História Frank Iero's To Do List (frerard) - Capítulo 18


Escrita por: e BabydoChany

Postado
Categorias Frank Iero, Gerard Way, My Chemical Romance
Personagens Frank Iero, Gerard Way, Personagens Originais
Tags Amor, Frankiero, Frerard, Gerardway, Jogador, Mychemicalromance, Nerd, Romance
Visualizações 21
Palavras 1.316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Obgd pelo carinho!
Amo vocês❤

Capítulo 18 - Notas não são tudo


Eu achava que ia ser fácil falar com Gerard. Até que foi, na verdade. Ficamos em uma comunicação silenciosa por várias aulas. Ele me encarava. Eu o encarava. Às vezes sentia que seu olhar fosse queimar a minha alma, então, logicamente, toda vez eu perdia a disputa, desviando os meus olhos de suas íris cor de oliva. A parte mais engraçada era que ele realmente estava com raiva e eu só não ria porque a situação chegava a ser triste.

Esperei ansiosamente o término da aula de história para ir correndo de encontra a Gerard. O problema foi que quando me aproximei dele, ficou desviando de mim, quase como se eu fosse um desconhecido. O quão isso era ridículo? Muito. Eu sei.

—Você quer parar por um minuto e me ouvir?— falei claramente irritadiço por conta desse episódio de Tom e Jerry.

—O que você tem a dizer? Eu vi muito bem.

—Que bom que você tem visão boa, porque a audição...— subi a minha armação, a qual estava quase na ponta de meu nariz.

—Continue, então— rolou os olhos e fitou os seus tênis brilhantes, ao contrário dos meus.

—Você sabe muito bem que eu nunca trairia alguém. Na verdade, tenho repulsa por isso. Jamia fez aquilo sem a minha permissão, parece até aqueles homens que entendem que um “não” é um “sim” com charme e não aja como se ela na pudesse ter me forçado a isso, até porque vários homens são abusados todos os dias, mas tem uma espécie de tabu para não falarmos sobre isso. Além do mais, eu não gosto de garotas. Bem, eu gosto, mas não do jeito que eu gosto de você— sorri um pouco e Gerard me encarou.

Um silêncio entre nós se fez e parecia até que os corredores acompanhavam, mas também podia ser apenas coisa da minha cabeça.

—Fiquei com muito medo de ser trocado.

—Nunca.

—Nunca?

—Nunca.

Ele suspirou e me deu um abraço, tão calmo e quente.

—Desculpa por agir como um babaca— ele proferiu baixinho.

—Desculpa por não deixar tão claro que eu te amo mais que tudo.

—Você não precisa se desculpar— beijei o canto da bochecha dele e sorri.

—Vamos. A minha próxima aula é artes.

—Eu sei. Você tem esse período comigo.

E andamos de mãos dadas para a sala de aula, sem deixar um nanômetro de nossas mentes se importarem com o que pensavam de nós ou do que nos chamariam pelas costas.

Eu já esperava o nosso professor de artes escandaloso, senhor Lawson, começar com seus berros aquela hora da tarde. Eu só não estava pronto para o motivo dos gritos.

—Eu acabei de corrigir as provas de vocês! E foi... Argh!— levou uma das mãos à testa e suspirou. Dramático— Decepcionante. Eu nem sei o motivo de ainda me chocar, afinal essa é a matéria mais importante e que vocês dão mais valor...— alguns soltaram risinhos, mas estava claro que ele estava enraivado. Debochado— Eu realmente não acredito que meus esforços foram para o lixo— bateu a mão contra a testa. E voilà! Começou a entregar as provas. Era um teste de desenho, ou seja, ele pedia que desenhássemos certas figuras de modo realista, às vezes ele só pedia um desenho de outra perspectiva.

—Eu acho que fui muito mal neste teste— Gerard me olhou pelo canto dos olhos.

—Creio que não. Você só tira nota boa, falando assim você até parece que está me imitando, só que comigo o caso é sério.

Quando recebi a minha nota, o pequeno vestígio de animação que existia dentro de mim, por estar tendo uma conversa com Gerard, foi por água abaixo. Um belo e vermelho 56. Eu nunca me senti tanto um perdedor tanto quanto naquele momento.

—Ou...— Gerard falou baixinho o que me fez olhar para ele e dobrar a minha prova o mais rápido que pudesse para não haver a chance de ele reparar o quão burro e estúpido eu era— Não, Frank, cara. Eu não estava te julgando. Eu só... A sua nota pode melhorar. Você é um excelente aluno!— tive a impressão de que ele fosse dizer mais alguma coisa, porém o professor entregou a prova dele e essa exibia um ótimo 94. Meu estômago embrulhou. ‘Tá, ‘tá. Eu não queria ser essa pessoa que inveja a nota dos outros, na verdade, eu realmente queria que meus amigos tivessem sucesso. O problema era que eu também não queria ser um fracassado.

—Parabéns— falei meio seco e fiquei meio aflito, com certeza fui rude. As sobrancelhas de Gerard se juntaram, formando linhas de expressão que provavelmente tornariam-de rugas no futuro, acho que eu o magoei, mas pouco me importava com isso no momento.

—Frank, é só uma nota. Não fica assim. Você sempre pode melhorar. Eu... Eu posso até te ajudar!— falou animadamente, mas se encolheu um pouco ao ver que eu não demonstrei nenhuma reação.

—Eu... Eu iria adorar— olhei para ele e tentei demonstrar o máximo de gratidão possível. Acho que não fui convincente, porque, realmente, eu estava triste para caralho.

Acho que eu não precisei dizer mais nada. Um abraço de Gerard foi o suficiente.

•••

O treino de futebol americano não foi o mesmo depois de tudo que houvera acontecido. Eu não queria estar ali. Queria estar em casa queimando em minhas próprias lamentações. O quão mais dramático eu poderia ser? Isso era tão importante. Poderia definir o meu futuro. Sim, uma nota definiria tudo.

—Você está bem, Frank?— Ray perguntou meio curioso e quando olhei para ele vestido naquela fantasia ridícula, ri um pouco.

—Yeah. Só recebi uma notícia ruim.

—É ainda aquela coisa com o Gerard?— balancei a cabeça negativamente e olhei para o chão.

—Nós já fizemos as pazes. Nem foi tão difícil assim. Não é nada do tipo, pode ficar bem.

—Se quiser conversar comigo, eu estou aqui— ele acenou e foi para a sua posição.

Eu tentei me distrair brincando com as garrafas de água. Sério. Agora nem copos mais eram. A escola distribuiu garrafas para todos. Talvez foi uma das iniciativas de Jamia que haviam dado certo. Falando nela. Eu nem quero pensar no fato de que ela existe. Tudo bem ela gostar de mim... Agora, um beijo? Ainda sem a minha permissão? E ela sabe que estou em um relacionamento! Aí já foi demais. Até já estou esperando encontrá-la logo após o treino, porque ela teria que ouvir umas poucas e boas.

Estava tão chateado que não dei bola para os comentários que alguns idiotas faziam de mim. De verdade, não pude nem escutá-los. O que mais animou foi quando Gerard veio falar comigo:

—Então, você já está melhor?

—Sim— sorri um pouco e desviei o olhar.

—Eu só queria confirmar... Que tal hoje depois que o treino acabar, uh?— eu fiquei em silêncio por alguns segundos— Eu posso te ajudar com artes.

—Oh! Claro! Tudo bem.

—Então, ótimo! Eu só vou me trocar. É rápido. Preciso de um banho também.

—Certo, eu vou conversar com uma pessoa. É rápido também. Já volto.

•••

Eu sabia onde ela estaria. E estava mesmo. Sempre naquela barraquinha para pedir que as pessoas preservassem o meio ambiente, paz e amor e essas baboseiras. Eu não podia acreditar que ela era tão hipócrita.

—Eu não acredito que você realmente fez aquilo. Você tem noção de alguma coisa, menina?— fechei as minhas mãos com tanto ódio que podia jurar que socaria a parede.

—Eu...— ela olhou para baixo— Eu só queria ter uma chance com você— eu fiquei ainda mais bravo com toda aquela vitimização.

—Sabe o que você faz quando alguém que você gosta está em um relacionamento? Não faz nada. Não é certo destruí algo que duas pessoas construíram juntas só por conta de inveja!— ela ficou boquiaberta e eu saí andando, furioso.

Gerard já estava me esperando na saída e puxei a sua mão para andarmos juntos apressadamente.


Notas Finais


Nossa! mcr tá de volta e eu não sei o que eu faço. Gente, eu surtei assim q o gerard anunciou. Todas as minhas teorias se comprovaram. Eu to tão feliz e mal posso esperar para um show no Brasil. Espero q todos vcs tenham a oportunidade de estar lá<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...