História Friends Forever - Mileven - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Chefe Jim Hopper, Dustin Henderson, Eleven (Onze), Joyce Byers, Lucas Sinclair, Maxine "Max" Mayfield / "Madmax", Mike Wheeler, Nancy Wheeler, Personagens Originais
Tags Eleven, Mike, Mileven, Strangerthings
Visualizações 81
Palavras 3.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiii, pessoal! Voltei! Bom, eu pretendia voltar antes, porém, fiquei sem Internet então só deu para trazer ele hoje. E o cap tá bem grandinho para compensar se vcs gostarem de cap grande♥
Eu sei que disse que seria apenas dois epílogos, porém, eu tive mais idéias, então provavelmente terá mais um ou dois, quatro no total, nem sei se quatro epílogos existe, mas aqui vai ter kkkkkkkk vai que lança moda e todo mundo faz quatro epílogos , né? Kkkkkkkk

Boa leitura.

Capítulo 32 - O amor perdoa os erros ( Epílogo ll )



   Eleven Wheeler 


             Aquele devaneio sobre meu casamento, cada pequeno detalhe colocou um largo sorriso em meu rosto, e ainda não havia conseguido parar de olhar para aquela pequena aliança em meus dedos. Havia se passado quatro anos desde o nosso casamento, e ainda me lembrava tão bem daquele dia, foi inesquecível, cada sensação, ainda sente como se estivesse acabado de às sentir. 

    Fui obrigada de sair de meus pensamentos ao ouvir uma forte batida na porta. Imediatamente olhei ao relógio, vendo que ainda era cedo demais para Mike chegar, o que fez com que me apresa-se para atender. 

-- Pai. -- Sorri imediatamente ao vê-lo em minha porta, e em seguida, fui em busca de um abraço. 

-- Espero não estar te atrapalhando em nada. -- Hopper retribui tal abraço, voltando para um braço envolver meu corpo, e o outro acariciar meus cabelos. 

-- Claro que não, eu pretendia começar a preparar o almoço de Mike, mas eu posso fazer isso depois. Entra, por favor. -- Logo desfiz aquele abraço, e lhe dei espaço para entrar.

-- Eu tenho uma coisa para te contar. -- Disse ao entrar, e ambos caminhos para a sala, sentando-se no sofá. 

-- Alguma coisa aconteceu? -- Da última vez que disse que tinha algo para me contar foi para me dizer que se mudaria para longe apenas para ficar perto da faculdade de Will, disse que pretendia voltar assim que ele se informasse, mas isso já fazia muito tempo, e nunca aconteceu. Então esse " Preciso te contar alguma coisa" nunca era uma coisa boa vindo dele. Bom, espero que agora seja diferente. 

-- Eu esperava que o Mike estivesse aqui, mas acho que não consigo esperar. Gostaria também que a Joyce estivesse, mas não estava se sentindo bem para vir. Meu plano de dar a notícia com a família reunida não deu muito certo. -- Hopper começava a me assustar com essa preliminar antes de dar logo a notícia, e com esse "Joyce não estava se sentindo muito bem" Contribui para me assustar ainda mais. 

-- O que aconteceu, pai, a Joyce está bem? Vocês estão bem? -- Nervosamente, perguntei, sentido meu coração bater forte ao esperar sua notícia. 

-- Sim, estamos muito bem...E eu vim aqui para te contar que você vai ganhar um irmãozinho...Irmãzinha ainda não sabemos. -- Nesse momento o ar pareceu até faltar de meus pulmões, meu coração batia tão forte como se tivesse uma marreta e meu peito, meus olhos começaram a transborda, e um sorriso se formou em meu rosto. Um bebê, Hopper e Joyce teriam um bebê. Mais grande presente para suas vidas, um motivo para fazê-los sorrir todos os dias, mais um membro para a família Hopper...Um bebê, essa com certeza seria a melhor notícia da semana...Não, seria a segunda, mas ambas tiraram a mesma reação de mim: Espanto e alegria. 

-- Eu não sei o que dizer, pai. Meus parabéns. -- Bom os olhos ainda transbordando, e alguns soluções prestes a chegar, o envolvi novamente em meus braços.

-- Eu ainda não consigo acreditar que estar acontecendo, há alguns meses o médico disso que isso não seria mais possível, e agora era espera por um bebê, que já garantimos que não terá nenhuma complicação. -- O abraçando ainda podia ouvir a emoção em sua voz, dava para se ouvir que chorava, e não era para menos, essa com certeza era mais um passo em sua vida. Um filho, não era pouca coisa, mesmo que seja de grande responsabilidade, ainda sim seria sempre algo para se fazer sorrir. Ter uma parte de si no mundo, algo que fez, criou, cuidou e amou, era um fruto de um amor propício...Uma das maiores virtudes do der humano é dar a vida a outro ser, é uma coisa linda. Hopper e Joyce teriam todas essas sensações mais uma vez. 

      Nesse momento só me veio Mike a cabeça, tudo que passamos dez anos atrás, e tudo que ainda passamos até hoje, tudo por causa disso: Bebê. E óbvio que sempre foi algo que Mike quis, e é claro que eu também queria, porém a vida ainda não tinha me concedido tal honra. Era o que ambos queríamos, e que incansávelmente esperávamos para o dia que tivéssemos. 

        Lembrava das palavras de Mike, aquelas tristes a palavras que foram ditas há dois anos, e depois que foram ditas, depois daquela noite, nunca mais falamos em bebê algum. 


       Flashback On 


Oito anos atrás


        Narrador 

  

          El mantinha seus olhos na janela do carro, observando a chuva cair, e cima de tudo: Tentando não olhar para ele. Sua raiva nesse momento era inexplicável, sentia que se o olhasse agora começaria mais uma briga, e isso era tudo que queria evitar, pelo menos até esse festa ridícula acabasse, e voltassem para casa, assim poderiam continuar a gritar um com o outro até sair alguém magoado e chorando, essa alguém era El, sempre era a El. 

       A garota tentava cantarola uma música em sua cabeça para se distrair, e não ouvir as leves resmungadas que Mike dava, ou as pancadas que dava contra o volante mostrando toda sua irritação. 

-- A gente não precisa vir, você sabe disso. -- Toda sua voz transparecia uma irritação, que chegava a doer os ouvidos da garota. Parece que  El era a única a tentar se acalmar, e não causar mais uma briga antes de chegar à casa do Lucas.

-- Ele é seu amigo, Mike. -- Seu olhar continuava na janela, observando aquela chuva sr agravar, e se arrependendo de ter levantado da cama. Seria muito melhor estar nela agora, assistindo algum filme idiota na televisão apenas de pijama do que estar aqui agora, brigando, e a caminho de uma festa que tem tudo para ser um desastre. 

-- Ele é seu amigo também. Fala como se estivéssemos indo apenas por mim. -- Nesse momento Mike conseguiu trazer sua atenção para si, mais um olhar irritado dos quais já ganhou vários esta noite. 

-- Mike, você sabe que o Lucas nunca gostou de mim. Você sabe que ele sempre me odiou. -- Não havia dúvidas sobre o que Lucas achava da El, seu pedido de desculpas oito anos atrás apenas tinha sido um tipo de trégua, uma coisa que fez para evitar brigas. Porém, não era verdadeiro, pelo menos era o que sentia a garota, e seria bem provavelmente que estivesse certa. Todo o contato que tinham com o Lucas era curto, foi ficando ao passar dos anos, nunca mais foi o que era desde o fim da escola. Tão curto que nem ao menos havia ido em seu casamento alegando estar sem tempo no dia. A verdade era que Lucas realmente nunca gostou da presente de El em suas vidas, muito menos de seu amigo ter se apaixonado por ela, se casado, e tendo seguido sua vida com essa garota. De certa forma Lucas ter se afastado de Mike foi apenas por El, e a garota não podia deixar de se culpar por isso. Os dois eram grandes amigos, e foram afastados por sua causa. Mas o que podia fazer? Abandonar Mike apenas para que a amizade entre eles continuasse? Não era justo com nenhum dos dois, e nem poderia permiti que Lucas escolhesse com quem Mike ficava ou não, Isso sempre foi escolha dele. 

-- El, ainda está com raiva dele por algo que aconteceu há tanto tempo? -- El continuava a olhá-lo da mesma forma, porém, preferiu não dizer nada, e em pouco tempo, voltou a olhar para a janela. 

         Mais alguns minutos com o casal em completo silêncio, apenas analisando toda sua raiva nos pensamentos irritados, ou no volante. Finalmente haviam chegado a aquela maldita festa que havia sido a causa de tudo isso. 

-- Não vamos brigar lá dentro, por favor. -- El pediu a Mike antes que tocasse aquela campainha, o garota apenas fez que sim com a cabeça. 

(...) 

           Como era de  esperado: A festa foi um desastre para o casal, longa e desastrosa. A todo o momento Mike e El trocavam olhares de raiva, aquela briga ainda não havia sido resolvida, e aquele ambiente desagradável em que estavam não ajudava em melhorar seu humor. A todo momento Lucas junto a Max avisavam sobre a grande notícia que tinham para contar, que francamente era a única coisa que mantinha em ainda neste lugar. Não sabia Mike, mas assim que contassem logo sobre essa notícia El gostaria de ir embora.

-- Uma pouco da atenção de vocês, por favor. -- Pediu Lucas fazendo um leve som com a colher batendo contra o copo chamando a atenção de todos ali presentes. -- Eu e minha esposa temos uma ótima notícia para contar. -- Com um braço envolver a cintura de Max, ambos deram um troca de olhares, e um sorriso. -- Minha esposa e eu demos essa festa para dar uma grande notícia a vocês, nossos amigos. Max recentemente foi ao medico decido há uns maus-estar que estava sentindo foi então que ela descobriu...-- Seu olhar foi imediatamente para El, e um sorriso sônico se formou em seus lábios. -- Vamos ter um bebê. -- Nesse momento todos passaram a comemorar entre palmas e dar os parabéns ao casal, e aquele olhar, aquele olhar de "Eu tenho o que você sempre sonhou em ter" continuava presente fixo em El, a torturando, tanto que ficar ali, olhando para os dois, recebendo aquele maldito olhar de Lucas, não era mais possível.

         A garota, a passos rápidos, lutava para conseguir sair de toda essa multidão. Não podia ver o que acontecia atrás de si, porém tinha plena certeza que Lucas deveria estar rindo agora, satisfeito pelo seu plano de humilhá-la, e passar em sua cara o quanto queria aquilo que estava tendo, e o quanto as chances de nunca acontecer eram imensas. 

-- Maldito...Idiota...Desgraçado. --El o xingava a todo momento que deixava aquela casa.  

-- El, volte aqui. -- Ouviu a voz de Mike a chamando, porém não deu importância, tudo que queria era deixar aquele lugar. Aquela sensação que teve no começo da noite que tudo isso não passava de uma tentativa bem sucedida de Lucas de mostrar o quanto ele tinha tudo que El desejava estava certa. Aquela vozinha sussurrando em seu ouvido um " Não vá" deveria ter sido ouvida com mais atenção. E a consequência disto estar lhe atormentando agora, lhe arrancando lágrimas, e uma mágoa arrasadora em sua peito.

-- Eu quero ir para casa, Mike. -- Ao chegar perto daquele carro, tentou abrir a porta, porém, como tudo em seu dia estava dando errado, a porta estava travada. -- Mike, destrava a porta. 

-- Não, El, a gente não vai, não podemos sair assim, o Lucas nos convidou, não seria educado sair assim. -- Cada palavra contribuía para fazer toda aquela raiva que possuía El triplicar, até mesmo parecia que não estava lá momentos atrás, que não viu a forma com que tratou sua própria esposa. 

-- Estou pouco me fodendo para o que ele vai pensar de nós. Eu quero ir para casa. -- Com toda essa raiva manter um tom baixo que apenas Mike escutasse era inevitável. Logo sua voz ficou exaltada, e seria uma questão de tempo para algum curioso aparecer, e ver qual briga estava rolando. 

-- O que estar acontecendo, El? Desde que te contei sobre essa festa você ficou nervosa, reclamando, e começando uma briga idiota. El o que estar acontecendo? -- Agora era a vez de Mike aumentar seu tom, tornando o pedido de não brigar em ruínas. De fato ao ouvir sobre essa festa El pressentia que tudo daria errado, sabia muito bem um pedido repentino de Lucas da qual não tinha notícias há quase um ano era algo para se suspeitar, e estava certa. Por isso sua insistência em não vir, sabia muito bem o que a esperava. Porém, não sabia que Mike daria tanta importância para algo assim que o seu "Não quero ir se tornaria briga". Logo com uma trilha de perguntas das quais El não tinha animação para responder, apenas dizia que não queria ir e ponto. Porém, sua relutância para responder o motivo que ainda não havia sido dado a Mike gerou uma série de deduções, e uma tentativa de adivinhação do garoto, tornando tudo ainda pior. Mágoas do passado, raiva da Max por algo que não havia sido sua culpa, Implicância, egoísmo por saber que ele queria ir, mas não El não estava dando a mínima. Todas essas conclusões foram tiradas por Mike...Apenas uma era verdadeira, não a parte da mágoa, mas sim de ainda lembrar do passado, o que Lucas dizia sobre si, o que nunca conseguiu esquecer. Havia o perdoado assim como fez com Joe, é claro que suas ações contra El foram contraditórias, mas de certa forma, perdoou os dois por ter buscado lhe fazer mal. Porém, mesmo o perdoando, nunca mais pode confiar que não chegaria a fazer algo contra ela novamente, e esta noite, se a confiança tivesse sido lhe dada, seria traída mais uma vez. 

-- Eu só quero ir para casa. -- Mas uma vez evitou falar, não sabia porque aquele assunto lhe incomodava, mas sim, e não queria comentar sobre ele. 

-- El, você está com inveja da Max. -- Nesse momento seu ar faltou, seu coração disparou, seu rosto queimava com uma raiva que começava a se propagar. Nesse momento evitava olhar para Mike, tentando segurar o controle.

-- Por que você acha que sinto inveja dela? -- As lágrimas começavam a escorrer de seus olhos, seus lábios se tremiam com aquele choro, não acreditava que havia escutado aquilo. 

-- Nada, El, nada. -- Imediatamente Mike se arrependendo de ter falado sobre isso, foi errado, porém, já podia ser tarde. 

-- Não, Mike, você vai falar agora. -- El continuava sem o olhar, o choro não havia se cessado, pior, tinha tudo para ficar mais intenso. 

-- Porque ela vai ter um bebê e você não. -- Sua voz saiu como um sussurro, completamente arrependido de ter começado. Um silêncio se instalou sobre o casal, El continuava a não olhá-lo, e Mike apenas a observava de costas pensando o quanto idiota havia sido suas palavras. Se sentiu pior ainda quando escutou aquele som, aquele som que havia a culpar pesar ainda mais: El chorando. -- Seu idiota. -- Mike sussurrou para si, e logo, tentou uma aproximação da garota. -- El... -- Tocou seus ombros em busca de trazer seu olhar para si. Porém, tudo que obteve foi um esquivo seu, o impedindo de tocá-la. Mike então, finalmente destrancou a porta do carro, fazendo El entrar imediatamente. 

(...) 

         Ambos deixaram aquele lugar em silêncio, todo o caminho assim como antes era silencioso, mas desta vez não era para evitar uma briga, da parte de El seria por não ter o que dizer. E Mike não queria dizer mais nada que pudesse a magoar, o melhor de agora era mesmo o silêncio. 

          Ao chegar em casa aquele silêncio prevalecia, ambos andavam para seus quartos como se nada tivesse acontecido, apenas mantendo toda aquela raiva e mágoa em suas cabeças. El ao chegar em seu quarto, diretamente foi para seu banheiro, fechando a porta imediatamente, porém, não a trancou, apenas a fechou para não continuar olhando para Mike. Encheu aquela banheira de água quente, numa tentativa de que com aquele banho esquecesse de tudo desta terrível noite. El se banhava com aquela água quente, abraçando seus joelhos, e tentando não pensar no que aconteceu. Porém, era difícil, toda vez que fecha seus olhos a lembrança de momentos atrás lhe vinha: Lucas dando aquela notícia com tanto entusiasmo, e lhe dando aquele cínico olhar, e por fim Mike dizer aquilo. O que doeu mais? Óbvio que foi as palavras de Mike. Inveja,  como ele pode dizer tal coisa? El ainda se perguntava o que fez com que pensasse assim. El queria um bebê óbvio, mas Mike queria tanto quanto ela, o que faria pensar quem era mesmo a pessoa ao sentir inveja nessa história. Sempre que alguém falava de bebê, uma mulher grávida passando por nós, crianças, quase tudo que lembrasse um filho deixava Mike triste, e vezes bravo. Essa raiva muitas das vezes era má direcionada, voltando-se fortemente para El, fazendo a garota pensar que seu marido a culpava por ainda não poder lhe dar um filho. E agora, na banheira, El pensava nisso, na culpa, na raiva e tristeza que Mike tinha,  e mais uma culpa pesava em seus ombros. 

          A garota começava a sentir uma dor crescer em seu peito, uma dor imensa. El segurou com mais força seus joelhos, e enfim, se entregou ao choro. Intenso, doloroso, um nó eterno em sua garganta se formava, fazia tempos que não chorava assim, que não se sentia tão pequena. De repente, em meio a aquele choro, El sentiu braços a envolverem, e um beijo ser adicionado no topo de sua cabeça. 

-- Me perdoa, El. -- A voz de Mike soou. -- Me desculpa por tudo. -- Logo El retribuiu aquele abraço acolhedor, e Mike, permaneceu a abraçá-la até que seu choro se cessasse, o que pouco demorou, logo em estava mais calma, algumas poucas lágrimas caiam, porém, todo os soluções haviam acabado. 

         Depois de um tempo, quando toda aquela água quente havia esfriado, Mike colocou um de seus braços em baixo dos joelhos de El, e seu outro permanecia a envolver pelas costas, enquanto El segurava firme na seus ombros, lhe dando mais facilidade para erguê-la em seus braços e levá-la daquela banheira para sua cama. Mike a vestiu com uma de suas camisas que seria a única coisa que a separaria da nudez total. A envolveu com todas aquelas cobertas da cama, com o objetivo de a esquentar, porém, esse não foi seu único método usado para não deixar que sua esposa sentisse frio. Quando já estava aconchegada entre as cobertas, a envolveu com seus braços. 

-- Você me perdoa, El? Eu fui um idiota, e prometo que nunca mais acontecerá. Eu não te culpo, El, não pense assim, por favor...Me perdoa. Você me perdoa, meu amor? -- El ouvia em silêncio seu pedido de desculpas, alguns lágrimas ainda derramava. E todo o estresse causado nesta noite, aos poucos não lhe magoava mais. 

-- Perdôo. -- A garota apenas vira um pouco de seu rosto para que consiga olhar para Mike. -- Você sabe que não importa o que faça, meu amor sempre será grande o suficiente para perdoa qualquer coisa. Meu amor por você vence qualquer erro..Então é claro que eu te perdôo. -- Por fim lhe deu um curto Beijo nos lábios, e voltou a posição de antes. Mike se sentia melhor agora por ter ganhado o perdão de El, porém, ainda lhe restava uma culpa, uma culpa de ter feito isso com ela, a raiva má direcionada, deixando que El se sentisse culpada quando a única pessoa que Mike culpava era Joe, a tristeza que contribuía para que se sentisse ainda mais culpada, e esta noite, quando alegou que El havia ficado com inveja de Max pelo bebê. Todas essas coisas idiotas feitas sem pensar nas consequências que contribuíram para magoá-la. Mike só sabia de uma coisa: Isso nunca mais se repetiria. 


        Flashback off


           El se lembrava daquele dia, de como ficou magoada, e de como seu amor por Mike foi forte o suficiente para perdoá-lo. 

-- El? -- Hopper finalmente tirou sua atenção de seus pensamentos.

-- Desculpa, o que você disse? 

-- Se você é o Mike estão bem. -- El abriu um largo sorriso com sua pergunta é logo respondeu: 

-- Nunca estivemos melhor. -- Era verdade suas palavras, mesmo com aquele período de suas vidas ele havia passado, ficado para trás, esquecido...Perdoado, e nenhuma mágoa restava agora. Apenas vez ou outra uma lembrança, porém, nenhum sentimentos de raiva, há não ser a certeza do quanto aquele amor que tinha por Mike era verdade que nenhum problema ou erro mudaria isso. 

-- Alguma novidade, linda? -- Mais um longo sorriso se formou seu rosto, seu olhar se cruzando com o de Hopper e disse:

-- Sim, eu tenho...




Continua.






Notas Finais


Então, vcs acham que ela estava certa em o perdoa?
Comentem e favoritem se gostaram.
Mais uma vez obrigada a todos que me acompanhem.
Beijosss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...