História Caindo aos pedaços - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Tags Amizade, Cebonica, Fotografia, Memórias, Romance, Tmj, Turmadamônicajovem
Visualizações 194
Palavras 1.161
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oláá amores, quanto tempo não? Rsrsrs ♥♥
Cá estou eu, meia noite... vocês vão ter aula amanhã também? :) sou uma menina muito rebelde hein kkkkkjjj
E eu estou quase chorando por quê o feriado de carnaval acabou :'( só vamo chorar ali no cantinho... ah, e o próximo feriado vem quando, mesmo??? KKKKKK HELP-ME
Bom, queria agradecer por todos os comentários maravilhosos, os favoritos... vocês são extraordinários!! <333
Estou falando demaisss novamente, bom, boa leitura, sei o quanto estavam animados para esse capítulo huahauahau ( ͡° ͜ʖ ͡°)♥

Capítulo 13 - Prazer, irmão


Era engraçado que como quando se beijavam, era diferente de todos os outros que ambos já haviam beijado e em quantas coisas boas sentiam de uma vez só. E quanto mais forte a chuva caía, mas intenso ele ficava. Mônica achou que estivesse perdido completamente os seus cinco sentidos, pois não conseguia fazer outra coisa a não ser permanecer com olhos fechados e retribuir.

Seu coração batia de uma forma inacreditável, sua cabeça girava, esquecendo do resto do mundo que estava ao redor.

Aquele momento foi tão único para ela, que sem pensar suas vezes colocou a mão sobre o rosto do garoto. Ela sentiu mil sensações ao mesmo tempo, as mesmas que sentiu desde a primeira vez que o beijou, e ela se lembrou exatamente do quanto gostou de sentir aquilo.

Cebola não tinha ideia do motivo de ter feito aquilo, ou até ele podia ter, lá no fundo, mas procurar por respostas naquele momento seria a última coisa que ele faria. Segurava a morena pela cintura, e no momento que percebeu que ela se rendeu á ele, a beijou de tal forma como se fosse sua última missão na terra. Estavam encharcados e no meio daquelas rampas enormes, onde tinha um grupo de skatitas de baixo da árvore que os observavam com sorrisinhos no rosto, certamente achando que fossem um casal que não se viam há anos, menos um deles, que sentia seu sangue ferver naquele momento.

O som do trovão forte fez Mônica despertar, recuperando aos poucos seus sentidos e se afastando dos lábios do garoto lentamente. 

Os dois abriram os olhos no mesmo momento, se encarando meio alheios e com confusão no olhar.

— Depois, diz que sou eu o traíra não é, Mônica Sousa? — uma voz conhecida fez ela olhar para o lado, assim como Cebola.

Felipe estava parado, com seu skate em uma mão e com uma cara nada boa. Ele era um dos skatistas encostados numa árvore que sentia seu sangue ferver a cabeça. Assistiu tudo de longe, mas somente agora havia criado coragem para ir até lá.

A dentuça voltou o olhar para Cebola que ainda estava em choque, assistindo aquele garoto estranho com um ponto de interrogação no olhar. Nunca tinha conhecido o ex-namarado da menina, nunca teve mínima vontade de conhecer ou até mesmo chegar perto.

Ela olhou para o ex, dessa vez, com deboche e riu um pouco, passando a mão pelo rosto completamente molhado.

— Felipe, querido, eu não sou traíra coisa nenhuma, até porque, não sou nada sua. Tá achando que é quem na fila do pão, meu filho? Se liga e se manda!

— Felipe? — Cebola perguntou, lembrando que ela mencionara uma vez sobre ele, Felipe, o que havia a machucado no dia que ele a atropelou com o skate.

— Sim, sou Felipe. E você, é o mais novo namoradinho dela? Ou melhor, a marionete? 

— Meu o quê? — deu um passo para frente, mas parou no mesmo instante e suspirou, olhando para o ex e Cebola rapidamente antes de sair dali o mais rápido que pôde. Cebola teria a seguido se não fosse impedido pelo braço do garoto. 

— É melhor se afastar dela. O quê vivemos ainda não acabou, não se intrometa, é para o seu bem.

— Como é? — Cebola virou para o loiro, rindo — Ah, você é o tal ex namoradinho dela, o Felipe, não é? Que a traiu?

— Sou eu mesmo e...

Felipe não teve tempo de terminar, conseguiu entender apenas um "ótimo" vindo dele antes levar um soco do garoto, fazendo levantar alguns garotos que assistiam tudo debaixo da árvore um pouco distante, vendo que ela situação já estava ficando feia demais.

— Babaca — ele disse e por fim se retirou dali.

O loiro, ainda no chão e com o nariz sangrando, o olhou com fúria.

-

-

Mônica não soube como, mas conseguiu chegar em casa, rapidamente. Seus pais não estavam em casa, mas infelizmente, encontrou seu irmão sentando no sofá assistindo, viu sua irmã chegar toda molhada e começou as perguntas, inclusive o porque estava com aquela cara de quem tinha feito algo errado. Odiava o fato do seu irmão a conhecer tão bem, mas sem dar muitas explicações, subiu deixando o garoto sozinho com sua curiosidade.

Tirou seu tênis, a colocando na varanda e foi até o banheiro, tirando suas roupas extremamente molhadas lentamente, devido a chuva, começando a se enxugar coma toalha.

Milhares de flashs começaram a aparecer em sua cabeça, e seu estômago revirou. Fechou os olhos e respirou fundo, tentando se acalmar momentaneamente. Ela só havia feito aquilo, pela a aposta. Aquelas palavras, eram tudo mentira... ou não? Algo, dentro de si, dizia que não. Dizia que era tudo verdade. Ao dizer aquilo, ela se sentiu tão mais leve, não sabia descrever. E o fato de ainda conseguir sentir o cheiro dele ao seu corpo, apenas comprovavam o óbvio.

Mas, rapidamente balançou a cabeça, tentando focar em se enxugar.

Cebola também chegou em casa depois do soco que deu em Felipe. Sua mão doía um pouco, pois usou toda a sua força. Menezes estava na sala, parecia feliz com algo, e por algum milagre não aparente, não reclamou com o filho completamente molhado, apenas mandou-o se trocar rapidamente, pois teriam um "jantar especial". Cebola não entendeu, mas assim o fez, desobedecer seu pai não era uma boa opção.

Subiu em seu quarto, com o cheiro de Mônica também em seu corpo, sendo aquilo o suficiente para deixá-lo mais louco do que já estava e trocou as roupas molhadas, ainda com os pensamentos em sua cabeça. Como aquela garota maluca podia deixá-lo assim? Por quê todos os seus pensamentos iam até ela, sempre?

Desceu como um foguete, encontrando desta vez, o pai não sozinho e sim, acompanhado de uma mulher sorrindente com feições orientais e um garoto, parecia da mesma idade que si, moreno e com as mesmas características físicas da sua mãe. 

O moreno conseguiu abrir somente a boca, sem omitir som algum. Se fosse aquilo que ela estava pensando...

— Filho... — Filho?! Cebola nem se lembrava a última vez que Menezes o chamou assim, ele estava mesmo de bom-humor — essa é minha noiva, sua nova mãe e seu filho, seu novo irmão.

— O quê? — talvez aquilo tenha saído um pouco alto demais, para a decepção do seu pai que o lançou um olhar reprovante.

— Oi, prazer, sou a Keiko — ela disse, sorrindo abertamente — Olha, não pense que quero roubar o cargo da sua mãe, de forma alguma, viu? — media as palavras calmamente, vendo que o garoto não gostara muito em saber daquilo — Prometo ser uma boa parceira, uma boa amiga... querido, apresente-se — cutucou o filho que mantinha uma expressão entendiada, com uma mão no seu bolso olhando para qualquer lugar da casa.

Ele suspirou e foi até o garoto, apertando sua mão com um sorriso um tanto quanto falso, assim como o Cebola, ele não gostara nada daquela nova notícia.

— Prazer, irmão, eu sou o Maurício. Mas, todos me chamam de Do Contra.


Notas Finais


*NÃO LEIA AQUI SE VOCÊ NÃO LEU O CAPÍTULO AINDA, CONTÉM SPOILER PRA CARAMBA*

\0/ \0/ gentemmm, para o mundo que vamos descer...
Quantas informações \O/ o quê acharam? O meu mozão 2 (o primeiro é o Cebola, claro, e sim, eu crusho o Do Contra memu) apareceu finalmente. Acharam que não ia ter? Acharam? Se preparem para a gritaria, barraco e confusão meus amores ( ͡° ͜ʖ ͡°) ahahah, eu AMO uma treta.
Comentem aqui o vocês acharam, desse beijo Cebonica que até agora eu tô uOOOOOuu, ahhah, otpzaun sendo otpzaun♥ e dessa aparição repentina do DC aqui aqui na fanfic. Só eu sinto umas ameaças chegando? Hehehe, amo minha vida, ok?

obrigada por tudo, amo vocês meus xuxu♥
xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...