História Freedom - Capítulo 11


Escrita por:

Visualizações 1.859
Palavras 4.755
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Magia, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Self Inserction, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie anjosss.
Tudo fluiu para eu acabar não postando hoje, minhas aulas da faculdade voltaram hoje, acabou que eu dormi quando cheguei, ai quando eu acordei tive que correr atrás de por passe na minha carteirinha de bus, quando eu finalmente tive tempo pra escrever ( as 17 horas) eu estava sem inspiração alguma.
Eu ia deixar para escrever amanha, mas eu tenho uma entrevista de emprego, então eu ia acabar adiando de novo hausdha, sendo assim, aqui estamos, vou deixar esse capitulo que eu escrevi com muito amor pra vocês e vou dormir, porque tenho aula amanha cedo, socorro.
Enfim, boa leitura.
XXXXXXXXXXXX CAPITULO NÃO BETADO XXXXXXXXXXXXXXXX

Capítulo 11 - Gostar


25/04/2040

Nova casa de Park Jimin

Local desconhecido

07:27 a.m.

O sol estava começando a sair por de trás das montanhas quando Jimin foi desperto de seu sono por conta de um barulho característico, seu celular vibrava e piscava insistentemente na escrivaninha ao lado de sua cama.

-Um momento, um momento – o senhor Park não conseguiu abrir os olhos direito e atendeu o celular sem ver quem era, com os cabelos pretos bagunçados e ainda deitado na cama, o alfa colocou o aparelho gelado em sua orelha e suspirou esperando apenas que não fosse nenhum cliente querendo marcar reunião em pleno sabado.

-Jiminie. Bom dia – a voz alegre e característica fluiu por seus ouvidos e o homem ficou aliviado ao saber que era apenas um amigo.

-Oh, Jin hyung – era certo que Seokjin não costumava ligar para si, ainda mais essa hora da manhã, mas isso não necessariamente significava algo ruim. Seokjin era uma pessoa imprevisível o suficiente para ligar para si a essa hora até para marcar um jantar casual entre os amigos.

-Eu preciso conversar com você agora cedo, podemos tomar café juntos? – Mesmo que preocupado o professor não deixou que esse convite parecesse nada mais que um café da manhã entre amigos, mas Jin sabia que seu amigo estaria desconfiado já que os dois nunca saiam juntos a sós. E o Park estava.

-Claro, vamos para minha antiga casa – Jimin queria adquirir mais a confiança de Jungkook antes de sair o apresentando a seus amigos, também achava que o garoto gostaria de um tempo sozinho para se acostumar com sua nova vida.

-Chego lá em 30 minutos – o professor sabia que estava fazendo o certo ao conversar com Jimin, mesmo que isso fosse contra as regras do colégio em que trabalhava.

-Ok – dizendo isso, Jimin desligou a ligação e se sentou em sua cama, se espreguiçou e bocejou.

Acordar tão cedo fazia Jimin sentir que seu dia iria render, mas isso não mudava o fato de que ele queria poder ficar mais algum tempo na cama. Em 10 minutos Jimin tomou um banho rápido, secando seu cabelo em seguida, fazendo a barba e colocando uma roupa social de cores escuras. Após colocar algumas joias o alfa desceu as escadas para hall, indo de lá para a cozinha, no caminho encontrou sua cozinheira.

-Bom dia senhor Park – a mulher fez uma reverencia e começou a andar apressadamente em direção a cozinha, não era comum Jimin acordar tão cedo quando eles estavam na outra casa, ela achou que seria o mesmo na casa nova. Sendo assim não havia preparado a mesa do café ainda.

-Não se apresse em fazer o café para mim, irei tomar na antiga casa – sem que Jimin visse, a mulher suspirou em alivio, não gostava de fazer as coisas correndo, sendo assim colocou seu avental tranquilamente enquanto observava seu patrão enchendo um copo de água no filtro branco.

-E o senhorzinho? – apesar da mulher de meia idade gostar de ser impessoal com seu chefe, ela havia achado Jungkook uma graça quando o viu chegando na noite anterior, chama-lo de senhorzinho era o modo mais carinhoso que ela conseguia expressar o encantamento que sentiu, Jimin achou fofo.

-Jungkook não vai ter horários nessa casa, nem regras, quero que ele faça tudo no seu ritmo, até que ele mesmo faça seus horários, cada organismo funciona de um jeito, quero que ele descubra como o dele funciona. Deixe a mesa do café posta para quando ele acordar. É provável que ele lhe pergunte o que ele deve comer, apenas diga para que ele escolha o que for da vontade dele, mas caso ele acorde muito tarde, avise-o que o almoço logo ficará pronto e que talvez ele devesse comer alimentos leves. Não coloque leite na mesa, peça para ele escolher um dos que compramos ontem. Ofereça também qualquer coisa que temos comprado ontem que não esteja na mesa, se ele ficar muito confuso apenas diga que ele pode cada dia experimentar algo diferente para descobrir o que mais agrada seu paladar – Jimin dizia tudo calmamente escorado em uma das bancadas da cozinha enquanto bebia seu copo de água em pequenos intervalos, a empregada ouvia tudo atentamente pois sabia que o garoto novo era bem complexo, então ela teria de ter muito cuidado com a forma de trata-lo.

Esse foi um dos motivos de todos o empregados da antiga casa serem mudados para a nova, eles eram de alta confiança de Jimin, apenas dois a mais foram contratados, esses pelo próprio Jimin. Todos haviam recebido instruções sobre como tratar o ômega, mas Jimin sentia confiança em todos eles para saber que ninguém iria se aproveitar de seu ômega.

Já os empregados novos da casa antiga foram contratados por alguma de suas secretárias, seria uma quantidade menor de empregados do que tinha antes. O Park apenas manteria a casa antiga em funcionamento pois gostava de fazer jantares para seus clientes mais antigos e próximos. Ele achava injusto fazer tudo isso na casa que Jungkook estava já que o garoto não tinha nada haver com a empresa e não precisava ter seu espaço invadido por homens velhos que cheiravam a chá.

-Sim – após escutar tudo atentamente e tirar algumas dúvidas, a cozinheira apenas concordou com as instruções.

-Não vou trabalhar esse final de semana, vou apenas resolver alguns assuntos particulares agora pela manhã, vou tentar voltar a tempo do almoço – o homem agora saia da cozinha enquanto mandava mensagem a seu chofer que como sempre já estava pronto para o trabalho.

Assim que entrou no carro, Jimin apenas pediu para ser levado a casa no centro de Gangnam, em Apgujeong.

Apgujeong, bairro de Seul

08:03 a.m.

Casa antiga de Park Jimin

No caminho para sua antiga casa Jimin ligou para a cozinheira pedindo para ela preparar a mesa do café para dois, e avisou também que chegaria visita. Assim que o alfa chegou a sua casa, passou pela porta de entrada e foi recebido pela empregada responsável pela organização, que logo pegou seu casaco enquanto ele tirava os sapados.

-Bom dia senhor Park – a mulher disse educadamente, ainda com a voz rouca, talvez por ter acordado agora pouco e ter usado pouco a voz já que ainda era tão cedo.

-Seokjin está aqui? – o patrão perguntou enquanto adentrava sua casa e via como ela havia ficado um pouco vazia já que alguns de seus itens pessoais de decoração estavam na nova casa.

-Sim senhor, na cozinha – o alfa chegou na cozinha e pode ver seu hyung a mesa, sentado tomando um suco e comendo uma torrada com ovos e carne enlatada.

-O que queria falar comigo hyung? – o empresário sentou-se na frente de seu amigo, ele sentia um clima estranho rondando os dois, como se os dois soubessem que a conversa não seria a mais agradável. Mesmo assim, ignorando o calafrio na nunca, Jimin colocou um pouco de chá de Jasmin em uma xícara e começou a toma-la.

-O cio de Jungkook está chegando – Jin não era a melhor pessoa para introduzir uma conversa, mas como logo ele teria que ir para sua escola, que estava tendo um sábado letivo, não poderia enrolar com as coisas que teria de falar com Jimin, então sequer tentou dar uma introdução a conversa.

-Eu senti o cheiro – Jimin segurou a xicara com as duas mãos e se sentiu desconfortável, mesmo sentindo o cheiro de Jungkook ficar cada vez mais forte achou, ou ao menos fingiu que achou, que era apenas por seus sentimentos estarem se aflorando, porém o cio estava realmente perto, e escutar aquilo como uma certeza o deixou mais desamparado do que ele achou que deixaria.

-Por conta do retardamento do primeiro cio dele pelo uso de supressores, é provável que esse cio venha... 16 vezes mais intenso que um cio normal – mesmo que de boca cheia e com um pouco de gema de ovo escorrendo pelo canto de sua boca, o professor dizia tudo isso com uma feição séria e preocupada, ele tinha muitos motivos para se preocupar com como Jimin e Jungkook iriam lidar com toda a situação.

-Realmente hyung, você está me animando muito – o alfa mais novo soltou em cima da mesa a torrada com mel que havia acabado de preparar, suspirando e sentido seu estomago revirar. Jimin fechou os olhos e encostou a testa em cima dos braços sobre a mesa.

-Jimin você sabe o que fazer – após algum momento de silencio, Jin resolveu falar, ele queria saber se Jimin considerava uma opção formar o nó com Jungkook para fazer seu cio parar, porém assim que disse a frase pode ver seu dongsaeng tremer e ele rapidamente levantou a cabeça, com o rosto vermelho e indignado.

-Nem pense nisso – estava fora de questão fazer sexo com Junkook, o garoto era muito inocente para isso, muito.

-Você vai deixar o garoto sofrer níveis inimagináveis de dor por 14 dias? – Jin limpou sua boca com um guardanapo assim que terminou de comer e disse a frase talvez um pouco alta demais, Jin deixou sua presença de alfa ir para cima de Jimin, esse que se encolheu sabendo que seria tortura o garoto ficar tantos dias sofrendo.

-Eu posso comprar anestésicos – Park disse baixo, sabendo que não era a melhor solução e que não diminuiria totalmente a dor que Jungkook sentiria.

-E como você vai se controlar? Principalmente para ficar aplicando as injeções do anestésico nele, pois creio eu que você não vai deixar ninguém além de você chegar perto dele – isso era um fato, Jimin não deixaria ninguém chegar perto de Jungkook durante o cio, nem ômega, nem beta, nem alfa. Jimin teria que aprender a se controlar se quisesse que seu ômega sofresse um pouco menos.

-Se eu já tivesse tido que me controlar antes, seria mais fácil – o alfa de cabelos pretos não tinha ideia de como seria ter que se controlar ao lado de um ômega no cio. O empresário nunca havia sido afetado por um cio de ômega, nunca havia ficado no mesmo local que um. Os ômegas na coreia sempre foram muito cuidadosos para ficar em suas casas do início ao fim do cio, eram raros os acontecimentos de um cio acontecer em locais públicos.

-Realmente – Seokjin conseguia sentir a frustação irradiando pelo lobo de Jimin, seu corpo estava rígido e ele segurava o copo com tanta força. Vendo a dificuldade que o Park estava passando, Jin começou a pensar em maneiras diferentes de como ajudar o amigo de seu marido.

-Hyung você não conhece ninguém que está prestes a entrar no cio? – Jimin precisava de um ômega no cio. Era uma ideia ridícula, porem a única esperança que tinha de poder aprender a se controlar e poder cuidar de Jungkook.

-Eu conheço um monte de pessoas, mas quem você acha que vai querer te ajudar? – Mesmo que Jimin pudesse oferecer dinheiro para alguém fazer esse favor a si, Jin sabia que ele não iria recorrer ao dinheiro, ele teria que achar alguém...

-Alguém...

-Alguém louco o suficiente para comprar um beta, espere um segundo – Seokjin levantou da mesa, saiu da cozinha, passou pela sala e foi em direção a sacada, tudo isso pensando.

Uma das coisas boas de trabalhar em uma escola era conhecer muitas pessoas, realmente muitas pessoas, e foi pensando na escola, no Jungkook, que jin acabou se lembrado de quem faria qualquer coisa para ajudar o ômega, Taehyung ajudaria, mas Tae não era ômega, mas tinha o Yoongi, que ajudaria pelo Taehyung, e coincidentemente o cio de Yoongi havia acabado de começar, onde eles estavam mesmo? Ah sim, na casa do rapper, Seokjin só precisava que Jimin usasse a amizade de Jungkook com Taehyung que tudo daria certo. Jin ligou na escola para descobrir o endereço de onde Hoseok trabalhava, em alguns minutos de insistência e chantagem com a moça da secretária ele conseguiu.

-Certo, esse é o endereço da empresa de Jung Hoseok, ele comprou um beta e um ômega, os dois eram amigos de Jungkook. Eu sei que Hoseok comprou o ômega apenas porque o beta havia pedido, sendo assim creio eu que ele não tem interesse no ômega, ômega esse que entrou em cio ontem a noite, o beta comprado não pode satisfazer o ômega porque está na escola, então você tem mais ou menos até as 16 horas da tarde para aprender a controlar seus instintos. Isso caso Hoseok aceite a ideia – Seokjin disse assim que voltou para a cozinha e Jimin terminava de comer sua torrada com mel. Taehyung estava na escola, fazendo algumas matérias extras, na verdade ele deveria apenas estar correndo da casa do rapper já que ele sabia que o Yoongi iria entrar no cio hoje.

-Obrigado hyung – Jimin estava realmente agradecido, mas estava ansioso, ele precisava fazer com que o rapper o ajudasse, seria realmente muito bom caso acontecesse. Jimin terminou seu chá e logo saiu do apartamento, deixando Seokjin para trás que comia algum doce, logo o alfa entrou no carro e pediu para o chofer o levar a uma empresa que não era nada longe dali.

Do outro lado do rio

Hanman-dong

Las B, gravadora de música.

08:35 a.m.

O alfa chegou na recepção da empresa e pode ver uma moça com roupas brancas atrás de um balcão de vidro, no uniforme dela era bordado o símbolo da empresa, logo o homem se aproximou dela.

-Posso ajudá-lo? – a mulher bonita com a voz calma começou a atender o empresário.

-Preciso falar com Jung Hoseok – se era um pedido ou uma ordem a moça não saberia dizer, mas ela reconhecia o homem a sua frente de alguma revista ou reportagem de TV, o alfa era importante. Não querendo contraria-lo a respeito de burocracias ela apenas seguiu para logo satisfazer seus desejos.

-Seu nome? – a mulher virou um pouco para o lado, ficando de frente a um computador a sua frente, onde ela provavelmente procuraria alguma autorização direcionada ao homem a sua frente.

-Park Jimin – Jimin estava trocando o peso de pés constantemente, ele estava ansioso com toda a situação, e seu estomago ainda revirava, ele queria resolver rapidamente sua situação para poder cuidar de Jungkook inteiramente.

-Senhor Park? O senhor tem horário? – após alguns segundos procurando o nome de Jimin no sistema e não ter encontrado nada, a mulher começou a ficar nervosa e envergonhada, um homem desses não iria ali apenas para passear, ele provavelmente iria ali resolver algum problema, e caso ele não conseguisse entrar a culpa iria toda para si.

-Não.

-Eu vou ver o que posso fazer pelo senhor – a mulher com lábios vermelhos e perfume caro, estava prestes a andar sobre seus saltos adentro da empresa para conseguir um horário para assim que Hoseok chegasse, quando o rapper passou pela porta da entrada e resolveu todos seus problemas.

-Não será necessário, ele vai subir comigo – Hoseok reconheceu Jimin do internato e havia escutado a parte que ele disse que queria conversar consigo, o rapper estava usando pijamas de ceda e parecia ter usado alguma substancia ilícita, Jimin ficou feliz, assim seria mais fácil convence-lo de qualquer coisa. Os dois foram em direção ao elevador, e o produtor que havia chegado com Hoseok ficou na recepção conversando sobre algum outro assunto com a recepcionista. Os dois subiram em silencio até o 3 andar e desceram ali, Jimin seguiu Hoseok até uma sala no final do corredor, na porta estava escrito “sala de recriação” que significava, sala para cochilo, assim que entraram Jimin pode ver muitos puffs coloridos, tapetes felpudos e uma mesa de sinuca, Jimin tinha uma sala assim em sua empresa para seus funcionários descansarem quando ficassem sobrecarregados.

-Preciso da sua ajuda – mesmo que estivesse implícito desde o momento que os dois se viram, Jimin resolveu afirmar que era realmente o que ele precisava.

-Não acho que eu sou a pessoa mais recomendada a fazer jingles para brinquedos – hoje Hoseok estava destruído, Yoongi havia começado seu cio um pouco depois que Taehyung havia ido a escola, o rapper ficou em desespero pois sabia que Yoongi não iria gostar de ser tomado por si, então Hoseok tomou um chá de maconha para deixa-lo mais lesado e conseguir fazer algo para resolver a situação, porém ele apenas trancou o ômega em seu quarto com um celular passando um vídeo pornô, um vibrador e alguns salgadinhos até Taehyung voltar da escola e poder lidar com toda a situação, sem nem conseguir trocar de roupa o rapper apenas saiu de casa longe dos gritos de Yoongi.

-Preciso ficar próximo do seu ômega que está no cio – Hoseok queria rir, e ele riu, até ver a cara séria de Jimin. Então Hoseok ficou bravo, como assim aquele empresário de merda queria ficar perto de seu ômega?

-Se você não explicar bem rápido... – ele gostaria de ficar em uma pose ameaçadora para cima do alfa, mas a maconha apenas o permitiu que ele se escorasse na mesa de sinuca e observasse Jimin ficar um pouco ansioso.

-Não tenho interesse nele, eu só tenho que aprender a me controlar – a voz de alfa de Jimin sempre se sobressaia quando ele queria alguma coisa, e ele falava de maneira tão confiante e certeira que não era muito difícil você concordar com tudo que ele dizia.

-Você é algum tipo de estuprador em potencial? -o sorriso de escarnio de Hoseok brincava em seus lábios enquanto ele tentava entender o que o homem a sua frente queria com tudo aquilo.

-Não. Meu ômega vai entrar no cio, mas eu não posso transar com ele, eu gostaria apenas de me colocar em outra situação assim para ver como meu corpo vai reagir, você pode ficar ao meu lado o tempo todo, não vou toca-lo – Jimin agora deixava sua feição seria um pouco de lado e começava a transparecer realmente desesperado, seus joelhos fraquejaram e ele cedeu acabando por se sentar em um dos puffs ali, vendo o estado de Jimin, Hoseok começou a baixar a guarda.

-Vai tentar não toca-lo – querendo ou não Hoseok estava temeroso, Jung sentia um afeto enorme por Yoongi, ele não gostaria de deixar o ômega em qualquer situação, mesmo que mínima, de risco.

-Hyung eu preciso de ajuda, com seu ômega é menos perigoso pois você vai estar lá, eu não tenho ninguém para me deter por 14 dias na minha casa, se eu conseguir me controlar aqui eu sei que vou conseguir me controlar ao lado dele, caso o contrário eu teria que ficar os 14 dias fora da minha casa e longe do meu ômega, isso seria mais doloroso ainda para os dois – o Park estava realmente precisando de ajuda, seus olhos lacrimejaram ao pensar em todo o sofrimento que Jungkook iria passar, e ele provavelmente nem conseguiria ajudar se ele não conseguisse ficar perto o suficiente para aplicar as injeções.

-Cara eu nem te conheço – mesmo que o jogo já estivesse quase ganho, Hoseok sabia que iria ajudar com um pé atrás, ele girou a cabeça fazendo com que seu pescoço estralasse, ele tentava pensar, mas estava confuso sobre o que fazer com Jimin, e se Taehyung achasse ruim depois? Ele não gostaria que seu beta ficasse bravo consigo.

-Seus garotos conhecem o meu, eles eram amigos, você sabe disso, eles ficariam felizes em saber que no primeiro cio de Jungkook ele não fora violentado por mim – a jogada final.

-Você é sempre tão intenso? Tudo bem, mas meu beta chega de tarde, após isso quero você fora da minha casa – finalmente Jimin pode respirar calmamente, seu corpo rígido enfim relaxou naquele puff e ele pode sentir um sorriso nascer em seu rosto. Os dois se olharam e Jimin tinha uma feição agradecida, ele não saberia devolver o favor a Hoseok.

Gangnam, bairro de Seul

Casa de Jung Hoseok

09:01 a.m.

Os dois homens foram em direção a casa de Hoseok, que Jimin descobriu ser bem perto da sua antiga casa, no carro de Jimin. Durante o caminho tiveram conversas leves, talvez porque Hoseok sentiu o desconforto que Jimin estava passando e resolveu puxar assunto. Logo os dois chegaram na casa do rapper, já no hall da entrada Jimin conseguia sentir o cheiro de luxuria e desejo, o cheiro de Yoongi não era doce, mas era extremamente provocante, subindo as escadas Jimin já teve que se controlar para não ir correndo atrás do ômega.

-O cheiro não te afeta? – Jimin perguntou para Hoseok enquanto subiam as escadas.

-Do que você está falando? Eu estou claramente duro – não que o Park fosse olhar para as partes intimas de Hoseok, mas betas não reagiam a cios como os alfas, betas apenas ficaram desejosos, alfas ficavam... incontroláveis.

Enquanto Jimin subia mais as escadas, mais seu corpo entrava em um torpor, ele ficava excitado, necessitado.

Quando estavam lá em cima, em frente a porta do quarto de Hoseok, Jimin já quase não conseguia ficar de pé, ele escutava os gemidos, os pedidos de ajuda, os gritos para fazer aquilo parar. A cabeça de Jimin doía, seu corpo suava, ele precisava entrar lá e ajudar aquele garoto, foder aquele garoto, mas não. Ele não podia, ele sequer realmente queria fazer essas coisas, a cabeça dele apenas brincava consigo, Jimin se lembrava de colocarem uma venda em seus olhos antes de o jogarem dentro do quarto.

Seu nariz ardia com o cheiro do sexo.

Seu corpo tremia de prazer.

Seu membro doía.

Jimin abraçou seu próprio corpo e fez de tudo para ficar imóvel no chão, mas não dava certo. Ele ficava inquieto, enquanto ouvia todos os sons animalescos que Yoongi fazia, Jimin lutava para se manter estabilizado, porém ele girava e girava, subia e descia, tampava os ouvidos o máximo que podia, o cheiro não o deixava pensar.

O tempo foi passando, com o tempo o lobo de Yoongi se acostumava com a presença de alfa de Jimin e os gritos sessavam, porém o cheiro amadeirado de Yoongi ficava cada vez mais forte, o quarto estava quente e abafado, e no meio de gemidos de Yoongi, a escuridão dos olhos tapados de Jimin, e o cheiro extremamente provocante, Jimin enfim perdeu a consciência.

-Você desmaiou depois de três horas, mas se controlou bem, caso você use alguma mascara de oxigênio ou filtros no nariz, você certamente vai se controlar com seu ômega – Jimin acordou em seu carro, parado a alguns metros distantes da casa de Hoseok, com o rapper escorado em uma das portas traseiras abertas enquanto olhava para si que estava deitado no banco. Jimin enfim se sentou no banco e sentiu seu corpo suado e quente, ele ainda estava zonzo e aéreo, mesmo assim foi capaz de responder Hoseok.

-O pior para mim não foi o cheiro, foram os gritos.

Hoseok assentiu e deixou Jimin ali, com seu chofer no carro e foi em direção a sua casa que era na outra esquina.

 

Nova casa de Park Jimin

Local desconhecido

Final da manhã, início da tarde

 

Quando Jungkook acordou naquele dia, já eram 10 da manhã, ele escovou os dentes e colocou uma roupa descente caso visse seu dono pelos corredores, assim que saiu do quarto viu uma das arrumadeiras que lhe avisou para ir tomar o café, essa mesma entrou no seu quarto para começar a arruma-lo assim que Jungkook saiu.

O ômega desceu as escadas e passando pela sala de jantar pode ver que a mesa do café da manha estava posta, nela havia todo tipo de comida típica coreana, como carnes enlatadas, sopas de broto de feijão, sopas, arroz, kimchi. Jungkook se sentou na mesa e pegou alguns morangos, mesmo que seu desejo fosse comer tudo que havia disposto na mesa.

-Senhorzinho, não gosta das comidas que preparei? Eu posso fazer outras para que você não coma só frutas – a cozinheira, assim que ficou sabendo que Jungkook havia descido para tomar café, se dispôs do seu lugar em pé ao lado da mesa pronta para receber pedidos de pratos diferentes, mas ficou decepcionada ao ver o garoto comendo apenas frutas.

-Eu não sei se posso sair da minha dieta, eu sempre comi só frutas pela manhã – Jungkook admitiu para moça, assim que lembrou que ele podia falar com qualquer pessoa que falasse consigo.

-Claro que pode, o Sr. Park me disse hoje cedo que você não teria regras, acho que sua dieta foi cortada – assim que a senhora disse as palavras, um olhar divertido brincou no rosto de Jungkook e pela primeira vez ele sentiu vontade, olhando para todas aquelas comidas ali, ele realmente sentiu vontade de provar cada uma delas, Jungkook não teria mais uma dieta restrita a comer o que lhe servissem, agora ele poderia comer de tudo. Desse modo, Jungkook acabou por emendar o café da manha com o almoço, com ajuda da cozinheira Jungkook fez uma lista com as comidas que tinham na mesa, e para cada alimento ele dava uma nota de 0 a 10 sobre o quanto essa comida agradava o seu paladar.

Foi inevitável, mas as comidas amargas tiveram as notas mais baixas, e as azedas as mais altas.

Durante todo o processo a cozinheira ajudou Jungkook a reconhecer seus gostos, os dois estavam se divertindo fazendo a lista, no final o ômega também tinha que adivinhar os ingredientes de cada comida.

Ele ria toda vez que acertava pois a empregada fazia caretas e bocas, Jungkook nunca havia rido por coisas tão banais, mas ter vontade era realmente algo novo para si, e ele, gostou, foi essa a palavra que a empregada usou, ele estava rindo porque havia gostado da experiência nova, trazia sensações boas e elas o faziam rir, Jungkook havia gostado...

Quando Jimin chegou na casa ele pode sentir o cheiro de Jungkook um pouco mais forte que antes, mas logo todas suas preocupações foram embora quando ele ouviu uma gargalhada vinda da sala de jantar, quando chegou na mesma Jimin pode ver Jungkook sentado na mesa, na ponta, com todas as latas de refrigerante que os dois haviam comprado em sua frente, e ele experimentava uma por uma. Jungkook agora estava com a de cereja na mão, ele tomou um gole e fez a cozinheira tomar um cole também, quando ela terminou Jungkook começou a rir e a dizer que ela estava com bigode rosa, a mulher riu também e limpou com as costas da mão a boca, os dois continuaram ali, provando os refrigerantes e completando a lista, enquanto Jimin os observava sorridente, achando a risada do mais novo o som mais gostoso que já ouviu.

Gangnam, bairro de Seul

Casa de Jung Hoseok

16:13

 

Hoseok preferiu não voltar a empresa hoje, e ficou ali no jardim de sua casa, em uma cadeira de praia, olhando as pessoas passarem na rua.

 Quando estava no jardim da casa pode ver um de seus carros sendo estacionado pelo chofer exclusivo de Taehyung e viu o garoto descendo rapidamente do carro e indo até si, logo um grito de desespero atravessou as paredes da casa e chegou até seus ouvidos.

-Onde está o Yoongi?

-Você precisa ajuda-lo – Hoseok sabia o que estava pedindo a Taehyung, sabia que isso mudaria drasticamente a vida dos dois.

-Eu... Não posso. Não dá – Taehyung tinha um olhar vago e úmido, ele estava com medo, ele não sabia o que fazer, queria ajudar Yoongi, mesmo que seu cio fosse sanado apenas por um alfa, se ele fosse penetrado a dor praticamente sumiria. Mas Taehyung não sabia se Yoongi iria querer isso, ou se estava preparado para dar isso a Yoongi.

-Eu é que não posso, para mim não dá. Você quer que ele passe por toda essa dor, todos os dias? Pois eu não quero – as palavras dos dois agora eram sussurros, os dois sabiam o que teria de acontecer, o que aconteceria.

-Eu gosto dele – Taehyung disse tristemente.

-Eu sei, e é por isso que quem deve fazer isso é você. Tae, ele te ama, não precisa ficar inseguro, eu sei que a única pessoa no mundo que Yoongi gostaria que estivesse ali hoje, é você. 

Taehyung sentiu seu coração se aquecer de amor e carinho, e enfim decidiu, ele iria passar o cio de Yoongi com ele, afinal, ele amava Yoongi e o ômega também o amava, não teria coisa melhor do que amar de todas as maneiras que podia o seu lobinho. Hoseok disse que seria melhor se Taehyung fosse sem o braço de prótese, e esse concordou, ele tirou o braço falso e entregou a Hoseok. E com um sorriso no rosto e o coração pulando de alegria, Taehyung entrou na casa e subiu as escadas.

 

 


Notas Finais


E ai amores? Gostaram? Odiaram? Sejam sinceros, e OLHA SÓ PARECE QUE EU ENGANEI VOCÊS, acharam que já ia ter lemon jikook no primeiro cio? Huashduas ainda não, quero que eles vão com calma, mas PARA A ALEGRIA DE VOCÊS, um Taegi fofinho esta por vir <3
Enfim, pra quem quer ver as imagens do capitulo, ta aqui https://twitter.com/Freedomfanf
Espero que tenham gostado, <3
COMENTEM E FAÇAM UMA AUTORA FELIZ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...