História Frenesi - Capítulo 14


Escrita por: e LaisCarolLara


Notas do Autor


Olaaaaaaaa amores..... estamos de volta com mais um capítulo para vocês, escrito com muito amor e carinho, adorei de verdade os feedbacks e as teorias de vocês, vamos responder logo logo, prometo.

Boa leitura ❤❤🎉🎉

Capítulo 14 - A Nossa Amizade


Fanfic / Fanfiction Frenesi - Capítulo 14 - A Nossa Amizade

- Foi muito legal da parte da Kara e da Lena ficarem com a Ruby essa noite, nem sei como agradecer. — Sam sorri para Alex enquanto as duas caminhavam pelas ruas de National City

Ambas tinham jantado no restaurante preferido da Alex, o que se acabou sendo da Sam também, ambas não conversaram sobre outra coisa, além dos feitos da Ruby, sobre a vida, e claro, sobre trabalho. As duas eram mulheres fortes, independentes, sensíveis e estavam perdidamente apaixonadas uma na outra, mas não admitiam.

- É bom elas já irem treinando. — Alex fala sem pensar e morde o lábio — Porque.. bom, do jeito que elas vão, logo terão um bando de filhos. — Ela ri — Sam, eu preciso te dizer uma coisa, não sei muito bem como, quando, ou...sei lá..

- Alex — Sam para no meio da calçada e suspira, encara seus pés tomando toda a coragem do mundo.


Sam volta a a olhar para Alex e a pega sorrindo feito boba a observando, aquele sorriso que a derretia por dentro, que a fazia sentir, como se tudo na sua vida tivesse sentido novamente, Alex a fazia se sentir segura, inteira, completa. Quando finalmente toma coragem para construir uma frase, ela sente os lábios quentes da outra nos seus, de início, o susto, mas logo o seu coração foi se acalmando, Sam coloca as mãos em seu pescoço e Alex em sua cintura, o beijo era lento, como ambas nunca tiveram experimentado antes, era calmo, era complemento encaixado e correto, quando o ar se fez necessário elas se olharam novamente e caíram no riso.


- Uau — Alex diz pegando a sua mão e dando um beijo na mesma — O que isso significa? — Ela pergunta.

- Bom, eu espero que signifique que sentimos o mesmo uma pela outra — Sam diz — Eu ... Eu estou apaixonada por você Alex, sempre estive... desde..

- Desde do dia que coloquei meus olhos em você. — Alex completa — No dia em que te salvei, eu... parecia que você me enxergou, minha alma negra e danificada. — Ela ri

- Você é a pessoa mais pura e linda que já conheci, eu vejo o jeito que você olha para Ruby, Alex, eu nunca vi ninguém olhar para ela dessa maneira, além de mim claro, com tanto amor maternal.. — Ela sorri — E claro que ela é louca você.

- E eu sou louca por vocês duas. — Ela puxa a morena pela cintura e beija seus lábios várias e várias vezes — Vamos lá buscar a pirralha?

- Sim! — Ambas entrelaçam as mãos uma na outra e seguem para ao apartamento da Kara.






- Ruby finalmente dormiu. — Sam volta para sala, pega sua taça de vinho e se senta ao lado da Alex. — Ela está ansiosa para as férias, nunca vi mais animação, o engraçado, é que a ansiedade é para passar mais tempo com a Alex. — Ela zomba.

- Você não pode culpa-la não é? — Ela ri

- Quem não fica louca por uma Danvers que atire a primeira pedra — Kara ri e Lena estreita os olhos para ela, mas acaba rindo também — Confesso que eu estava com saudade dos nossos momentos assim.

- Sim, é tão bom estar com vocês meninas. — Sam sorri — É maravilhoso vê -las assim, tão bem — Ela fala com Lena e Kara — Que bom que vocês se acertam e que está tudo em paz.

- Bom... — Lena olha para Alex — Temos algo para falar com você, espero que você possa manter a mente aberta, de início pode ser um choque, mas eu prometo que está tudo bem, e dado ao nosso histórico, não tem nada com o que se preocupar.

- Kara é a Supergirl. — Alex solta.

- Alex! — Lena e Kara falam ao mesmo tempo.

- Que? — Ela suspira — Você iam contar toda uma história que pode muito bem ser resumida. — Ela dá de ombros.

- Achei que estava com medo de contar! — Kara joga uma almofada nela

- E estava, estou, mas ... É melhor tirar logo o cascão da ferida. — Ela olha para Sam que estava de olhos bem arregalados ouvindo aquilo tudo.

- Espera um pouco. — Ela bebe o resto do vinho. — Kara é a Supergirl? — Todas acenam que sim — Então.. Todo esse drama que rolou durante esses meses foi por causa disso? — Elas acenam novamente.

- Sam, para ser justa, eu também estou sabendo a praticamente uns meses também. — Lena resmunga — E bom, tudo que aconteceu, já foi superado e deixado para trás, Alex pode te contar os detalhes depois.

- Você entende que eu tinha que manter minha identidade em sigilo? Eu sinto muito não ter contado antes, mas agora que Lena sabe, e que você está com a Alex, eu não posso mais manter esse segredo de você, quero que possamos ser nós mesmas. — Kara sorri.

- Eu entendo a necessidade de manter isso em segredo Kara. — Sam sorri — E sua gravidez Lena? Também é segredo?


Lena que estava tomando um gole de suco, acaba cuspindo tudo ao ouvir a amiga falar, Alex se encosta no sofá tendo um ataque de riso e Kara, aperta a taça de vinho que acaba quebrando em sua mão.

- Por Rao! — A loira se levanta para limpar a bagunça.

- Como? Como você sabe disso? — Lena pergunta boquiaberta.

- Ah, por favor Lena, eu já estive grávida. — Ela ri — Sua mudança temperamental, seu corpo já está dando sinais de mudanças, você se irritando mais fácil que o normal, a tonelada de donuts que você come todo dia, e eu ouvi você chorando três dias seguidos, e você finalmente largou o wisky. — Ela ri — Os hormônios ficam uma loucura não é?

- Nem me fale — Ela bufa — O pinguito não dá sossego.

- Pinguito? — Sam ri novamente. — Como fizeram? Escolheram um doador?

- Essa é a melhor parte. — Alex se ajeita ao seu lado, e Kara volta para o lado da namorada.

- O bebê é biologicamente meu e da Lena. — Kara diz — Lena descobriu como fazer, em Krypton os bebês eram gerados assim, surgiu uma oportunidade e ela colocou em prática.

- O mérito é todo seu amor. — Lena diz apaixonada. — Eu não sabia que iria funcionar, foi uma grande surpresa quando descobrimos.

- Puta que pariu! — Sam ri — Eu vou ser tia! Nem estou acreditando, tia Sam! — Ela de levanta, muda a Alex de lugar e sentam entre as meninas — Eu estou extremamente feliz por vocês duas.

- É bom que esteja, pois as novidades não acabaram — Alex diz sorrindo.

- Lena e eu iremos nos casar. — Kara diz sorrindo .

- E nós, queremos que vocês duas sejam madrinhas, do nosso casamento e também, do pinguito. — Lena completa — O que me dizem?


Dessa vez, Alex foi pega de surpresa com o pedido da irmã e da melhor amiga, ela só pode abraça-las e chorar de emoção, e com a Sam, não foi diferente, eram tantas novidades em tão poucos minutos, mas ela se sentia estranhamente feliz e finalmente completa, nada confusa, ela tinha amigos maravilhosos, uma mulher linda ao seu lado, uma verdadeira família, não estava mais sozinha.

- Claro que aceitamos! — Elas gritam rindo.


Nenhuma delas estavam mais sozinhas, tinham uma as outras, sem mais segredos, sem mais complicações.





Lena acordou naquela manhã sem a Kara do seu lado, a janela estava aberta, sinal que Kara tinha saido para alguma emergência, o sol refletia no corpo da morena a aquecendo, e a brisa da manhã realmente a fez bem. Era um daqueles dias, em que seu humor não estava dos melhores, a CEO se levanta e sente sua barriga embrulhar, como todas as manhãs sem a Kara, Lena corre para o banheiro e coloca para foto tudo que tinha comido e o que não tinha também, era exaustivo. Ela toca o colar que a sogra havia lhe dado em Argo City e bufa


- Poderia ser a prova de enjoos matinais também.. — Ela murmura e suspira.


Aproveita o ensejo e trata de fazer sua higiene matinal, toma um banho, escova os dentes, se veste impecavelmente como sempre e vai preparar o café. Desde da volta de Argo City, Kara insistiu que Lena ficasse em seu apartamento, onde poderia protege-la melhor, claro que Lena nem pensou, ela sentia a necessidade de estar com a loira o tempo todo, era incrível como ela só passava mal, quando Kara não acordava ao seu lado, como se o pinguito soubesse que as mães não estavam juntas. Aquilo a fez sorrir, saber que existia uma vida dentro dela, que iria depender dela por muito tempo da sua vida, a aterrorizava, mas a acalentava a alma.

- Teremos longos meses pela frente pinguito. — Ela diz acariciando a barriga ainda inexistente — Com fome? Claro que sim...


Lena começa a conversar com o bebê, nem se dando conta que uma super heroína havia chegado e a observava apaixonada. Os olhos da Kara brilhavam a cada palavra doce que a outra falava. Era uma estranha sensação de dejavu, ver aquela cena a fez lembrar do seu mundo particular, aquilo aqueceu seu coração, Kara podia ter tudo, ela podia ter o amor da sua vida, podia ter seus empregos, podia ser Kara, a humana, repórter e podia sim ser a kryptoriana que protegia a cidade, ela estava no auge da sua felicidade.

- Bom dia para minhas pessoas preferidas. — Ela diz se aproximando, beija os lábios da morena e se abaixa para beijar a sua barriga — Como acordamos hoje hein?

- Com saudades e vômitos! — Lena diz com a boca cheia e coloca uma torrada na boca da noiva — Aonde foi tão cedo?

- Droga, não deveria ter deixado você sozinha, achei que conseguiria voltar antes de acordar. — Ela faz bico — Sinto muito por ter passado mal. Está bem agora?

- Estou sim amor, não se preocupe, sabe que é normal, só falta mais dois meses e os enjoos passarão. — Ela suspira — Mas bem, não me disse aonde foi...

- Oh sim, por Rao! — Ela bate na testa e ri — Alex me pediu para ir a DEO, teve reunião, muito chata na verdade, minha irmã sabe ser chata. — Ela franze a testa.

- Alex é extramente inteligente, a DEO tem sorte de tê-la. — A morena sorri — Bom, eu tenho que ir meu amor, tenho várias coisas para fazer na L- Corp.

- Lena, promete que vai me ligar se não estiver bem?

- Eu estou ótima.. — Ela aponta para o amuleto — Eu nunca fui de acreditar nesse tipo de coisa, mas tenho que confessar, vou usar esse amuleto até depois do pinguito nascer. — Ela ri — Não se preocupe comigo Kara, é só mais um dia de trabalho.

- Você não precisa ir! — Ela resmunga — A Sam está lá tomando conta de tudo.

- A empresa é minha, não posso deixar de ir, só porque estou grávida. — Ela ri recolhendo suas coisas.

- Eu sei — Kara cruza os braços e se senta no sofá — Irei para Catco, trabalhar em um artigo.

- Faça isso querida. — Ela olha para outra, se aproxima, se inclina e a beija — Nos vemos mais tarde?

- Com toda certeza Senhorita Luthor.


Ambas trocam mais alguns beijos, e após vários minutos de despedida, Lena segue seu caminho para L Corp.





- Lena! Que flores lindas, foi a Kara quem mandou?


Sam e Lena estavam sentadas confortavelmente na mesa de centro do escritório, ambas analisaram alguns contratos e projetos em andamento da empresa e também aproveitaram para almoçar e falar sobre suas respectivas Danvers, era incrível como ambas estavam tão apaixonadas e bobas. Claro que Sam estava sendo um anjo da guarda em relação a Lena com a gravidez, dando dicas e confortando a amiga, uma uma enciclopédia maternal, era como a Ruby a chamava.

Não.. não foi a Kara. — Lena olha para o jarro em cima da sua mesa, só então prestando a atenção nas flores. — Tem um envelope.


Ela se levanta e caminha até a sua mesa, as flores a remetia uma memória que ela não estava conseguindo trazer a tona naquele momento, mas existia uma familiaridade, ela pega o cartão e ao abri, ouve-se um clique, e logo depois um zumbido terrível em seus ouvidos.

- Lena? — Sam levanta as pressas quando vê a amiga gritar e a tapar seus ouvidos.


Confusa por não estar ouvindo nada, Sam corre para socorre-la, sem saber qual era mesmo o problema, meio segundo depois uma Kara atordoada aparece no escritório, ela fica momentaneamente tonta, afetada pelo zumbido também, mas logo se concentra e acha de onde vinha o barulho, com a visão de raio laser ela destrói o cartão que estava na mesa, Lena para de gritar, as lágrimas escorriam pelo seu rosto, ela olha para Kara e perde as forças, desmaiando.

- Lena! — Kara é mais rápida, e a pega no ar no exato momento.

- Mas o que foi que aconteceu aqui? — Sam questiona a Kara ainda confusa e vai até a mesa ver se havia sobrado alguma coisa do cartão, mas o mesmo havia virado cinzas.

- Quem mandou isso? — Ela pergunta a Sam

- Estava na mesa dela a algum tempo.

- Sam, você pode.... cuidar de tudo aqui? Vou levá-la para Alex.

- Claro. Claro. Vá. Me dê notícias. — Ela diz, mas Kara já havia saído voando.


-Alex! Alex! — Kara pousa na DEO com uma Lena desacordada em seus braços, a mesma ofegante pelo desespero praticamente corre com a morena até a ala médica onde a irmã rapidamente a encontra.

- O que aconteceu? — Alex rapidamente checa os sinais vitais da Lena e puxa o ultrassom para checar o do bebê. — Ligue as lâmpadas Kara.


Kara rapidamente o faz e se senta ao lado da noiva apreensiva.

- Conte-me o que aconteceu.

- Alguém está tentando matar o meu bebê Alex, e a Lena também. — A loira fala com lágrimas nos olhos — Estão tentando machucar a minha família. — Ela suspira — Lena recebeu flores, e o cartão, era um daqueles dispositivos com ondas sonoras que machucam os krypitorianos, quem enviou, sabe! Sabe que Lena está grávida, sabe que o bebê é meu, e está tentando...

- Você acha que...

- É o Lex.. — Lena sussurra e tenta se sentar — Eu sei que ele.

- Lex Luthor está agindo dessa maneira? Não é do feitio dele. — Alex comenta confirmando que estava tudo bem com o bebê — Pinguito está bem.

- São testes. — Lena diz e suspira aliviada acariciando a barriga — Ele está testando o bebê, a gravidez, vendo até que ponto o bebê é kryptoriano, se também é humano, ele não está tentando matar o bebê Kara. — Ela suspira. — Afinal, essa criança é Luthor também.

- Por mais doente que ele seja, não acredito que ele queira matar a Lena e o bebê também.

- E o que diabos ele quer? — Kara soca a mesa com força fazendo a mesma ficar deformada.

- Nos torturar, principalmente aprender quão poderoso o bebê pode ser, mas quer nos torturar no processo. Ele não vai nos deixar em paz. — Lena diz encarando um ponto qualquer.


Kara estava perdida em pensamentos ouvindo a sua noiva falar, ela não podia permitir que Lena sofresse novamente, principalmente pela loucura latente do seu irmão, ela tinha que encontrá-lo, tinha que colocar um fim naquilo de uma vez por todas.

- Alex, cuida da Lena. — Ela diz.

- Kara, a onde você pensa que vai? — Lena pergunta preocupada.

- Eu vou encontrar o Lex, vou terminar isso de uma vez por todas


Ela diz com raiva, não dá a chance de Lena e Alex a impedi-la e sai rápido da DEO , como sempre fazia.


- Alex, você precisa para-la! Kara vai acabar se machucando, ou melhor, fazendo alguma coisa de que vai se arrepender mais tarde, por favor, vai atrás dela.

- Não posso te deixar só Lena, Kara vai me matar.. — Alex bufa cruzando os braços.

- Eu prometo que não vou sair da DEO, mas traga a sua irmã de volta. Por favor. — Lena choraminga.

- Tudo bem, não saia daqui Lena, Lex ainda está perto. — Ela diz para cunhada e sai rápido para poder alcançar a irmã.


No exato momento em que se vê sozinha, o celular da Lena começa a apitar, era uma mensagem, ela tira do bolso e engole em seco ao ler a mensagem.

" Até a próxima, irmãzinha"




Mais tarde naquele mesmo dia, Kara estava sentada vendo Lena dormir na cama, ainda na DEO, sua tentativa falha de encontrar o Lex, a frustrou, e depois de tanto a Alex insistir, ela voltou para perto da noiva.

- Eu deveria levá-la para casa. — Ela diz para irmã que também estava ali presente.

- Deixe- a dormir mais um pouco. — Alex diz — Você está bem?

- Na verdade não. — Kara encara a irmã — Não sou capaz de protege-la Alex, se por algum motivo eu não chegasse a tempo, se por algum motivo, as ondas machucassem o pinguito? Ambos estão correndo perigo.

- Você ouviu o que a Lena falou? Ele não quer machucar ..

- O que ele sabe Alex? Ele pode ser um gênio, mas é um burro. — Ela faz uma careta — A mais avançada fonte de informação de Krypton não tem a menor ideia do que o pinguito pode fazer ou ser e Lex Luthor acha que tem? Eu espero esse tipo de descoberta da Lena, mas dele? Ele é cego, e está se sentindo traído e ameaçado, Lena ama o irmão, apesar de tudo, e eu não a culpo.

- Ela te ama bem mais, ela atirou nele por você. — Alex pontua.

- Eu sei que ela nunca deixaria ele me machucar, ou a você, ou ao nosso bebê, mas eu conheço a Lena, ela o ama, e no fundo ela acha que ele nunca faria nenhuma atrocidade, afinal esse bebê também é família. Mas eu não posso me dar esse luxo Alex, Lex Luthor é um perigo e eu vou caça-o até o último dia da minha longa vida, eu não ligo, quando ele vier, estarei pronta, ninguém vai mexer com a minha família. 

Ninguém. 



Notas Finais


Ahhhhhhhhhhh Kara......

Rendida demais nessas duas.

Espero vocês lá embaixo com os comentários.
Até a próxima amores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...