História Forgive me (Jikook) - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Copter, God, Jikook, Jimin!bottom, Jungkook!top, Lemon, Pjm+jjk, Vhope, Yaoi
Visualizações 154
Palavras 1.761
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha eu de novo, rs.

Tô atualizando de novo porque eu acho que não vou poder amanhã.

Semana que vem eu completo um ano de spirit, uhul. Tô preparando uma one-shot Jikook delizia pra comemorar 😏

Tenham uma boa leitura ☕

Capítulo 25 - Capítulo 25;


                    J I M I N

— Jungkook, não consigo ter essa conversa... Não agora — tentei argumentar, no entanto, Jeon parecia decidido a ir até o fim com esse assunto. 

— Jimin, precisamos disso — suas mãos alcançaram meus ombros e eu ruborizei ao sentir seu toque — Precisamos conversar sobre o que acabou de acontecer, não podemos simplesmente nos afastar subitamente — ele estava tentando ser forte, dava para notar seu enorme esforço. Queria tanto beijá-lo e apenas esse desejo me fazia sentir ainda pior.

Droga, Jimin, ele é o seu irmão assim como Ming

Me afastei de Jeon sutilmente, não queria que ele me tocasse, não suportava, não mais. Yoongi e Minhee estavam parados próximo a porta, nos olhando sem pestanejar, completamente constrangidos. 

— É... Minhee e eu vamos subir, qualquer coisa é só chamar — o Min disse forçando um sorriso, enquanto agarrava meu segurança pelo pulso, arrastando-o até o andar de cima. 

Logo estávamos a sós na sala do meu amigo, Jungkook me olhava fixamente, seu olhar queimava-me a pele intensamente. Tudo aconteceu tão de repente e em uma sequência absurda; primeiro Pharm, depois Mingkwan e agora isso, eu não sei se posso suportar mais uma decepção. 

Agora vejo que fiz certo em não contar ao meu pai sobre o retorno de Ming, certamente ele está envolvido, e poderia dar um jeito de tentar matá-lo outra vez, isso seria o fim para mim. 

— Jimin, eu sei que tudo aconteceu de repete e que, essa descoberta virou nossa vida do avesso, mas... — ele hesitou por un instante, parecia buscar as palavras certas. Suas mãos descansavam sobre seu quadril, seu corpo estava tenso — Eu não quero me afastar de você — dessa vez se aproximou e eu não tive forças para afastá-lo, deixando que dessa forma ele me envolvesse em seus braços fortes.

— Eu também não quero, Jungkook... Não quero — permito-me inalar seu bálsamo bom e me aconchegar em seus braços por alguns minutos. Era simplesmente meu lugar preferido no mundo, dentro do seu abraço sentia-me protegido de tudo — Mas, é a coisa certa a se fazer — eu não queria que fosse, mas não tínhamos outra opção

Jeon me afastou pelos ombros, seus olhos buscaram os meus, estavam apagados, sem aquele brilho exuberante que sempre exibia. Suas mãos alcançaram o meu quadril, pousando delicadamente sobre ele, chegava a ser insuportável a vontade que tinha de beijá-lo. 

— Eu sei que isso seria o correto, anjo — meu coração vacilou ao ouvi-lo me chamar de forma tão carinhosa — Entretanto, não podemos simplesmente fingir que não nos amamos — isso era impossível. O amor que sentia por Jeon era imensurável, não tinha como fingir que não sentia — Eu amo você, Jimin, você sendo meu irmão ou não — tentou me beijar, porém em um rompante de lucidez me afastei com truculência 

— Não torne as coisas mais complicadas, Jeon — exasperei. Já era difícil demais ter que aceitar nossa nova realidade — Nós somos irmãos, Jungkook — pontuei cada palavra gesticulando avidamente, afim de fazer sua ficha cair e a minha também.

— Não, precisa me lembrar disso, eu já sei, droga — vociferou externando toda a sua irritação. — Porra, Jimin, não está sendo fácil para mim também, mas a gente precisa pensar com calma no que fazer e-. 

— Não tem o que penser, Jeon — disparei abruptamente, não poderia deixar que essa conversa se prolongasse mais. Meu emocional estava completamente destruído, era muita coisa para suportar e eu já não estava mais aguentando — Nós acabamos, não percebe? — indaguei, meus olhos não suportavam vê-lo me olhar daquela forma tão sôfrega. — Temos o mesmo sangue, o mesmo pai... Como acha que poderemos viver normalmente sabendo disso? — ele desviou o olhar. Jungkook sabia que eu estava certo, por isso manteve-se calado. 

Não poderíamos continuar como um casal, dormindo ma mesma cama, fazendo amor todas as noites, sabendo que somos parentes, não seríamos felizes. A culpa pesaria em nossos ombros e isso nos destruiria lentamente, apenas prolongando o nosso sofrimento e era exatamente isso o que eu estava tentando evitar. 

— Então, não acha que podemos resolver isso juntos? — seus olhos se juntaram aos meus — Não acha que nosso amor é mais forte do que tudo isso? — voltou a se aproximar de mim, agarrando-me pela cintura, confrontando nossos corpos.

Seus lábios entreabertos eram tão tentadores, sentia-me fraco diante da sua presença, todas as minhas certezas se esvaiam, deixando-me a mercê de seus encantos. 

Droga, Jeon! 

Em um ímpeto acabei unindo nossos lábios em um beijo afoito. Nossos lábios chocavam-se com certa violência nossas línguas enroscavam-se ferozmente, suas mãos passeavam livres por meu corpo, causando-me uma sensação entorpecente. Era um beijo carregado de angustia e medo, que mesclava-se com um desespero descomunal. 

Separamos nosso lábios e eu desabei sobre os meus joelhos, sendo amparado por Jungkook. 

— Não chore, meu amor — sua voz rouca chocava-se com força contra a minha pele, suas mãos acolheram meu rosto, e com os polegares enxugava minhas lágrimas uma a uma. 

— Não devíamos ter nos beijado, isso é totalmente errado. — as palavras escapuliam da minha boca, em meio a soluços altos que ecoavam pela sala — Não... Não encosta em mim por favor — me encolhi como caramujo para dentro de sua concha, abraçando minhas pernas.

Tudo estava tão confuso, minha mente parecia que iria explodir a qualquer momento.

— Jimin... Eu preciso de você — sutilmente tocou minha mão. Eu também preciso de você, Jungkook, mas eu não consigo suportar isso 

— Por favor, Jeon, vá embora — Yoongi surgiu no cômodo acompanhado de Minhee — Não vê que ele está frágil, prestes a ter uma síncope — Jeon me encarou tocando minha bochecha com a ponta dos dedos — Ele precisa descansar, por as ideias no lugar e você também — fora enfático, segurando Jungkook pelo braço para que se levantasse do chão — Espere a poeira baixar, e então converse com ele — mesmo contrariado, Jeon assentiu seguindo em direção a porta. 

Ele parou para conversar com Minhee durante alguns minutos, certamente lhe passando instruções e lhe dando ordens para me proteger. Assim que terminou de falar com o segurança, me olhou por breves segundos e então se retirou do apartamento.

— Yoon, eu não estou mais aguentando — me lamuriei para o pálido, enquanto seus braços envolviam meu corpo gélido. Laceei seu pescoço com os braços, descansando a cabeça em seu peito  

— Não pense mais nisso, Jimin — beijou minha testa, subindo as escadas comigo em seus braços, até um dos quartos — Apenas tente descansar, vou te preparar algo para comer — me colocou sobre a cama, afagando levemente meus cabelos 

— Acho difícil eu conseguir dormir... — me deitei sobre o colchão macio, sentindo um gosto amargo preencher minha boca e logo a bile bater, entretanto dessa vez não consegui evitar e, acabei vomitando sobre a cama deixando meu amigo desesperado 

             M I N G K W A N

Meus cílios sequer se tocavam, encontrava-me estático. Não conseguia assimilar o que me foi dito, Jungkook e Jimin eram irmãos? Isso significa que, nós somos irmãos. Tudo ainda é tão confuso na minha cabeça  

Há uma semana atrás nem sequer sabia meu nome e agora tenho dois irmãos, e um passado obscuro que ronda nossas vidas  

— Ming, não vai dizer nada? — tirando-me do meu torpor, Jeon tocou meu braço com cautela. 

— Eu não sei o que dizer, Jungkook — balancei a cabeça algumas vezes, como se quisesse fazer as coisas pararem em seu devido lugar — Me lembro vagamente da nossa infância, sei que sempre nos demos bem e que éramos como irmãos e... Quem diria que realmente seríamos, não é? — sorri desacreditado e Jungkook permaneceu calado — Onde está o Chimmy? — perguntei, e Jeon murchou todinho encolhendo-se ainda mais sobre os estofado com um bico tristonho nos lábios, e aquela cena fora como um gatilho na minha memória. 

"Não quero que viaje, Ming — Jungkook bufou se jogando sobre o sofá ao lado de Jimin — Você prometeu que iríamos a praia esse fim de semana — ele tinha um bico enorme nos lábios, nem parecia um adolescente de quinze anos estava mais para uma criança, birrenta. "

— Você está bem, Ming? — me olhou preocupado e eu apenas assenti fraco. Esse era mais um flash das minhas memórias, só que dessa fez com mais clareza, vívido — O Jimin não está nada bem, ficou na casa do Yoongi — suspirou descansando a cabeça no meu ombro — Não sei o que será de nós — murmurou com a voz cansada, ele parecia esgotado  

— Vocês se amam, sempre se amaram, bom... Pelo o que eu me lembro — sorri com algumas lembranças de quando Jimin e Jungkook pareciam um casal de maridos, brigando e logo em seguida fazendo as pazes. — Jimin me contou superficialmente o que aconteceu durante o tempo em que estive fora e, eu não consigo crer que nosso pai foi capaz de fazer isso. Eu não tenho muitas lembranças dele, na verdade apenas uma e muito vaga — cocei a bochecha, tentando me lembrar de algo relacionado a ele, porém nada me vinha a mente. Para mim, meu pai era um completo estranho 

— É, e não é só seu pai que é um monstro — falou cheio de mágoa, levantando-se do sofá. — Minha mãe também não é uma boa pessoa, totalmente diferente do que eu achava que ela era — sorriu descrente balançando a cabeça em negação. 

— Eu conheço a sua mãe? — não tinha lembranças dessa mulher. Me levantei indo até ele. 

— Sim, a conhece desde criança — afirmou indo até a estante, retornando logo em seguida com um porta-retrato — Aqui, olha — entregou-me o objeto em mãos — Eu vou sair para resolver um assunto na empresa, preciso ocupar minha cabeça. Depois conversamos com mais calma — afagou meu braço e então seguiu em direção ao seu quarto. 

Segurei o porta-retrato, analisando aquele rosto que realmente me parecia familiar e foi então que, minha mente estalou. 

"— Não posso permitir que você conte o que descobriu, Mingkwan. Isso destruiria todos os meu planos — falou com um tom sádico na voz, carregando um sorriso diabólico nos lábios" 

— Eu me lembrei! — larguei o porta-retrato no chão e aproveitando-me da troca de turno dos seguranças, corri para fora da casa afim de encontrar Jungkook, entretanto acabei encontrando outra pessoa. 


Notas Finais


Não vamos julgar o Jimin por querer se afastar, não é? É uma situação difícil de lhe dar. Jiminzinho tá estranho, né non?

O que será que o Ming se lembrou? Quem ele encontrou?

COMENTEM AQUI PRA UNNIE ♡☆


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...