História Fortuity - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, Monsta X
Personagens I'M, Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Mark, Min Yoongi (Suga), Youngjae
Tags Bangtan Boys (BTS), Changkyun, Got7, Jungkook, Mark, Markjae, Monsta X, Seokjin, Taehyung, Vkook, Yoongi, Yoonjin, Youngjae
Visualizações 18
Palavras 2.814
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, boa noite, como estão? Faz muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito tempo que não posto, me desculpem por isso.

Mas estou de volta e eu gostei de escrever esse capitulo, principalmente a segunda parte.

Sem enrolação, espero que todos gostem ^-^

Capítulo 2 - 02 - Die of Love (How SeokjinYoongi and TaehyungJungkook met


Blue Night

Min Yoongi olhou para os papeis em sua mesa com uma certa tristeza e muito pesar, eram papeis importantes que ele precisava ler com atenção e uns ainda que precisava assinar, até tinha separado em diferentes pilhas para não se confundir deixando em uma ordem que só ele entendia, mas que funcionava maravilhosamente bem para ele trabalhar de maneira rápida e eficientemente.

– É uma pena. – disse deixando a tristeza sair em seu tom de voz antes de cometer um ato que ninguém acreditaria que ele tinha feito, mas que ele teve um grande incentivo para cometer tal feito quando sentiu ser abraçado por trás e beijos de lábios gelados começarem a ser distribuídos em sua nuca.

Afinal, dizem que amor faz as pessoas cometerem atos de loucura e para Min Yoongi fazer aquilo em seu escritório era uma baita loucura.

Esticando os braços sobre a mesa/escrivaninha, ele jogou todos os papeis no chão. Tinha coisas mais importantes para fazer em cima dela, tipo pegar o chef e dono do restaurante La Vie en Rose, Kim Seokjin.

É. Min Yoongi está amando, aquele amor que muda tudo a sua volta, faz você ter uma nova visão do mundo e que não muda quem você é, mas ajuda você a se tornar alguém melhor e as vezes bem bobo, na verdade, quase sempre bobo.

Quando se conheceram, há quase um ano, a primeira vista, Yoongi estava mais intrigado com o maluco que entrou em seu bar com os cabelos arrepiados e parecendo desesperado. Por ainda estar faltando alguns minutos para ele abrir o estabelecimento oficialmente estava só ele no salão enquanto os funcionários estavam na cozinha enchendo o bucho e colocando o papo em dia antes do expediente.

– Me desculpe. – falou o maluco apressado, a respiração irregular e apoiando as mãos nos joelhos enquanto recuperava um pouco o folego.

– Quer se sentar? – ofereceu Yoongi ao descabelado que ele achou extremamente bonito, porém este somente negou tomando uma longa inspiração e endireitando as costas finalmente olhando pra Yoongi. – Então deseja algo? Ainda não abrimos, mas há sempre exceções. Deseja alguma coisa para beber?

– Agradecido. – recusou gentilmente sorrindo um pouco forçado, afinal estava um pouco desesperado. – Não quero nada para beber, mas preciso de algo. – ele rapidamente começou a apalpar todos os bolsos de sua roupa e fez uma careta ao ver que todos estavam vazios. – Vou precisar mesmo é falar com o dono ou gerente, é importante.

– O dono está bem na sua frente. – um sorriso de canto repuxou nos lábios de Yoongi, o orgulho que sentia por ter o estabelecimento sempre vinha à tona não tinha como se segurar, mesmo que fosse algo mínimo, e além do mais, foi adorável ver a expressão surpresa do estranho.

– Ohh... That’s great. – o homem estendeu a mão para Yoongi, ao qual um pouco confuso apertou-a em cumprimento. – Meu nome é Kim Seokjin, sou chef e dono do restaurante La Vie en Rose. Eu sai correndo do restaurante e esqueci de pegar dinheiro, mas mesmo assim você poderia me vender duas garrafas de vinho que eu sei que você tem porque temos o mesmo fornecedor, que infelizmente não tem como fazer entregas em meia hora e você é o estabelecimento mais perto que sei que tem? – falou em um folego só, deixando o dono do Blue Night surpreso.

Mas ele não deixou sua surpresa sobrepor o que tinha ouvido do outro homem.

Yoongi seria um completo antissocial se não soubesse sobre o restaurante, afinal o estabelecimento está a três quadras do bar e muitos clientes já soltaram o nome do restaurante em conversas e apesar de ainda não ter ido lá, Youngjae já havia verbalizado seu desejo de ir.

– Uau!!! Ótimo folego. – apontou Yoongi. – Porém, por mais que eu conheça o nome do restaurante eu não sei mais do que isso. Seu nome é Kim Seokjin-ssi?

– Você tem razão, foi estupidez minha ter saído sem minha carteira e sem meu telefone. Nem ser o dono do lugar deveria me dar credibilidade para sair daqui com o que eu quero sem pagar. – Seokjin deu um tapa na própria testa por sua ação impulsiva em sair do restaurante sem checar nada. – Me desculpe por isso, mas eu realmente preciso do vinho agora, tem algo que eu possa fazer para me dar as garrafas de vinho?

Yoongi olhou para o homem com atenção. Trabalhando no bar ele já viu muitas coisas, principalmente tipos de malandros ladrões, mas aquele Seokjin parecia realmente genuíno e verdadeiro com o seu pedido.

Ele também poderia estar enganado e Seokjin ser um excelente ator, os dilemas da vida eram tão chatos, nunca poderia se confiar plenamente em alguém, mas as vezes era sempre bom dar uma chance.

Por via das dúvidas, dar uma checada pelo menos em uma parte da história não faria mal.

– Qual vinho você quer? – o semblante de Seokjin se transformou completamente, um sorriso grande e olhos brilhantes olhavam para Yoongi naquele momento e a voz dele estava completamente alegre quando falou o que queria, até que não era um dos vinhos mais caros que tinha na adega. – Vou pedir para pegarem.

Enquanto foi para a cozinha, ouvindo alguns obrigados do outro homem, pedir para um dos garçons pegar as garrafas e esperava Yoongi tirou o celular do bolso. Rapidamente pesquisou o nome de Kim Seokjin e mais uma vez ficou surpreso.

Além dele ser realmente quem diz ser, ele é um chef bem famoso internacionalmente que resolveu voltar para seu país de origem e abrir um restaurante para ficar mais perto da família que morava em Seoul.

Ahhh e também pegou uma informação que o deixou deveras interessado e com segundas intenções, claro que se a outra parte também quiser.

Em uma entrevista que deu a uma revista coreana a pouco tempo, na parte que sempre tinha perguntas sobre relações amorosas, Seokjin contava que estava solteiro e a procura de um namorado.

Ainda era cedo demais para pensar em namoro, mas nada o impedia de tentar as preliminares de um relacionamento.

O funcionário para quem pediu para pegar as garrafas voltou e Yoongi as pegou voltando para o salão. Ele colocou uma embaixo do braço e pegou o celular novamente.

– Só terá as garrafas se me der seu número. – falou Yoongi estendendo o celular para o outro homem e o olhou com um claro interesse que foi retribuído por um sorriso de canto maroto que denunciava que entendeu bem até demais o olhar que recebeu.

– Essa é uma ameaça que eu posso cumprir. – Seokjin pegou o celular e rapidamente salvou seu número. – Vou pedir para um dos meus meninos trazer o dinheiro depois. – falou ao devolver o aparelho. – Quanto que é?

– Seus meninos? – Yoongi arqueou uma sobrancelha divertido entregando as duas garrafas.

– Sou o mais velho por lá, tenho o direito de chamá-los de meus meninos. – Seokjin abraçou as garrafas e empinou o nariz, o que fez Yoongi ter que segurar a vontade de rir pela atitude um pouco infantil.

– Claramente está em seu direito. – Yoongi levantou as mãos em forma de rendição. – O pagamento pode ser o mesmo que você paga ao seu fornecedor.

– Se ele vender pelo mesmo preço para nós dois você não teria nem um lucro nisso e se ele vender mais barato pra mim, você sairia no prejuízo. – disse Seokjin contrariado com aquela ideia.

– Ou ele pode vender mais caro pra você. – apontou Yoongi e Seokjin teve que concordar. – De qualquer maneira, podemos conversar sobre isso depois, mas o preço é esse e você não disse que estava com pressa?!

– Ah droga. – Seokjin arregalou os olhos ao se dar conta que não poderia ficar mais ali, já tinha perdido muito tempo. E estava quase na hora que o restaurante abria para a jantar.

E como ele estava preparando um prato quando o acidente que resultou em ter cinco garrafas de vinhos manchando chão aconteceu, justamente as garrafas da qual precisava para preparar o prato principal do dia, ele ainda tinha muitas coisas que fazer para deixar tudo pronto.

Seokjin agradeceu Yoongi respeitosamente reforçando que mandaria alguém ali para lhe pagar e sai em disparada do bar, não sem antes gritar que era para ele lhe ligar ou ele voltaria ali.

Yoongo ficou alguns segundos ponderando divertidamente essa “ameaça” de Seokjin, era tentadora, mas logo mandou uma mensagem para o número que Seokjin salvou em seu celular. Yoongi gostava de tomar atitudes e sua atitude rendeu outro enlaço do destino.

E aqui estavam eles, Seokjin e Yoongi, prontos para tirarem a roupa um do outro se não fosse as batidas na porta com uma certa força que denotava que alguém queria irritar os dois por estar atrapalhando naquele momento quando Yoongi havia dito em alto e bom som que não queria ser interrompido quando entrou em seu escritório com o namorado, ou eram batidas de urgência.

– Não sei se vocês já estão no ato sexual. – a voz de Youngjae soou seria por de trás da porta, o que deixava bem claro que era um assunto urgente. – Mas sugiro que se recomponham agora. Jungkook-ie sofreu um acidente, Tae está com ele, mas preciso que Seokjin-hyung venha comigo.

A porta foi aberta no momento que Youngjae parou de falar. Apesar de as roupas e cabelos bagunçados não esconder o que estavam prestes a fazer, as expressões serias e preocupadas dos dois poderiam dizer que aquilo nunca tinha acontecido.

– Em qual hospital? – perguntou Seokjin.

 

X

 

Hospital

Com cuidado, Taehyung segurou a mão de Jungkook e se sentou ao lado do leito dele. Ver o rosto pacífico do mais novo dormindo era uma das visões que o fotografo sempre imaginou, mas não dessa maneira com ele tendo algumas escoriações pela face e outras espalhadas pelo corpo.

Mesmo que a médica já tivesse dito que ele estava fora de perigo e agora só estava descansando, Taehyung ainda se sentia angustiado com toda a situação, ainda mais que ele viu Jungkook sofrer acidente e não pode fazer nada além de ficar ao lado dele.

Fazendo carinho na mão do mais novo que segurava, Taehyung começou a divagar, pensando em como o garoto tímido começou a ser tão importante para si que o estava fazendo ter aqueles sentimentos que ele pensou que nunca mais iria sentir.

No mesmo dia que Yoongi e Seokjin se conheceram, Taehyung e Jungkook acabaram se conhecendo oficialmente também.

Como Yoongi mandou uma mensagem para Seokjin, o chef resolveu mesmo mandar um de seus meninos para levar o dinheiro – caso Yoongi não mandasse a mensagem, ao que secretamente Seokjin não queria que mandasse, ele iria pessoalmente levar o dinheiro.

Jungkook entrou no bar cautelosamente, não era nem oito horas da noite e já tinha um cara quase beijando o chão de tão bêbado que estava forçando ele a ter que passar por cima do cara. Seguindo o que seu patrão disse, ele foi desviando das pessoas até chegar no balcão aonde acenou para uma barmaid que estava preparando uma bebida.

– Desculpa interromper, mas Kim Seokjin me mandou aqui. – os olhos da mulher arregalaram em conhecimento e Jungkook não precisou dizer mais nada, ela só pediu para ele esperar um momento. – Obrigado.

A barmaid terminou de fazer a bebida, entregou para o cliente e entrou em uma porta atrás de si que pelo que Jungkook pode ver do lado de dentro, parecia uma cozinha. Ela voltou poucos minutos depois e alguém a seguia de perto.

Taehyung estava ajudando na cozinha aquele dia e quando uma das barmaid entrou avisando que tinha alguém a mando de Kim Seokjin ali, ele sabia que tinha que ser ele a atender o rapaz já que Yoongi e Youngjae estavam na adega conferindo o estoque.

Ao seguir Ailee para fora da cozinha, Taehyung foi belamente apresentado pela barmaid a um garoto que o encarava com o rosto completamente perplexo como se o conhecesse e não quisesse mais estar ali, o que por alguns poucos segundos deixou Taehyung confuso, não se lembrava de já o ter visto e muito menos feito algo para que ele tivesse medo de si.

– Olá! – cumprimentou Taehyung com um tom simpático na voz e colocando um sorriso no rosto. Uma risada escapou por entre seus lábios quando o rosto do garoto ficou completamente vermelho e foi ai que o Kim se lembrou. Ele já tinha visto aquele garoto antes e se lembrar disso o divertiu profundamente. – Tudo bem?

Jungkook queria morrer, sua mente estava completamente em pane e seu corpo ainda não colaborava ficando mais travado que uma estátua. Aquilo não podia estar acontecendo com ele, não podia.

Além de trabalhar para Seokjin como garçom por três dias na semana, Jungkook também trabalhava em um café nos três outros dias da semana – Domingo sendo sagrado seu dia de folga em ambos os trabalhos.

O café em que trabalhava era localizado perto de um parque muito bonito e como havia muitos comércios por perto, as vezes ele saia para fazer algumas pequenas entregas na redondeza.

Foi em um dia que estava fazendo entregas que reparou que uma sessão de fotos estava acontecendo no parque. Ao se aproximar para ver melhor, sua atenção foi completamente fisgada pelo fotografo.

Foi amor à primeira vista. E esse sentimento o pegou tão fortemente que ele sentiu suas pernas balançarem que nem geleia e seu coração quase saiu pela boca.

Uma moça que estava passando por perto até perguntou se ele estava bem, foi uma distração bem-vinda porque naquele momento o fotografo estava dando o sorriso mais lindo que Jungkook havia visto em sua curta vida e ele pensou que poderia morrer de amor naquele exato momento.

Ele não morreu, obviamente, mas começou a tentar contra sua vida indo ao parque todos os dias a procura do fotografo e sempre que o encontrava se sentia um cadinho mais apaixonado por ele, mesmo que ele não tivesse tido coragem de ir conversar com ele e tudo que sabia era profissão dele.

Sim, Jungkook era um covarde tímido que tinha medo de perguntar sobre o fotografo a alguém. Sua mente não o ajudava nesses momentos, porque em sua mente, sempre que ele iria perguntar para alguém sobre o fotografo de alguma maneira mirabolante, o fotografo iria ficar sabendo e lhe dar um pé na bunda de partir o coração em micro caquinhos.

Mas Jungkook estava de bem com isso, em somente observar aquele homem esplendido de longe que lhe dava mini ataques cardíacos a cada mínima coisa que fazia e esperar que um milagre divino acontecesse para que um dia tivesse coragem para fazer algo quanto aquilo que sentia, ou pelo menos saber o nome do homem que lhe roubou seu coração.

Esse era o plano até que foi pego no flagra.

O dia estava lindo como sempre são os dias que o fotografo aparece. Jungkook estava ansioso pois fazia algum tempo que não o via por isso se esgueirou para bem perto de onde estava acontecendo a sessão de fotos e ficou lá observando o fotografo, com certeza com um sorriso bobo no rosto e olhos em forma de corações.

O jovem rapaz nem estava ligando quando uma pessoa se aproximou do fotografo parecendo falar algo para ele, situações assim já tinham acontecido, mas o mundo do pequeno Jeon desabou quando em um piscar de olhos o fotografo estava com a cabeça virada em sua direção e aqueles olhos lindos travados nos seus.

Jungkook sentiu seu coração parar ali mesmo e como covarde saiu correndo dali, nem se quer se importou com alguém que parecia o estar chamando, ele correu como o diabo foge da cruz completamente envergonhado.

Depois disso, Jungkook evitou passar no parque e pretendia não passar mais, não queria esbarrar no fotografo e em vez de morrer de amor morresse de extrema vergonha. E ele estava se dando bem nisso, por mais que seu coração desejasse ver o fotografo de novo para saciar seu amor ele aguentou bem.

Até que o destino resolveu intervir e aqui estava ele, cara a cara com o fotografo, pego completamente com a guarda baixa e sem saber o que fazer ou falar.

– Taehyung-ie, pare de encarar o garoto assim. Está o deixando sem ar. – falou a barmaid dando um leve empurram no ombro do fotografo o que resultou em uma rápida quebra do olhar entre os dois homens.

A mulher estava certa, Jungkook nem tinha reparado que tinha prendido a respiração ao ver o fotografo, Taehyung – agora ele sabia seu nome. Profundamente o mais novo inspirou, o ar sendo bem-vindo aos seus pulmões e clareando sua mente.

E sem perder mais tempo, o jovem Jeon se virou pronto para correr como nunca tinha corrido em sua vida, até se esqueceu o que foi fazer ali, mas uma mão se fechou firme em seu pulso.

– Você não vai fugir dessa vez. – a voz de Taehyung soou travessa fazendo Jungkook se arrepiar por inteiro e ter certeza que morreria de vergonha com certeza.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e me desculpem por ter demorado tanto.

Essa fic vai ter pelo menos mais um dou três capítulos, ainda não me decidi.

A próxima fic que vou atualizar será Special Security. Muito obrigada por terem lido e até a próxima ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...