então como eu assustei você?

- Eu só não estava esperando - resmungou contrariada.

- Sua guarda fica baixa quando está perto do Ita é? - debochou.

- Ei, não deveríamos ir falar com o Hokage? - Itachi interrompeu a discussão segurando a risada.

O peito dele se aqueceu, mesmo Izumi o ignorando, ela e Shisui ainda eram seus amigos, lembrava-se de sempre ter que intervir nas discussões infantis de ambos. Isto não havia mudado então.

- Você tem razão, vamos - Shisui puxou os amigos.

- Ei, eu sei andar sozinha e- Izumi calou-se quando a porta do escritório se abriu.

- Vocês são bem barulhentos hein - a cabelereira branca, e os traços vermelhos abaixo dos olhos eram inconfundíveis.

- Jiraiya-sama - Itachi com um abaixar de cabeça acenou com respeito.

- Ora se não é o rapaz que fugiu do meu Gamaguchi Shibari* - cumprimentou com um sorriso.

- Sinto muito por aquilo.

- Acalme-se, eu já sei da verdade. E além do mais eu acabei ganhando material de estudo. Estudei seu Amaterasu, o poder daquele fogo é impressionante.

"Verdade?" Izumi se viu confusa. 

- Ah sabe como é, o Itachi sempre foi muito bom com fogo, principalmente o que ele colocava nas garotas - Shisui mudou o assunto fazendo o Hokage gargalhar.

- Ah, então os Uchihas são realmente famosos com as garotas? Sasuke também tinha um fã clube na academia, eu me lembro bem.

- Itachi também tinha, poderia escolher uma garota para cada dia da semana.

- Não exagere, Shisui - Itachi resmungou.

- Grande coisa - Izumi desdenhou.

- Você inclusive era uma delas - deu língua para amiga.

- Cala a sua boca - gritou corada acertando sua cabeça.

- Não fale besteiras, a Izumi não era esse tipo de garota - Itachi a defendeu, fazendo a garota corar ainda mais, afinal ela era sim, lembrava de já ter participado de uma luta de taijutsu contra uma garota que pretendia entregar chocolates no dia dos namorados para o Uchiha, com as mãos quebradas a coitada não pode.
Se algum dia Itachi já teve um fã clube de garotas apaixonadas por ele, Izumi fora a líder, com certeza.

- Ela não era esse tipo de garota só porque ela não seria uma das garotas, ela seria a garota por toda a semana e em todas as outras semanas né? - Shisui implicou fazendo até mesmo Itachi corar.

- Ah, eles são um casal? Vou presentea-los com a coleção de Jardim dos Amassos para apimentar a relação de vocês - Jiraiya gargalhou.

- Não - os dois responderam ao mesmo tempo.

- Olhe só até em sintonia estão.

- Eu vou ser o padrinho do casório - Shisui complementou o Hokage.

- Será que nós poderíamos começar esta reunião logo?

- Claro querida. Tem razão, entrem vamos logo ao que interessa - Jiraiya se sentou na cadeira atrás da mesa do escritório que se encontrava repleta de pergaminhos.

- Então... - Shisui assumiu a postura séria ao se juntar a frente da mesa ao lado dos amigos.

- Como vocês já devem saber, Danzo Shimura não é visto desde aquele atentado...

- Como? Danzo está por aqui? Atentado? - Itachi questionou.

- Hokage-sama, ele não está por dentro dos acontecimentos ainda - Izumi tomou a palavra.
 
- Ah, realmente, você chegou tem pouco tempo. Bom, depois que seu irmão matou Danzo, ele esteve por aqui. Ele não aceitou bem esta nova realidade, principalmente quando viu Hiruzen, chegou a ataca-lo.

- Hiruzen está bem?

- Sim Itachi, isto foi antes de você chegar aqui - Shisui explicou.

- Desde então ninguém mais o viu, mas ele é uma ameaça para nós, não da para saber o que ele planeja, ele estava fora da casinha.

- Por não ter matado Sasuke e Tobi?

- Suponho que sim, Shisui.

- Mas o que vamos fazer sem a localização dele?

- Na realidade, Izumi, o Kazekage Rasa me informou que seus homens viram um homem com a descrição dele por Suna, por isso irei mandar Shisui para lá.

- Ok, quando parto? - O Uchiha mais velho perguntou.

- Se possível, agora mesmo.

- Ok Hokage-sama.

- E para que nós fomos chamados aqui? - Izumi perguntou confusa sinalizando Itachi.

- Calma senhorita, eu já iria chegar ai. Soube que atualmente você é nossa melhor Kunoichi - começou.

- Não é pra tanto...

- Sim, ela é - Shisui interrompeu a Uchiha.

- E bom, Suna não é uma certeza, pode ser alarme falso, quase todas as outras vilas nos mantém informados sobre qualquer suspeita de que ele possa estar lá porém a Amegakure não é nossa Aliada e se nega a nos prestar informações.

- Você quer que eu vá até lá obter estas informações infiltrada?

- Muito perspicaz hun? Exatamente isto.

- Mas onde o Itachi entra nisto tudo? - Shisui se intrometeu.

- Vocês sabem que este lugar é uma cópia fiel do mundo físico, sim?

- Ok, mas... - Izumi instigou.

- Eu era um Nukenin, e conheço todo o mundo Shinobi, principalmente Amegakure - o Uchiha murmurou.

- Um casal inteligente, não? Serão uma boa dupla.

- Perai, você está dizendo que eu vou ter que sair numa missão com ele? - perguntou indignada.

- Sim.  


Notas Finais


* Dorayaki é um tipo de doce japonês, uma panqueca de feijão vermelho que consiste de duas pequenas panquecas feitas de castela enroladas com um recheio de pasta de feijão azuki.
* O onigiri também conhecido como nigiri ou omusubi é um bolinho de arroz japonês geralmente em forma de triângulo, ou de forma ovalada envolto por uma folha de nori.
* Kuchiyose: Gamaguchi Shibari (口寄せ・蝦蟇口縛り, "Invocação: Prisão do Estômago do Sapo") é um meio de Ninjutsu de invocação que ao invés de convocar uma criatura, convoca uma parte de seu corpo. Tecnica usada por Jiraiya contra Itachi e Kisame ainda em Naruto Clássico.

E aí, gostaram?
Yahiko e Konan, eu não me lembro se é dito como eles se conheceram, tenho quase certeza que não, então resolvi fazer por mim mesma, enfim... já perceberam que vai ser um casal sem problemas né? Eu pensei em deixar eles bem no clichê e fofinho pq o resto dos casais já terão tantos problemassss, o que acham? Por isso fiz a Akatsuki ser a parte divertida da fanfic, pq vai ter muita tensão (assim espero) inclusive uma já está chegando, pensaram que eu esqueci que o Danzo FELIZMENTE é um homem morto? Não esqueci mesmo, se vocês quiserem ver este homem se ferrando mais uma vez estão no lugar certo.
Minha ideia inicial era enrolar mais um pouco esta missão Itaizu, e focar nos outros casais e personagens, mas vocês queriam o casal principal da fic, e aí está, o que será que rola nesta missão, hm?
Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...