1. Spirit Fanfics >
  2. Forgotten >
  3. Quando o sol se põem

História Forgotten - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Retornei meus caros, só faltam mais três capítulos pra acabar e nem parece né? Espero que gostem queridos.


PS: Esse capítulo tinha um título diferente mas mudei de última hora :p

Capítulo 22 - Quando o sol se põem


Após ter pegado suas malas na casa de Harry e Gina, que também resolveram dormir na Toca àquela noite, Hermione cuidou de aprontar suas coisas, sabia que seria por pouco tempo, mas era melhor que tudo estivesse organizado.
Era noite e ela desceu para beber um pouco de água, toda àquela animação mais cedo a deixara com sede. Ao passar pelo último degrau percebeu que não estava sozinha, tinha alguém lá, na poltrona.

- Está tarde, o senhor não deveria estar dormindo?

- Estava sem sono, então desci para tomar um pouco de leite. Foi uma grande surpresa a sua chegada aqui Hermione. - o homem ruivo falava enquanto bebia o líquido morno em sua xícara.

- É, realmente. - disse indo se sentar ao lado de Arthur.

- Mas Ron não parecia muito feliz em vê-la, o que é muito estranho já que ele sempre gostou de você. Quando foi dada como morta, foi como se algo dentro do meu menino houvesse se partido, a morte de Fred mexeu muito com todos, mas perder a melhor amiga e logo depois o irmão mais velho deve ter sido ainda pior - Hermione escutava atentamente - Às vezes o ouvia chorando, e quando não ouvia, no dia seguinte podia perceber os olhos inchados, Ronald nunca foi o tipo que chora, mas até mesmo o mais insensível dos homens podem desabar ao encarar a morte de frente, entende?

- Claro.

" Estava escuro, era noite, e mais uma vez o sono tinha escapado, não que pudesse ter noites de sono muito agradáveis, a guerra havia acabado recentemente e todos ainda se adaptavam as mudanças e aos traumas que ela tinha causado. Bebia um pouco de leite quente como de costume enquanto olhava através da janela. Quando bebeu a última gota decidiu que era o momento de voltar para cama, subiu as escadas, e chegando no segundo andar ouviu um barulho. Empunhou a varinha e seguiu silenciosamente pelo corredor, seguindo o som que se tornava cada vez mais claro, até se tornar um choro, um choro baixo mas cheio de dor, retornou a arma para suas vestes e abriu a porta, agora a única coisa que o separava do barulho. E lá estava, a imagem que apertou seu coração, era Ron, sentado ao lado da cama encolhido, a cabeça enterrada nós braços. Se aproximou e ficou de joelhos, colocou a mão no ombro de Ronald, que ergueu os olhos, o azul de sua íris perdido na vermelhidão provocada pelas lágrimas incessantes.

- Eu sinto tanta saudade dele pai, tanta saudade. - abraçou  Arthur como não fazia há muito tempo, se sentia como quando era criança e algum dos irmãos o provocava com aranhas e ele corria para os braços dos pais com medo.

- Eu sei filho, eu sei, também sinto muitas saudades do Fred. - disse, a voz saíndo embargada por conta da garganta que começava a se fechar.

- Eu odeio essa droga de guerra! Perdi a Mione por Comensais, perdi o Fred, poderia ter  perdido Harry, poderia ter perdido todos vocês! Só queria que tivesse sido eu no lugar dele, seria muito melhor. - as lágrimas marcavam seu rosto.

- Ronald Weasley nunca mais diga isso! O sofrimento seria igual independente de quem fosse, os dois são meus filhos! E agradeço todos os dias que ainda tenho Molly, você, Jorge, Gina, Percy, Gui e Carlinhos comigo, são a razão da qual me levanto todos os dias!

- Mas todos se sentem pior que Fred se foi, Jorge está arrasado, se fosse eu talvez...

- Ele continuaria arrasado, porque você também é irmão dele, e ele te ama, assim como todos nós, e quanto a Harry? Queria mesmo que ele perdesse o melhor amigo?

- Não - disse encarando o chão.

- E quanto a Hermione? Se ela estivesse aqui pode imaginar como ela se sentiria?

-  Da mesma forma como me sinto. Só me arrependo de nunca a ter dito que ela era linda, que era a melhor e mais brilhante bruxa que já tinha conhecido, que me arrependo de não a ter chamado para o baile, e que estava apaixonado por ela.

Arthur aninhou o filho mais uma vez.

- Tenho certeza que onde quer que ela esteja, ela sabe de tudo isso.

- Você acha? - os olhos azuis o olharam como uma criança que pede doce.

- Eu acho Ron, eu acho."

- Ele a ama Hermione, muito.

- Eu o amo também senhor Weasley, mas talvez não seja o certo. - disse, a tristeza se fazendo presente.

- Quando vejo vocês dois, me lembro de mim e Molly, ela era como um furacão, e eu era mais calmo digamos assim. Discutimos bastante ao longo de todo esse tempo juntos, mas no fim do dia sempre restava uma única certeza: nos amávamos. E é assim com você e Rony, não importa o que tenha acontecido, sei que podem se acertar, se realmente quiserem. Agora preciso ir, toda essa conversa trouxe meu sono de volta.

- Ah sim, boa noite senhor Weasley. - disse se levantou.

- Boa noite Hermione. - o homem seguiu seu caminho para o quarto, deixando a morena sozinha.

Existiam muitas coisas pra pensar agora, e mais do que nunca Hermione precisava daquele copo de água, e de uma boa noite de sono.

O sol atravessava as janelas da Toca, era de manhã mas era como se a casa criasse vida, não sabia que sentia tanta falta daquilo. Vestiu um vestido curto azul claro, sem estampas, sem costuras muito espalhafatosas, simples porém bonito.
Andou pelas escadas de costume e encontrou Arthur, Molly, Harry e Gina, embora a última não parecesse plenamente acordada.

- Ah não sabia que já tinham acordado, porque não me chamaram? Quero ajudar com o almoço.

- Isso seria de ótima ajud- começou Gina

- De jeito nenhum Hermione, hoje você é convidada. - Molly interrompeu.

A morena ouviu um muxoxo de Ginevra, trocando olhares de confidente.

- Eu insisto senhora Weasley, a Gina pode ir tomar um banho e eu posso fazer a tarefa dela.

- É uma garotinha muito teimosa não é querida? - a matriarca disse de forma gentil.

- Algumas coisas nunca mudam certo?

Com isso a mulher passou a cortar os legumes, enquanto assistiu a amiga subir as escadas a agradecendo com um beijo no ar.
O almoço estava pronto algum tempo depois, e segundo Harry e Arthur, que em alguns momentos ajudaram, estava tudo incrível. Logo todos estavam juntos na mesa, como Gui havia dito, Fleur adorou ver Hermione, mesmo que nunca tivessem sido muito próximas, ficou feliz que a bela mulher, agora grávida, tivesse simpatia por ela. Viu as companheiras e companheiros dos outros meninos também, e era indescritível como se sentia feliz por todos terem encontrado um amor.

- Exceto o Roniquinho.

A voz de Jorge soou, como se o ruivo houvesse lido seus pensamentos, após o choque percebeu que falavam sobre casamento por isso Ron surgiu no assunto.

- Mas talvez quem sabe agora que Hermione está de volta a coisa toda não mude certo Mione?

A morena sentiu as bochechas corarem e um resquício de vergonha passar por seu corpo, ninguém sabia que ela e Ronald já tinham se encontrado antes, e muito menos que tinham quase começado a namorar.

- Cala boca Jorge - Gina disse dando uma cotovelada no irmão, mais uma vez trocaram o olhar de amigas, afinal a ruiva sabia de toda a história.
Todavia a frase de Jorge havia lhe chamado atenção, realmente estavam todos os Weasleys lá, exceto Ron.

- Querida, você pode ir lá em cima buscar o Ronald, aparentemente ele se perdeu. - disse Molly com ironia na voz.

- Eu vou senhora Weasley. - Harry disse, sinceramente, a esse ponto Hermione já devia sua pele inteira àqueles dois, Potter e Ginevra.
Não demorou muito o ruivo apareceu, com a camisa azul escuro social. Ela adorava aquela roupa, mais uma vez Ronald parecia agir como se Hermione não existisse, o que não a surpreendeu nem um pouco.
O almoço transcorreu da melhor forma possível, com pessoas comemorando que a morena estava viva, comemorando a gravidez de Fleur, e comemorando o casamento iminente de Harry e Gina, que particularmente, Hermione esperava ser convidada. Pela tarde, cinco horas Hermione percebeu, as pessoas começaram a ir embora se despedindo e atravessando a porta, para logo depois aparatarem, ou usaram a lareira, tinha sido um ótimo tempo que haviam passado, e que agora chegava ao fim.
Ajudou Molly a lavar tudo, mesmo com a magia ela fazia questão de usar as mãos, a parte trouxa de si ainda vivia.

- Eu e Harry vamos para casa agora, quer ir com a gente?

- Não, vou arrumar minhas coisas e logo de manhã vou embora.

- Tem certeza?

- Tenho.

O casal a abraçou e foram para o quintal, da onde aparataram, Hermione os acompanhou com os olhos e assistiu ele desaparecerem da porta, quando se preparava para voltar viu uma cabeleira ruiva no canto do jardim, Ron, estava sentado observando os gnomos. Tinha de conversar com ele, ao menos para que parasse de a evitar.

- Oi -  disse timidamente, próxima ao ruivo.

- Por que mentiu dizendo que quem tinha te encontrado havia sido Gina? -perguntou a olhando nos olhos de forma mais direta do que imaginava, o que a fez engolir em seco.

- Achei que fosse o melhor a se fazer, depois do que aconteceu não sabia se iria querer que eu dissesse a verdade.

- Hm... Vai ficar de verdade dessa vez?

- Sim, demorei pra perceber, mas estava certo, Londres é minha casa.

- Ótimo, tá todo mundo feliz em te ver, e acredito que a essa altura todo mundo de Hogwarts já deve estar escrevendo cartas para você.

- Não me parece muito feliz.

- E isso importa? - disse se levantando, Hermione tinha esquecido o quão alto ele era.

- Claro que sim, é muito importante pra mim.

- Você é inacreditável. - o tom gélido aparecia mais uma vez.

- Eu sei que cometi minha dose de erros porque estava confusa, não pode me perdoar por isso?!- a cacheada começava a perder as rédeas, também mais rápido do que esperava.

- Não existe o que perdoar Hermione, você foi, voltou, e está feliz agora certo? Se está feliz então estou feliz também, só não pode esperar que eu a trate como antes, quando ainda gostava de você.

- Não preciso que volte a gostar de mim Ronald, apenas quero que me trate como uma amiga de novo, quero que a gente possa sentar nessa droga de jardim e assistir ao lindo pôr do sol juntos como antes, quero ser Hermione Granger a garota que Ronald Weasley considerava uma melhor amiga, é isso o que quero! - o tom se elevando e as tão conhecidas lágrimas surgindo.

" - Vem Hermione! Quero que veja algo.

- Mas o que foi Ron?- perguntou enquanto acompanhava os passos rápidos do amigo.

- Vamos logo.

Desceram as escadas correndo, era mais um verão que passava na Toca, logo as férias chegariam ao fim e o sexto ano começaria.

- Tá vendo? - perguntou o garoto agora crescido, com o rosto cheio de expectativa.

- O que?

- Para alguém tão inteligente está me saindo uma grande boba, senta aqui.

A menina se sentou irritada pela ofensa, e logo Ron a acompanhou.

- Está vendo agora?

Sentados na grama a morena pôde perceber, a vista de lá dava para um belo sol poente, brilhante no meio do céu pintado de rosa, azul e roxo, se perguntava como não havia visto antes.

- Gosto de vir aqui, é um lugar especial pra mim, achei que gostaria de ver, sei que pode parecer meio estúpido já que é só uma paisagem, mas realmente me atrai.

- Rony, é absolutamente lindo - disse observando maravilhada, a imagem refletindo em seus olhos castanhos.

- Igual a você. - o ruivo disse como um suspiro, estava pensando alto.

- O que disse?

- Nada, eu só... Concordo com você, realmente é bem bonito. - falou todo atrapalhado, as orelhas pegando fogo sob o olhar da garota, que tinha ouvido perfeitamente o que ele havia dito.
A morena revirou os olhos sorrindo, e aproximou sua mão da de Ron, até a segura-la de forma tímida, quando percebeu o que a outra fazia, o ruivo ficou ainda mais vermelho, mas segurou firme, sem ousar olha-la. E ficaram assim, sentados observando confortavelmente o pôr do sol de mãos dadas, em um aperto firme e seguro, e naquele momento sabiam, se lembrariam disso pra sempre
."

- Não somos mais crianças Hermione - a voz gelada a trouxe a realidade.

Ronald se virou, e caminhou para a Toca, até desaparecer de sua vista.


Notas Finais


Obrigada por lerem e não deixem de comentar o que acharam.
Beijinhos pra vocês meus xuxus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...