1. Spirit Fanfics >
  2. Forgotten Faces >
  3. Sangue, dor e complicações

História Forgotten Faces - Capítulo 2


Escrita por: samillaway

Notas do Autor


Anteriormente em Forgotten Faces:

- Hei, sua latina de merda. – Todos se espantaram, Sammy se virou. – Eu tenho um presente para você. – Samilla revirou os olhos, mas Meaghan tirou uma pistola dentro da bolsa e descarregou a arma na noiva.

Os convidados saíram correndo, Meaghan conseguiu acertar cinco tiros no peito e dois no abdômen de Samilla, um tiro acertou a sogra dela. Valary ficou desesperada, Richard segurou a noiva desfalecida e sangrando em seus braços, Matt pegou seu celular e ligou para o 911. Zacky deixou o filho, saiu correndo para ver sua amiga baleada, Meaghan conseguiu fugir no meio da confusão, pegou o carro de Zacky e acelerou.
Zacky tentou se aproximar, entretanto entrou em choque ao ver a sua melhor amiga com as marcas de tiro, seu belo vestido branco, ficando completamente vermelho com sangue. Richard o viu, deixou o corpo da esposa no chão, o guitarrista estava parado e pálido com a situação. Ele apenas queria abraça-la, mas saiu do transe quando Richie lhe acertou um soco no meio do olho.

- A culpa é sua, seu roqueiro de merda! Sua mulher matou a minha mulher gravida! – Richard era bem mais alto do Zacky e o segurou pelo terno. – Eu vou te matar! – Zacky não reagiu, a ambulância chegou.
- É… eu… bem, me perdoe. – Zacky começou a chorar, Richard o soltou.
- Eu não quero te ver no hospital, senão quem vai preso vai ser eu! – Richard o ameaçou.

Richard acompanhou a ambulância, todos foram embora, exceto o Avenged sevenfold e suas famílias. Zacky sentou no chão, Val colocou a mão no ombro dele, Tennessee se aproximou do pai e o abraçou chorando.

- A tia Sammy vai ficar bem? – O menino perguntou.
- Ela é forte, meu filho. Ela vai ficar bem. – Tocou os cabelos loiros do menino enquanto chorava. – Ela vai passar dessa. – Ele o abraçou com força.
- Eu sou a única que o Richard não odeia, vou ao hospital para saber notícias e vou passando tudo. – Valary avisou. – Vão se reunir lá em casa que fica mais fácil, cuidem do Zacky, ele não está bem. – Jimmy praticamente arrastou Zacky pelo braço.

Capítulo 2 - Sangue, dor e complicações


Fanfic / Fanfiction Forgotten Faces - Capítulo 2 - Sangue, dor e complicações

Mais tarde no hospital, Samilla estava sendo operada para extrair todas as balas, um dos cirurgiões descobriu que tinha um fragmento de uma bala, próximo ao coração dela. Caso fosse retirado, poderia fazer com ela tivesse uma hemorragia, ela morreria. Devido aos ferimentos, ela sofreu um aborto espontâneo, talvez não pudesse engravidar novamente, pois foi retirado um dos ovários.

Ela teve uma parada cardiorrespiratória, os médicos e enfermeiros entraram em desespero, conseguiram salva-la, entretanto a jovem entrou em coma profundo. Um enfermeiro olhou para uma cirurgiã, terminaram a cirurgia e a jovem foi levada para CTI.

A cirurgiã responsável teria que informar a todos, ela era experiente, mas era uma médica humana, se importava com seus pacientes, seria terrível contar uma notícia daquelas. Ao mesmo tempo, Richard tomava um café tremendo na recepção, Valary estava com seu celular nas mãos, esperando alguma notícia para contar. O esposo estava sendo consolado por seus pais, então a cirurgiã chegou e respirou fundo.

 

- O que aconteceu com a minha esposa e meu filho? – Richie largou o copo de café e a sua mãe pegou.

- A cirurgia foi um sucesso. – Todos comemoraram. – Entretanto o feto não sobreviveu como esperado, um dos projeteis atingiu um dos ovários dela, tivemos que retirar. – Val levou as mãos a boca.

- Ela ficou estéril. – Val perguntou, sabia que um dos maiores sonhos da amiga era ser mãe.

- Não, mas a possibilidade de ela engravidar naturalmente é muito baixa. – Richard chorou enquanto a cirurgiã falava. – As balas foram retiradas, contudo um fragmento de bala ficou alojado próximo do coração e não podemos retira-lo sem matá-la. – Todos se espantaram.

- Ela está bem? – Richie perguntou em desespero.

- Sim, como disse a cirurgia foi um sucesso, entretanto devido a uma parada cardiorrespiratória a sua esposa entrou em coma profundo. – A medica explicou. – Não temos previsão se ela acordará do coma, só temos que esperar algumas semanas, para ver se ela vai melhorar. Já vou, com licença. – A mulher deixou a recepção.

- Imagino que vai fofocar para seus amiguinhos e seu marido, ah não se esqueça de informar a aquele roqueiro sobre o coma profundo, o fato que ela não poderá ter filhos e que a culpa é totalmente dele por não saber controlar a mulher dele! – Richard se estressou, Valary deu um tapa no rosto dele.

- Ninguém sabia que a Meaghan estava armada! Pare de culpar o Zacky, ele a ama como uma irmã, está sentindo tão mal quanto você, talvez até mais. – Val respondeu. – Eu vou contar pessoalmente, infelizmente a partir de amanhã você com seu dinheiro e “direito de marido” vai proibir nossas visitas, quando ela acordar, ela vai saber que nós estivemos aqui mesmo em pensamento e com nossas orações. Eu acredito que ela vai acordar e ainda vai testemunhar contra a vadia da Meaghan. Uma última coisa, ela nunca vai te amar como ama o Zacky! – Val se virou e foi embora.

 

            Enquanto isso, Zacky estava bebendo uma garrafa de uísque e fumando um cigarro Marlboro vermelho, tremendo em desespero. Michelle colocou todas as crianças para dormir nos quartos de hospedes da mansão Sanders. Os outros ficaram preocupados com a forma como Zacky estava, Jimmy ligou a TV, estava em todos os noticiários, o que aconteceu.

            De repente, apareceu um vídeo de Meaghan sendo presa num posto de gasolina na fronteira de San Diego para Tijuana, ele comemorou gritando, quando viu a loira sendo algemada. Isso chamou a atenção dos outros, que comemoraram também, Brian e Johnny se abraçaram. Zacky deixou a garrafa no chão e foi ver o que estava acontecendo, os outros repararam em suas expressões.

            Zacky viu todos os seus bons sentimentos pela sua futura ex-esposa se transformarem em ódio profundo, ela deverá pagar pelos pecados. Deu o ultimo trago, fechou a expressão, como se estivesse com sangue nos olhos, querendo vingança. Lembrou do sorriso da amiga, das vezes que passaram horas conversando, ela contando seus sonhos, se sentiu um estupido e cretino por não ter dado uma oportunidade dela faze-lo feliz.

            Val abriu a porta rapidamente, todos a cercaram, a maquiagem estava toda borrada por ter chorado o caminho inteiro. Ela quase desmaiou, foi segurada pelo marido que a colocou sentada no sofá, Michelle desceu as escadas e correu para buscar um copo de água com açúcar.

 

- Ela sobreviveu… - Eles desconfiaram porque Valary não estaria chorando se fosse boas notícias. – Mas ela entrou em coma profundo, foi retirada todas as balas, exceto um fragmento que está próximo de seu coração. Perdeu um dos ovários, talvez nunca mais poderá engravidar de novo naturalmente. Aquele marido dela não vai deixar nenhum de nós se aproximar do hospital.

- Ele não pode fazer isso! – Zacky ficou indignado.

- Sim, ele pode. Primeiro é marido dela, segundo ele é dono da metade do condado de Los Angeles e terceiro ele nos culpa pelo aconteceu. Quem vai contra ele? – Val deu de ombros, Michelle serviu o copo de água, a gêmea rejeitou. – Eu quero vodca e não água, talvez um calmante bem forte.

- Pelo menos a vadia foi presa! – Brian falou, Zacky olhou para ele. – Sei que ela ainda é sua esposa, mas cara o que ela fez é imperdoável. Sammy sempre foi discreta com os sentimentos dela, sempre respeitou a porra do seu casamento falido.

- Todos vocês sabiam que ela me amava como homem e ninguém me contou? – Zacky perguntou indignado.

- Somente ela tinha que contar, não tínhamos esse direito. O que isso adianta agora? Ela vai acordar do coma? Sempre avisamos que a Meaghan era problema, mas a vontade de se vingar da Gena era maior! – Valary estava puta. – A Sammy dava tantas demonstrações, ou você era burro demais para descobrir, ou você se aproveitava disso para explorar a garota.

- Gente não vamos brigar, isso não vai adiantar, como a Val disse nada do que fizemos vai traze-la para nós em segurança. Apenas vamos rezar por ela, já pedi para meu pai pedir para igreja dele fazer uma corrente de oração. – Jimmy segurou seu crucifixo.

 

XXX

 

            As semanas foram passando, as coisas somente pioravam, Samilla parou de respirar por alguns minutos e tiveram que a entubar. Richard proibiu as visitas de todos que fossem amigos da banda, incluindo uma ordem de restrição. Como todos os integrantes já haviam sido presos por alguma coisa, não poderiam desrespeitar uma ordem judicial.

Zacky ficou desesperado por ter que recorrer aos tabloides para ter alguma notícia da melhor amiga. Ele ficou puto, era impaciente e teve uma ideia. Foi a uma floricultura que ficava no centro de Huntington Beach, pediu para que mandasse lírios brancos do campo em nome de Clyde, afinal ela sua Bonnie.

Era uma forma de burlar a segurança e também, se ela acordasse, saberia que ele nunca a esqueceria. Ele implorou ao entregador que não disse como ele era para o marido, caso perguntasse. Como o entregador era fã da banda, pediu uma selfie em troca. Zacky aceitou, pediu para postar somente a foto depois da entrega, o rapaz fez um ok com as mãos.

O cheiro dos lírios era muito forte, o rapaz subiu até a moto e foi fazer a entrega. Zacky fez o pagamento em dinheiro para que mesmo se Richard resolvesse investigar, ele não descobrisse quem comprou as flores. Zacky se sentiu mais tranquilo, imaginando que ela acordasse, saberia que ele não a abandonou, nem em pensamento.

Quando chegou em casa, Valary e o promotor do caso de Sammy, Zacky não entendeu, percebeu que não eram boas notícias. Ele foi direto a seu bar, encheu um copo de uísque sem gelo. Queria beber até a dor passar, mas eles o olharam, tomou tudo de uma vez.

 

- O que aconteceu? – Zacky encheu outro copo.

- Uma notícia boa, uma ruim, uma péssima e uma terrível. – Val mexeu suas mãos, Zacky perdeu a vontade de beber. – Se o promotor está aqui, deve ter com a Meaghan.

- Pegamos a juíza Harded, apenas do sobrenome, ela costuma ser compassiva com mulheres, por ser feminista. – O promotor estava ficando nervoso. – O advogado dela conseguiu que você não fosse chamado como testemunha por ser marido da acusada. A boa notícia, conseguimos que fosse júri popular, ela vai ser condenada, mesmo que a juíza pegue leve com a pena!

- Qual é a notícia terrível? – Zacky estava desanimado.

- Acho melhor você se sentar… - Val gaguejou, Zacky ficou desconfiado, cruzou os braços. – Sammy, Sammy não está reagindo, hoje era data limite, atividade cerebral dela continua mínima. – Zacky ficou assustado. – Ela não morreu ainda… - Valary respondeu. – Richard sabe que a pena da Meaghan vai ser maior, se ela for acusada de homicídio. – Zacky entrou em desespero.

- ELE NÃO PODE FAZER O QUE ESTOU PENSANDO, ELE NÃO VAI DESLIGAR OS APARELHOS! ELE NÃO TEM O DIREITO! – Zacky gritou desesperado e falou muito rápido.

- Infelizmente pela lei tem, por ser marido dela, os médicos não deram esperanças, a senhora Armstrong nunca vai acordar o coma, é terrível, mas pode ajudar no caso. – O promotor afirmou, Zacky avançou para bater nele, Val ficou na frente.

- Richard deixou que fossemos nos despedir da Sammy hoje, os aparelhos dela vão ser desligados amanhã ao meio dia. – Val segurou os ombros do guitarrista, depois o abraçou com força. – Faz algo de útil, como dizer que a ama, não a deixe partir achando que tudo foi em vão.

- Obrigado por me avisar, eu vou tomar um banho e vou direto para o hospital. – Zacky relaxou e se afastou.

 

XXX

 

            Algumas horas depois, todos os amigos de Samilla estavam reunidos no hospital. Richard não gostava deles, mas seu pai o convenceu que seria melhor. Zacky apareceu vestido da forma como amiga gostava, até mesmo fez a barba, somente por ela. Ele estava de calça jeans que ela comprado para ele, uma camiseta preta da VU, jaqueta de couro, o cabelo arrumado para trás, sapatos de couro. Uma pulseira feito com linha com seu nome, o perfume que ela amava.

Richard fechou as mãos em punho, sentindo ódio dele, as enfermeiras ficaram olhando e não entendeu o porquê estava tão arrumado, ela nem mesmo o ouviria e o veria. Zacky segurou um buque de lírios amarelos, não tinha mais brancos na floricultura. Então Richie associou as flores que sempre chegavam ao quarto de sua esposa, isso o deixou furioso. O pai dele o segurou pelo braço, chegou bem perto do seu ouvido.

 

- É tudo isso que ele quer, não se esqueça porque estamos fazendo isso, é por ela. É uma forma humana para que ela não sofra mais e também, não adianta gastar uma fortuna para mantê-la nesse hospital caríssimo, se nem ao menos ela vai acordar. – O pai sussurrou. – Pensa que aquele imbecil vai sofrer quando mandamos a esposa dele gravida para cadeia de Orange, o filho dele nascer na prisão. Ela vai pegar perpetua, melhor para todos.

- Eu quero que ele pague e sofra da mesma forma que eu estou sofrendo, papai. – Richard se encheu de ódio.

- Eu já armei tudo para o filho dele assim que nascer na cadeia, vai ser entregue para uma família adotiva em outro estado, ou quem sabe ela sofre um aborto dentro da cadeia. – O pai abraçou o filho. – Olho por olho.

- Olho por olho.

 

            A medica deu autorização para as pessoas irem aos poucos se despedirem de Sammy. Acabaram deixando Zacky por último, Richie se pudesse o mataria com as próprias mãos, mas deu um sorriso malicioso quando se lembrou das palavras de seu pai, sobre que Zacky e seu futuro filho pagariam pelos pecados de Meaghan. Um por um foram se despedir, sempre voltavam chorando, Johnny comentou com Zacky que Sammy estava linda mesmo em coma.

            Finalmente foi a vez de Zacky, ele foi andando rapidamente como fosse pegar o trem. Chegou até a entrada da UTI, colocou a máscara de proteção e a enfermeira lhe deu dez minutos. Ele balançou a cabeça positivamente, respirou profundamente e entrou no quarto dela. Ela parecia que estava dormindo, mas estava cercado de aparelhos para que ela pudesse respirar. Zacky se aproximou da cama, sentou-se.

 

- Não sei se você está me ouvindo, não quero dizer adeus, você tem tanto para viver, lembrar daquele dia no lago que você disse que queria ter uma família, com filhos e uma casa cheia de gatos. – Riu sem humor. – Terminar o curso de piano… - Ele segurou a mão dela e passou em seu rosto, a mão dela estava macia como sempre, mas gelada, pelo ar-condicionado. – Fiz a barba como você gosta, agora não pareço um mendigo. – Deu um beijo na mão dela. – Eu quero pedir perdão por não ter percebido o quanto você me amava, por não ter te amado como você gostaria e merecia. Perdão pelas vezes que te magoei, te desprezei mesmo indiretamente, por não ter acreditado quando você falou da Meaghan… - Chorou muito. – Eu não quero que você parta sem saber que realmente que eu sinto… - As lagrimas caíram forte de seu rosto. – Saudade. – Disse em português. – EU AMO VOCÊ E QUERIA LEVAR AQUELES TIROS POR VOCÊ. Não aceito que vai assim, eu vou dar um jeito. Eu vou dar um jeito de você ficar comigo.

 

            Zacky tirou o equipamento do rosto dela, tocou seus lábios quentes, chorando, continuou pedindo perdão por tudo. Colocou rapidamente, antes que fizesse algum barulho. Deu um último beijo na testa dela, saiu da UTI, secou suas lagrimas, saiu do hospital sem falar com ninguém. Chegou até o estacionamento, pegou o celular no bolso e fez uma ligação.

 

- Alô?

- Sou eu, Baker. Preciso que você me arrume alguém para que me ajude a tirar uma pessoa de um hospital e quero um home care na minha casa do lago em meia hora.

- Isso custa caro, Baker.

- Foda-se, meu irmão. Eu quero e pronto, dinheiro não é problema, apenas faça. – Desligou a ligação. – Não vou deixar você morrer, eu juro.

 


Notas Finais


O que será que Zacky vai fazer?
Será que ele vai conseguir que não desligue os aparelhos dela?
Quem é a pessoa que ele estava falando no telefone?
Beijos e até a proxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...