História Freedun - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Abraxas Malfoy, Andromeda Tonks, Bellatrix Lestrange, Lucius Malfoy, Marlene Mckinnon, Rabastan Lestrange, Regulus Black, Remo Lupin, Rodolfo Lestrange, Sirius Black
Tags Andromeda Black, Edward Tonks, Gangue, Motoqueiros, Remus Lupin, Sirius Black, Ted Tonks, Tedromeda, Wolfstar
Visualizações 53
Palavras 2.044
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Free Bird


— Isso é realmente sério? - perguntou Andrômeda ao chegar no bar da família, arqueando a sobrancelha para a cena um tanto quanto diferente que avistou.  

Era madrugada e estavam todos reunidos cantando Kiss no meio do salão, com garrafas de bebidas ao lado, assim como o que restou de algumas mesas e cadeiras que acabaram se partindo no meio da briga. Bellatrix estava em um dos bancos do bar, com os braços em volta do pescoço de Rodolfo Lestrange. 

— Eu saio e vocês fazem festa? Não deveriam estar arrumando essa bagunça? - cruzou os braços em frente ao peito, com um sorriso preso nos lábios vermelhos.

— E você não deveria estar aproveitando o seu querido Edward, irmãzinha? - disse Bella, deixando um beijo no pescoço do homem que estava em sua frente.

— A mãe dele apareceu. - deu de ombros, ouvindo Rabastan rir. — O que foi troglodita? 

— Andy, todos nós sabemos que mesmo se a mãe dele não tivesse aparecido... não iria acontecer nada. Ele foge de você feito diabo foge da cruz. - riu, oferecendo um copo para a morena. 

— Idiota. - resmungou a garota, bebendo o líquido. — Ele vai acabar na minha, vocês todos vão ver só.  

Ela não esperava que todos caíssem na risada. 

[...] 

Ted estava irritado quando puxou seu braço do aperto de sua mãe, bufando alto quando caminhava com passos pesados até a porta de entrada. Retirou o casaco e o pendurou no cabideiro, chutando os sapatos dos pés em seguida. 

Sentia-se envergonhado pela atitude de sua mãe, sabia que a garota Black iria importuna-lo por aquele fato sempre que o visse e isso o fazia querer gritar de raiva. Bufou outra vez, piscando os olhos lentamente quando sentiu uma mão agarrar seu pulso. 

— Avisei para você não andar com aqueles arruaceiros, eu disse! E olhe onde você estava, na garupa de uma daquelas imundas! - esbravejou a mulher, o rosto vermelho de raiva contida. 

Edward suspirou, puxando novamente o braço para si. — Ela não é imunda e muito menos arruaceira. - pontuou, balançando a cabeça levemente. — Talvez a parte do arruaceira seja verdade mas isso não a torna menos humana que eu ou você, ela é uma pessoa muito legal e... isso é mentira, ela é irritante e eu não a suporto, mas ela me deu carona! Se ofereceu a me trazer, ela foi gentil.  

— Não me responda, Edward Tonks! - gritou a mulher, estreitando os olhos. — Não me diga o que pensar sobre essa garota e essa família de problemáticos! Estudei com os pais dela e todo o resto dessa gente, eles não são gentis e muito menos bons, você sabe as brigas que esse tipo de pessoa arruma e eu não quero você no meio delas, seu insolente. Vá para o seu quarto! 

O garoto revirou os olhos quando virou-se de costas para a mulher,  rindo internamente ao pensar que já esteve no meio de uma dessas brigas e que inclusive, aconteceu antes de ela pega-lo no flagra. 

Provavelmente Bellatrix já havia levado Remus para casa e isso o tranquilizou. Só esperava que tudo estivesse bem no bar e que ninguém estivesse muito machucado. 

[...]

Os raios de sol batiam repetidamente no rosto sonolento de Remus, fazendo com que o rapaz apertasse os olhos fechados. Já era manhã do dia seguinte, o que o fez pular da cama de forma assustada. 

O despertador não havia tocado e estava atrasado para o trabalho, duas horas atrasado. 

— Merda, o senhor Flitwick vai me matar. - resmungava para si mesmo enquanto corria pelo pequeno apartamento em que morava sozinho, buscando o uniforme e preparando um café preto. 

Conseguiu se arrumar em um total de quinze minutos e considerou isso uma vitória, só precisava convencer seu chefe de que não aconteceria novamente e tudo estaria certo. Pelo menos era isso que ele estava pensando. 

— Demitido? O senhor está me demitindo? - perguntou Lupin, nervosamente. O homem grisalho estava em frente ao corpo do castanho, de braços cruzados e com uma expressão que variava de pena até dúvida. — Mas senhor...

— Sem mais, senhor Lupin. - cortou Flitwick, suspirando. — Sinto muito por isso rapaz, entenda que se fosse somente por mim... você continuaria conosco, é claro. O problema é que alguns pais e até mesmo minha esposa não gostam das suas companhias, Remus e acham inapropriado você trabalhar na biblioteca, se é que me entende.

— Espera, as minhas o que? - perguntou, confuso.

— Os jovens com quem você anda e coincidentemente seu namorado. Escute, eu sei que isso não influencia em quem você é e te conheço desde que era um jovenzinho de três anos mas, por mais que goste de você, preciso prezar por meu estabelecimento. - disse por fim, colocando uma de suas mãos enrugadas sobre o ombro do castanho. — Sinto muito, mesmo. 

[...]

Bellatrix estava sentada na calçada enquanto tragava um cigarro e observava o céu. Olhou para o relógio prateado que estava preso em seu pulso e então para frente, estranhando o fato de Remus Lupin estar caminhando cabisbaixo pela rua. Ela sabia que o rapaz deveria estar na biblioteca onde trabalhava, então o chamou, sorrindo. 

— Ei, garotão. - gritou, fazendo com que o castanho levantasse o olhar que antes era direcionado ao chão. — Perdido? 

 Ela sorriu mais quando o garoto riu, caminhando até onde ela estava. 

— Demitido, talvez. - brincou, rindo fraco. 

— Péssimo senso de humor, biscoito. - cutucou-o com o braço quando levantou, passando o braço pelos ombros dele. — O que aconteceu?

— Acabei atrasado, Flitwick me demitiu e agora não sei como vou manter a minha casa. - deu de ombros, mordendo o lábio. — Sua criatividade com apelidos me encanta, Bella. 

— Eu sei. - disse a morena, rindo. — Podemos dar um jeito nisso, sorte a sua que trouxe um capacete extra.

— Algo que me diz que esse capacete na verdade é do Rabastan. - comentou Lupin, sorrindo. — Já que ele está acenando do outro lado da rua. 

— Ele consegue dirigir sem, então sem problemas. - brincou, apagando o cigarro antes de subir na motocicleta. — Vamos lá, garotão, temos um caminho para seguir. 

 [...]

Sirius sentia lágrimas brotarem em seus olhos ao ouvir Andrômeda provocar Narcisa, que apenas bufava irritada e batia o pé no chão. Os três estavam sentados na frente do The Road, esperando a mais velha das Black aparecer com as cervejas que havia ido buscar. 

— O quão estranho é a cerveja do nosso bar ter acabado? - perguntou Sirius, amarrando os fios de cabelo com um elástico. — É a porra de um bar. 

— Não temos estoque ilimitado, idiota. - comentou Narcisa, franzindo o nariz levemente. — Além do mais nós... - sentiu necessidade de interromper o diálogo quando um carro preto estacionou mais a frente, ela conhecia bem aquele carro e  o dono dele.

— Parece que sua princesa veio te ver, Cissy. - disse Andrômeda, provocando a irmã. — Devo procurar o tapete vermelho? 

— Calada. - resmungou a loira, estreitando os olhos. — O que faz aqui?

— É assim que me trata, Cissy querida? - respondeu Lucius Malfoy, sorrindo de lado ao se aproximar. — Andy, Sirius. - acenou com a cabeça, recebendo risos em resposta.

— Andy e eu vamos deixa-los a sós mas por favor, não transem aqui fora. - provocou, recebendo um olhar mortal de sua prima mais nova. — Guarde esse olhar, priminha. 

Ela bufou quando os outros dois a deixaram sozinha com Malfoy, que tinha as mãos nos bolsos do colete preto e os cabelos lisos presos em uma trança apertada. 

— Como foi seu jantar de negócios, Lucius? Se divertiu? - sorriu falsamente doce, puxando uma respiração profunda. — Certamente que sim, com alguma mulher que seja, como foi que sua mãe disse mesmo? Ah sim, que seja da sua altura. 

Lucius mordeu o inferior da bochecha, procurando os olhos de Narcisa com os seus. 

— Não me diverti sozinho e com ninguém, Cissy. A única que gostaria de ter comigo era você. É você. - explicou, sentindo necessidade de se aproximar dela e sentir seu aroma de lavanda fresca. — Eu te amo e vou lutar por você, achei que isso estivesse claro e fora de contestação. 

— Está. - ela suspirou, cedendo aos poucos. — Mas eu não gosto de como sua mãe faz parecer. 

— Sei disso, Narcisa. Prometo que as coisas vão ficar menos complicadas e se você for pensar, meu pai gosta de você. - brincou, puxando a garota para seus braços. — É uma coisa boa o prefeito da cidade gostar da namorada do filho dele. 

— Seu velho é legal, Luc. - sorriu, beijando os lábios rosados dele.   

Ele aprofundou o beijo quando ela arranhou sua nuca, empurrando o corpo pequeno até tê-lo encostado na parede do bar. 

— Sirius deveria ter dito para eles não transarem aqui na frente. - comentou uma voz que os fez se separar. — Oi rapunzel. 

— Urgh, Bella. - resmungou a loira, encarando a irmã que descia despreocupadamente de sua moto. — Remus, o que faz aqui?

— É uma boa pergunta. Hey Lucius. - acenou o garoto, recebendo um sorriso do maior. — Sirius está lá dentro?

— Sim, está. - respondeu o loiro, beijando a testa da garota antes de agarrar-lhe pela mão. — Vejo você depois, querida. 

[...]  

Estavam todos reunidos em volta de Remus, que arqueava a sobrancelha enquanto bebia seu chá preto. Bellatrix havia lhes dito sobre o ocorrido e desde então os Black e alguns amigos estavam tentando entender o motivo de Lupin ter sido demitido, mas o rapaz se recusava a contar. 

— Ele não vai dizer, Six. - concluiu Rodolfo, que piscou para o castanho. — E acho que não é esse o problema. 

— Qual seria então? Meu namorado foi demitido. - disse Sirius, colocando as mãos na cintura em pose defensiva. — Como ele vai se manter? 

— Esse é o problema, seu burro. - respondeu Andrômeda, revirando os olhos carregados de máscara de cílios. — Era sobre isso que Rod se referia, como Remus vai se manter e pagar o apartamento se não vai mais receber dinheiro. 

— Na verdade.. - chamou a atenção de todos para si, o que o fez rir. — Pretendo procurar um novo emprego, espero que me contratem mesmo que... - parou de falar, voltando a beber seu chá. 

— Vocês são lerdos. - disse Bellatrix, ouvindo um "o que?" vindo de Sirius. — Podemos fazê-lo trabalhar aqui e morar conosco até ele conseguir se estabelecer. 

— Não acho que Remus vá gostar de trabalhar aqui mas Marlene precisa de companhia no balcão, pelo menos até você conseguir arrumar suas coisas. - sorriu Andrômeda, arqueando a sobrancelha. — E também será ótimo já que seu amigo vai aparecer mais vezes. 

Todos riram, fazendo ela rir também.

— Já falei que ele vai acabar na minha. - se gabou, jogando a jaqueta de couro na cara de Rabastan, que ainda ria. — Brutamontes.

— Iludida. - respondeu Lestrange, com um sorriso preso nos lábios.   

[...]

Era terça feira, o que significava que Ted estava sozinho em casa já que sua mãe estava na reunião do clube de segurança que sua vizinhança organizava toda semana. 

O rapaz sabia que a mãe não voltaria tão cedo e ficar só geralmente o deixava entediado já que os programas da tv eram todos chatos. Não restava outra solução a não ser deitar cedo e tentar descansar a cabeça. Certo?

Errado.

O ronco de motores e aceleradas foi tudo que o rapaz ouviu até ter uma batida em sua porta da frente, que o fez sobressaltar-se antes de conseguir pisar no segundo degrau da escadaria que dava acesso ao andar de cima. Ouviu algumas vozes e novamente alguém bateu na porta, chamando-o do lado de fora. 

— Já vai. - gritou de volta, agarrando a primeira coisa que achou em seu alcance em caso de precisar se defender. 

Girou a maçaneta após destrancar a fechadura e preparou-se para correr, mas tudo que avistou foi seu amigo na garupa de Sirius Black e uma Andrômeda sorridente, com o punho pronto para outra batida na porta. 

— Olá docinho, o que acha de dar uma volta? - perguntou a garota, mordendo os lábios vermelho cereja quando Ted balançou a cabeça, olhando indignado para Lupin.

— É por uma boa causa, eu juro. - se defendeu, rindo. 

— Não vou morder você, meu amor. - piscou um dos olhos, sorrindo internamente quando um rubor se fez presente no rosto de Tonks. — A não ser que você queira.    



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...