História Frank Iero's To Do List (frerard) - Capítulo 17


Escrita por: e BabydoChany

Postado
Categorias Frank Iero, Gerard Way, My Chemical Romance
Personagens Frank Iero, Gerard Way, Personagens Originais
Tags Amor, Frankiero, Frerard, Gerardway, Jogador, Mychemicalromance, Nerd, Romance
Visualizações 14
Palavras 1.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Calor do momento


Uma pessoa teve a perna esfaqueada bem em frente de mim. Eu estava com medo. Horrorizado. E corri com Gerard até que meus pulmões queimassem, enquanto gritavam por ar.

Repentinamente, avistamos Jamia, Ray e um cara bem aleatório, o qual vestia roupas extremamente coloridas, dentro da mala de um carro. Os dois garotos tentavam acordar a menina. Corremos para perto deles e, mesmo ofegante, pus-me a perguntar:

—O que houve?!— eu havia soado meio grosso mas aquilo não importava na hora.

—Um desses caras jogou uma pedra e bateu nela. Porra...— notei que um pouco de sangue escorria pela testa dela.

—Jams?— ela abriu um pouco os seus olhos e eu dei um sorriso largo— Você está bem?— olhei para Gerard e ele segurou a minha mão calmamente, fazendo um carinho tão bom.

—Uhm hum...— ela assentiu e começou a sentar devagar— A gente tem que voltar para a manifestação.

—Você está doida!?— Gerard exclamou— Isso aqui foi superarriscado! Eu e Frank não vamos mais vir neste tipo de coisa— olhei para ele, franzindo o cenho.

—Fale por você mesmo apenas— rolei meus olhos e Gerard encolheu os ombros, meio desconfortável.

—Desculpa— sussurrou.

—Tudo bem.— fiz uma pausa por alguns segundos— Jamia, hoje você se machucou e, da forma como as pessoas estão agindo com violência, não acho uma boa ideia você continuar aqui— embora estivesse meio contrariada, ela assentiu.

—Carl, você pode dar carona para gente?— Ray perguntou. Agora eu sabia o nome do menino e até achei que combinava com ele. O garoto concordou e, logo, todos já estávamos dentro do carro.

—Aonde vocês vão querer ir?— nós nos entreolhamos.

—Pode ser a minha casa.— ninguém disse nada, então, cheguei à conclusão que todos concordavam— Ahn... Eu te explico como chegar lá— inclinei-me para frente e dei as coordenadas para a minha residência.

• • •

Ray e Gerard me ajudaram a levar Jamia para meu quarto, meus pais não estavam em casa, então evitamos perguntas inconvenientes e irritantes. A primeira coisa que fiz foi buscar um quite de remédios e rumar ao quarto, onde eu poderia verificar se tudo estava bem com a minha amiga.

—Está doendo um pouco...

—Vai ficar okay.— sorri um pouco e continuei a limpar a ferida, ainda aberta. Escutei Gerard bufar e senti o meu sangue correr para as extremidades de meu corpo— Posso saber qual o problema?— levantei uma das sobrancelhas.

—Não tem problema algum— ele desviou o olhar claramente desconfortável.

—Vish!— Ray comentou e sorriu, denotando que estava se divertindo com a situação constrangedora— Acho que vou me mandar...— saiu lentamente do quarto.

Virei-me abruptamente para Gerard.

—Quer parar com esses ciúmes? Isso é muito idiota! Você age como se eu fosse te trair na primeira oportunidade que eu tiver! Gerard, eu não sou oferecido! Você me conhece!— explodi de uma hora para outra, mesmo sabendo que dali a uns minutos, eu estaria profundamente arrependido.

—Desculpa... Eu... Érr...— ficou meio sem jeito novamente, olhando para todos os lados possíveis, menos para meus olhos.

—Está tudo bem. Ajuda com alguma coisa...— continuou parado me olhando— Está esperando o quê?— fitei-o.

—Não sei o que fazer.

— Só busca algum curativo! Não sei— bufei, irritadiço.

—Desculpa—repetiu novamente, sem jeito, logo saindo correndo do local.

—Nossa...— Jamia sorriu.

—Às vezes ele é meio tonto mesmo, mas ele é legal a maior parte do tempo.

—Entendi.

—É. Garotos são idiotas— ri.

—Muito idiotas e bobos— ela riu também é depois parou e ficou me olhando por um tempo.

—O que foi...?— perguntei um pouco hesitante.

—Nada...— ela se sentou e ficou quieta.

—Certo— comecei a me sentir um pouco constrangido, até as minhas bochechas começaram a esquentar e as palmas de minhas mãos escorriam gotas de suor.

—Não fica nervoso... Eu sei que você quer isso o mesmo tanto que eu— ela tocou a minha mão esquerda levemente.

—Não. Eu tenho certeza que eu não quero— recusei avidamente, mas ela puxou a minha mãe e colocou-a contra o seu peito. O meu coração acelerou e não hora que fui tirá-la dali, Jamia se aproximou e Gerard abriu a porta.

Na hora, ela deixou a minha mão livre e eu pude ver a carinha mais feliz e fofa do mundo, tornar-se triste. Foi como assistir a uma criança que teve o doce tomado de si sem piedade alguma.

—Ahn! Gee! Eu...— levantei apressadamente, mas ele apenas negou.

—Desculpa. Sinceramente, desculpa!— encarei-o meio confuso— Desculpa por ser tão idiota e realmente acreditar que você gostava de mim— ele não me deixou nem responder àquilo. Apenas saiu correndo de perto de mim, não tive nem tempo de sigo-lo. Parece que o meu tempo de reação na foi tão rápido daquela vez e quando me dei por mim, escutei o barulho da porta. Até tentei alcançá-lo, mas, realmente, não sou uma pessoa muito atlética.

Droga. Eu havia arruinado tudo.

Quando ouvi o barulho da porta de entrada sendo fechada com brutalidade, olhei para Ray, o qual estava sentado no sofá da sala.

—O que foi isso?

—Ele acha que eu estava o traindo com Jamia.

—E você estava?— senti-me bem ofendido com aquilo.

—Lógico que não!— andei com fumaça saindo de minhas narinas, em sentido ao meu quarto.

—Acho que já estou de saída!— Jamia se levantou e saiu correndo, também em direção a saída.

—Pode esperar! Você deve explicações a Gerard!

Parece que até ela era mais rápida do que eu.

—Droga!— peguei o meu celular e mandei uma pequena mensagem para o meu namorado, talvez ex agora, avisando que eu precisava conversar seriamente com ele.

—Frank...— Ray se aproximou de mim— Está tudo bem?

—Eu só... Está. Eu preciso de um tempo sozinho.

—Sério, irmão? Eu não quero que você fique chateado apenas por conta de um garoto bobo.

—Não, não. Está eu só vou para o meu quarto...

—Certo. Se você precisar falar com alguém, pode contar comigo. Eu já tenho que ir para casa mesmo. A minha velha precisa de umas notícias minhas— sorri um pouco.

—Vejo você amanhã?

—Claro— ele saiu alguns segundos depois de nos despedirmos com um abraço.

Fui para o meu quarto e pus-me a pensar como eu falaria com Gerard amanhã.


Notas Finais


Capítulo meio ruinzinho, mas precisava acontecer❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...