História Frenesí - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Cindy Kimberly, Edinson Cavani
Personagens Edinson Cavani
Tags Cavani, França, Psg
Visualizações 6
Palavras 2.458
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Juego


Cavani pousou seus olhos sobre a morena que se encontrava ao lado de Marquinhos, erguendo em seguida uma das mãos para que a cumprimentasse como dizia os bons e velhos costumes e recebendo de volta um meio sorriso, fazendo-o franzir o cenho e voltar sua mão para ficar rente ao seu corpo. Porém não houve tempo para que acontecesse outras interações, pois o brasileiro companheiro de time logo o puxou para que se juntassem aos demais do grupo, explicando rapidamente o que deveria ser feito ali. Ainda curioso com a falta de jeito da mais nova, olhou para trás, podendo observá-la ainda na mesma posição como se estivesse paralisada.

Aria não sabia como estava conseguindo manter a sua sanidade intacta enquanto inspirava o ar em volta e sentia o aroma amadeirado de Edinson invadir suas narinas. E olha que ele já estava a uma distância consideravelmente saudável para seu olfato. Com certa dificuldade, precisou se recompor, e foi até a mesa em que estavam as autorizações, analisando o nome de Cavani na primeira folha que se encontrava presa na prancheta e precisando mordendo o lábio inferior com força, tentando assim buscar um alívio para as reações que estavam fervilhando dentro de seu corpo.

Todos eles eram chamativos, bonitos. Mas por que diabos só ele a deixou tão desconcertada assim com tão pouco?

Como conseguiu dar somente um sorriso murcho enquanto o mesmo dirigia aquela mão do tamanho da sua face?

Se sentia patética e juvenil.

Tinha que culpar alguém por aquela atitude boçal e direcionou toda essa confusão para a sua admiração por ele, pois por mais que estivesse em jogo toda a sua beleza física, ela admirava o ótimo profissional que se tornará.

Vindo do interior do Uruguai, de uma vida humilde, se tornou decisivo nas partidas do Napoli e PSG. Isso sem contar em toda sua raça quando vestia a camisa azul celeste de sua seleção e sempre buscando motivar e manter as equipes em que jogava focadas nos grandes objetivos que se tornavam metas para serem alcançadas. Cavani não se intitulava uma estrela ou o grande atacante do Paris Saint-Germain. Ele era só mais um dos tantos jogadores de peso que formava aquele grande elenco.

Respirou fundo mais uma vez, aliviada e ao mesmo tempo triste por não sentir mais o cheiro forte e amadeirado dele. Segurou com força a prancheta sobre seu peito, caminhando decisiva até onde o grupo estava.

Onde ele estava.

Iria pedir desculpas por não ter o cumprimentando e se apresentaria, informando que é muito fã de seu trabalho. Era isso. Ela precisaria tirar forças do além para pôr em prática o seu plano emergencial e conseguir parecer ser normal para ele.

Mas Cavani parecia querer dificultar a vida da garota, pois no momento que a viu se aproximar levantou a camisa azul marinho que estava vestido, a retirando, e concentrou em escolher uma das peças que estava na sua arara. Só desviou sua atenção quando pode ver a morena baixinha parar na sua frente, fazendo-o abrir um sorriso ao perceber como as têmporas do rosto fino estavam avermelhadas, o lábio inferior preso entre seus dentes e as mãos agarradas a prancheta que carregava. Ela tentava a todo custo deixar seu par de olhos dourados no rosto do mais velho, parecendo criar uma briga interna com seu subconsciente para que os mesmos não deslizassem para o torso desnudo dele.

Deixou assim seu sorriso murchar quando viu que a garota não teria qualquer outra reação e franziu o cenho, confuso, percebendo que por algum motivo ela estava receosa. Não pode deixar de achar engraçado a atitude adolescente e transformou seu sorriso em divertido, podendo vê-la rapidamente desviar o olhar e soltar um suspiro pesado, estendendo em seguida o objeto que tinha agarrado e dizendo com a voz baixa, quase inaudível:

— Assina, por favor.

Ele pegou a prancheta de suas mãos podendo em seguida acompanhar o olhar perdido da garota percorrer por todo o seu peitoral até chegar nas entradas que haviam nas laterais de seu abdômen. Aria mordeu seu lábio involuntariamente, tentando não deixar escapar um xingamento em alto e bom som, precisando se virar antes que seu bom senso fosse para o espaço e ela cometesse o erro de gritar para os quatros ventos o quão ele era gostoso. Afobada, ela voltou sua atenção para os que já estavam prontos, alheios a situação que acabará de ocorrer entre os dois.

Todos vestidos, bonitos e impecáveis.

Pena que nenhum conseguia amenizar o calor que ela estava sentindo só por ter próximo de si um Cavani que ainda insistia em continuar sem camisa, a encarando dar as costas para ele. Se sentia frustrada por simplesmente não ter conseguido trocar uma fala decente com o mais velho e tentava a todo custo não olhar para trás, pois caso assim fizesse, continuaria perdida em saber o que deveria ser feito naquele dia. Coçou a garganta voltando para a realidade que a cercava, e tentou chamar a atenção de algum dos jogadores.

— Certo — ela disse, ainda atordoada — Quem quer ser o primeiro?

Não obteve nenhum retorno, deixando seus ombros caírem quando viu os meninos se entreolhar.

Só podiam estar de brincando com a sua cara.

— Come on guys, vocês estão acostumados com esse tipo de mídia! — voltou a dizer

— Vai lá Nkunku, não era você que queria estampar a página inicial? — Kimpembe disse, sentado em um dos puffs que estavam disponíveis na sala

— Eu não! — o moreno de dreads descoloridos se adiantou — Sou tímido demais para fotos profissionais.

A garota voltou a passar as mãos no cabelo, demonstrando seu nervosismo e falta de jeito, continuando sem saber o que fazer naquela situação. Deu uma breve olhada para o fotógrafo que a encarava impaciente e esperava que a mesma tomasse uma atitude em relação àquela demora. O ambiente estava quieto, podendo ouvir apenas alguns murmúrios vindo do grupo de jogadores e ela voltou seu olhar para o grupo de jogadores a sua frente, especificamente para um Presnel Kimpembe na qual seguia no instagram desde o dia que assistira junto com Adam alguns alguns vídeos dele, sempre com uma caixa de som e músicas animada, fazendo uns passos engraçados.

Ele retribuiu o olhar, incrédulo pela fato da garota estar fitando-o tão intensamente.

— Acho que precisamos de algo para animar essa sessão de fotos, não é? — ela perguntou, abrindo um sorriso ainda encarando Kimpembe.

— Eu já posso ficar preocupado? — Ele disse, puxando Verratti que estava ao seu lado e o posicionando a sua frente em uma tentativa engraçada de se esconder atrás do companheiro de time.

— Acho que está faltando ritmo, música, pra vocês se soltarem — ela disse rindo — Kimpembe, você tem alguma caixa de som bluetooth por aqui?

— Ele deve ter uma coleção dessas caixas por aqui — Trapp a respondeu

— Acho que ainda tem uma em meu armário — ele olhou para Trapp, fazendo um joinha com o dedo — Vou buscá-la.

Pode vê-lo se animar e sair em disparado para o corredor, fazendo Aria voltar sua atenção para o restante dos garotos.

— Enquanto isso — disse andando até o puff onde se encontrava sua bolsa.

Retirou seu celular de dentro dela, desbloqueando e verificando diversas mensagens de Adam, aproveitando para ignorá-las temporariamente. Voltou ao grupo enquanto passava uma senha nos seus aplicativos de conversa e em sua galeria de fotos para que os meninos não mexessem, abrindo em seguida o Spotify e entregando o aparelho celular para Verratti:

— Vão montando a playlist, não poupem ritmos musicais — ela advertiu, podendo observar Verratti e Cavani se olharem com sorrisos marotos estampados no rosto.

Voltou seu olhar para Trapp que estava logo atrás da dupla, usando um lindo moletom canguru azul marinho com os dizeres em vermelho "ICI C'EST PARIS".

Ainda faltava algo para compor seu look, pensava enquanto o analisava e por fim desviou seu olhar para a mesa que ficava ao lado das araras, onde tinha alguns bonés com a logo do PSG. Pode ver algo vermelho chamar sua atenção e foi de encontro a mesa, catando o acessório. Uma ideia acendeu em sua mente, ajudando-a fazer com que os garotos se animasse - além do som ambiente escolhido por eles -, podendo enfim iniciar aquela sessão fotográfica.

— Trapp, não fomos apresentados. Me chamo Aria — Ela ergueu a mão, assim que voltou a se aproximar do grupo, vendo-o apertá-la formalmente — Bom, você se incomodaria em ser o primeiro? Estou com algumas ideias para suas fotos. E bem, como você disse, é o galã desse elenco — Ela disse acanhada, podendo vê-lo rir

— É claro que não me incomodaria depois desse reconhecimento — ele disse convencido e olhou para os amigos — Vocês deveriam aprender com ela.

Completou, começando a ir em direção aonde estava o grande pano branco pendurado na parede e as luzes dos equipamentos fotográficos, podendo ouvir as lamentações dos colegas pelo fato da menina ter o escolhido primeiro e ainda dizer que ele era o mais bonito do time. Cumprimentou o fotógrafo e se posicionou aonde o mesmo havia ordenado, recebendo algumas dicas da equipe e vendo Aria se aproximar rapidamente com a peça chave para dar início às fotos.

— Aqui — lhe entregou o acessório — Agora eu quero que você, lentamente, coloque o boné.

Ela disse, estalando os dedos para o fotógrafo que logo entendeu o que ela estava falando e começou a dar diversos cliques na câmera, pegando os melhores ângulos do modelo. A garota correu para onde estava o notebook em que as fotos estavam sendo exibidas simultaneamente, gostando do resultado.

— Muito bem Trapp! Você tem muito jeito pra isso, cara. — disse sorrindo, voltando seu olhar para as fotos

— Eu não acredito que eu faço o possível para te agradar e esse babaca do Trapp leva o mérito.

Aria pode ouvir Kimpembe dizer atrás de si e soltou uma risada, se virando para encará-lo.

— Você vai ser o próximo! Já estou cheia de ideias para suas fotos — Ela deu uma piscadela e o viu com uma pequena caixa de som em mãos — Verratti está com meu celular. Conecta ele na caixinha e bota o som pra rolar.

O viu concordar e ir ao encontro dos colegas, com isso pode visualizar o rapaz de olhos claros e todo tatuado na frente dos meninos que estavam ajustando a playlist, vestido com uma camisa polo cinza do PSG. Voltou seu olhar para a mesa com os bonés dando um sorriso satisfeito ao ver que sua imaginação estava fluído em relação ao ensaio.

Ela só precisava tentar evitar ao máximo um uruguaio de sobrenome Cavani para não ter seu foco desviado que no final tudo daria certo.

Foi até a mesa e pegou o acessório que havia chamado a sua atenção, aproveitando para dar uma olhada nas araras e encontrando algumas camisetas que ficariam melhores para os outros jogadores. Os primeiros toques de uma música dançante preencheram seus ouvidos e sorriu para Kimpembe em concordância com a escolha, caminhando até o grupo e chamando a atenção dos garotos para si.

Pode ver o rapaz das tatuagens a olhar intrigado e sorriu brevemente para ele, lhe estendendo o boné da mesma cor de sua blusa.

— Posso te roubar um pouquinho? — ela disse incerta e viu sua expressão séria aliviar com uma risada animada.

— Claro! — pegou o boné que ela o estava oferecendo e caminhou em direção a equipe de fotógrafos.

Antes de acompanhá-lo, passou a entregar algumas camisetas para os demais que estavam ali perto, tendo todo o cuidado de ignorar Cavani que se encontrava no auge de sua irritação por estar vivenciando uma atitude tão controvérsia quando se tratava de mulheres.

Por último, Aria jogou uma camiseta verde militar para Verratti, vendo-o ter um bom reflexo e segurar a peça no ar.

— Veste essa, por favor. Depois de Kimpembe, você é o próximo.

Se virou para fazer seu caminho até os fotógrafos, quando houve a pausa da troca de música do aplicativo, e um tom debochado da voz de Cavani chegou ao alcance de seus ouvidos:

— Ela é a nova estagiária do Adam?

Aria se voltou para o pequeno grupo composto por ele, Verratti e Kimpembe, com as mãos na cintura, olhando um tanto quanto irritada por ser chamada mais uma vez de estagiária.

— Para sua informação, não tenho nem mais idade para ser estagiária!

Ela disse sem controlar o seu tom rude, surpreendendo-o ao se aproximar de onde estava sentando.

— Tem certeza disso? Por que eu estou vendo uma garota jovem e inexperiente!

Ele rebateu, achando a garota mal educada desde o momento que a cumprimentou. Ao vê-la na sua frente novamente, dessa vez com uma expressão totalmente diferente da primeira vez, arqueou uma sobrancelha, desafiador.

— Como os brasileiros te chamaria mesmo? — ele disse, pensativo — Novinha?

Ela ignorou o efeito que à palavra saindo de seu sotaque carregado causou em seu corpo, usando como combustível para o que viria a seguir.

— Quer que eu te prove quem é a novinha aqui? — disse, utilizando o seu mesmo tom debochado

Ele pode vê-la se curvar com um sorriso de canto e os olhos nublados até que seus rostos estivessem na mesma altura. Sentia a respiração descompassada dela chicoteando o seu rosto enquanto alternava sua visão para a boca carnuda e o seu olhar provocador.

— Foi o que eu pensei!

Ela completou quando o observou a engolir a seco, aceitando o gesto do mais velho como uma resposta a sua afronta. Não sabia de onde estava saindo aquele comportamento sendo que horas atrás ela estava afobada e desconcertada só com aquela droga de cheiro que ele exalava. Agora estava dando o troco, o provocando, vendo-o vacilar com a sua proximidade.

Tiveram a bolha em que estavam estourada quando Thiago, o último jogador que faltava, adentrava a sala pedindo desculpas pela a demora. Aria aproveitou que ainda estava frente a frente com Edinson e inclinou seu corpo para cima do dele. Ele que já não estava conseguindo raciocinar qual era o objetivo dela com tamanha proximidade, não se afastou.

Porque ele era Edinson Cavani e nunca fugia de uma boa provocação.

Pode sentir a mão dela pegar algo que estava ao seu lado, sem quebrar a conexão no olhar que estabeleceram, e de repente a viu se levantar, colocando a prancheta debaixo do braço e sorrindo satisfeita.

Aria começou a se afastar do grupo que se entreolharam e tentaram começar a zoar Cavani pelo ocorrido. Mas precisou voltar a olhá-lo, chamando sua atenção mais uma vez.

— Ah, só por causa do seu atraso e da sua audácia de me chamar de inexperiente, você será o último a ser fotografado. — disse, ainda sorrindo satisfeita — Espero que não se importe com a decisão da estagiária!

Pode vê-lo abrir a boca, provavelmente para protestar o que ela tinha ordenado.

Mas desistiu, devolvendo o sorriso e concordando com um aceno.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...