História Forgive - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 56
Palavras 535
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ei, criança, como vai?


❝ [aviso que antes de começar essa estória, por favor, leia. Desde já agradeço] ❞


📌 transtornos mentais. Se você é sensível a esse tópico, se sente desconfortável, recomendo que não leia, cenas extremamente fortes estão contidas na estória.


📌 a fanfic tem como assunto principal a série fictícia “marble hornets” ou seja, os protagonistas masculinos são o Timothy/Tim (ou masky, nome criado pelo fandom de Marble Hornets), Brian (ou hoodie/ hoody, nome criado pelo fandom de Marble Hornets)


📌 eu acho que um dos maiores motivos de ter usado Marble Hornets como um tema principal seria que o mesmo, por mais que seja bem conhecido nesse site (afinal o masky e o hoodie são bem populeres aqui) eu nunca teria achado uma fanfic que aprofunde marble hornest em ci, enfim se estou errada peço que me envie pelas mensagens privadas um link de alguma fanfic com a série em seu enredo principal (realmente eu preciso me iludir com fanfics de tal assunto.)


📌 não. Essa história não irá romantizar a relação (eu não me decidi sobre o par “romântico”) e protagonista. Eu tenho uma mente doentia, então, se espera algo com comédia ou até mesmo bonitinho peço que não leia a estória seguinte (leia sobre gêneros fluffy, afinal assassinos não tem nenhum tipo de combinação com esse gênero.)


📌 cenas doentias. muito doentias, se sinta avisado se não gosta de gore/descrição.


📌 juro que sou um amor e estou disposta a ler e compreender suas críticas (é sério ajuda), então se sinta à vontade para comentar e recitar críticas (desde que sejam construtivas.)


Ps: qualquer erro (por mais mínimo que pareça ser, como uma vírgula fora do lugar) me avise, é realmente muito importante. Cada erro significa muito para o enredo da história.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Forgive - Capítulo 1 - Prólogo

Fazia pouco tempo que não tinha receio das coisas, era estranho passar os dias contados vendo sangue seco e paredes estranhamente decoradas com cabeças humanas, com isso digo que o receio de ficar mais dias naquele lugar não me cheirava bem 
  em todos os sentidos.


Não é a questão de estar enlouquecendo aos poucos, enquanto converso comigo mesma,  a limitação de estar realmente morrendo que me chama a atenção, sabe fazia pouco tempo que teria me mudado (novamente) e ficar em uma cena de crime traria mais problemas para mim, não me importava, afinal a cena que estou vendo a minha frente teria se repetido milhares de vezes em casas abandonadas próximas.


Minha teoria principal aprofunda o ponto de várias casas serem utilizadas para torturas ou para esconder corpos por serial killers, obviamente a mesma tem vários furos, mas em questões de sentido é a que mais faz sentido em relação as outras.


Faz apenas uma semana que meus pais se mudaram apenas para uma educação melhor para mim e para meu irmãozinho, e não é anormal eu já esta praticamente sabendo a ficha criminal inteira da cidade, acho que metade da culpa é de meu pai, ele é um ótimo detetive e seus métodos de descobrimento são incrivelmente estranhos e bizarros, não sei ao certo o porque, mas por usar a câmera como sua melhor amiga (algo realmente novo na área de investigação), tenha sido um dos maiores motivos por ser conhecido em alguns estados da Polônia.


Eu não me lembro especificamente o porquê de começar a gostar de investigações, para falar a verdade na minha mente eu não serviria para nada, afinal sempre acabo por achar um jeito de perdoar os maiores erros mesmo que tenham sido os mais injustos, acho que a pior das minhas escolhas seria ser juíza criminal. Enfim mesmo que já tenha explicado tal discurso milhões de vezes para meu pai, na mente dele eu tenho uma mente brilhante, ainda não me considero uma detetive, a arte de investigar esta sendo um hobbie para mim e mesmo com o apoio dos meus pais seguir um caminho diferente da investigação me parece melhor e mais seguro.


Eu sei que sou alguém realmente teimosa, mas tenho total certeza que minha insegurança em questão de prender pessoas é pior, eu tenho realmente uma paranoica sobre a perseguição se por acaso ajudasse em alguma investigação sobre algum maníaco sádico, e acabar por ser perseguida por este ao ser solto, meu pai já teria passado por tais momentos, mas a calmaria dele para acusações sobre os suspeitos entre elas a perseguição sempre venceria os palpites de juízes corruptos.


Meu pai tem um passado estranho, o mesmo não tem nenhum tipo de rastro em nenhum lugar do mundo, é como se ele tivesse aparecido do nada, não existe nenhuma prova de sua existência na humanidade, o mesmo não tem nenhuma ocorrência na polícia ou até mesmo em locais públicos, nada, absolutamente nada. Chega a ser tentador saber o que mesmo já passou em seu passado, ele tem algo que traz as tentaçãos sobrenaturais. Você provavelmente não deve saber de quem falo pelo seu primeiro nome, mas Jay Merrick ou detetive Merrick é um dos maiores diversificadores de minhas teorias estranhas.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...