História Friends - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Alfa, Beta, Jeongguk!top, Jimin!bottom, Namjin, Ômega Abo, Seoul, South Korea, Taeyooseok, Yoongi!bottom
Visualizações 17
Palavras 2.912
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a demora para atualizar, baes. Não vou mentir, foi preguiça mesmo kjk :')

Boa leitura, nenéns :3 ❤

Capítulo 2 - Chapter One - Friends Love Friends


Como o previsto, tivemos que pedir comida, minha geladeira estava vazia e eu não ia ao mercado já fazia um tempo. Enquanto esperavamos a pizza que pedimos chegar, Jimin me contou o que havia acontecido, a mesma coisa de sempre, o ômega não tinha mais paz, perder sua ômega realmente fez Sr. Park sair da linha. Eu já havia me oferecido para ajuda-lo, mas Jimin se nega a receber ajuda, diz que apesar de tudo o alfa ainda é seu pai e não quer que ninguém o machuque, mesmo que a imagem de "meu herói" já tenho se queimado totalmente. Chega a ser impressionante, ver como ele ainda o defende mesmo sendo ofendido de forma injusta quase todos os dias, e isso não dói só no ômega, eu  e nossos amigos também ficamos cabisbaixo quando ele aparece todo triste na escola, apesar de fazermos palhaçadas para que ele não fique triste, eu também fico o dia todo por vê-lo nessa situação e não poder fazer nada, minha vontade mesmo é de colocar ele em um potinho e defender de todo o mal do mundo.

Me lembro de quando eu descobri que estava apaixonado por ele, fiquei quase a semana toda me perguntando o porque disso, o porque de simplismente não vê-lo apenas como o meu melhor amigo ômega, e não como o amor da minha vida. Apenas me toquei de que estava me afastando e que sempre estava no mundo da lua, quando Jimin chegou em casa – ainda morava com meus pais quando descobri meus sentimentos por ele – para me desejar feliz aniversário e me entregar o presente que ele havia comprado para mim, não para mim exatamente, já que era um colar de amizade que ele tinha comprado para nós dois – este que hoje em dia uso no pulso e o dele permanece intacto no pescoço –, ele tinham como pingentes uma lua e um sol, ele ficou com a lua e eu com o sol, já que eu gosto muito do céu azulzinho e o sol costuma ficar intacto e bem pleno em dias assim, e Jimin ficou com a lua por preferir a noite, dizia que olhar para o céu a noite com todas aquelas estrelas e a lua brilhante o deixava calmo e ajudava-o a pensar, bem clichê, porém, eu gosto disso e ele também. Foi nesse dia que eu percebi que não poderíamos ser mais que melhores amigos, até tentei colocar na minha cabeça que eu não gosto dele e que era apenas uma paixão passageira, mas ver ele todos os dias, receber seus abraços quentinhos, sentir seu cheirinho gostoso de amêndoas – que combinava perfeitamente com ele, por não ser tão doce e enjoativo como o de vários ômegas –, receber seus beijinhos na bochecha quando ia se despedir, sua voz suave... Realmente foi muito difícil afastar esse sentimento de mim recebendo essas doses de Park Jimin todo dia, nem percebi quando me entreguei totalmente a esse sentimento e deixei fluir; eu tinha apenas 15 anos quando descobri o meu amor por ele.

Fica difícil não se apaixonar por um ser humano tão carinhoso, humilde, bondoso e muitos outros qualidades como ele, claro que Jimin tem seus defeitos, todo mundo tem defeitos, mas com um ser adorável como ele, esses defeitos chegam a ser fofos de se ver. Tenho que controlar meu ciúmes ao ver alfas babando por um ômega como ele – por ser um alfa lúpus, o ciúmes chegam a ser palpáveis se não controlado–, que tem toda uma pose de submisso, com um ar inocente e puro como ele, todos os alfas querem um ômega assim, deve ser fetiche querer corromper corpos puro. É difícil de se achar ômegas que não sejam atirados ou tarados hoje em dia, parecem que estão sempre no cio. O ciúmes sempre foi algo que eu sempre consegui controlar muito apesar de ser um lúpus, me recordo apenas de uma situação em que eu não consegui me segurar e me levantei da cadeira do refeitório e sai andando sem olhar para trás quando meus amigos me chamaram, isso aconteceu quando um alfa escroto chamado Changbin, levantou do seu lugarzinho no refeitório e foi até onde estamos sentados e chamou Jimin para sair, e como o ômega tímido que ele é, seu rosto ficou todo vermelhinho e ele abaixou a cabeça por alguns segundos antes de levantar a cabeça ainda com vergonha e responder um "Tudo bem" acompanhado de um sorrisinho pequeno e mais algumas palavras que eu não fiz questão se escutar porque no tudo bem, eu já tinha aberto um pouco a boca como se estivesse chocado e levantado da mesa em que estávamos no refeitório e seguie para a sala de aula e ficar lá o intervalo todo até os sino bater e todos voltarem para sala e me questionarem o porque de eu ter saído de lá do nada, e como eu não podia falar nada apenas disse que tinham ficado com dor de cabeça e queria um pouco de silêncio e no refeitório estava muito barulhento, eles acreditaram na hora, apenas SeokJin e Yoongi ficaram me olhando com uma cara estranha como se me perguntassem se aquilo era verdade, mas não perguntaram mais nada e apenas se sentaram em seus lugares. Sobre o tal encontro com o outro alfa, não deu nenhum pouco certo, eles saíram, foram a um parque, só que no final do encontro o cara tentou tocar em Jimin sem a permissão dele, sem ele querer, e depois de tantos não o idiota desistiu e antes de deixar Jimin se virar para ir embora sozinho desferiu contra ele palavras de baixo calão e ainda disse algo como "Uma putinha como você não devia estar negando fazer o seu serviço, eu já tinha pago levando você para aquela merda de parque, não?", e ainda o beijou a força antes de ir embora e deixar Jimin chorando, e como previsto, foi para a minha casa que ele seguio, sua mãe tinha acabado de morrer quando isso aconteceu, acredito que Jimin apenas tenha ido a esse "encontro" para esquecer um pouco essa tragédia, mas acabou tendo um dos piores dias de sua vida, não fazia sentido ele seguir para casa. Ele queria um ombro para chorar, me ligou perguntando se podia ir para minha casa, e como eu sempre estive alí para consolá-lo apenas o recebi de braços abertos, e escutei seu desabafo e seu choro quase a noite toda até ele dormir e eu o colocar na para dormir no quarto de hóspedes que tem na casa dos meus pais, como era sexta-feira e consequentemente no outro dia não teria aula por ser sábado, meus planos para quebrar a cara de Changbin tinha ido por água abaixo, porém o ódio continua presente e se um dia ele pelo menos pensar em chegar perto de Jimin denovo, eu não vou excitar em quebrar a cara do desgraçado e qualquer coisa falar que foi por justa causa.

Agora Jimin se encontra sentado enquanto come o último pedaço da pizza que sobrou – ou eu deixei para ele mesmo, e se eu não fosse apaixonado por ele eu teria comido o ultimo pedaço sim –, mas ainda sim foi muito fofo ver ele perguntando se podia pegar o último pedaço e logo que recebeu o sim, o pegou e comeu como se não tivesse comido a meses, precioso. Não consegui conter uma risada ao ver ele comendo como se fosse um porquinho, já dispensamos formalidades entre nós a muito tempo.

- Jimin, vou pegar uma roupa para você tomar banho. – apenas recebi um manear de cabeça concordando, nem se quer direcionou o olhar para mim, apenas continuou olhando para a televisão que estava passando um filme qualquer enquanto terminava de comer a pizza. 

Me levantei e fui para meu quarto pegar uma roupa estilo mendigona para ele dormir, sei que Jimin gosta de roupas folgadas para dormir por se sentir mais confortável com elas, já temos tanto tempo de amizade que ás vezes fico me perguntando se eu não o conheço mais do que conheço mim mesmo.

- Já achou, hyung? – levei um susto ao escutar a voz de Jimin toda manhosa pelo sono, e quando virei já com as roupas nas mãos, me deparei com Jimin todos escorado na porta enquanto esfregava os olhos pelo sono com um biquinho fofo nos lábios. Jimin me chamando de Hyung é a minha religião. Sou 1 ano mais velho que ele, apesar de ambos estudarmos no 3° ano do ensino médio, eu sou 1 ano atrasado por causa da mudança que eu fiz de Daegu para Busan quando era mais novo, e isso atrapalhou no meu ano escolar por demorar para no habitarmos bem e eu tive que repetir um ano. Mesmo ele não me chamando tanto de Hyung, eu adoro quando ele o faz.

Apenas fiz um "uhum" com a garganta e entreguei as roupas para ele, o vendo esticar as mãos com a maior preguiça do mundo para as pegar e logo seguindo para o banheiro do corredor para tomar seu banho. Segui para a sala vendo que o filme que estava passando era Iron Man, o meu herói favorito da Marvel, é Jimin tem mesmo o poder de me fazer desviar o olhar de um dos meus filmes favoritos apenas para o ver comendo. 

Fui tirado dos meus devaneios com Jimin aparecendo na sala e sentando no sofá de banho já tomado e com a roupa que eu o dei para dormir.

- Ué, mas você não estava quase caindo de sono até agora pouco?? – perguntei, pois fiquei curioso por ele parecer tão disposto depois do banho, parecia que tinha tomado banho na água gelada.

- É, eu realmente estava, mas o banho que eu tomei tirou isso de mim. Já, já volta, só vou assistir um pouco e depois vou me deitar. – disse pegando um dos travesseiros do sofá para colocar atrás da cabeça, logo depois olhando para mim – Mas e você? Não vai dormir não? Hum, me dá esse travesseiro que está aí com você, por favor.

Disse olhando para o travesseiro que estava no meu colo, com um sorrisinho de quem acaba de pedir um doce para a mamãe.

- Não estou com sono agora, depois eu vou.  – disse enquanto estendia a mão com o travesseiro para Jimin, este que estava no canto do sofá ocupando quase toda aquela parte com o seu corpo, enquanto eu estava sentado com a perna esticada no outro canto do sofá. Ele era em formato de L, por isso era espaçoso.

O ômega esticou se esticou todo para pegar o travesseiro, mas antes que ele o pegasse, eu puxei minha mão de volta. Vendo ele mudar a expressão de quem está fazendo esforço para uma brava, logo cruzando os braços e inflando um pouco as bochechas, não resisti, soltei uma gargalhada vendo ele me olhar com aquela carinha fofa em uma tentativa de se fazer de bravo. Fiquei rindo um pouco até jogar o travesseiro para ele, que o pegou e abraçou ainda fazendo aquela carinha fofa.

- Lúpus idiota. – e revirou oa olhos, o que só me deu mais vontade de apertar aquelas bochechinhas fofas e guardar aquela preciosidade em um potinho.

- Puft, para. Eu sei que você me ama. – disse ainda dando risada daquela carinha de bebê dele.

- Amo você quando não é idiota. – alguém me mata, eu não aguento mais tanta fofura em um ser só. Adorável! 

Não respondi mais nada, apenas sorri mais uma vez antes de começar a assistir o filme que Jimin havia escolhido, um filme aleatório que eu acabei nem prestando atenção já que dormi que nem percebi ali no sofá mesmo. 

Eu tive um sonho, o mesmo que eu venho tendo já faz quase duas semanas. Estavamos eu e Jimin nele, ambos estávamos em meu apartamento sobre o meu sofá, suando, Jimin gemia perto do meu ouvido, enquanto eu me movia de forma lenta sobre ele que tinha as pernas enroscadas em meu quadril, o apartamento era tomado por nossos gemidos e os ômega pedindo por mais, sendo atendido enquanto eu aumentavam a velocidade e marcava mais seu corpo com meus lábios e sentindo cada vez mais o clímax chegando. E ele veio junto da cena onde eu nunca sabia final, o nó foi feito, meus olhos em cor escarlate que antes fechados foram abertos e... 

- Jungkook, Jungkook, Hyung acorda! 

Espera, eu não me lembro disso, tem alguém me chamando.

Vou saindo do meu subconsciente aos poucos, até ir abrindo os olhos e vendo Jimin me olhando com uma cara de assustado. Será que eu chamei o nome dele alguma vez no sonho?? Não, eu não falo enquanto durma, disso eu tenho certeza então o que deve ser?

- Jimin, o que—

- Jungkook, seus olhos... Eles estão... Eles estão vermelhos. – o que, meus olhos quase nunca ficam vermelhos,apenas quando perco o controle, estou em rut, ou quando meu alfa assume o controle, e também no sonho que eu estava tendo... Pelo o que eu me lembre, quando eu os abro, eles estão vermelhos e minhas presas estão para fora. – E as suas presas hyung... – Mas o que está acontecendo? Elas realmente estão para fora.

Me levanto olhando Jimin se afastar, ele nunca me viu assim, apenas meus pais. Deve estar com medo e achando que eu estou descontrolado pela a minha aparência. Sigo em rapidamente em direção ao banheiro, sentindo o olhar de Jimin acompanhar meus movimentos, e quando chego ao cômodo fecho a porta e tranco-a. Vou para o banheiro e me olho, realmente estou como no sonho. Respiro fundo e fecho os olhos apoiando as mãos no balcão do banheiro para me acalmar, não sei o porque de estar tendo esse mesmo sonho e nem porque dessa vez eu acordei assim, acredito que seja porque eu fui acordado no meio do sonho e isso refletiu para o meu físico. Tenho que falar com meu alfa sobre isso, mas não tenho paciência em nem posso fazer isso agora, Jimin está aqui e eu não quero que ele se assuste. Abro os olhos novamente e noto que as presas já sairam, mas os olhos continuam no vermelho, então me lembro de algo e logo direciono meu olhos para baixo, suspirando fundo... ‘Tá duro, cara... Tomara que Jimin não tenho notado isso.

- Jungkook, está tudo bem aí? – Falando nele...

- Está sim, Ôme- J-jimin. Eu só vou tomar um banho e já estou saindo. – Cara... Que merda foi essa?? Eu nunca, tratei ele assim. Essa porra ‘tá estranha, e eu vou falar com meu alfa amanhã mesmo. 

Ouço ele suspirar baixinho e logo passos se diatanciando. Decidi tomar meu banho logo para acalmar os nervos e meu acalmar, porque que merda foi essa??

Tiro as roupas, e entro na água morna do chuveiro, fico refletindo sobre o que acabou de acontecer e chego a conclusão de que é melhor deixar isso de lado por enquanto. Olho para baixo e vejo meu membro ainda disperto e mordo os lábios, não, eu não vou fazer isso, eu não posso... Ah, foda-se. Fecho o olho e jogo a cabeça para traz, começo a passar as mãos pelo meu peitoral, passando pelo abdômen e logo chegando no meu pau, e quando o envolvo com as minhas mãos, solto uma arfada pelo contato. Começo a fazer um carinho na glande, evitando os pensamentos que envolve Jimin, mas a minha mente me engana e logo a imagem dele aparece e me faz comecar começar a imaginar seus lábios alí, minhas mãos começam uma masturbação lenta e tortuosa, mas não demora a começar a ir rápido e mais gostoso. Fica assim até que sente seu orgasmo chegando, abaixando a cabeça e vendo a porra sair quentinha e atingindo os azulejos no banheiro. Um pecado, fazer tal ato pensando em um ser tão inocente como Jimin, mas foi inevitável.

Assim que terminar o banho, sai do box e veste a mesma roupas que estava usando antes por estarem limpas, trocando apenas a cueca.

Quando sai do banheiro depois de vestido, segue para a sala, vendo Jimin distraído assistindo televisão. Olha para o relógio na parede e vê que já são quase meia noite.

- Jimin, você vai dormir no quarto de sempre, certo? – o ômega leva um susto antes de olhar para trás, olhando para si fazendo um "uhum" antes de levantar desligar a televisão.

Logo virando para ir em direção ao corredor e seguir para o quarto de hóspedes, o mesmo que já era quase seu quarto alí naquele apartamento, e passando por Jungkook, sendo seguido pelo mesmo pois o quarto ficava um na frente do outro.

- Hum... Jimin, podemos conversar sobre o que você viu amanhã, né? Não quero que você fique pensando que eu sou descontrolado nem nada do tipo... – coloca as mãos atrás da nuca, envergonhado.

- Tudo bem, Jungkook. Eu sei que você não é descontrolado, só fiquei assustado por que nunca tinha visto você daquele jeito. – diz olhando para si, já na frente do quarto – Ér... Bia noite. – lhe dá o típico beijinho na bochecha e depois um sorrisinho, entrando no quarto logo em seguida sem esperar uma resposta.

Jungkook apenas segue sorrindo para seu quarto, e já deitado na cama pronto para dormir, ele toca a bochecha que foi beijada com as mãos e a leva para a boca, dando um beijinho alí, seguido de um “Boa noite, Jiminnie”.



Notas Finais


Kkkkkkk que capítulo bosta, mas eu não queria ficar sem postar.
E novamente me desculpo pela demora com os meu leitores fantasmas :')
Esperam que tenham gostado. E o próximo vai continuar com POV JUNGKOOK.
Hummm... Lembrei de algo agora, no capítulo anterior eu estava escrevendo "Jeongguk" e nesse eu escrevi "Jungkook" PROVAVELMENTE EU VOU FICAR MUDANDO SEMPRE PQ EU NÃO CONSIGO FICAR EM SÓ UM

Boa noite, boa madrugada, bom dia, boa tarde...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...