História Freddy's High School - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Balloon Boy, Ballora, Bonnie Hand Puppet (Bonbon), Chica the Chicken, Circus Baby, Endoskeleton, Ennard, Foxy the Pirate, Freddy Fazbear, Fritz Smith, Funtime Foxy, Funtime Freddy, Golden Freddy, Jeremy Fitzgerald, Mangle, Marionette, Mike Schmidt, Nightmare, Nightmare Balloon Boy, Nightmare Bonnie, Nightmare Chica, Nightmare Foxy, Nightmare Freddy, Nightmare Mangle, Personagens Originais, Phone Guy, Plushtrap, Purple Guy, Shadow Bonnie, Shadow Freddy, Springtrap, Toy Bonnie, Toy Chica, Toy Freddy
Tags Fangle, Fnaf1, Fnaf2, Fnaf3, Fnaf4, Fnaf5, Foxica, Freddica, Toybonnibon
Visualizações 81
Palavras 2.377
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Próximo Alvo


Toy Chica

Ela não sai do lugar a meia hora. O que deu na Mangle?

Toy Chica: Sobre o que falaram?

Toy Bonnie: Sobre coisas. - Ele liga o carro.

Ele sabe que ela ainda não entrou no carro, então por que o ligou?

Logo em seguida ele acelera, deixando ela para trás.

Coloquei meus fones de ouvido, olhando para a visão que a janela do carro me fornece.


He'd trade his guns for love

(Ele trocaria suas armas por amor)

But he’s caught in the crossfire

(Mas ele foi pego no fogo cruzado)

And he keeps wakin up

(E ele continua acordando)

But its not to the sound of birds

(Mas não é ao som dos pássaros)

The tyranny, the violent streets

(A tirania, as ruas violentas)

Deprived of all that we’re blessed

(Privado de tudo o que somos abençoados)

And we can’t get enough

(E não conseguimos o suficiente)


Heaven if you sent us down

(Céu, se você nos mandou para baixo)

So we could build a playground

(Então nós poderíamos construir um playground)

For the sinners, to play as saints

(Para os pecadores, jogarem como santos)

You’d be so proud of what we made

(Você ficaria tão orgulhoso do que fizemos)

I hope you got some beds around

(Eu espero que você tenha algumas camas por perto)

Cuz you’re the only refuge now

(Porque você é o único refúgio agora)

For every mother, every child, every brother

(Para toda mãe, toda criança, todo irmão)

That’s caught in the crossfire

(Que é pego no fogo cruzado)




I’d trade my luck to know

(Eu trocaria minha sorte para saber)

Why he's caught in the crossfire

(Por que ele foi pego no fogo cruzado)

And I’m here wakin' up

(E eu estou aqui acordando)

To the sun and the sound of birds

(Pelo sol e o som dos pássaros)

Society’s anxiety

(Ansiedade da sociedade)

Deprives of all that we’re blessed

(Privado de tudo o que somos abençoados)

We just cant get enough

(Nós apenas não podemos ter o suficiente)


Heaven if you sent us down

(Céu, se você nos mandou para baixo)

So we could build a playground

(Então nós poderíamos construir um playground)

For the sinners, to play as saints

(Para os pecadores, jogarem como santos)

You’d be so proud of what we made

(Você ficaria tão orgulhoso do que fizemos)

I hope you got some beds around

(Eu espero que você tenha algumas camas por perto)

Cuz you’re the only refuge now

(Porque você é o único refúgio agora)

For every mother, every child, every brother

(Para toda mãe, toda criança, todo irmão)

Who’s caught in the crossfire

(Que é pego no fogo cruzado)


Can I trust what I’m given?

(Posso confiar no que recebo?)

When faith still needs a gun

(Quando a fé ainda precisa de uma arma)

Whose ammunition

(Cuja munição)

Justifies the wrong?

(Justifica o errado?)

And I can’t see, from the backseat

(E eu não posso ver, do banco de trás)

So I’m asking from above

(Então estou perguntando para quem está na frente)

Can I trust what I’m given

(Eu posso confiar no que recebo)

Even when it cuts?

(Mesmo quando corta?)


So heaven if you sent us down

(Então, céu, se você nos mandou para baixo)

So we could build a playground

(Então nós poderíamos construir um playground)

For the sinners, to play as saints

(Para os pecadores, jogarem como santos)

You’d be so proud of what we made

(Você ficaria tão orgulhoso do que fizemos)

I hope you got some beds around

(Eu espero que você tenha algumas camas por perto)

Cuz you’re the only refuge now

(Porque você é o único refúgio agora)

For every mother, every child, every brother

(Para toda mãe, toda criança, todo irmão)


Who’s caught in the crossfire

(Que é pego no fogo cruzado)

Who’s caught in the crossfire

(Que é pego no fogo cruzado)

Who’s caught in the crossfire

(Que é pego no fogo cruzado)

Who’s caught on the cross...

(Que é pego no fogo cruz...)

Stephen

Crossfire


Quando chegamos no estacionamento da escola, eu simplesmente pego minha mochila, saio do carro e cada um vai para o seu canto, como acontece todos os dias.

Olho as horas no meu relógio de pulso.

12:34.

A próxima vítima chega em dois minutos acompanhada de uma amiga.

Seu nome é Marian Lion, ela tem 18 anos, a raça dela é a dos gatos e vai chegar à alguns minutos a procura de uma vaga nesta escola junto com Ashley Jackson, uma amiga do alvo. Ashley tem 17 anos e sua raça é a dos gatos também.

Gatos geralmente são bipolares e possessivos... Alguns são gentis e outros não... Não me surpreenderia se o alvo fosse uma "duas faces", na frente de uma pessoa, um doce, mas quando esta só, fica planejando maldades.

Mas eu também não posso julgar... Sou do mesmo jeito.

Olho o meu relógio de pulso enquanto pego alguns livros no armário.

12:35.

Dei um suspiro e fechei a porta do armário. Olhei pro lado e vi um armário todo amassado. Alguém teve um ataque de fúria.

Fico no local planejado e aguardo, olhando para a porta. Olho o meu relógio.

12:36.

Olho para a porta e vejo duas garotas entrando.

Uma de cabelos ruivos e a outra de cabelos pretos.

Cabelos ruivos. O alvo está na escola.

Pego meu celular e mando uma mensagem alertando os Toy's.

Mensagens

Toy Chica

Fase 1 em andamento.

Vida

Ashley: Com licença.

Guardei o celular e dei um sorriso.

Toy Chica: Olá! São novas por aqui?

Marian: Sim. - Ela deu um sorriso.

Eu já sabia.

Marian: Pode nos dizer onde fica a secretaria?

Toy Chica: Claro! Eu vou levar vocês até lá. - Eu sorri e andei pelo corredor, ouvindo seus passos atrás de mim - Ah, meu nome é Toy Chica.

Ashley: Ah, que falta de educação a minha... Sou Ashley. Ashley Jackson.

Eu sei.

Marian: E eu sou Marian Lion, mas prefiro que me chamem de Maria.

Eu também sei disso.

Toy Chica: Certo então. Vão estudar aqui?

E eu já sei disso também.

Marian: Nós pretendemos.

Toy Chica: É uma escola boa para se estudar. Cara, mas boa. - Eu sorri.

Ashley: Bem, aqui tem líderes de torcida?

Toy Chica: Líderes de torcida?

Ashley: É... Bem, eu e a Maria sempre gostamos de participar de grupos assim.

Toy Chica: Tem. Se eu não me engano, são as Eclipse Lunar. Elas são boas no que fazem.

Marian: Que bom.

Ashley: É um alívio saber disso.

Parei de andar assim que cheguei em frente a porta da secretaria.

Toy Chica: Bem, essa é a secretaria. - Me virei para elas com um sorriso no rosto.

Marian: Obrigada por ter nos mostrado o caminho.

Toy Chica: Bem, não tem problema. - Dei de ombros - Caso vocês realmente queiram estudar aqui... Sejam muito bem-vindas, e se precisarem de qualquer coisa é só procurar pela Toy Chica da sala E4. - Eu sorrio e o sino toca - Oh, tenho que ir. Tchau meninas, sejam bem-vindas e tenham um bom dia! - Me viro e ando normalmente pelo corredor.

Bem, ainda tem vaga na escola então duvido muito que elas não estudem aqui. A não ser que o diretor bocudo resolva falar do "suicídio".

Mangle The White Fox

Ando pela calçada, eu acho, sem nenhum destino em específico.

Não sei para onde estou indo, porque meus olhos fechados me impedem de fazer isso.

Mas meus olhos fechado impedem que eu chore, então eu simplesmente não ligo.

Não quero mais sofrer...

Antes

Mãe: Posso lhe fazer um pedido? Eu sei que você é apenas um bebê de três semanas mas... Eu quero que viva mais do que eu. Quero que viva com todas as suas forças, não importa como, apenas viva. Tudo bem pra você, Mangle?

Agora

É tudo que eu sei da minha mãe. Tudo que eu lembro da minha mãe. Uma voz calma, fraca e bem serena. É a voz do meu disfarce, quando falo com as outras pessoas disfarçada de quem eu não sou.

Uso essa lembrança como uma ferramenta preciosa... Apenas para não esquecer das únicas palavras que eu me lembro de minha mãe.

Que eu não sei o nome.
Que eu não sei quem é ou como é.
Que eu não sei a personalidade.

Mas que eu sei que é minha mãe.

Sinto minhas bochechas molhadas. E uma mão segurando no meu pulso, me puxando para trás.

Mangle: Woah!

Abro os olhos e vejo um garoto. Um garoto alto e com olhos verdes, usando óculos que se parecem com o fundo de uma garrafa, deixando seus olhos verdes gigantes.

Ouso pensar que é assustador e bonitinho ao mesmo tempo.

?????: As coisas parecem estar mais piores pra você do que pra mim para querer chegar a esse ponto.

Olho para os lados e percebo imediatamente onde estou.

A poucos centímetros de uma queda intensa e fatal.

O garoto solta meu pulso e se senta na grama.

Olho para o penhasco e a enorme queda que eu teria levado. Eu não teria morrido mas também não teria saído sem nenhum arranhão.

Me virei e quando ia embora, senti meu corpo pesar e vi um aviso piscando em minha visão.

!Pouca energia!

!Pouca energia!

!Pouca energia!

Senti o baque que meu corpo deu no chão, direto na grama seca.

?????: Você está bem?! - Senti mãos me balançando.

O garoto.

Pouca energia

Pouca energia

Pouca energia

Aviso:

Desligando em

17...

16...

15...

14...

NÃO!

Mangle: M-M-M... Nha... Mo... C... Ch... La... - Minha voz saia em um fio, não sei como ele escutou.

11...

?????: Mochila? Sua mochila? Tem alguma coisa na sua mochila? - Ele a retira das minhas costas e abre os bolsos, a revirando de cabeça para baixo, fazendo todas as coisas caírem no chão.

7...

6...

Mangle: A... Re... Ma... A... Ma... A...

?????: Que?!

Mangle: A... Re.. L... O...

Ele olha os montes de frascos e caça um que tenha pílulas amarelas.

2...

Ele acha um frasco e o abre.

1...

Ele coloca três pílulas na mão e abro a minha boca.

0...

Ele coloca as pílulas e me faz engolir.

Desligan...

Energia reestabelecida

Senti meu corpo voltar ao normal e me sentei rapidamente, como se tivesse acabado de acordar de um pesadelo.

?????: Você está bem?

Olhei para ele.

Mangle: Essa é uma das perguntas mais idiotas que existe.

?????: Eu achava isso também. Mas eu tenho que parecer normal. - Ele coça a nuca.

Mangle: Como é?

?????: Hey, quer bancar uma psicóloga? - Diz ignorando minha pergunta.

Mangle: Não. - Falo guardando as coisas esparramadas pelo chão.

?????: Quer ter uma overdose? Você tem tantos frascos e cartelas de remédios e pílulas.

Mangle: Não posso morrer. - Disse fechando a bolsa.

?????: Tem alguma doença?

Mangle: Não. - Disse colocando a alça da bolsa no meu ombro.

?????: Por favor moça, eu preciso conversar.

Mangle: Procure uma psicóloga. - Disse me levantando.

O garoto se levanta também.

?????: Espera! Eu pago se você quiser. - Ele retira algumas notas de dinheiro do bolso.

Quinhentos... Não. Não quero dinheiro isso é o que eu menos preciso.

Bufei e me sentei na grama novamente, com o garoto seguindo meus movimentos.

Ennard: Eu sou o Ennard. E você é...?

Mangle: Mary.

Não vou falar meu nome verdadeiro.

Ennard: Não minta.

Eek! Como ele sabe que eu...

Ennard: Lendo o seu olhar.

Olhei para os olhos daquele garoto estranho. Verde.

Mangle: Hum... Mirian.

Ennard: Esse não é seu nome.

Mangle: Mika.

Ennard: Nem esse.

Eu acho que ele lê é a minha mente!

Ennard: Não não, eu leio o seu olhar.

Bufei.

Mangle: White Fox. Me chame de White Fox.

Ennard: Agora você não está mais mentindo.

Mangle: Fala logo os seus problemas.

Ennard: Bem... Você... Hum... Tem uma garota.

Mangle: Hum.

Lá vem um casinho de namoro. Ou de um amor platônico.

Que é o meu caso.

Disse uma voizinha que eu fingi não ouvir.

Ennard: Eu gosto dela. Mas... O problema é que ela também gosta de mim.

Isso não é bom?

Mangle: Especifique. - Disse colocando uma mão no maxilar, com tédio.

Ennard: Ahn... Bem... Eu sou gay.

Uau. Isso que é azar. Olhei para os olhos dele outra vez, tem algo me incomodando nele. Ou algo que me conforte.

Mangle: Então você não quer... Namorar com a garota... Mas ela quer?

Ennard: Por ai.

Mangle: Hum... E onde eu entro nessa história?

Ennard: Bem, eu estou cansado sabe? Todos me chamam de mulherzinha, florzinha ou bixa.

Mangle: Mete a porrada em todo mundo. - Revirei os olhos.

Ennard: Não é tão fácil assim.

Mangle: Na verdade é sim. É o seu consciente que te faz pensar que é difícil. Talvez o seu medo ou algo do tipo. Você só tem que ir lá e fazer. Você deve ter a auto-estima bem baixa.

Analisei o garoto.

Olhos verdes. Pele pálida. É bem mais alto que eu. Magro. Cabelos pretos penteados para trás.

Suspirei. Achei o erro. O erro é: Tudo. Absolutamente tudo nele está errado.

Mangle: Que porra. - Eu baguncei o cabelo dele.

Ennard: Eek! O que você...

Tirei seus óculos. Abri dois botões de sua camisa e levantei a gola.

Ennard: Hum. Eu não enxergo direito sem meus óculos.

Mangle: Levanta. - Falei me levantando.

Ennard: O que?

Mangle: Levante!

Ele levntou confuso.

Mangle: Agora me siga. - Falei andando.

Como não ouvi passos, virei para trás. Ennard tateia o chão em busca dos óculos.

Revirei os olhos e andei em sua direção, o pegando pelo antebraço e o puxando.

Ennard: White Fox! Eu não enxergo. Preciso dos meus óculos.

Mangle: Cale-se.

Ennard: Mas os meus...-

Mangle: Sh.

Depois disso ele se calou e só me deixou conduzi-lo.

Depois de algum tempinho, chego ao meu destino. A loja perfeita de lentes de contato.

Ennard: Onde estamos?

O puxei para dentro da loja e ficamos lá um tempinho, para depois sair com o Ennard de lentes de contado verdes novinhas em folha.

Ennard: Isso arde.

Mangle: Hum. Tá enxergando embaçado?

Ennard: Não mas...-

Mangle: Para de ser mal agradecido e cala a boca.

Olhei para ele o analisando novamente.

Mangle: Não tá o mesmo de antes.

Ennard: Hum? Estou mais... Feio?

Mangle: Eu não sei. - Virei as costas e dei alguns passos para frente, pegando o óculos e jogando no chão, pisando e quebrando - Quando chegar em casa, se olhe no espelho. Não iluda a tal garota. Dar esperanças e deipois pisar nelas é horrível. E lembre-se do que eu te falei: Mete a porrada. - Acenei de costas mesmo e continuei andando.

Ennard: Obrigado, White Fox! - Ouvi ele gritando de longe.

Dei um sorriso mínimo e corri na direção da escola. Estou mais que atrasada.

Acabei batendo de ombros com uma garota. Ela tem a pele pálida, cabelos lisos e longos, usa óculos redondos e as roupas são bem folgadas.

Não dei desculpas e ela também não. Mas isso não importa, continuei correndo na direção da escola.

Eu levei suspensão da Rei, a detetive, mas nada que dinheiro não resolva.

Toy Freddy

Hikaru Ishikawa. Dezessete anos e a sua raça é a dos gatos. Gato preto. Ele é do Japão mas foi criado no Canadá. E é pra lá que eu estou indo agora, em direção ao próximo alvo que eu devo eliminar. Minha parceira de equipe, Mangle, vem depois, já que ela esta não sei na onde.

Entreguei alguns papéis mais cedo na escola, para explicar os motivos das faltas e sai, indo direto para o aeroporto.


Notas Finais


Quantidade de Fichas Aceitas: 15/15

SEM VAGAS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...