1. Spirit Fanfics >
  2. Foster Daddy - Taegi >
  3. 10. Eu posso?

História Foster Daddy - Taegi - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Tá eu tô muito feliz com a fic kkkkk

E alguém acertou nos comentários do cap passado. Kkkkkk

Desculpa qualquer erro.
Espero que goste.
Bom cap.

Capítulo 10 - 10. Eu posso?


Acordar ao lado do pai, era como sonhar. Finalmente.

- Acorda! Ei, pai, acorda! – o remexeu um pouco e então Yoongi abriu os olhos ainda inchados.


- Bom dia. – e como um gatinho manhoso, abraçou Tae e enfiou a cara em seu pescoço, esse apenas riu.


- Vamos eu tenho que ir, e você também. – se levantou e o mais velho fez o mesmo.

Depois de prontos, foram tomar café e logo em seguida Taehyung fez o nó na gravata de Yoongi.


- Você não tem que aprender a fazer isso sozinho, não? – Yoongi sorriu, era fofo demais.


- Não, prefiro ter você aqui, pertinho de mim. – depois que Taehyung terminou ele selou os lábios do menor. – Vamos. Pega sua mochila. – Tae subiu as escadas, pegou o material e foi de encontro com o pai.


XX


- Vai querido, presta atenção na aula. Eu te amo. – pegou sua mão e beijou.


- Tudo bem, eu também te amo. – deu um beijo calmo em Yoongi.

Desceu do carro e andou um pouco até a escola, era arriscado se tratarem dessa forma bem na entrada de um local cheio de pais e adolescentes.

Taehyung fez o de sempre, porém Jimin parecia ter visto um fantasma.


- O que foi menino? Já está me assustando! É só um jantar. – o outro apenas revirou os olhos.


- É difícil, Tae. – o citado se sentiu ao lado dele.


- Calma, se der errado, não tem problema. – Jimin suspirou.


- Tem muito sim. – Taehyung levantou uma sobrancelha. – É! Eu gosto dele. – fechou a cara e cruzou os braços.


- Fofinho. – apertou a bochecha do outro, mas já ganhando um tapa na cabeça.


- Não me chama assim! – Tae só riu.

XX

No mesmo canto do dia passado, estavam os cinco amigos.


- Que história de amor linda! – diz J debochando. Todos riem.


- Ele está apavorado. Já disse que era só um jantar. – Jimin ri.


- Calma Jimin, qualquer coisa me liga, que dou uma apagada nele. – Jimin ri mais junto ao amigos, a fala de Bhuwakul realmente foi engraçada.


- Você ainda não viu o físico que ele tem BamBam. – disse ainda rindo.


- Só lembro de você Hobi, querendo ir de frente com meu pai. – o citado apenas riu mais.


XX



Já em casa, Taehyung foi tomar um banho e trocar de roupas. E estava com um short mais curto que o normal, de ceda.


- Tae... – Yoongi disse fechando os olhos devagar.


- O que foi? – sabia o que era, mas queria se fazer de desentendido.


- Vem aqui. – o menino seguiu rumo a mesa, onde o mais velho estava sentado. Depois ele aponto para a própria coxa e Tae entendeu, logo sentando no colo do maior. – Desse jeito você me mata, sabia? – o menor apenas sorriu.


- Não gostou? – diz cínico. O outro apenas aperta sua bunda e sua coxa.


- Eu amei, só que está me deixando com tesão. – e como sempre os pelos de Tae se arrepiaram.


- Calma, pai. A gente ainda tem que almoçar. E você vai para o trabalho. – se levantou do colo de Yoongi e sentou em outra cadeira.

Depois do almoço, Yoongi estava na sala e Tae foi se despedir dele.


- Tchau, filho. – o abraçou.


- Tchau, pai. – beijou seu rosto. Mas Yoongi levantou seu rosto e beijou sua boca.

Era para ser só um selar, mas as línguas já estavam se encontrando. Beijar Taehyung era mágico, sempre fazia seu coração acelerar, seus pelos se arrepiarem e seu corpo necessitar de mais. Então a falta de ar separou os dois.


- Eu te amo. – diz o mais velho.


- Eu também te amo. – e Yoongi vai em direção a porta. Taehyung sobe para seu quarto, precisava fazer uma lição.



*********



Já no fim da tarde, Jimin resolve tomar um banho de água fria.

“Calma, é só um jantar, apenas.”

Repetia para si mesmo. Fazia muito tempo que não tinha relações sérias e sabia que essa era a intenção do outro, se fosse só sexo, ele apenas iria na casa de Swing.

Depois de voltar ao quarto, escolheu uma roupa. Acabou pegando uma camisa social preta, uma calça colada e rasgada da mesma cor, e sapatos sociais.

A maquiagem era suave, apenas os olhos tinham uma coloração marrom, e os lábios rosa.

Se olhou no espelho novamente, já eram 19:26 PM, tinha catorze minutos para chegar ao local. Então saiu de casa e foi a garagem escolher uma dos três carros. Uma Lamborghini, uma Range Rover, e uma BMW. A BMW usava para ir para escola, poderia o reconhecer qualquer dia, não era nenhum criminoso mafioso, mas por conta do trabalho, tinha que ter cuidado com a sociedade. A Lamborghini era para ir ao trabalho, então pegou a Rover.

Já chegando no local, parecia que estava tendo um ataque de asma, mas só estava sem ar.



Desceu do carro, e disse seu nome, logo sendo indicado a uma mesa. 



Ele estava impecável como sempre, aquele homem parecia não ter defeito nenhum.



- Boa noite. – disse se sentando e ganhando a atenção do outro que olhava o celular.


- Boa noite, Jimin. Você está lindo! – sorriram um para o outro.


- Você também está lindo! – nervoso, aquela voz, aquele olhar, aquele homem o deixava nervoso.


– Pode olhar o cardápio, bebe vinho? – o menor assentiu. – Ah, é que eu já pedi um de entrada. Para conversarmos. - disse servindo a taça de Jimin. 


- Qual é o seu nome? – o homem sorriu.


- Rápido você, não é? – Jimin soltou uma risada fraca. – Jeon Jungkook. –


- Quantos anos, Jeon? – se ajeitou na cadeira.


- Vinte e sete, e você, Jimin? – o citado levantou rápido uma sobrancelha, surpreso.


- Dezoito. – surpreso agora era Jungkook.


- Nossa... –


- Novo demais para você? – disse levando a taça a boca, olhando nos olhos de Jeon.


- Não, só achei que era mais velho. Próximo aos vinte e quatro. –


- Pareço velho? – essa troca de farpas era diversão para Park.


- Seu corpo não parece de um garotinho de dezoito aninhos. – ser levado ao diminutivo era irritante para Jimin e Jeon logo riu fraco depois da expressão de Jimin fechar. – Calma, Jimin. É só brincadeira. –


- Eu estou calmo, senhor. – o provocar ali não era certo.


- Não começa, Mochi. – disse baixo. E Jimin sorriu, tomando mais do vinho.

O jantar foi em silêncio e Jimin mal conseguiu comer direito, a presença do outro o deixava nervoso, demais.


- Quanto deu? Eu ajudo a pagar. –


- Eu que chamei você, pode ficar tranquilo, Jimin. – mais desconfortável impossível. Duzentos mil, quatrocentos e trinta e cinco dólares, ele tinha que parar.

Já estavam esperando seus carros. Mas só o de Jungkook veio.


- Eu pedi para trazerem só o meu, por que quero que venha comigo. – estava confuso, mas deixou que o levasse.


- Para onde estamos indo? –


- Quer ir ao motel? Preciso de você! – Jimin sorriu colocando a mão no rosto por vergonha, mas se tocou de algo. Sem máscara, ia ser a primeira vez. Depois assentiu.


XX


Já no quarto, Park e Jeon se beijavam com desespero, era desejo ou... Saudades? Mas Jimin sabia que beija-lo já era o suficiente para o deixar feliz.

Jimin tirou sua camisa e depois a de Jungkook. O maior segurava sua costa e seu rosto e o menor segurava o pescoço e o ombro.

Jimin o sentou em uma poltrona e retirou o resto das roupas de Jeon, se ajoelhou entre suas pernas e começou a masturbar o mais velho.


- Nunca provei da sua boca, Jimin. Quero ver o estrago que esses lábios grossos podem fazer. – passou o polegar no lábio inferior de Jimin. Que sorriu com malícia e logo passou a língua da base até a cabeça do membro de Jeon, que apenas suspirou. Ele estava extremamente sexy daquele jeito, sentado, com uma expressão séria, apenas esperando por mais.


Jimin logo o colocou tudo o que podia na boca, chupando o máximo que podia, levando Jungkook a jogar a cabeça para trás e gemer. Aquela voz, aqueles gemidos, faziam o corpo de Jimin se torcer de desejo. Estava dando o melhor que podia naquele boquete, lambendo e chupando o que podia, as vezes se engasgava e isso apenas excitava mais o homem que estava recebendo aquilo.


- Eu vou gozar, Jimin. – achou que ele não gostaria de engolir esperma. Por isso afastou o rosto do menor, mas esse pegou a mão de Jeon e a colocou em seus cabelos e voltou a chupar ele.


O maior logo começou a foder a boca de Jimin, fazendo escorrer saliva pelo canto da boca do menor. Foi pouco para gozar na boca e rosto de Jimin, que limpou com os dedos logo lambendo os mesmos, só enlouquecendo mais ainda o mais velho. Então se levantou.


Jungkook ia se levantar, mas Jimin colocou o dedo em seu peito o empurrando de volta, negando com a cabeça. Jeon sorriu passando a língua na bochecha, tinha entendido que quem mandava agora era Park. Esse que tirou o resto das roupas, se sentou no colo de Jeon, lambeu a mão, depois passando no pau do maior, se posicionou e sentou devagar em Jungkook. Esse gemeu baixo, acompanhando Jimin.


Começou cavalgando apenas, apoiando as mãos no peito de Jungkook, esse que segurava a cintura de Jimin, os gemidos ainda eram baixos, Jimin não tirava os olhos dos de Jungkook e Jungkook não tirava os seus dos de Jimin. Então só aí, que Jimin viu que ele tinha umas tatuagens no tronco. 


Depois de um tempo, Jimin começou a quicar forte no pau de Jeon, gemendo alto e fazendo o outro gemer mais.


 Quase chegando em seu limite, com as pernas cansadas, o mais velho levantou seu corpo e começou a fodê-lo com rapidez, fazendo Jimin praticamente gritar de prazer. E logo em seguida gozar forte, Jeon ainda não havia gozado, então pegou Jimin no colo e o levou para a cama. Quem mandava agora era Jungkook.


- Vira de quatro, Park. – o obedeceu, logo o recebendo novamente. Eram estocadas brutas e rápidas, e Jimin gritava sem vergonha nenhuma, era prazer demais. Acabaram por gemer o nome um do outro. Jimin já ia gozar pela segunda vez, as pernas começaram a tremer e Jungkook estava gemendo mais alto. Os dois gozaram juntos, Jimin gritando o nome de Jungkook e esse que estava com o tronco nas costas de Jimin, gozou gemendo bem ao ouvido do menor.

Depois de se recompor, se vestiram e saíram do local.


Eles voltaram ao restaurante, para pegar o carro de Jimin.


- Tchau, Jimin. Quando quiser sair me manda mensagem. –


- Ok, tchau Jungkook. Obrigado pela noite. –


- Eu que agradeço. – beijou Jimin. Então o menor concluiu que poderia beijar ele o dia todo e não cansaria. A falta de ar os afastou e Jimin desceu do carro, indo pegar o seu.



*********



Yoongi estava chegando mais cedo, queria passar mais tempo com o filho. Ele entra na casa e então logo a tranca. Ele sobe as escadas e encontra Taehyung deitado em sua cama.


- Oi, querido. – o mais novo se ajoelha na cama, para ficar na altura de Yoongi e o abraça.


- Oi, pai. Como foi o trabalho? –


- Foi bom, estamos conseguindo subir mais ainda. – Tae sorriu e Yoongi também. – Agora eu vou tomar um banho, ok? – Tae assentiu. Já tinha feito a janta, só estava o esperando.

Logo Yoon volta, só de toalha, deixando o menor um pouco inquieto. Ele o chama com a mão e Tae volta a fica na ponta da cama, o mais velho começa um beijo de língua que acaba ficando cada vez mais quente.


- Pai... – Tae sussurra contra a boca de Yoongi e ele responde com “hm” ainda beijando o menor. Tae se afasta e pergunta. – Eu posso... – vergonha atinge ele, mas ele continua a falar. - ... Eu posso fazer um boquete em você? Por favor. – Yoongi parecia confuso.


- Tae, é um pouco cedo, amor. – o rosto do mais novo se entristece. Eles sentam na cama e Yoon pega a mão de Taehyung. – A gente não precisa disso ainda, eu sei que quer, mas precisamos nos acostumar com isso ainda. É um pouco assustador um dia eu te tratar como meu filho e no outro você estar fazendo algo sexual assim em mim. – Tae assente, era assustador mesmo.


- Tudo bem. – beijou o rosto de Yoongi. – Se veste, vamos jantar. – saiu do quarto para dar privacidade ao mais velho. Desceu as escadas indo para cozinha, pegou os pratos e talheres e serviu a mesa.

Não demorou para Yoongi descer as escadas e se juntar a Taehyung para comer. Depois do jantar, Taehyung conversou um pouco com Jimin e riu muito, pois o mais velho parecia mais nervoso ainda, Tae já sabia e era só Park se conformar que ia se apaixonar ou já estava apaixonado por Jeon Jungkook.

- Vem dormir, amor. – o chamou, ele estava em seu quarto. – Vem dormir comigo. –

- Já vou. – riu do mais velho.

- Você que me acostumou a ter um corpo para abraçar. – sorriram e Tae logo se levantou e foi em direção ao quarto do mais velho.






Notas Finais


Aeeee bucetao era Jungkook como todo mundo já imaginava KKKK eu ia inverter e fazer Nammin mas a galera não shippa mt ent tá aí um Jikook.

Nosso Taegi dando certo amém kkkkk


Espero que tenha gostado e desculpa quer erro.

XOXO ate.....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...