História Freier Fall- Um longo caminho a percorrer - Capítulo 31


Escrita por: e Valmaria001

Postado
Categorias Queda Livre (Freier Fall)
Personagens Bettina Bischoff, Britt Rebmann, Claudia Richter, Gregor Limpinski, Kay Engel, Marc Borgmann, Personagens Originais
Tags Adaptação, Alemanha, Continuação, Filme, Free Fall, Freier Fall, Gay, Hanno Koffler, Kay, Kay & Marc, Kay Angel, Marc, Marc & Kay, Marc Borgmann, Max Riemelt, Policial, Queda, Romance, Sense8
Visualizações 24
Palavras 1.095
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, LGBT, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 31 - Confronto


Fanfic / Fanfiction Freier Fall- Um longo caminho a percorrer - Capítulo 31 - Confronto

Kay / Marc

 

"Olá, muito prazer, eu sou Kay” - disse, estendendo a mão para a mulher.

"Olá! Katherina... " -respondeu com um sorriso enquanto respondia ao aperto de mão dele. "Você é amigo de Marc?” -perguntou ainda sorrindo.

"Pode-se dizer que sim... somos bons amigos, não é, Marc?" Kay desafiou, olhando para ele.

"Trabalhamos juntos, Kay está na Unidade de Controle de Distúrbios" -afirmou em resposta. "O que diabos está acontecendo com ele?" -se perguntava sustentando o olhar fixamente em Kay.

"Marc é um pouco reservado, a verdade é que nos conhecemos há algum tempo; foi em Düsseldorf, onde vivemos muitas coisas juntos. Certo Marc?”-continuou Kay reprimindo a raiva.

Katherina podia sentir a tensão entre os dois homens e nesse momento Alexander os interrompeu: "Ei, pessoal, ouçam! Vamos brindar por Marc..." -dizendo isso, ele levantou o seu copo. "Prost", gritaram juntos.

Aproveitando a situação e vendo que Alexander e Katherina se aproximavam, Marc lhes disse: "Nos deem um minuto, por favor" – dizendo isso olhou para Kay e fez sinal para que o seguisse, enquanto se dirigia para a sala onde haviam estado alguns momentos antes; Deu um empurrão na porta e a fechou atrás deles.

"Posso saber o que você está fazendo?" - Marc o encarava friamente.

“A pergunta é o que você está fazendo com ela?” -ele o desafiou em resposta. "Por acaso vocês vão transar?" – prosseguiu Kay empurrando-o contra a parede.

Marc irritado, gritou: "Não tenho por que seguir com esse jogo, nem tampouco lhe dar explicações; o que tivemos terminou antes mesmo de começar, você decidiu isso quando ficou com ele ".

E continuou: "Se você não quer que as coisas terminem muito pior entre nós dois, eu peço que pare com seja lá o que for que esteja fazendo..." - E sem esperar resposta saiu batendo a porta e deixando Kay impotente no meio da sala.

Depois desse confronto ele não conseguiu ficar mais do que uma hora na festa, observando Marc e aquela mulher rindo e flertando abertamente. Então, se despediu de Alexander e foi embora.

Kay entrou em seu Audi e se dirigiu ao Planegg. Sem limite de velocidade na autopista e em um carro como esse, ultrapassava os 160 km por hora facilmente; nada mais importava, se sentia tão vazio e ferido que só queria parar com aquele sentimento. Não sabia por que razão, mas precisava ver Jörg.

Vinte minutos depois, estava em frente à sua entrada torcendo para encontrá-lo em casa. Depois de alguns minutos, ouviu passos se aproximando da porta.

“Kay, você está bem?” -Jörg lhe disse enquanto o observava pálido e com um semblante derrotado.

"Não, a verdade é que não. Posso entrar?” -respondeu.

"Não pergunte, cara, entre!"

Depois de contar tudo o que aconteceu Kay se sentiu um pouco mais tranquilo. "Já não sei mais o que fazer, parece que, definitivamente, tudo está terminado..." - concluiu.

Jörg o olhava e uma ideia fixa começou a se formar em sua mente. "Vou fazer" -disse a si mesmo. Odiava ver Kay nesse estado.

"Em que está pensando?" - Kay perguntou.

Balançando a cabeça, ele disse: "Nada, amanhã será outro dia... vamos, você quer sair ou quer fazer outra coisa?"

Passaram o resto da noite assistindo filmes enquanto Jörg tentava animá-lo. O que foi quase impossível.

No domingo de manhã saíram para tomar café da manhã e depois cada um voltou para sua casa.

Na segunda-feira ao meio-dia, Jörg estava na delegacia procurando por Marc.

Sentado em frente ao computador, Marc trabalhava em um relatório que teria que apresentar sobre uma célula criminosa. De repente, bateram em sua porta e a sua assistente informou que havia um homem que queria lhe falar.

"Peça para entrar, por favor" - ele respondeu. Alguns segundos depois, Jörg entrou em seu escritório.

"Você? O que está fazendo aqui?" –perguntou surpreendido.

"Decidi vir falar contigo porque eu me importo com Kay" –ele respondeu.

"E o que eu tenho a ver com isso?". "Se você não sabe ainda, ele e eu não temos mais nada... então podem continuar juntos sem o risco de que alguém possa incomodar vocês..." - ele soltou.

"Você é um idiota..."- Jörg retrucou olhando para ele fixamente.

"Cuidado com suas palavras... não acho que este seja o melhor lugar para você me insultar assim". "Aqui ou lá fora eu posso voltar a te colocar no seu lugar de novo." -ele ameaçou.

"Só quero que você saiba, que Kay te ama e que ele está muito mal". "Se você se importa com ele faça algo sobre isso porque senão, eu te garanto que farei todo o possível para que ele me dê uma oportunidade e te esqueça definitivamente." Dizendo isso, ele se virou e saiu.

Marc ficou paralisado sem saber o que pensar. Talvez ele tenha cometido um erro.

Recostado em sua cadeira, Marc pensava sobre o rumo que sua vida estava tomando. Nunca antes tinha estado tão confuso como agora. Por um lado, as coisas com Katherina não avançaram, ela percebeu que algo estava acontecendo entre ele e Kay.

"Marc, eu realmente gosto muito de você; mas depois do que aconteceu na sua festa, percebi que há coisas inacabadas entre você e Kay; É evidente que há um sentimento muito forte envolvido e acho que você deve resolvê-lo antes de querer avançar em outro relacionamento. " -enquanto lhe dizia isso, ela o olhava compreensivamente. "Se você quiser, podemos continuar saindo juntos, a verdade é que me divirto muito contigo, além disso é sempre bom sair com alguém tão bonito". -ela disse rindo.

Por outro lado, não deixava de pensar no encontro que teve com Jörg; já que, pelo que ele disse, Kay e ele não estavam juntos; no entanto -de acordo com suas palavras- Jörg tinha toda a intenção de tirar proveito dessa separação para conquistá-lo.

Kay, por sua vez, depois do que aconteceu na festa não voltou a procurá-lo, mesmo quando se cruzaram algumas vezes no trabalho nem sequer olhou para ele.

Marc se sentia entre a cruz e a espada.

Enquanto pensava em tudo isso, não deixava de acariciar a pulseira de couro que Kay lhe dera em seu aniversário. Não sabia por que, mas não queria tirá-la, era uma maneira de senti-lo próximo. De repente, sentiu uma dor nos testículos que o recordou que, desde a última vez em que fizera amor com Kay, ele mal se tocara; a realidade era que ele não tinha cabeça para isso." -aceitou com relutância.

Decidiu se levantar e trocar de roupa, calçou seu tênis e foi correr. Essa era a melhor fuga que encontrou para atenuar a dor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...