História Fox Sisters Pizzeria (interativa) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia, Espíritos, Guardas-noturnos, Humanitronics, Interativa, Loucura, Morte, Pizzaria, Romances, Vingança
Visualizações 69
Palavras 1.051
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aproveite o capítulo


Beijos de sorvete pra vocês 😘

Capítulo 2 - Capítulo


Fanfic / Fanfiction Fox Sisters Pizzeria (interativa) - Capítulo 2 - Capítulo

Felicidade essa e a palavra que definia o lugar naquele momento, em todos os lugares pode se ouvir risadas e mais risadas, brincadeiras e mais brincadeiras, todos felizes e sorrindo como se não houvesse problemas no mundo, como se tudo fosse perfeito, mas sem dúvida oque deixava as pessoas mais felizes ainda era oque estava em cima do grande palco de madeira branca com grandes e passada cortinas roxas escuras, o fundo mostrando a perfeita imagem de uma galáxia estrelada e bem no meio duas Humanitronics femininas com orelhas e caudas de raposa (imagem do cap) que cantavam um música animada e contagiante oque fazia a alegria ficar ainda maior e mandando os problemas para o inferno.

Mais se alguém alhosse com atenção veriam que uma criança não estava feliz, não estava sorrindo, não se importava com a comida e muito menos com a música do ligar, e a alegria no olhar das pessoas ao seu redor a causava um grande aperto com seu pequeno coração, pois sabia que nunca poderia ser feliz como as outras famílias, sabia que não teria o olhar de uma mãe preucudada a segundo para onde quer que fosse e muito menos levaria uma bronca da sua mãe por não estar se comportando, porque sua mãe estava a sete palmos do chão, e nunca mais voltaria para dar um abraço que demonstra todo o seu carinho para a filha mais velha, ela sabia que nunca mais veria os olhos de diferentes cores de sua mãe, que nunca mais sentiria o calor de seus beijos ou abraços. A garotinha poderia se derramar em lágrimas e implorar para todos os deuses para que a trazerem de volta, mais ela não faria isso, porque sua mãe antes de partir confiou o bem estar de sua irmã a ela e implorou para que cuidasse de sua irmã tão bem quanto ela cuidou.

_VOCÊ VIU ELA ASSENOU PRA MIM!!! _a garotinha de cabelos castanhos curtos presos em uma Maria-chiquinha alta disse enquanto dava um enorme sorriso oque fez a mais velha rir com a animação da irmã mais nova.

_ calma Luci! Eu vi sim agora se acalma _ falo a dando minha latinha de Coca-Cola, que a mesma bebeu com euforia e sentou ao meu lado ainda olhando a raposa de longos cabelos roxos e olhos azuis bem claros.

_ ela e tão linda! Será que eu posso chegar mais perto?! _ ela me pergunta com animação, hoje e o dia da inauburação da pizzaria do nosso pai e ele disse especificamente que já que era um inauburação os Humanitronics não sairiam dos palcos e que erra muito perigoso chegar perto já que eles ainda precisavam de alguns ajustes para interagir com humanos.

_Luci você lembra que o papai falou sobre isso ne?e perigoso de mais p..._ paro de falar assim que vejo o olhar de decepção vindo da menor.

_ você sempre dia isso! Sempre diz que é perigoso de mais pra mim! _ela se levanta e sai correndo para a uma sala perto do palco.

Vou correndo atrás dela e entro o mais rápido que eu consegui, não posso deixar ela sozinha, quando olho vejo ela escondida em um canto entre duas estantes de metal cheia de pelúcias de raposa e ferramentas...acho que entramos na sala dos funcionários (Autora: VOCÊ ACHA?!) vou até ela e a abraço, esse foi o único lugar onde eu vi ela sorrir verdadeiramente des da morte da nossa mãe. Vocês devem se perguntar o porque do nosso pai não estar com a gente ou coisa parecida, bem nossa mãe morreu a um mês atrás e deis de então nosso pai só se importa com essa pizzaria e com esses Humanitronics, e o geito dele lidar com a dor da perda.

_Luci me desculpa....eu sei que você não gosta que eu fassa o papel da mamãe  e sei que eu nunca vou poder substituir ela mais eu jurei que cuidaria de você Luci..._ falo pausadamente por conta dos soluços, as lágrimas antes contidas agora caem sem nenhum controle.

_ tudo bem Isa você...CUIDADO!!!_ tento me virar mais antes de fazer qualquer coisa sinto uma dor insuportável nas costas e logo depois um líquido quente desser pelas minhas costas que me fez guspir sangue perto do rosto da minha irmã.

_L-L-Luci..._caio para o lado sem forças, minha visão estava ficando cada vez mais turva, eu não conseguia respirar, estava me afogando no meu próprio sangue, a única coisa que eu conseguia ouvir era os gritos da Luci mais que logo se calaram. Olhei para a antiga direção dos gritos e vi a Luci causa no chão com o pescoço cortado, me arrastei para perto dela e abracei seu corpo quase sem vida, eu não conseguia mais respirar, eu estava chorando sem parar quando notei que Luci já estava fria e não se mexia mais, meu corpo ficou dormente e eu finalmente apaguei.

Dois messes depois...

Todos o meu corpo está doendo e eu ainda não consigo respirar, o desespero fala mais alto e eu começo a me mexer sem parar até eu escutar milhares de vozes dizendo juntas "ACORDA" elas coemcaram a perrar ainda mais alto e mais alto, sem parar, elas estavam cada vez mais altas eu quase não conseguia pensar até uma luz vermelha começar a brilhar fortemente e as vozes berrarem ainda mais, a luz vermelha fica branca e quando eu noto meus olhos se abrem de maneira brusca e eu sugo (Autora: eu falo sugo ok? Não me julgue) o ar com toda a minha força.

Minha visão logo se encheu de dados sobre o meu corpo como um computador assimilando os dados, pude ver alguns deles se aprimorando e outros dando erros constantes por conta do meu corpo ainda estar se debatendo até parar bruscamente e começar a obedecer os meus comandos do corpo, começo a andar com dificuldade até o canto do palco onde se encontrava um pequena porta, mais antes que eu pudesse ancansar a maçaneta ouso um barulho de metal caindo no chão e quando olho era a mesma raposa roxa caída no chão se depatento sem parar, vou até ela e tento fazê-la parar mais do nada ela para e suga o ar com toda a força e abre os olhos mais antes eles eram azuis agora as íres estão brancas florescente e o resto totalmente preto e pingando...

Continua...


Notas Finais


Desculpa os erros de português ou coisa do tipo...vou corrigir assim que possível ^-^


Ps: chorei um pouquinho escrevendo tenho que admitir.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...