História Freedom Wings - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Beast Titan, Bertolt Hoover, Connie Springer, Darius Zackly, Dot Pixis, Eld Jinn, Eren Jaeger, Erwin Smith, Farlan Church, Gunther Schultz, Hange Zoë, Historia Reiss, Isabel Magnolia, Jean Kirschtein, Keith Shadis, Kenny Ackerman, Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman, Mike Zacharius, Moblit Berner, Nanaba, Oluo Bozado, Pastor Nick, Petra Ral, Reiner Braun, Sasha Braus, Ymir, Zeke Yeager
Tags Anime, Anime X Leitora, Attack On Titan, Attack On Titan Snk, Capitão Levi, Imagine, Imagine Anime, Imagine Levi, Imagine Levi X Leitora, Leitor X Anime, Leitora X Anime, Levi, Levi Ackerman, Levi Ackerman (rivaille), Levi Ackermann, Levi Rivaille, Levi X Leitor, Levi X Leitora, Snk, Snk Aot Levi Ackerman
Visualizações 205
Palavras 6.233
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


~~Oie 😄😄
Caraca... Estou de volta... Eu nem consigo acreditar que estou aqui postando Freedom Wings :') é uma sensação indescritível.

Eu não irei pedir que me perdoem, não mereço isso e vocês tem toda a razão para estarem bravos e quererem me xingar. Mas eu tenho que me explicar, porque vocês merecem uma explicação.
Não é novidade para vocês que eu tenho depressão, contudo, eu fiquei alguns meses sem ir ao psicólogo e ficou pior, mas agora eu sinto que pode melhorar, pois eu retornei.
Aqui em casa a situação que antes era ruim, ficou pior, mas... Olha que contraditório, ficou pior por uma coisa boa.
Minha irmã irá casar, porém, minha mãe está fazendo coisas que são desagradáveis para ela e isso me afeta também, porque como vocês bem sabem minha irmã é meu tudo, é minha musa inspiradora e minha Deusa. Ela merece tudo de mim, e a situação ruim que está acontecendo está afetando nós duas.
Outro motivo foi a escola, eu tive que estudar muito para o Enem, mas olha que engraçado, para que estudar se não cai nada do que aprendemos? Contraditório não? 😂😂
Outra coisa foi o meu TCC, graças a Deus meu TCC foi um arraso e já dei um passo para conseguir meu diploma no fim do ano.
Com tudo isso acontecendo não vou negar que as vezes fiquei com preguiça, contudo, eu também me ocupei com outras fanfics que comecei, só que só irei postar quando estiverem prontas ou perto de acabarem.

Eu realmente sinto muito, eu nunca, nunca, nunca irei deixar Freedom Wings de lado, é o meu xodó, minha razão, minha obra prima ❤❤ Então, mesmo que demore, eu estarei aqui.

Capítulo 28 - Capítulo XXVIII


Freedom Wings 


"Mesmo se eu estiver cansada, mesmo que as lágrimas não sequem,

Eu gostaria de voltar ao começo."


And One - Taeyeon


Capítulo XXVIII



#FLASHBACK


Ainda não estava sendo fácil aceitar que o resultado da ultima expedição fora tão devastador quanto as outras, fora o número gigantesco de soldados que tiveram suas vidas roubadas naquela tarde horrenda. Mesmo assim, a maior parte daqueles que sobraram, estavam à todo vapor para descobrirem a identidade da Titã Fêmea para então, serem capaz de elaborar um plano, uma estratégia boa o suficiente para capturar esse "impostor" por ser um humano traidor.

Ao contrário dos dias anteriores, os soldados, incluindo Levi e Eren pareciam ter aceitado melhor a tragédia que ocorreu, porém, Eren diferente de Levi demonstra mais seus sentimentos e ,comparado ao Capitão ainda está abalado.

Fora do horário em que o refeitório costuma ter os soldados presentes, agora, ao anoitecer, Levi, Eren e (S/n) estavam sentados à mesa tomando chá, esperando por outras pessoas, afim de dialogarem acerca do "suposto" Titã mais a estratégia. (S/n) suspirou.

-Tsc... Que demora.- começou Levi após vários minutos incontáveis de um silêncio esmagador.- Até quando o Erwin irá nos fazer esperar? Assim a Polícia Militar irá chegar primeiro.

-Deve haver um motivo plausível para isso.- murmurou a moça bebericando um pouco do chá de ervas.

-Ou talvez ele só esteja tentando cagar e a merda não quer sair.- geralmente quem está há tempos com o Capitão sabe bem como a boca dele é suja -bem diferente da limpeza que ele aprecia- porém, para o rapaz não é tão "normal" escutar os insultos do Capitão e ficou sem jeito ao ouví-lo. Diferente de (S/n) que quase engasgou com o chá quando começou a rir baixinho das palavras proferidas.

-Capitão...- murmurou.- ... Talvez você esteja falando bobagens hoje.

-Tsc, tolice.- deu ombros.- Eu sempre falo bastante.- a soldada não aguentou a seguda vez e realmente engasgou-se dessa vez quando riu.- Algum problema com o seu chá soldada?- indagou nada contente pelas ações alheias. Não entendia do que tanto ela ria nele.

-Não Senhor.- negou tentando disfarçar os risos.

-Ótimo.- respondeu ele tentando ajeitar-se na cadeira, contudo, soltou um mínimo gemido de dor por causa do ferimento.

-Está tudo bem Senhor?- questionou preocupada.- Precisa de ajuda?- viu-o negar e logo Eren proferir.

-Sinto muito por tudo.- encarou os dois.- Se eu tivesse feito a escolha certa eles estariam aqui.

-Eren.- chamou-lhe tocando o ombro.- Já disse que não é sua culpa. Se eles não estão aqui, é porque devia ser assim.

-Mas já que está se culpando tanto, então da próxima vez faça a escolha correta.- intrometeu-se o Capitão, e (S/n) sorriu amarelo para o jovem. Não é surpresa que o moreno não seja tão educado ou gentil nas palavras, mas as vezes era direto até demais.

Ouviram a porta ser aberta e voltaram suas atenções para a entrada, vendo o Comandante, a Tenente e mais alguns soldados.

-Desculpem o atraso.- começou o loiro.- Se todos estiverem em seus lugares e prontos, podemos iniciar essa discussão.


#FLASHBACK


A verdade sempre dói, ninguém dúvida disso e jamais irá sair ileso desse fato, contudo, depois de tantas coisas ruins acontecendo, após todas aquelas mortes, a descoberta de um humano ser capaz de tornar-se um Titã, ainda vem o pior, Annie Leonheart seria a presumida traidora, Titã Fêmea escondida dentro das Muralhas, sendo uma inimiga não declarada oficialmente, porém, letal e culpada de todos os assassinatos. Eram muitas informações para se assimilar de uma hora para outra, tanto pelas descobertas, o plano, o modo em como ela agiu quando Armin, Eren e Mikasa foram "a isca", quando tudo deu... Relativamente errado -como sempre com a Tropa- foi um choque e tanto para todos eles, sem exceção. Entretanto, isso foi bom para os soldados, pois além de estaren certos em ir atrás daquela pessoa, não estariam perdendo algo muito forte, tendo em vista que se ela não fosse a Titã Fêmea, então quem seria? Estará solta pela Muralha agindo normalmente, e bem, se não fosse a loira, pressupõe-se que o verdadeiro culpado já estaria sabendo da armação da Tropa por causa de todo aquela comoção, contudo, como bem estudaram antes, alegaram que não poderia ser outra pessoa, portanto, o primeiro passo fora dado.

Posteriormente toda a luta, tanto para Eren com Annie e os superiores da Tropa com o pelotão da Polícia Militar, o que era um problema resolvido, tornou-se uns dos problemas resolvidos.

Como se não bastasse as situações inusitadas que aconteceram como uma bola de neve, cada vez piorando, por coincidência até -pois ninguém estava ali procurando ou sequer pensando nisto- um Titã, totalmente aleatório, que por hora não ofereceu perigo nenhum a todos, apareceu dentro da Muralha. A causa disso, foi pela luta anterior de Annie e Eren, que no meio de tantos lugares destruídos, a parede da Muralha foi mais um dos palcos utilizados para seus momentos de luta. Com isso, com destroços e a parede ligeiramente destruída, outros soldados, que também estavam fazendo parte do plano e ajudando uns aos outros, foram os primeiros a perceber a presença da grande criatura. Sendo assim, algo inexplicável e que poderia ser altamente perigoso não ficou escondido por muito tempo, logo todos já estavam sabendo, inclusive os civis. E não somente este detalhe da história, acerca do Titã dentro da Muralha, mas também algo que algumas pessoas já tinham em mente e agora fora confirmado: por algum motivo sim, alguns humanos podem transformar-se em Titã.


...


...


*Quartel General da Tropa de Exploração*


O Comandante da Tropa de Exploração não estava lá em seu melhor momento, ultimamente tudo caiu em cima da cabeça do loiro de uma força tão carregada que ele mesmo já perguntava-se o que devia fazer. E quem o conhece bem diria que a situação está realmente complexa e intensa, devido a fazer ele, logo o homem de brilhantes estratégias e inabalável, então há de chegar numa conclusão, onde até mesmo Erwin, muitas vezes, não sabe o que fazer.

Ainda mais agora com um pequeno problema com o "governo" e alguns soldados da Polícia Militar, Erwin encontra-se também muito confuso ainda acerca das novidades que descobrira sobre (S/n), a sobrinha que por anos nunca teve notícias, pensou que estivesse morte e que até mesmo, nunca sequer deu atenção para pensar. Isso se dá ao fato de que a pouca família que restara de Erwin -sua irmã caçula- morava tão longe que quase nunca se viam, portanto, saber da vida um do outro era bastante difícil, fora o fato de que dedicaram suas vidas em propósitos totalmente distintos, isso dificultou mais uma relação amigável, por isso, é como se os dois fossem só parentes distantes, ou até mesmo, meros conhecidos.

Mike, que sempre andou com o Comandante, pois além de ser uma das pessoas que Erwin mais confia, ainda é o melhor amigo que ele já teve, percebeu há tempos o modo como Erwin andava, sentiu o cheiro de que há algo a mais incomodando o Comandante, mas assim como algumas vezes anteriomente em outros assuntos, Erwin preferiu não revelar a ninguém o que descobriu, muito menos a (S/n). Bom... É um caso em que ele ainda pensa, porém, por hora, o loiro decidiu que a melhor maneira de tudo não ficar mais complicado do que já está, é que quanto menos pessoas souberem, menos será a dor se algo ruim acontecer futuramente.


.


.


.


.


.


*Pátio de Treinamento*


Mike e (S/n) estão no pátio conversando enquanto organizam os cavalos. Mesmo que (S/n) não seja do esquadrão dele -como ele desejava- ainda sim fazia alguns impossíveis para conseguir ter um tempo com a mulher para conversarem, levando em consideração também que ela está muito atarefada as vezes.

-[...] E como é a vida no outro esquadrão?- continuou questionando. Mike geralmente sempre pergunta para (S/n) como ela está no esquadrão de Levi, para em seguida fazer alguns comentários engraçados contra o baixinho.- Poderia estar muito mais feliz no meu esquadrão.- viu-a rir.

-Sabe, para um Capitão responsável de quase dois metros de altura, você é bem extrovertido quando quer.

-Sabe como é, gosto de fazer lindas donzelas sorrirem.- brincou.

-Hn... Encontro um erro e quero fazer uma observação.- olhou-o atentamente esperando uma permissão.- Erro, não sou nenhuma donzela.- riu.- Creio que donzelas nem sequer pensam em estar aqui onde estamos. Agora a observação.- aproximou-se.- Gosta muito de falar dos Capitães daqui, inclusive o meu, mas é muito parecido com ele.

-Sou?

-Claro. É tão introvertido quanto ele quando quer. Mas quando quer conversar mesmo, sabe como o fazer.- sorriu.- E eu gosto disso. Gosto de estar mais perto dos superiores.

-Ah, quer ganhar uns pontinhos.- brincou recebendo um olhar desaprovador.- Eu entendo o que quer dizer, e concordo também. Com os meus soldados eu tento manter uma relação amigável sem muito hierarquia.

-Percebi, eles falam como se fossem muito próximos de você.- pensou.- Principalmente a Nanaba.

-Sim, bem pensado.- olhou para cima, pensando antes de responder.- Ela é a veterana entre os veteranos do meu esquadrão. Fora que foi a primeira a demonstrar querer estar ligada ao laço que eu criei com eles, tanto que também foi umas das primeiras a chamar-me pelo nome.

-Que ótimo.- sorriu.- Ela é seu braço direito.

-O esquerdo também.- sorriu minimamente.- Eu me lembro... Ela era como você, sempre mantendo a pose de obediente, mas foi só eu me aproximar dos soldados, começar um vínculo maior e até melhor do que simples "Capitão" e "Subordinado" que ela passou a ser muito mais amiga, tanto que ninguém considerou estranho ela e o resto do esquadrão começarem a dizer o meu nome intimamente.

-Nossa...- calou-se por um momento, continuando a andar do lado do loiro para dentro do quartel.- Realmente, são informações inacreditáveis.- abriu a boca diversas vezes, porém, não sabia como responder.- Olhando para todos vocês, creio que ninguém imagina essa afetividade, porque, convenhamos, mesmo que não pareça, é como se o respeito fosse maior do que pelo simples trabalho que fazem.

-Acredita mesmo nisso?

-Claro.- sorriu pegando a mão dele.- Só o que demonstra pra mim é como um amigo distante, mas com grandes sentimentos. Imagine para eles, ou eles para com você.- olhou-o.- É um esquadrão muito intrigante, engana os olhos.- riram.- Ainda mais que foi uma bela estratégia que usou, o nome.

-Sim, nomes são muitos íntimos, e muitas vezes pode parecer que não, mas são, de certa forma, um substantivo "formal".

-Exato, dependendo da pessoa ou lugar, o nome deve ser algo que devemos nos lembrar de não falarmos.- riu novamente com a contradição.

-Soldada (S/s)!- virou-se ao ouvir ser chamada por Levi, respondendo com uma saudação.- Erwin deseja sua presença no escritório dele imediatamente.

-Ah, sim Senhor.

-E quando terminar, dirija-se ao meu escritório.

-Ah... Senhor, eu me comprometi hoje a tarde com a Hanji e-

-Cancele.- virou-se indo embora.

-Mas Senho- ... Senhor!- até tentou insistir, mas ele continuou andando como se não tivesse escolha, portanto, somente resolveu ignorar também. Bufou um desaprovação.

-E você?- ouviu Mike pronunciar, e ao levantar o olhar, percebeu que esse olhava para dentro do corredor, de onde Levi passou.- É tão amigável estar com ele que nem sequer espera por uma resposta?- manteve-se calada.- Ou então... Não pronuncia o nome dele?- olhou-a uma última vez antes de sair, mas sem previamente notar que ela ficou petrificada.


...


...


*Escritório do Comandante*


A partir do dia em que Erwin comprovou suas suspeitas acerca de sua relação ou suposto parentesco com (S/n), ele tem estado muito estressado e perdido sobre que atitude deve tomar, pois além de ser um assunto de extrema importância, trata-se de pessoas que teoricamente não se conhecem apesar de estarem juntas trabalhando há anos, fora que nem sequer tem um convívio íntimo como outros soldados.

Entretanto, analisando toda a situação, levando em consideração o passado que um dia deixou de ser lembrado, tudo foi perfeitamente encaixado, inclusive os esclarecimentos feitos pelos detidos que um dia foram a família que (S/n) teve.

Agora, Erwin deseja fazer algo que por muito tempo hesitou e até questionou se era mesmo o certo a se fazer, contar a verdade para a soldada independentemente da circunstância, porém, em qualquer verdade que alguém possa revelar para outras pessoas, não podem simplesmente soltar e ficar por isso mesmo. Dado o contexto difícil em que todos encontram-se, Erwin decidiu ter uma conversa franca com a moça, estudar as reações uns dos outros é o principal elemento antes que ele possa revelar tudo à ela.

Ouviu batidas à porta, permitindo o acesso do outro já sabendo de quem trata-se.

-Mandou que me chamassem Comandante?- começou educadamente enquanto aproximava-se da grande mesa.

-Pedi sim soldada (S/n).

-Em que posso ser útil? Foi alguma coisa grave? Aconteceu algo?

-Mantenha a calma.- ergueu as mãos.- Não aconteceu nada de grave ou ruim, eu só... Preciso ter uma conversa importante com a sua pessoa.- viu-a trancar a boca, seria difícil dialogar.- Como...- hesitou. Ensaiou bem as partes mais importantes que devia tratar com ela, mas não o começo.- De onde veio?

-Bom, da Muralha Sina, Senhor.- respondeu-o receosa.- Bem, eu e meus pais herdamos uma casa de um tio materno, porém nunca o conheci.

-Então somente morou em Sina porque se mudou com a família?- mais afirmou do que perguntou.- Então, aonde moravam?

-Ah...- olhou-o incerta.- Senhor, porque está me perguntando isso?- pegou-o desprevenido.- Quero dizer... Não são informações que costumamos passar.

-...- pensou um pouco.- Sim, tem toda a razão, mas por algum motivo desconhecido eu perdi as informações que coletaram quando ainda era uma recruta.

-Então, por que não está anotando nada?- apontou para a mesa cheia de papéis, mas nenhum em mãos.- Não deveria estar anotando?

Esperta. Assim como Levi descreveu várias vezes.

-Ah, bem... Não serão tantas perguntas, fique tranquila.- sorriu amarelo.- Como eu dizia, aonde moravam antes?

-Ah eu... Não me lembro o local exato, era muito jovem, mas... Creio que foi no Sul da Muralha Maria. Estive morando lá desde que minha mãe me deu a luz- parou de súbito.- Quer dizer, desde que... Aquela mulher me criou.- suspirou.

-Não é fácil para você falar disso, imagino.

-Bem, não costumo recordar-me disso ou ficar dizendo por aí, então é estranho e não embaraçoso.

-Entendo, mas... Agora pergunto-me, se eles não são seus pais, quem são os seus verdadeiros pais?- viu-a gelar. Cogitou a hipótese de ter feito uma pergunta que não devia.- Ah, sinto muito, talvez você não saiba.

-O que o faz pensar que não sei quem são?- questionou mesmo estando em estado de choque.- Está certo sim, não os conheço, e para ser bem sincera, depois de descobrir a verdade eu sequer cogitei a ideia de descobrir quem são e se por um acaso alguém da minha família está vivo, porque... Ora! Se eles me esconderam isso tantos anos, por que ninguém me procurou? Ninguém esteve atrás de mim esse tempo inteiro, então, por que pensar que devo conhecer pessoas estranhas e que não compartilhamos nenhum tipo ds afeto?

-Logo você pensou nessa ideia.- afirmou.- Já pensou em seus pais biológicos, porém, deixou isso de lado, porque não os conhece, fora que a realidade de estar sozinha sempre a fez acreditar que eles nunca estiveram a sua procura.

-... Fala como se soubessem quem são.- murmurou estreitando os olhos. Erwin definiu que será melhor que não fale tanto, ou falará demais.

-Não, e nem irei dizer que imagino como deve ser estar sozinha, mas... E se eles aparecessem? Se descobrissem que a soldada braço direito do Capitão Levi estivesse aqui? Aceitaria eles?

-Hn... É uma pergunta repentina, então não sei o que reponder.- pensou alto receosa.- Por hora eu irei negar isso.

-Mesmo se soubesse do seu passado?- o Comandante não estava percebendo, mas aos poucos estava cavando mais fundo, deixando a soldada perplexa.

-Por que...- (S/n) estava bem até o momento, mas Erwin não estava ajudando.- Por que está me perguntando essas coisas? Por acaso sabe o que eu passei? Ou... Está me deixando confusa Comandante.

-Er... Bem, eu só acabei me envolvendo demais.

-Envolvendo demais?- (S/n) já não estava calma ou contente, pelo contrário, a cada questionamento sentia-se mais constrangida.- Pelo modo como falou até parece que me conhece.

-Isso seria um engano.- o que de fato é. Eles não se conhecem realmente.

-Sim, mas sabe muita coisa sobre mim.- levantou-se indignada.- Eu nunca contei a ninguém ou qualquer pessoa acerca da minha vida, só o Capitão sabe disso. E imagino que se sou adotada ou não, não tem nada a ver com a minha vida aqui na Tropa.

-Sim, ele me deu um relatório há anos sobre uma missão em que os dois foram, nele ele descreveu que sua família estava por trás de todo o roubo.

-Senhor...- fechou os olhos tentando manter a postura.- Mesmo assim, isso não tem nada a ver com o que diz respeito a minha vida como soldada.

-Sim, mas-

-Com todo o respeito, não quero ter que falar disso, muito menos ter essa conversa pessoal com o meu Comandante.- respondeu já sentindo os olhos lagrimejarem. Qual é o sentido disso? Por que todo esse alvoroço sem fonte? São memórias ruins, cheias de dor e mágoa que (S/n) faz questão de tentar esquecer todos os dias pela manhã quando abre os olhos. São acontecimentos que já estão no passado, há anos, tentou aos poucos não pensar nisso durante muito tempo, e depois de anos isso já não voltava à sua mente de forma avassaladora, mas agora... Tudo o que construiu, todas as barreiras, os momentos bons que criou para passar por cima de memórias duras foram quebrados num só golpe por míseros minutos sentada conversando.

É muito fácil lembrar... O difícil é esquecer.

-(S/n), em nenhum momento eu quis ofendê-la. Eu só queria saber caso...- perdeu a fala enquanto aproximava-se aos poucos.- Talvez eu precise dizer algo à você, que não é fácil.

-E para isso tinha que saber da minha vida?- perguntou amargurada.- O Senhor sabe de tudo. Acha mesmo que eu iria acreditar que simplesmente perdeu informações sobre os seus soldados?- olhou-o nos olhos agora, não importando-se se os olhos estão repletos de lágrimas.- Se queria conversar, bastava dizer. Mas com todo o respeito, eu não aceito que invada a minha vida assim. Depois de tudo o que eu passei, as palavras duras que escutei, a verdade que tive que receber na minha cara de uma forma incômoda... Fez eu me lembrar de tudo que eu já tinha esquecido.

-Eu... Sinto muito.- abaixou o olhar.- Realmente eu não tive a intenção de prejudicá-la. E reconheço que esse não é o meu papel aqui.- chegou mais perto.- Contudo, eu efetivamente não posso ignorar o fato que está rondando à nós dois, porque também me machuca, também foi uma surpresa muito grande para que eu pudesse assimilar e, assim como você, eu recebi a notícia de uma forma incômoda, pegando-me quando estava vulnerável.

-O que pode ser tão importante acerca da sua vida que tem que se meter na minha?!- exclamou totalmente angustiada e devastada, as lágrimas rolavam aos poucos devido a todas sensações sentidas de uma única vez.

Erwin ficou quieto por um instante, esse é o momento, mas... Não era assim. Não foi assim que ensaiou, que imaginou quando estava sozinho, porém, assim como tudo sai do controle nas expedições, dias comuns não possuem rédeas também.

-Você é minha sobrinha.- proferiu alto e claro, olhando diretamente para os olhos (c/o) de (S/n) esperando uma reação positiva apesar das circunstâncias.

Entretanto, tudo o que recebeu foi um longo e insuportável silêncio, olhos grandes espantados olhando-o como se tivesse assustado alguém, nem sequer viu lágrimas percorrerem o rosto da mulher. Tudo o que recebeu foi uma soldada dando as costas, a medida em que corria para a porta, passando por essa, deixando-o sozinho e assim como ela, abalado.


.


.


.


.


.


*Pátio de Treinamento*


Mesmo estando super atrasada para acompanhar Levi e Eren nos treinos, (S/n) preferiu não comparecer e sabe muito bem que Levi irá chamar-lhe a atenção por isso, e na verdade, a soldada não apareceu em nenhum momento em multidões depois da conversa que teve com o Comandante.

Esqueceu-se totalmente que Levi havia mandado que ela fosse até o escritório dele, quando lembrou-se viu que já estava atrasada para o treino e dedicou-se somente a tentar melhorar a aparência até que pudesse ir para o fim do treino no campo, até porque o Capitão ainda estava recuperando-se da lesão no pé.

Nem mesmo lembrou o compromisso que tinha marcado com Hanji, tudo passou despercebido.

As palavras de Erwin martelavam sua cabeça como uma pancada constante, fazendo doer sempre que pensava no assunto. Era estranho, mas ao mesmo tempo fazia tanto sentido. O loiro tinha uma integrante da família perdida, (S/n) não era filha legítima das pessoas que a acolheram, o loiro sempre tentava entrar nesse assunto pessoal quando estava com ela, já havia dito vez ou outra que ela parecia muito com alguém... Suspirou pesadamente. São tantas informações que tudo girava, o estômago embrulhou, o coração não parecia funcionar direito, as batidas alternavam a todo instante.

Chorar não ia levar em nada, pelo contrário, faria com que se sentisse pior, apenas o pânico esteve presente, e não conseguiu largar dele em nenhum momento.

Saindo do quarto tentando não esbarrar com ninguém nos corredores -principalmente com Erwin- ela seguiu até os fundos do quartel, de onde saiu indo em direção ao outro lado do campo onde Eren costuma estar para treinar. E ultimamente ele tem treinado muito com o Capitão e a Tenente, tendo em vista os perigos que estão expostos agora após a luta com Annie.

-Senhorita (S/n)!- exclamou Eren acenando vendo-a caminhar em direção à ele, sem Levi por perto.

-Eren.- acenou com a cabeça.- Aonde está o Capitão?- olhou em volta não o encontrando. Viu-o ficar nervoso e coçar a nuca.

-Ah bem, como a senhorita não estava aqui para ajudar, ele teve que dar uma olhada no grupo que está com a Capitã Marlene.- sentiu uma onde de choque bater contra o rosto. Ultimamente Levi não poderia treinar Eren como no início, então (S/n) sempre ficava ajudando/surpevisionando, mas depois de hoje, esqueceu-se de tudo.- Er... Está tudo bem?- questionou ao mesmo tempo que se aproximava.

-Sim, eu... Estou bem.- forçou um sorriso.- Creio que se o Capitão voltar e ver-te aí parado e não fazendo o exercício ele ficará bravo, então sugiro que continue.

-Ah certo.- no mesmo momento o castanho caiu no chão começando as flexões.

-Vai ficar tudo bem aí? Preciso procurar pelo Capitão.- Eren respondeu com um pouco de dificuldade, mas ela ouviu. Saiu logo em seguida indo em direção ao pátio de treino ao lado, onde de longe já via-a Marlene fiscalizando o treino. Ela era uma boa pessoa, divertida e alegre, mas mudava completamente a personalidade quando tratava-se de funções de um soldado.

-Aonde esteve?- ouviu atrás de si, nem mesmo havia chegado tão próximo do grupo que ainda treinava. Somente virou-se.-Eu perguntei aonde esteve.- reforçou.

-Eu... Tive alguns problemas para resolver.- limitou-se a respondê-lo.

-Que tipo de problema? Não foi ao meu escritório como pedi e agora chega faltando míseros minutos para o término do treino do pirralho maldito.

-Um problema pessoal Capitão. Eu não posso dizer, mas se não é justificativa o suficiente, pode me punir.- somente após ter falado foi que percebera o modo como encontrava-se. Por dentro xingou-se pelo jeito que havia respondido.- Bem... O que eu quero dizer-

-Chega.- pediu ainda calmo.- Eu irei ignorar o fato de ter me respondido assim.

-O que...?- quem não o conhecesse diria que está doente, quem o conhece também.

-Você sempre foi uma boa soldada, nunca deu qualquer trabalho, e faz tudo como mandam, então eu vou aceitar que no dia de hoje aconteceu algo muito grave para você ter me ignorado totalmente e agora está falando o que bem quer.

-Senhor, não foi por querer, eu só-

-Não quero saber! Eu não terminei.- elevou um pouco a voz.- Mas já que quer tanto uma punição, ficará sem o jantar, porém, estará no refeitório com todos, apenas os vendo comer.

-Isso... Não é cruel?

-Sim... Mas a vida por acaso é boa?- (S/n) não pôde responder.- Acompanhe o pirralho até a enfermaria, antes de chegar ele torceu o tornozelo e mesmo que tenha os poderes de Titã, é melhor que dê uma olhada.

-Sim Senhor.

-Após isso vá com ele para o refeitório, já é quase hora do jantar. Depois disso pode fazer o que quiser.

-Com licença.- pediu saindo seguidamente, impedindo logo que o moreno voltasse com mais ordens.


...



...


*Refeitório*


-Eren, como tem ido nos treinos?- indagou Armin ao perceber o amigo mais quieto no decorrer do jantar.- Não tem conseguido progredir?

-Não, a Hanji-san disse que estamos progredindo muito, mesmo que as vezes eu fique um pouco mais cansado.- respondeu com ânimo.

-Então deve pedir um tempo Eren.- sugeriu a irmã.- Pode se machucar e eles tem que entender que não podem continuar assim.

-Mikasa, está tudo bem.- tocou a mão da irmã.- Não é algo que me deixe incapaz, então não fique tão preocupada à toa. Aliás, estou mais cansado pelos treinos com o Capitão e não com a Tenente.

-É mesmo? E porquê?- continuou o loiro.

-Não tenho certeza...- desviou o olhar.- ... Mas creio que tem haver com a senhorita (S/n).

-Sei que ela faz parte do treino, mas... Ainda não consigo entender o que quer dizer.

-Ela te fez alguma coisa Eren?- indagou a irmã preocupada.

-Veja bem.- aproximou-se deixando o prato de lado.- Ultimamente ela tem agido muito estranho, o próprio Capitão parece não entender. Hoje mesmo eu os ouvi conversando e ele estava irritado com ela. Parece que não fez algo que ele mandou, fora que já não é a primeira vez que ela se atrasa ou não comparece nos treinos.

-Eu sabia.- disse Mikasa batendo de leve na mesa.- Eu disse à você que ela ainda ia te causar problemas, Eren. Com certeza você está treinando mais por causa dela.

-Ela não é uma má pessoa Mikasa.- defendeu-a revirando os olhos para Mikasa.

-Ela quem? De quem vocês estão falando?- indagou Jean assim que sentou e ouviu parte da conversa.- De quem vocês estão falando?- repetiu.

-De ninguém.- respondeu Eren indiferente.

-Ah ta... E eu serei o próximo Comandante.- debochou.

-Ai...- suspirou o loiro.- Eren está explicando o que vem acontecendo nos treinos com ele e a soldada (S/n).

-Ah sim.- fez uma careta de bobo apaixonado.- Ela é um encanto... Mas você é mais Mikasa e tem mais talento, garanto.

-Pare de dizer besteiras.- olhou-o de relance.- Não me importa o que vocês acham dela, nada me fará gostar dela e não muda o fato do Eren estar se prejudicando por causa dela.

-Já disse que está tudo bem comigo Mikasa.- esbravejou.- A senhorita (S/n) não está num bom momento.

-Mas isso já não é um problema seu.

-Hn... E como é que você sabe?- provocou o outro.- Por acaso conversa muito com ela?- Eren corou.

-Não, mas... Basta olhá-la.- apontou discretamente para onde ela está sentada. Sozinha, numa mesa afastada batucando os dedos na superfície da mesa.- Vão me dizer que ela não está estranha?

-Bem... Parece um pouco.- respondeu Armin.- Eu costumo vê-la conversando ou acompanhada.

-Eu não ligo se ela está bem ou não.- a morena sequer olhou na direção que o irmão apontou.

-Já eu acho que você está prestando muita atenção nela.- Jean riu com a própria provocação.- Até entende os gestos dela para saber como ela está emocionalmente.

-Pare com isso!- Mikasa bufou.- Eren sabe que não podemos ter romances aqui, e mesmo assim ele não iria querer uma mulher mais velha, ainda mais a senhorita certinha escrava do Capitão rabugento.

-Não fale assim dos nossos superiores Mikasa!

-Vai acabar deixando o Eren chateado por estar falando assim das pessoas que ele mais admira Mikasa.- Armin estava sendo o mais sensato na conversa.

-Ah meus amigos, mas covenhamos, principalmente você Mikasa.- aproximou mais o corpo da mesa para cochichar.- A (S/n) pode até ser mais velha, mas a beleza dela rejuvenesce anos. Isso você tem que concordar Mikasa.

-Só está dizendo isso, porque você é um sem educação e um pervertido.- tentou ela ofendê-lo de alguma forma, contudo, o que ouviu foram risadas.- O que foi?

-Não sou um pervertido por encontrar a beleza numa mulher. O Eren é!- apontou.- Vira e mexe parece um cachorrinho quando ela aparece, fora que até fica corado quando falamos disso. Fala sério, ele gosta dela.

-Cala a boca cara de cavalo.- respondeu entredentes.- Eu tenho muito respeito pela senhorita (S/n).

-Eu não disse que não tem. Eu disse que se eu for um pervertido, você é mais.- pegou a comida pronto para levantar-se.- E vê se não gagueja ou babe tanto quando estiver perto dela.- provocou saindo em seguida.


...


...


Eren não fora o único que percebeu o modo estranho como (S/n) estava agindo, Hanji também havia reparado, e por esta razão saiu da mesa onde costuma sentar com Levi e os outros para seguir até a colega, nem mesmo penssmentos sobre Titãs atravessaram a cabeça dela, pelo contrário, só estava mesmo era com cabeça para (S/n). Algo estava muito errado.

-Com licença minha melhor amiga, depois do Levi!- chegou gritando tentando fazê-la rir, porém, assustou-a mesmo.- Hoje terá o prazer da minha linda companhia.

-Ah, oi Hanji.- forçou um sorriso.

-E, que cara é essa?- fez careta.- Até parece que não conseguiu matar um Titã.- brincou novamente, mas resolveu parar assim que notou que não daria certo.

-Só estou cansada.

-Cansada? De que?

-Ah... Não sei dizer.- evitou olhá-la.- Tem tantas coisas... Ah, como posso dizer?- pensou com a mão no queixo.- Não sei como explicar, e nem se devo explicar. Na verdade não sei se é verdade.- abanou as mãos.- É confuso.

-É o que eu diga.- respondeu simples.- Como assim "não sabe se é verdade?"- imitou-a.- Algum boato? Conte-me? É de algum dos soldados novos? Os bonitos?

-O que? Hanji!- repreendeu-a.- Como pode falar assim dos recrutas?

-Ora! Por que todos me olham assim quando falo isso?- colocou a mão na cintura indignada.- É errado dizer que eles são bonitos? O que tem de mal nisso?

-Nada, mas... Devemos mostrá-los a ter respeito, ou sei lá o que. Nem sei o motivo disso! Por que estamos falando disso?!

-Eu não sei, você que começou.- defendeu-se.

-Eu? Mas isso é uma calúnia!- apontou.- Eu falei da verdade!

-E qual verdade?!

-Aquela que eu não posso dizer!

-Ah então é a verdade, que eu sei, que você não sabe se é verdade, e não pode contar que é verdade?

-Isso... Espera aí... Que?

-Foi você que começou.- apontou. As duas realmente ficaram muito confusas. Suspiraram.

-Olha... Eu não sei o que dizer.- começou (S/n) novamente.- Eu soube de uma coisa que não sei se posso espalhar por aí, muito menos se é verdade. Mas a julgar pela pessoa que contou creio que não pode ser mentira.

-Essa pessoa nunca iria mentir?

-Nunca. Jamais.

-Nem mesmo pode dizer quem é esta pessoa?- viu-a negar.- Então foi por isso que você deixou eu e o Erenzinho esperando por você mais cedo? Estava... Trocando segredos por aí?

-Basicamente sim.- pensou um pouco antes de responder.- Confesso que ainda estou abalada pelo o que houve, por isso não fui vê-los. Mas o Eren foi bem no treino? Depois da luta com a Annie acho que ele ficou muito abalado.

-Sim.- suspirou.- Ele tem tido problemas algumas vezes, mas estamos avançando.- riu pelo nariz.- Ele perguntou se você não ia aparecer.

-Coitado... Imagino o que você fez com ele, mas o Capitão estava lá.

-Não estava não.- aproximou-se.- Acho que o Eren pensa que vou fazer algo com o corpo lindo de Titã dele, por isso sempre tem alguém acompanhando o experimento, mas como o Levi não ia estar lá hoje, eu pedi para você. Contudo, você não apareceu.- viu-a suspirar.

-Prometo que não irá acontecer novamente. Vou até me desculpar com ele.

-Faça isso mesmo.

-E o Capitão?- perguntou baixinho.- Ele disse alguma coisa?

-Hn? Como assim?- largou a colher de lado.

- Ele ficou furioso comigo hoje, porque eu me atrasei demais no treino do Eren... Mal sabe ele o que aconteceu.- fez beiço.- Não que ele se importe, mas eu só queria me explicar.

-Ora, você sabe como ele é.- tocou-lhe o ombro.- Ele não disse nada, e cá entre nós. Você é a única pessoa que ele não reclama.- os olhos de (S/n) se abriram de surpresa.- O que?

-Eu... Ele... Não reclama?

-Claro que não.- riu.- Não que a gente fique falando de você, mas quando o assunto brota, ele diz coisas boas.- (S/n) sorriu.- Parece que ele gosta mesmo de você.- (S/n) engasgou com a própria saliva, ficando corada. Hanji gargalhou.- Você tinha que ver sua cara. Mas é a verdade.

-Deixe disso.- passou uma mecha para atrás da orelha demonstrando constrangimento.

-Deixe você.- respondeu rapidamente.- Vocês se dão tão bem juntos, estão há anos lado a lado. E bem que... Já houve coisas.

-Ei, não é assunto para o momento.- desviou o olhar vendo a mesa na qual ele está sentado, olhando para a frente.- Bom... Não é como se estivéssemos juntos como você imagina.

-E não estão por que?- agora a morena conseguiu deixá-la sem fala.- Não precisa responder, não tem necessidade, e vejo que você nunca pensou nisso antes.- levantou-se.- Bem, foi ótimo termos essa conversa. E seja lá o que tenha acontecido, evitar não é a melhor forma de resolver.- (S/n) surpreendeu-se com o conselho, que somente acenou com a cabeça vendo-a ir embora.


...



...


Quem reparou em todo mundo -se é que alguém fez isso- percebeu que não só (S/n) estava com uma feição estranha, mas Erwin também demonstrava estar chateado com alguma coisa. Isso fora o que Levi deduziu ao notar que a hora do jantar está para acabar, e nesse meio tempo, Erwin manteve-se calado a todo momento. Não que ele fosse um poço de diálogos, como Hanji, mas não bastava só estar quieto, havia uma expressão muito enigmática, porém, ao mesmo tempo preocupada.

-Vai abrir essa boca de merda e falar o que aconteceu? Ou vai ficar calado como um morto?- Levi resolveu quebrar o silêncio na mesa, atraindo a atenção dos dois loiros presentes.

-Hn? Do que está falando?- respondeu-o sem dar muita atenção.

-Sei que aconteceu alguma coisa. Você é muito transparente Erwin.

-E eu também estou sentindo cheiro de que a situação não está boa.- Mike intrometeu-se.

-Sou é?- riu mesmo sem ter graça.- Até que você é bem observador.

-Não mude de assunto desembucha.

-São só problemas pessoais que parecem querer interferir no meu trabalho.- suspirou.- No momento, não sei o que decidir.

-Com tantas coisas acontecendo, é melhor que preste atenção no trabalho.- continuou o loiro.- Mesmo que você já saiba disso.

-Eu sei. Realmente não dá para esconder nada de vocês.- sorriu minimamente.

-E você não é o único Comandante.- apontou discretamente para (S/n) numa mesa ao longe. Os três observaram.- Ela está estranha desde o momento que eu entrei no refeitório.

-Vai ver ela está com fome pela punição que apliquei.- o Capitão deu ombros.

-Punição? O que ela fez?

-Isso não faz diferença Mike.- respondeu-o indiferente.- Já passou.

-Ah mas, de manhã ela parecia tão bem.

-Sim... Quando estava falando com você.- por fora o moreno não demonstrou nada, contudo, por dentro, o estômago revirou.

-Então foi por isso que ficou irritado e quis dar um corretivo nela?- afirmou um tanto nervoso.

-Não, não foi por isso. E mesmo que fosse, eu já disse que passou. E é um assunto meu.

-Ora, mas-

-Se vocês dois me derem licença, irei para o meu escritório.- por estarem se alfinetando, não notaram Erwin sentir-se pior do que já estava ao olhar para (S/n), inclusive quando a viu perdida em pensamentos, com o rosto totalmente distinto do que costuma ser.- Peço para que reunam os soldados amanhã de manhã antes do café lá fora, preciso dar um comunicado importante. Tenham uma boa noite.

-Igualmente.


.


.


.


.


.


Não só a verdade dói, mas muitos acontecimentos próximos irão fazer com que a dor piore, inclusive a verdade que virá com mais força.


Notas Finais


Eu sinto muitíssimo mesmo, nada justifica a demora sendo que vocês estão morrendo de vontade de ler, mas eu prometo que nunca irei abandonar a fanfic.
Espero que tenham gostado. Beijão 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...