História Friends? - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel
Tags Amor Doce, Castiel, Docete, Lemon, Lysandre, Yaoi
Visualizações 30
Palavras 1.389
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse capítulo fala mais sobre o ponto de vista do Castiel. É pra entender mais a sua visão da história.
Lembrando que a Rafaela seria a Docete.

Capítulo 5 - Conversa


Castiel's POV

Quando o Lysandre correu, gritei seu nome e tentei correr atrás, mas eu nem sabia ao certo o motivo. Ok, vamos ver analisar: o Lysandre está apaixonado por mim, um homem. Ok, isso é o de menos. Beleza... Ele me quer e eu... Eu não sei? Nunca o vi tal forma. Ou já? Acho que não. Mas o detalhe é que... Ele beija muito bem. Ele nem teve tantas experiências amorosas mas ele é muito bom! Ou será que beijos masculinos que são melhores? Enfim, eu não sei bem o que fazer. Ele é meu melhor amigo, não sei o que fazer. Só sei que assim que ele foi embora, quando olhei pra baixo, percebi que eu estava meio "feliz" lá embaixo. É, ele beija MUITO BEM. Nossa, que estranho admitir isso! O pior é assumir o que veio em seguida... É, eu me mastubei pensando nele, afinal, foi ele quem me deixou daquele jeito! Foi bem estranho, confesso. Tipo, ele é meu melhor amigo e tal, é bem bizarro fazer isso pensando nele. O que eu faço? Isso provavelmente vai afetar nossa amizade, o que já está acontecendo. Eu não quero que isso aconteça. Eu quero a amizade dele, mas não quero machucá-lo, afinal, me importo com ele. AAAAAAAAAAAAAAH, NÃO SEI O QUE FAZER!

Depois de algum tempo perdido em meus pensamentos, fui até a cozinha e preparei um macarrão instantâneo de almoço, já que não estava nem um pouco afim de cozinhar. Comi sentado no sofá da sala. Fiquei encarando a mesa de centro, onde tínhamos estudado no dia anterior. Logo percebi que tinha bastante coisa na mesa. Além dos meus materiais, tinham os dele. Ele esqueceu de guardar suas coisas e levou só o que tinha na mochila dele... Por que não me surpreendo? Eu poderia usar isso como desculpa para ir na casa dele e o entregar, mas decidi que seria melhor se eu o desse tempo pra pensar. Fui até a varanda e fiquei observando a chuva. Respirei fundo e peguei meu maço de cigarros e acendi um. Fazia um bom tempo que eu não fumava, mas senti a necessidade. Eu precisava relaxar. Fiquei na varanda por um bom tempo, encarando a chuva, as pessoas correndo nas ruas procurando algum lugar para se abrigarem, o movimento das plantas... Mas mesmo tentando me focar nesses detalhes, minha cabeça continuava cheia de "Lysandre" e "Lysandre". Eu não sabia o que fazer. Precisava de ajuda. Voltei pra dentro de casa e liguei pra Rafaela pedindo para que tentasse vir pra cá. Ela mora perto então não seria complicado, eu acho. Depois de uns 15 minutos, ouvi a campainha, então logo fui abrir a porta para ela, que foi bem recebida pelo Dragon, o que me deu um dejavu de quando o Lys chegou ontem.

- Ei garotão, tudo bem? Tudo bem? - Ela dizia enquanto brincava com o Dragon. Depois de um tempinho, ela parou e me cumprimentou com um beijo na bochecha - E aí, o que manda? O quê é tão importante que eu tive que vir aqui?

- Senta. - "Ordenei" que se sentasse no sofá

- Tá bom! - ela disse se sentando e cruzando as pernas, como se estivesse deixando claro de que ela estava toda a ouvidos. - Tô esperando.

- Não sei nem por onde começar...

- Do início?

- Caralho, você é engraçada hein?

- Foi mal, mas o início é um bom ponto de partida.

- Eu vou dar uma boa de uma resumida: o Lysandre gosta de mim, a gente teve um "desentendimento", ele me beijou e foi embora.

- Pera, quê?! - Ela recebeu muita informação de uma vez. Fazia uma cara espantada enquanto organizava suas ideias. - O Lysandre é gay?

- Ah, é ele demissexual. Acho que é esse o nome.

- Que porra é essa?

- Ele só sente atração por pessoas que ele tem um vínculo forte, eu acho.

- Eita! E então? Me explica essa coisa melhor!

- Ah... Foi tipo... Eu tava tomando banho e aproveitei pra... Você sabe. Enquanto eu estava no meu momento, ouvi o Lysandre gritando do lado de fora. Me amarrei na toalha e saí correndo já que não é normal do Lys gritar. Quando cheguei lá, o Dragon estava em cima dele lambendo as calças dele bem onde... Você entendeu! E eu estava lá, de pau duro!

- Quê?! - ela começou a rir até se recompor um tempinho depois - Ai meu Deus, queria ter assistido isso! - fiquei levemente irritado

- Posso continuar ou tá difícil?

- Siga em frente... - ela disse ainda sorridente

- Bom... Acontece que quando ele percebeu, ele também ficou excitado. Foi aí que eu achei estranho e pedi explicações, mas ele estava muito envergonhado. Ele foi pro meu quarto, fechou a porta e ficou lá. Depois de um tempo eu bati na minha porta e ele me deixou entrar. Ele já tinha trocado de roupa e nenhum de nós estávamos duros mais. Vesti uma roupa rapidão e comecei a conversar com ele...

- Eita! E aí?

- Bom... Ele tinha tido um sonho molhado comigo... Que merda né? Aí depois ele disse que costumava ter alguns sonhos em que a gente flertava e que achava que ele meio que estava apaixonado por mim há um tempo. Ele disse que era complicado pra ele e blá blá blá...

- Nossa, até sonho molhado teve? Quê isso hein... E depois?

- Depois eu... Eu tentei amezinar a situação cogitando a possibilidade de nós tentarmos... Nos beijar?

- Eita, sério? Mas ele é um menino. Você não é hétero?

- Até onde eu sei, eu sou, mas sempre tive curiosidade. Aí depois ele falou que era meio insensível da minha parte se a gente se beijasse porque ele está apaixonado e eu só ia me aproveitar dele e tal. Então ele falou que precisava ir embora mas tava caindo um maior toró lá fora, então não quis deixar.

- Ah, legal, o menino tá doido contigo e você ainda segura ele dentro de casa junto com você!

- Ele usa umas putas roupas pesadas, ia ficar gripado rapidinho!

- Que gracinha você se preocupando...

- Quando eu falei que ele poderia ficar doente, ele ainda ficou bravo e falou que era melhor ficar doente do que continuar comigo... Drama né... Ele insistiu em ir embora. Levantou e foi até a sala, mas eu fui atrás e segurei o braço dele. Ele perguntou o que eu queria e eu percebi que eu nem sabia responder direito... Eu não sabia por que estava insistindo tanto para que ele ficasse. Acho que ele entendeu que eu ainda estava pensando na possibilidade do beijo e me empurrou na parede, me beijou e depois saiu correndo.

- Quêeeeee? Nossa, que loucura! E foi bom pelo menos? - eu provavelmente devo ter ficado um pouco corado - Foi, não foi? Sua cara diz tudo! Seja sincero!

- É. Foi bom sim. Foi... Muito bom inclusive...

- Aaaaaaah, sabia! Hehehehe, o Cassy gosta de beijar o Lyyys!

- Tá, cala a boca, Rafa!

- Ok, ok... Aconteceu alguma coisa depois?

- Não... - eu não poderia contar pra ela que eu me masturbei pensando nele. Seria estranho e eu já tinha contado coisa demais.

- Tá. E por que tá me contando isso mesmo?

- Porque não sei o que fazer e não tinha ninguém melhor pra chamar.

- Ah, ok... - Ela pensou um pouquinho - Acho que você deve esperar. Com o tempo, ele pode perder esses sentimentos por você, você pode até desenvolver sentimentos por ele ou sei lá.

- Tá, mas e quanto nossa amizade? Isso tá afastando a gente e eu não quero que isso aconteça!

- Bom... Isso vai depender dos dois. Se os sentimentos dele passarem, vocês podem tentar se reaproximar. Caso você desenvolver sentimentos por ele, melhor ainda! Vocês já vão estar próximos, o diálogo vai ser mais fácil se vocês namorarem, eu acho. O tempo dirá tudo.

- Ah... - dei de ombros - Vamos ver o que o tempo vai dizer, né?

- É uai!

- E Rafaela, pelo amor que você tem pela sua vida, não conta isso pra ninguém!

- Claro que não! De jeito nenhum, tá doido?!

- Só pra garantir...

Ela passou o resto do dia comigo, me ajudando a organizar meus pensamentos. É, foi uma situação complicada. Eh precisava conversar com alguém a respeito e não achei alguém melhor. Então vamos ver o que o tempo dirá, não é mesmo?


Notas Finais


Antes que me julguem a respeito do Castiel estar fumando, me lembro de ter visto em alguns fóruns que o Castiel fuma eventualmente. Obrigada por ler! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...