História Fragmented Soul - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 17
Palavras 1.799
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Suspense, Violência
Avisos: Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - 03. Appearances camouflage disturbed minds


Tudo parece meio errado ao meu ponto de vista e me sinto extremamente incomodada quando ouço o som tocar. Janelas trancadas, portas trancadas, porém festa continua. Nolan não abriu mão de vencer Joseph e Theo em mais duas rodadas, e Ronnie não parece acreditar em alguma coisa de moda que ela olha em seu celular. Já eu? Bom, estou sentada encolhida no sofá, observando como todos agem como se nada estivesse acontecendo.

— Você precisa relaxar — o hálito de cerveja ainda da boca de Joseph me faz virar o rosto, e ele ri baixinho enquanto se ajeita ao meu lado no sofá — Estamos seguros! O alarme está ligado, nada e nem ninguém vai entrar aqui.

Respiro fundo e fecho meus olhos quando vejo que estou perturbada demais. O mesmo passa a mão em minha coxa e me olha antes de aproximar os lábios da minha orelha.

— Estou aqui com você, Ameris.

Ronnie levanta as sobrancelhas para mim e um sorriso se abre em seus lábios antes do copo cobrir o mesmo. Nolan grita anunciando que Theo é péssimo e ouço meu irmão xingar alguns nomes até fazer cara de nojo ao chegar na sala.

— Ela é minha irmã — Se justifica quando Joseph o olha rindo e em seguida me olha e sorri de lado— Não, não mesmo. Perdeu a noção com duas garrafas de cerveja ou....

— Na verdade, acho que já deu — Ronnie diz se levantando e tirando a garrafa da mão de Theo — Acho que todos nós perdemos a noção. Tia Kristen nos alertou de algo, e estamos curtindo?

Meu coração acelera quando todos parecem ter percebido a gravidade da situação. Socorro, era melhor eu sentir essa sensação sozinha.  A gente se entreolha e o silêncio após o som ser desligado é horrível. Fico arrepiada quando olho para Ronnie, e ela olha para a janela assustada.

— Era para vocês fecharem todas as janelas — diz irritada e anda até o final do corredor, empurrando com força a janela de vidro — Vocês não entendem a gravidade?

— Não vai acontecer nada, quanto exagero — Theo diz e me arrependo novamente de ter o mesmo sangue que esse inútil — Se fosse, já teria acontecido a muito tempo.

— Cale a sua boca de merda – Joseph bate nos ombros dele e tira a garrafa novamente de sua mão, em seguida colocando na mesa e bufando alto — Elas não merecem ouvir você dizer isso. Guarde para você.

Reviro os olhos quando vejo os dois começarem a discutir como dois idiotas, e sou puxada pelo pulso para subir as escadas junto de Ronnie. Seus dedos estão suados ou molhados do copo que estava menos de dez segundos em sua mão. Ela abre a porta do quarto de Nolan e suspira alto demonstrando exaustidão ao ir para o closet.

— Eles são babacas quando querem — Diz tirando seu sutiã e jogando no chão do closet — Você está bem, certo? Joseph tem razão, nos estamos bem aqui.

— Sabe que não estamos bem em nenhum lugar — Troco de roupa quando vejo que o assunto se deu por encerrado, e ouço Ronnie gritar com os meninos para eles encherem o colchão reserva.

Os garotos entram no quarto minutos depois e levanto minha sobrancelha surpresa.

— Vocês não vão dormir sozinhas — Nolan se justifica e então Ronnie revira os olhos ao bufar — Vamos ficar no chão, aproveitem minha cama.

— Cale a boca — Digo fingindo querer estar dormindo e olho para baixo vendo Joseph me olhar. Ele sorri bem fraco e estica sua mão gentilmente para pegar a minha. Estico, deixando claro que está me fazendo muito bem ele e os garotos estarem aqui — Segure minha mão até que eu caia no sono?

— Se quiser seguro até o amanhecer.

Seu polegar acaricia minha mão e fecho meus olhos tentando dormir, mas finjo bem demais quando sinto os dedos de Joseph escorregarem. 

— Cadê o Theo? — Ronnie desliga seu celular e suspira ao me olhar, como se não fosse nada demais — O que?

— Você não percebe, não é? — Ela passa a mão em meu cabelo, e em seguida puxa a coberta para cima do meu corpo — Você é boa demais! Sempre preocupada com todos a sua volta e por último sempre esquece de você. Você vive com medo das pessoas, vive desconfiada e com medo de si mesma. Isso me perturba porque acho que......Fico preocupada com você.

Concordo quando ela beija minha bochecha se virando e tiro a coberta de cima de mim, me inclinando para sair da cama. Abro a porta com cuidado e olho para o corredor que está escuro, apenas a luz da janela do final do corredor ilumina um pouco, me dando passagem para descer as escadas.

Os meus passos são bem leves por conta da meia, e ando em direção à cozinha. O reflexo de uma sombra na cozinha me chama atenção e me deixa travada em continuar andando. A porta de vidro está trancada, e a sombra parece estar no chão do quintal.

— O que faz no escuro, América? — Theo me assusta e ele segura minha mão quando a mesma quase acerta o lado direito de seu rosto — Qual seu problema, garota?

— T-tem alguém lá fora — Seguro o braço de Theo com força, e ele me encara confuso antes de olhar 
para a porta — O reflexo....

Nada.

— Durma comigo — me puxa para o sofá após desistir de me chamar de doida, e em seguida levanta a coberta para deitar junto de seu corpo — Está tudo bem.

— • —

— Josh foi visto saindo da delegacia hoje e a imprensa junto. Parece que ele disse não ter nada com isso e que acha um absurdo acharem que ele matou a garota que ele amava tanto — Nolan diz colocando seus livros na mesa ao meu lado, e em seguida sentando em cima da minha — O que você acha?

— Acho que ele não fez isso — Nolan me olha e abre a boca para falar mais alguma coisa, porém pensa bem antes e desiste quando gruda os olhos na janela — Seria muita evidente que seria ele. Se ele quisesse matar ela, não teria deixado claro para todos que ela iria para a casa dele. Que coisa idiota, não acha?

— Pessoas ruins não se você importam de serem pegas por seus atos cruéis.

— Voce é boa em biologia — Ronnie se senta ao meu lado, e reviro os olhos — Vai fazer a nossa prova, ok? Juro que recompenso na prova de espanhol! Eu não estudei nada e sério, não fiz esforço nenhum. Desculpe.

Ela bate seus cílios para mim na tentativa de me deixar menos irritada com tudo o que acabou de sair da sua boca, e o sinal bate me interrompendo de um belo discurso de falta de responsabilidade e filha da putagem que ela acabou de fazer.

— Isso é errado, eu sei, ok? Mas não tive tempo hoje de manhã! — Cochicha e mantenho meus olhos firmes na prova — O vizinho do Nolan chegou hoje e ele me fez ajudar o cara. O que você queria que eu fizesse? Eu tive que ajudar e foi....legal.

— Queria que você tivesse tido a compaixão de falar para ele que você não sabe nada de biologia e que você iria estudar. Nolan ama biologia, ao contrário de você, ele foi lá e ajudou mas sabia que quando chegasse aqui iria ser ótimo na prova! Mas está tudo bem, Verônica.

Ela bufa irritada, e em seguida encolhe seus ombros me deixando  livre para fazer a prova sossegada. Totalmente sossegada.

— Ele era bem bonito — começa falando, e finjo não estar ouvindo — Chegou da Europa agora. Ele é bem bonito e tem uma voz de homem maravilhosa! E eu vi ele olhando para meus peitos.

— Voce deixa eu.....Calma, você tentou seduzir um cara que você viu uma vez? Você está falando sério, Ronnie?

— Você deveria experimentar tentar se relacionar com alguém também, ao invés de viver na sua própria sombra. Lamentável saber que você não lembra do seu último beijo.

Meu último beijo foi no começo do ano, e estávamos na casa de praia de Ronnie, em Bahamas. Foi incrível e eu juro que eu nunca quis que aqueles lindos dias chegassem ao fim, mas chegaram.

— Cala a boca, tudo bem? — Ela ri e passa o braço por cima de mim — Estou brava com você.

— Juro que te recompenso no almoço!

— • —

Dito e feito! Hoje o almoço da escola é o meu macarrão preferido e Ronnie não teve que fazer muito esforço para que pegasse os primeiros pratos e uma lata de refrigerante.

— Lógico que você já estaria sentada aí — Joseph diz se sentando ao meu lado, e em seguida me dá um beijo no pescoço — Sua mãe passou cedo hoje, huh?

— Eu não quis te acordar — olho para ele quando vejo que está puto por conta disso, e ele da de ombros mexendo em seu celular — Ela passou seis horas da manhã! Sério que você queria que eu te acordasse para um tchau?

Ele ri quando ouve da minha boca que parece a coisa mais idiota, e ele seguida ri olhando para cima e olha para mim, me roubando um selinho.

Meu rosto fica vermelho quando olho para frente e vejo Theodoro e alguém nos olhando. O garoto não parece estudar aqui, o que me deixa em duvida do que estaria fazendo aqui e....com meu irmão.

— Viu o Nolan? — Theo pergunta novamente, como se já tivesse perguntado e eu não tivesse escutado e em seguida franze o cenho — América, você.....

— Ele está com Callie — Aponto agora desviando meu olhar do garoto e em seguida olhando para Joseph, que me encara — Fila do Subway.

Meu irmão procura e em seguida os dois saem à procura. Joseph se mexe para sair, e seguro seu braço confusa. Sem ciúmes, por favor.

— Tenho treino — diz se virando e puxando sua mochila. Viro seu rosto para mim quando ele pensa em se levantar de vez, e seus lábios relaxam nos meus quando ele solta um suspiro — Em seguida apareço na sua casa.

— Ok, mas é para ir mesmo! Você diz que vai, e nunca aparece porque ou dormiu...

— Eu vou — diz me dando outro selinho — Estarei lá e não diga a Hayden que dessa vez levarei chocolate de ursinho.

Concordo e ele se levanta indo em direção a porta do refeitório. Ronnie corre em minha direção em passos pequenos por conta de seu salto, e em seguida se senta ao meu lado.

— É ele.

Franzo o cenho encarando sua expressão de alegria e ela revira os olhos para mim. Ela mexe sua sobrancelha para a direita, e viro meu rosto lentamente.

— Ele não é bonito? — Ele está sorrindo para Nolan, que está falando alguma besteira provavelmente e em seguida seus olhos pegam os meus — Justin.

— Huh? — Volto meu olhar para os seus, confusa por não ter escutado e em seguida ela sorri.

— O nome dele é Justin.....Justin Bieber.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...