História Fresh Scars - Short fic(hiatus) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga)
Tags Bottom! Hoseok top! Yoongi
Visualizações 13
Palavras 3.423
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aviso: Conteúdo sexual explícito

Aviso2: Não revisado, perdoe-me os erros

*esse lemon foi escrito por Hey_Mi-rae, esqueci de dar os créditos, por isso estou editando este capítulo para fazer isso*

Capítulo 3 - Capítulo três


2 semanas haviam se passado desde que Yoongi e Hoseok haviam se beijado, desde então nunca mais se viram, pois Yoongi ainda estava de licença médica.

A mãe de Yoongi denunciou o caso e Jungkook havia mais uma vez parado na delegacia, mas como sempre ele saiu imune. Hoseok continuou seus dias indo indiferentemente dos demais que se passavam em sua vida.

Mas uma coisa havia acontecido, ele havia voltado a dançar, pois antigamente não sentia mais vontade de fazer oque ele realmente gosta e ama.

Todos que viam Hoseok dançar se impressionavam com o talento do garoto ruivo, mesmo sendo apenas sua avó e algumas tias que tenham falado isso.

Ele andava pelos corredores do colégio, atraindo alguns olhares que logo se desviavam e voltavam a fazer oque estavam fazendo.
Nunca teve amigos, é claro, quem vai querer ser amigo de uma pessoa praticamente sem família nenhuma e com cara de esquisito?. Assim pensava Hoseok de si mesmo, esquisito.

Hoseok foi puxado para dentro de um quartinho que ele deduziu ser do zelador por que sentiu alguns cabos de vassoura assim que foi puxado brutalmente para lá.

Assustado ele tentou se soltar, sem sucesso.

- Shhi, calma. - falou uma voz - Sou eu Hoseok.

Imediatamente Hoseok reconheceu aquela voz.

- Yoongi? Não estava de licença médica? - perguntou assustado.

- Pois é, estava, mas eu precisava muito falar com você. - ele ascendeu uma luz que alí havia.

A iluminação fraca iluminou o rosto ainda machucado de Yoongi, desfarçado por um boné preto.

Estava melhor, seus olhos roxos estavam começando a amarelar, sinal de que estava começando a curar.

- O que foi? - Hoseok perguntou ainda assustado e nervoso.

- Minha mãe te convidou para jantar lá em casa. - ele disse.

Hoseok arregalou os olhos assustado.

- O-oi? - Hoseok perguntou gaguejando.

- É isso mesmo, ela disse que quer te agradecer por ter salvado minha vida! - deu de ombros.

Hoseok engoliu em seco, sabia que não era só por isso, até por quê... Sra Min conhecia sua mãe de alguma forma.

E ele via isso como uma forma de querer saber mais sobre a mãe falecida.

- Pode dizer que eu vou... - Hoseok confirmou.

Não seria de nenhum mal.

- Okay. - Yoongi respondeu simples, sorrindo iluminado pela iluminação fraca.

Um silêncio se instalou, nenhum dos dois tinha a inciativa de começar a falar.

O peito de Hoseok ardia, e o estômago se revirava por estar perto da pessoa que amou e ama por três anos.
Mesmo que eles tenham se beijado aquele dia, Hoseok ainda sentia insegurança.

Ele o amava demais.

- Er... - Yoongi coçou a nuca e suspirou.

- Está ficando tarde... Tenho que ir. - Hoseok ajeitou as alças da mochila nas costas sorriu revelando covinhas incomuns no canto da boca.

- Até hoje a noite... - sorriu nervoso sem ter o que falar e saiu rapidamente do quartinho do zelador deixando Yoongi para trás.

Ele sorria para o vento, feliz por estar se aproximando de Yoongi, aquele a quem sempre amou.

Ele tinha sim esperanças no pobre coração iludido que Yoongi um dia sentiria algo por ele.

Ele foi para casa com um sorriso de orelha a orelha, com um sorriso que jamais havia dado desde que sua avó morreu.
Entrou em casa jogando a mochila no sofá como de costume e correu para o quarto, saltitando, observando as horas no celular e vendo que só havia duas horas para se arrumar.

Mas assim que ouviu a porta da sala bater seu sorriso cresceu, saiu do quarto e desceu as escadas rapidamente, vendo seu pai se sentar no sofá da sala.

- Appa... - disse ele ao pé da escada.

O homem lhe olhou e sorriu minimamente.

- Olá Hoseok. - disse voltando os olhos para os papéis em sua mão.

- A dias que não lhe vejo... - disse Hoseok.

- É, eu tive que viajar. - respondeu seco.

Ele nunca avisava ao filho quando iria viajar.
Hoseok praticamente morava sozinho.

- Ah sim... Irei sair hoje, okay? - Hoseok avisou.

- Tanto faz... - disse indiferente, o que fez o olhar triste de Hoseok cair sobre o chão de madeira rústica.

- Tudo bem. - respirou fundo e subiu para o quarto novamente.

O pai de Hoseok nunca se importou com ele, apenas o pegou para cuidar aos treze anos pois foi obrigado pela Justiça, ele poderia ter sido até mandado para um orfanato, mas como o ele tinha boas condições para criar Hoseok, então a justiça declarou que ele ficaria com o pai até atingir a maior idade.

As vezes Hoseok até pensava que teria sido melhor se tivesse sido mandado para um orfanato, lá pelo menos poderia ter pelo menos um pouco de carinho.

Ele apenas deixou esses pensamentos de lado e foi ao banheiro para tomar banho.

(***)

Hoseok terminou de passar seu perfume, estava vestido em camiseta preta com uma jaqueta da mesma cor por cima, calça jeans branca e all star.

Ele havia até passado maquiagem, que no caso era base e lápis de olho.

Esperava dar uma boa impressão.

Desceu as escadas de sua casa, vendo que seu pai não estava mais na sala, apenas respirou fundo e saiu de casa, ligando para um táxi e aguardando o mesmo chegar.

Ele se perguntava qual a impressão que a mãe de Yoongi iria ter dele, até por que... Ele praticamente salvou a vida do filho dela, mas isso não significava que ela não poderia mudar seus conceitos sobre a pessoa de Hoseok.

Assim que o táxi chegou, o mesmo entrou, o ruivo falou o endereço da casa de Yoongi para o motorista e se recostou sobre o banco.
Seu coração palpitava no peito, parecia que a qualquer hora iria rasgar a pele do mesmo de tanto que batia.

Nervosismo tomava conta de seu corpo, até por quê... Estava indo para a casa dele. A pessoa que amava incondicionalmente, aquele a quem ele denomina dono de seu coração necessitado por carinho.

Nunca em seus 17 anos de vida iria imaginar isso.

O motorista parou o carro em frente a mansão enorme, Hoseok o pagou o mesmo e desceu do carro, passou pelo jardim de entrada, aonde se consistia em uma estradinha de um material desconhecido para ele, e que havia umas pedrinhas decorando a mesma, e em volta apenas grama com luzes.

Tocou a campanhia nervosamente, seus dedos estavam tremendo, seu corpo inteiro na verdade.

A governanta da casa acabou por abrir a porta.

- Jung Hoseok? - perguntou.

- Sim. - engoliu em seco olhando a casa enorme por dentro.

Ele já havia ido lá uma vez, a duas semanas atrás, para ver como estava Yoongi. Não havia parado para prestar atenção que a sala parecia um estádio de tão grande.

Um lustre enorme estava pendurado ao teto branco, uma lareira existia embutida na parede, uma adega enorme bem ao lado, com vários tipos de vinhos variados, um tapete felpudo preto bem a frente do sofá grande e com cara de ser macio.

- Hoseok, boa noite. - ouviu uma voz feminina familiar, olhou para a direção de onde a mesma veio e enxergou a senhora nem tão de idade assim e bem conservada.

- Olá, Sra. Min. - cumprimentou.

- Por favor, me chame de Woo Ju. - sorriu terna.

- Okay Sra... Woo Ju. - ele se corrigiu antes de terminar a frase, fazendo a mesma sorrir.

- Yoongi está lá em cima, se quiser subir. - deu de ombros.

- Okay, irei subir. - avisou ele e sorriu minimamente.
Subiu as escadas, lembrando-se vagamente de onde era o quarto de Yoongi, e assim que avistou uma porta azul bebê teve a certeza que era lá.

Bateu na porta esperando para que o mesmo abrisse, e assim que fez isso foi quase impossível de segurar o queixo.

Yoongi estava perfeitamente vestido em blusa amarelo desbotado e meio rasgada, uma jaqueta branca rasgada nos ombros com alguns detalhes em preto, calça preta rasgada no joelho e um all star vermelho nos pés.

- Olá. - sorriu.

Estava claramente usando maquiagem no rosto, pois os roxos amarelados não estavam mais tão visíveis assim.

- Er... Oi. - abaixou a cabeça.

- Entra... Enquanto a comida não fica pronta. - Yoongi deu um passo para trás liberando espaço para Hoseok entrar.

Entrou devagar, parando no meio do quarto.

- A cozinheira disse que daqui a pouco fica pronto! - exclamou Yoongi.

Hoseok assentiu sentando em uma cadeira que havia alí.

- Olha... Não liga para o que minha Omma irá falar enquanto estiver aqui, ela... Não sabe medir as palavras. - Yoongi avisou a Hoseok.

- Tudo bem. - deu de ombros olhando para suas mãos, evitando olhar Yoongi.

- Hoseok? - o ruivo levantou o olhar. - Eu sei que gosta de mim. - o coração de Hoseok disparou com as seis palavras ditas por Yoongi - Mas não precisa ficar com vergonha.

O rosto de Hoseok adquiriu uma pigmentação vermelha, fazendo Yoongi rir.

- Relaxa. - Hoseok achou que morreria.

E agradeceu mentalmente quando lhe avisaram que o Jantar estava pronto.

Os dois desceram, Yoongi normalmente, como se não tivesse acabado de deixar Hoseok um tanto envergonhado.

Eles se sentaram, logo sendo servidos pelo mordomo.

Hoseok não estava acostumado com isso tudo.

- Então Hoseok, e seus pais? - perguntou a mãe de Yoongi, como se não soubesse o que havia acontecido com sua mãe.

Mas mesmo assim resolveu responder.

- Minha Omma morreu quando nasci, moro com meu Appa. - respondeu após engolir um pedaço de carne.

Ela não demonstrou surpresa, ao contrário de Yoongi.

- Tem namorada? - Hoseok arregalou os olhos.

- n-não. - gaguejou botando mais uma garfada de comida na boca.

- É gay? - o irmão de Yoongi, que estava tão quieto esse tempo todo, que nem se percebia a presença dele alí perguntou.

- Seokjin, tenha modos! - a mãe o repreendeu.

O mais velho revirou os olhos voltando a comer.

- Então, querido, meu marido esteve em reunião hoje e não pode comparecer, infelizmente. - a mulher disse.

- Novidade. - os dois irmãos disseram ironicamente em sincronia fazendo a mãe suspirar.

- Não tem problemas. - Hoseok posicionou os talheres no prato satisfeito.

Um silêncio se instalou por um determinado período de tempo, até a mãe chamar todos os presentes para a Sala.

- Bebe vinho, Hoseok? - perguntou a mais velha.

- Não com muita frequência, mas bebo sim. - afirmou Hoseok.

Podia não parecer, mas ele ainda estava muito nervoso.

Woo Ju entregou uma meia taça de vinho para ele e para os outros presentes no recinto.

- Obrigada, Hoseok, por ter participado deste jantar conosco. - a mulher agradeceu tomando um gole do seu vinho.

Hoseok tomou o conteúdo adocicado da taça.

Nunca fora de beber muito, exceto em algumas ocasiões que ficou extremamente bêbado.

- Garoto, fale logo quanto de dinheiro quer e vá embora! - exasperou Seokjin após 20 minutos de conversa.

Hoseok se assustou, arregalando os olhos.

- Seokjin, pare com isso! - a mãe se irritou.

- Omma, está na cara que esse faveladinho está querendo dinheiro, vocês são burros? - Yoongi se levantou irritado.

- Abre essa merda que chama de boca de novo pra falar do Hoseok que eu arrebento sua cara de novo. - Yoongi se exaltou ficando a milímetros de distância do rosto de Seokjin.

Hoseok estava em choque. Por que pensariam isso dele?.

Ele sentia vontade de chorar.

- Eu sou mais velho, maninho. - Seokjin provocou.

- Um ano não faz merda de diferença nenhuma! - segurou o colarinho da blusa de Seokjin. - E esqueceu que você é filho adotivo?

- CHEGA, Seokjin vá para seu quarto agora, Yoongi, fique com Hoseok. - A mulher puxou o braço do mais velho até as escadas para que ele subisse, assim fazendo.

- Me desculpa por isso... - Pediu Yoongi entristecido assim que os dois subiram - Ele é sempre assim.

Hoseok assentiu rindo nasaladamente.

- Está tudo bem. - deu de ombros. - Acho melhor ir para casa, meu pai deve estar me esperando. - mentiu se levantando.

- Okay... Te levo até a porta. - Yoongi se levantou também e caminhou até a porta ao lado de Hoseok.

- Tchau, Yoongi. Até mais. - Hoseok se despediu.

- Até Hoseok... Obrigada por ter vindo e desculpa pelo ocorrido. - Yoongi pediu novamente.

- Sem problemas Yoongi. - viu um táxi passando e fez o sinal para o mesmo parar. - Tchau. - Sorriu abrindo a porta do Táxi e entrando no mesmo.

Veio o caminho todo pensando o que o irmão de Yoongi tinha na cabeça para falar aquilo dele, Hoseok a nenhum momento demonstrou interesse em dinheiro ou algo do tipo, mas pelo o que Yoongi havia falado, ele era sempre assim.

Sentiu seu celular vibrar, abriu o ecrã do mesmo vendo que havia uma mensagem nova de um número desconhecido.

Número desconhecido: me desculpa novamente

Pode deduzir que alí era Yoongi, mas agora ele se perguntava como o mesmo havia conseguido seu número.

Hoseok: como conseguiu meu número?.

Yoongi: peguei na ficha do hospital, onde você colocou ele, e eu tenho uma cópia dela aqui comigo, então...

Hoseok: Ah sim... E sobre o pedido de desculpas, já disse que está tudo bem.

Hoseok bloqueou o celular assim que o táxi parou em frente de sua casa, pagou o mesmo e desceu, andando até a porta de sua casa e a destrancando com a chave que havia escondida dentro da campanhia falsa.

Entrou em casa vendo que seu pai já estava dormindo, e subiu as escadas. Entrou em seu quarto tirando a jaqueta e o resto das roupas, colocando apenas um shorts e uma camiseta para dormir.

Deitou na cama desbloqueando o celular.

Yoongi: Não pude deixar de reparar o quanto estava bonito hoje.

Hoseok sorriu bobo para a tela do celular.

Hoseok: Você também estava muito bonito.

Yoongi: Posso perguntar uma coisa?.

Hoseok: Claro.

Yoongi: És virgem?

Hoseok respirou fundo com a pergunta.

de fato, não era virgem. Perdeu a virgindade com seu ex-namorado, Minseok.

E nunca conseguiu transar com mulheres.

Hoseok: Não, não sou.

Yoongi: Transaria comigo, Hoseok?.

Engoliu em seco, aonde Yoongi queria chegar?.

Hoseok: Acho que sim.

Yoongi: Então atenda o telefone.

Hoseok sentia seu corpo quente pela conversa que teve com o mais velho, não sabia descrever o que aconteceu com o seu corpo nesse curto espaço de tempo. Observou o exato momento em que a notificação de que uma chamada de vídeo estava sendo solicitada. Mordendo os lábios de nervosismo, deslizou o dedo pela tela do celular. Yoongi preencheu toda a tela do aparelho, deixando apenas um pequeno quadrado para que refletia sua imagem.

-Eu tinha que ver seu rosto agora. -a voz do mais velho saiu estranhamente rouca e Hoseok sentiu todos os pelos de sua nuca se arrepiarem.

-Bem, você está vendo agora. -respondeu meio incerto, observando a postura do Min.

Os cabelos escuros caiam em seus olhos, a boca vermelhinha por conta da iluminação. Estava com as costas na cabeceira, extremamente relaxado na vista do mais novo. Provavelmente o celular estava apoiado em algum travesseiro ou algo assim, já que todo seu corpo aparecia na tela. Inclinou-se um pouco mais até estar com o rosto próximo ao celular. Hoseok sentiu como se ele realmente estivesse em sua frente, imaginando a respiração quente do mais velho bater em suas bochechas.

-Ótimo. -um sorriso malicioso surgiu nos lábios de Yoongi- Que tal fazer o que eu mandar agora? Nós dois sairemos ganhando com isso.

Hoseok apenas assentiu, assistindo o Min sorrir de volta em concordância, logo levando suas mãos até a calça, desabotoando de forma calma enquanto observava o mais novo corar, mesmo que pela câmera. Yoongi levou a mão direita dentro da própria calça, voltando com seu membro ereto, deixando exposto. Hoseok jurou que iria entrar em combustão, um calor incomum percorrendo sua barriga e suas pernas, chegando até mesmo em sua virilha. Cruzou as pernas em instinto.

-Tsc. -o mais velho fez um barulhinho com a boca- Vamos, Hobi, quero ver seu corpo também. Quero ver como reage a mim.

Como se fosse mágica, reagiu aquele pedido em segundos. Arrumou o celular na escrivaninha, voltando a sentar na beira da cama. Sua sorte é que os móveis não eram tão longes e conseguia ver bem o que ainda acontecia na tela. Diferente de segundos atrás, a mão de Yoongi subia e descia por seu membro lentamente.

-Perfeito. -com um suspiro longo, ele continuou a falar- Agora tire suas roupas e depois comece a se tocar.

Hoseok ficou de pé, retirou todas as roupas com certo receio, mas se deixou levar pelo prazer que percorria cada canto do seu corpo. Queimava como o inferno, queria estar ao lado do mais velho. Com certeza seria sensações bem melhores do que as que estava tendo. Quando sentou-se novamente, levou sua mão até seu membro semi-ereto e movimentou de forma rápida, sentindo a própria respiração ficar pesada pelo tesão.

-Calma, Hobi, não estamos com pressa aqui. -o riso fraco do Min ecoou de forma leve- Use a outra mão também, faça o que acha gostoso que façam em você. Ou melhor, faça o que você quer que eu faça em você.

O de cabelos ruivo arfou em apenas imaginar a mão do mais velho ali, subindo lentamente em seu membro. Deixou que a mão livre corresse por sua tez levemente, causando arrepios e espamos impossíveis de conter. Era gostoso e ouvir alguns gemidos baixos de Yoongi deixava tudo ainda melhor. Queria aumentar a velocidade da mão, queria gozar logo, mas obedeceria o mais velho naquela noite.

-Yoongi...

Deixou que um gemido suave escapasse dos seus lábios secos, fazendo a pessoa chamada parar com seus movimentos e se aproximar novamente da tela do celular.

-Vamos, Hobi, me imaginei com você. Me imaginei beijando seu pescoço, mordendo; imagine minhas mãos passando por todo seu corpo, explorando cada pedacinho dele; me imagine chupando você.

Sem pensar duas vezes, Hoseok se pôs de joelhos da cama, levando a mão que antes passeava por seu corpo até a boca, chupando dois dedos. Aquela cena fez que o Min retomasse com os movimentos anterior em seu membro, sentindo ainda mais tesão. Sentia calor e vontade de gozar, mas sentia ainda mais vontade de dar prazer ao de cabelos avermelhado. Achou que poderia apenas viver com a cena do mais novo chupando os próprios dedos, porém engasgou quando os dedos desceram até sua bunda, circulando a entrada. Imaginou aquela cena de perto e gemeu contido, querendo mais daquilo.

-Apenas faça o que tem vontade, Hoseok.

Isso bastou para que o mais novo colocasse os dois dedos dentro de si, os movimentando calmamente antes de, aos poucos, aumentar a velocidade. Essa também foi a deixa para que Yoongi também fizesse o mesmo. Ambos se sentiam quentes, o suor correndo por suas têmporas, a respirar acelerada e pesada. Era coisa demais para assimilar e contando que os dois se imaginavam juntos só ajudava na situação.

Moviam suas mãos em si mesmo com vontade, querendo acabar com aquilo, mas ao mesmo tendo querendo prolongar. Não aguentava mais, então Hoseok passou a movimentar com ainda mais rapidez a mão que se encontrava dentro de si enquanto Yoongi passou acariciar apenas a glande, sentindo tremores por todo corpo. Era intenso demais, mesmo longe. Gostavam de imaginar, expandir a imaginação como nunca antes. Queria estar logo juntos para que tudo aquilo fosse mil vezes mais intenso.

Com essa pensamento, Hoseok atingiu seu ápice seguido de um gemido aguado, mordendo o lábio inferior com força para não acordar seu pai. Yoongi não demorou muito para vir, gozando logo em seguida. O mais novo, mesmo cansado, observou a cena em que jatos braços jorraram do membro do mais velho, encantando com a cena.

-Acho que preciso mais de você agora do que antes. -disse Yoongi depois de estabilizar a respiração, arrancando uma risada sem graça do mais novo.

- Não acredito que isso aconteceu. - Hoseok disse ofegante e ligou o ar condicionado.

- Mas aconteceu... - Yoongi bocejou. - você drenou todas as minhas energias Hoseok.

Hoseok gargalhou e mordeu os lábios.

- Porra, quer me matar? - Yoongi disse por causa do simples ato.

Hoseok negou.

- Boa noite Yoongi. - Hoseok disse.

- Boa noite Hobi. - Yoongi respondeu.

E assim a chamada de encerrou, Hoseok deixou o celular cair em meio ao Edredom e ele sorrir feliz.

Não acreditava no que acabou de acontecer alí, ele esperou por isso por três anos.

Mesmo que fosse por telefone, foi alguma coisa, e ele estava muito feliz por isso.

Naquela noite, ambos dormiram felizes.

Yoongi não sabia descrever o que sentia por Hoseok. 


Notas Finais


Eu demorei, eu sei, não me matem por isso Unnies.

E não odeiam o Jin, ele ainda vai ser muito importante pro Hoseok.

E logo entenderão por que Yoongi do nada quis transar por telefone com Hoseok.

E uma pergunta: estão gostando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...