História Freak - Jikook - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Ação, Bangtan, Bts, Drama, Drogas, Estrupo, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lemon, Palavras Inapropriadas, Rap Monster, Romance, Suga, Suspense, Tragedia, Violencia, Yaoi
Visualizações 22
Palavras 1.577
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse capítulo já estava pronto há anos e eu pretendia postá-lo logo mas a internet não estava ajudando.

Esse capítulo, como o outro, é só uma "apresentação", por mais clichê que seja é essencial para o entendimento da história.

Boa leitura e desculpe qualquer erro. ❤️

Capítulo 3 - Capítulo Dois


Fanfic / Fanfiction Freak - Jikook - Capítulo 3 - Capítulo Dois

Jimin ansiava por seu primeiro dia de aula na Busan Arts School, uma das escolas de artes mais renomadas da Coréia do Sul.

Estava tão aéreo pensando que depois de anos e anos sonhando com aquilo, ele finalmente, poderia realizar seu tão esperado sonho de se tornar um dançarino que leva emoção para todos aqueles que o assiste. Transbordava ansiedade e radiava alegria.

Se bem que ainda é um iniciante, desajeitado e distraído só pra adicionar. 

Jinyoon, sua irmã, o olhava com um pequeno sorriso nos lábios, ela sabia que o Park mais novo sonhava com aquele dia desde sempre.

Jimin sempre fora um garoto criativo, gostava de estar sempre entre as pessoas interagindo, fazendo todos rirem. Ao contrário de Jinyoon, que sempre foi uma garota mais fechada para as pessoas de fora. Todos que pisavam na casa dos Park's se encantavam com a doçura de Jimin e ficavam assustados com a marra da garota.

Ambos se completavam, o doce e o azedo, a junção perfeita para definir os irmãos.

A garota mais velha estava feliz por seu irmão, apesar de passar por tantas desaprovações da parte de seus pais, seguindo as ordens do Sr. Park em se preparando para ingressar numa faculdade de direito, o rapaz nunca desistiu.

Park Dong-yul, um homem rígido de uma família tradicional de advogados, tinha o "sonho" de ver seu filho se formando em direito e assumindo seu lugar na empresa de advocacia dos Park's.

Mesmo sabendo que não poderia parar Jimin, ele insistiu e forçou o rapaz a fazer seus caprichos.

– Olhe só para ele, a ovelha negra da família! Parece até uma menininha dançando por pelos cantos como um idiota! – Dizia seu pai com a voz carregada de ódio e desaprovação.

O que havia de errado com Park Jimin? Ele não cresceu de acordo com os planos?

Todos acham que o garoto está perdendo seu tempo fazendo coisas que gosta de fazer.

Doía tanto em seu pequeno coração quando sua própria família desaprova tudo. E agora, o mesmo dá duro para fazer o que os outros acham melhor.

Ele só queria deixar sua família orgulhosa. Ele nunca vai ser bom o suficiente para ninguém? O pobre coitado já não pode fingir que está bem.

– Sinto muito papai, mas eu só queria que sentisse orgulho de mim. Eu gosto de dançar, isso me faz feliz... – Falou o garotinho enquanto lágrimas grossas escorriam por suas bochechas rosadas.

Ele tentava não pensar na dor que sentia por dentro. Ele quer apenas ser um dançarino. O que há de errado nisso? É o dinheiro? O que adianta um emprego que rende muito dinheiro mas nem um pouco de felicidade?

Jimin acha isso tão estúpido, Jimin acha os adultos um bando de estúpidos que só pensam em dinheiro.

Todos os dias pensava no seu sonho, -que agora parece tão distante - ele não desistiria tão fácil, mesmo que seus pais tentassem o impedir.

– Jimin só quer fazer dança, papai. Não chame Jimin de menina por consequência de um sonho. Jimin nunca vai ser bom o suficiente para você? Jimin é sempre comparado aos outros e já não pode suportar mais! - Não percebeu que falava tudo em terceira pessoa por conta do nervosismo. Seu corpo inteiro tremia, estava encolhido no canto da sala encarando seu pai que tinha uma expressão raivosa.

O pequeno Park apenas levantou-se do chão e correu para o seu quarto, jogando-se na cama e fogando-se em meio a tantas lágrimas e soluços. Sua garganta estava fechada, seus olhos ardiam e sua respiração era falha e descompensada. O pequeno garotinho chorou tanto até sentir sua cabeça latejar e doer.

Ouviu um barulho na maçaneta da porta e sentiu seu corpo gelar, levantou com receio em abri-la pensando ser seu pai. Levantou e foi caminhando lentamente indo abri-la, dando de cara com sua irmã que o abraçou falando que tudo ficaria bem.

Na verdade, naquela época, nada estava bem. Jogar tudo para o alto e correr atrás do seu grande sonho seria a coisa certa ou errada a se fazer? Ele era apenas uma criança, não vá esperar algo grande dele nessa idade, para muitos Jimin ainda não tem idade para cuidar de si mesmo e isso é fato. Ele era muito novo 

– Não chore, Jiminnie. Quando crescermos eu irei ter minha própria casa e te levarei para morar comigo e você poderá ser um dançarino. – Susurrou com sua vozinha fofa de criança.

– Promete? – Jimin formou um biquinho em seus lábios olhando para a irmã levantando o dedinho mindinho logo em seguida.

– Prometo. – Ela sorriu enroscando seu dedinho no do irmão, e logo após aumentando o aperto do abraço sendo retribuída por Jimin que já não chorava mais e estava feliz com a promessa selada entre eles.

Jinyoon realmente cumpriu sua promessa, atualmente com 28 anos tem sua própria casa onde abriga Jimin. Saiu de casa cedo pois resolveu enfrentar a fúria de seu pai, aos 17 anos Jinyoon foi expulsa de casa e prometeu a Jimin que logo voltaria para levá-lo consigo, passaram se anos e ela simplesmente não voltava fazendo Park se sentir traído pela irmã, após longos oito anos ela bateu na porta da sua ex casa alegando que levaria Jimin consigo.

Seu pai não acreditou na audácia da menina, naquela época Jimin já era de maior mas Park Dong-yul se recusava a deixar Jimin ter sua própria vida, ele queria controlá-lo até seu último dia de vida.

Sem pensar duas vezes, Jimin aceitou, estava esgotado de tudo aquilo, ele queria viver. A diferença entre os irmãos Park's e Park Dong-yul é que ambos os irmãos não queriam de jeito algum se tornar máquinas de fazer dinheiro. Gostariam de ser livres para voar, ser livres para fazer o que quisessem quando bem entendesse.

E neste exato momento, Jimin encontrava-se afobado dentro do carro de sua irmã, seu coração estava quase saindo pela boca de tanta agitação. Assim que estacionaram, Park saiu como um furacão fazendo sua irmã rir se sua grande agitação.

Ao passar pela porta viu o quanto a escola era organizada, as paredes coloridas davam vida para àquele lugar, seguiu rumo a secretaria com sua irmã ao seu lado, passaram por vários corredores, primeiro o corredor de música, onde havia várias notas musicais desenhadas nas paredes, o segundo corredor era de artes, onde via grafites feitos a mão pelos próprios alunos, e por fim, passou pelo corredor de dança, aquele que já era o seu corredor preferido, nas paredes brancas ele via desenhos de silhuetas que estavam em posições diferentes indicando movimentos de dança. A escola era enorme com três andares no total, Jimin não sabia o que tinha nos outros andares pois ainda não teve tempo para explorar àquele local. Estava fascinado e eufórico.

Assim que finalmente encontrou a secretaria foi logo falar com a secretária que escrevia algo em alguns documentos com a maior preguiça e lerdeza do mundo.

– Com licença, sou o novo aluno de dança. – Falou para a senhora que deveria ser mais velha que a Coréia inteira, porém ela não respondeu. Pigarreou afim de chamar a atenção da mais velha a sua frente e como esperado, foi ignorado.

A mulher o olhou e isso fez com que Jimin comemorasse internamente, porém ela apenas apantou para uma plaquinha que dizia "fechado para almoço, aguarde ou volte mais tarde" .

Naquele momento Jimin estava com vontade de se jogar do último andar daquele prédio, mas para sua infelicidade o mesmo se encontrava no térreo.

Sentou-se em um banco do lado de fora da secretaria, especificamente em um corredor largo e compartilhava seus pensamentos com a irmã.

Meia hora... Uma hora... Duas horas... Duas horas, quarenta e cinco minutos e dois segundos. Contava às horas do relógio que encontrava-se a sua frente fazendo um tic-tac muito irritante, até qundo teria de esperar? Já estava quase escurecendo lá fora.

– Aish, Jiminnie! – Exclamou sua irmã. – Até quando devemos esperar? É sábado e ainda temos que passar no restaurante para ver como está. – Bufou. Jinyoon é dona de um restaurante bastante frequentado na cidade, suas receitas fascinava a todos, sempre gostou de cozinhar e não largaria suas vontades para fazer as vontades de sua família.

– Ok, Jinyoon, não se preocupe, irei falar com a senhora da secretaria.

Sem mais nenhum pingo de paciência o rapaz levantou-se pronto para xingar a senhora que cheirava a queijo mofado, mas ao chegar lá deu de cara com uma senhora totalmente diferente, essa cheirava a alfazema e parecia gentil.

– Olá senhora, sou Park Jimin, um dos novos alunos de dança e estou esperando a duas horas, quarenta e seis minutos e 5 segundos para ser atendido e pegar meus horários pois a outra senhora me mandou esperar dizendo que estava na hora do almoço e... – Falou tudo tão rápido que já estava ficando sem fôlego, se a senhora não o tivesse interrompido teria uma parada respiratória ali mesmo.

– Calma rapaz, poderia me imformar seu nome novamente, falou tudo tão rápido que acabei não entendendo – Disse Sra. Lee, - seu nome de acordo com o crachá - definitivamente, àquela senhora era bem mais gentil.

– Park Jimin. – Disse o jovem rapaz com orgulhos de si mesmo enquanto empinava o nariz e enchia o peito. A mulher sorriu e lhe entregou uma ficha contendo todos os horários.

Curvou-se em agradecimento e saiu da secretaria mais animado ainda, chamou sua irmã com um gesto e ambos foram embora. No carro lendo a ficha, Jimin descobriu que apesar de praticar dança ele poderia fazer parte de mais um clube e estava em dúvida entre tantas opções.


Notas Finais


E é isso. Tá bostinha? Tá, mas é o que temos para hoje.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...